segunda-feira, 18 de abril de 2022

Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer - Emily Austin [Opinião]

 

Título: Toda a Gente Nesta Sala um Dia Há de Morrer
Autor: Emily Austin
Editor: TopSeller
N.º de Páginas: 288

Sinopse: 
Gilda não consegue parar de pensar na morte, imaginando cenários terríveis e improváveis que a deixam de coração aos saltos e com falta de ar. A sua ansiedade é tão grave, que os funcionários das urgências já a conhecem. Desesperada por encontrar algum alívio, dirige-se a uma igreja católica que oferece serviços de psicoterapia, onde é recebida pelo padre Jeff, que depreende que ela está ali para uma entrevista de emprego. Demasiado envergonhada para o corrigir, Gilda confirma e acaba por ser contratada como rececionista, para substituir a antiga funcionária, Grace, uma mulher idosa recentemente falecida.

O problema é que Gilda não só não é católica como também é ateia e lésbica. Sentindo que tem de manter as aparências, decide aprender os procedimentos da igreja, enquanto tenta ganhar coragem para lavar a pilha de louça que se acumula no chão da sua casa e convencer a namorada de que, apesar do seu aspeto cada vez mais preocupante, está tudo bem consigo.

No decorrer das suas funções, Gilda encontra a correspondência trocada entre Grace e a sua velha amiga Rosemary, mas não tem coragem de lhe dar a má notícia, pelo que começa a fazer-se passar por Grace por e-mail, encontrando algum consolo naquela troca de palavras generosas. Contudo, quando a morte de Grace começa a ser investigada pela polícia, Gilda vê-se obrigada a lidar com as mentiras que contou e que podem revelar a toda a gente a forma como tem verdadeiramente vivido.



O título convida à leitura e à escrita em forma de sátira apaixonou-me completamente. Gostei da forma como a história está formulada e o facto da ironia da vida que faz com que uma ateia e lésbica vá trabalhar gomo secretária numa igreja católica. Pelo meio a investigação de uma morte que pode não ter sido natural e as agruras de uma vida completamente banal, ou não.







Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard