segunda-feira, 14 de junho de 2021

Os Passageiros - John Marrs [Opinião]

 

Título: Os Passageiros
Autor: John Marrs
Editor: TopSeller
N.º de Páginas: 416

Sinopse: 
Seria capaz de escolher que vida salvar?

Num futuro próximo, em que os veículos sem condutor já são comuns e considerados muito seguros, um pirata informático apodera-se do sistema operativo de oito carros, altera o destino programado e avisa os seus passageiros de que irão morrer dentro de horas.

A comissão constituída para avaliar acidentes com este tipo de veículos automáticos vê-se agora confrontada com uma missão muito mais difícil: seguindo as instruções do Hacker, terá de entrevistar cada um dos passageiros e decidir qual deles salvar. Câmaras ocultas nos carros asseguram uma transmissão mundial através das redes sociais e permitem acompanhar em direto o terror dos passageiros.

O Hacker parece saber tudo sobre os intervenientes, e, à medida que mais informações são reveladas sobre cada um deles, esta decisão difícil parece tornar-se impossível. Afinal, até que ponto permitimos que as primeiras impressões determinem o que pensamos acerca de alguém?

A minha opinião: 
Almas Gémeas foi uma das melhores leituras que tive recentemente pelo que a curiosidade por outros livros de John Marrs era muito grande.

O autor tem a particularidade de nos fazer pensar nas vantagens e desvantagens do avanço tecnológico e de como o mesmo pode controlar as nossas vidas.

Se em Almas Gémeas uma empresa consegue saber quem é o nosso par ideal, a nossa alma gémea, através da análise do nosso ADN com um conjunto de outros fatores, neste caso Mars cria um automóvel controlado por um computador em que o condutor é mero passageiro, tendo apenas de dizer qual o local para onde se quer dirigir.

O pior é quando o sistema do carro é pirateado e o Hacker altera o destino de oito passageiros, informando-os que vão morrer dentro de duas horas.

A missão de salvar os passageiros e escolher quais irão morrer cabe, sobretudo à comissão constituída para avaliar acidentes de veículos automáticos, que acaba por se ver envolvida numa grande responsabilidade.

Entre os passageiros encontra-se uma mulher grávida, uma atriz veterana, uma mãe de cinco crianças, um veterano de guerra, entre outros cujas vidas, à primeira impressão, podem levar a comissão a optar pelo destino trágico de uns.

Apesar de não me ter arrebatado quanto o primeiro livro que li do autor, só posso recomendar a sua leitura.




Sem comentários: