quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Cortina de Fumo - Jørn Lier Horst e Thomas Enger [Opinião]

 

Título: Cortina de Fumo
Autor: Jørn Lier Horst e Thomas Enger
Editor: Dom Quixote
N.º de Páginas: 392

Sinopse: 
Oslo, véspera de Ano Novo. A celebração anual com o espetáculo de fogo de artifício é abalada por uma explosão e a Noruega é colocada em alerta terrorista.
O detetive Alexander Blix e a obstinada jornalista de celebridades Emma Ramm estão no local e, quando uma sobrevivente gravemente ferida é retirada da água gelada diante do cais da Câmara Municipal, Blix reconhece-a de imediato como a mãe de Patricia Smeplass, uma criança de dois anos que foi raptada no caminho para casa dez anos antes... e que nunca foi encontrada.

Na altura, Blix esteve fortemente envolvido na investigação, mas apesar da busca intensa não foi descoberto qualquer vestígio da menina desaparecida. Agora, à medida que o caso ganha uma vez mais a atenção do público, a jornalista Emma Ramm fica também intrigada com o mistério. E haverá alguma ligação entre a bomba da passagem de ano e o rapto de Patricia?

Quando se torna claro que nada é o que parece, Blix e Ramm unem forças penetrando na cortina de fumo que foi concebida para esconder a verdade por trás do desaparecimento de Patricia.







Ponto Zero foi um dos meus livros favoritos do ano passado pelo que estava com muitas expetativas quando saiu Cortina de Fumo. Segundo livro da série (Alexander Blix & Emma Ramm #2) Cortina de Fumo começa com logo com um ataque aparentemente terrorista. Na véspera de ano novo Oslo é alvo de uma explosão que ficará encapotada com o fogo de artifício, habitual na noite de passagem de ano.

No entanto, cedo de percebe que o barulho que se ouve não é das festividades, mas sim de vários explosivos que acabam por fazer algumas vítimas mortais.
 
Presentes no local estão o detetive Alexander Blix e a jornalista de celebridades Emma Ramm e juntos vão reconhecer uma mulher gravemente ferida: a mãe de uma criança desaparecida há dez anos, e que nunca foi encontrada. Coincidência ou azar?

A dupla de escritores nórdicos funciona muito bem e cria histórias bastante interessantes. Mas curiosamente este livro não me encantou tanto como o primeiro. Achei, por vezes, que a história se arrastou, e que na criou o suspense próprio deste género de livros. No entanto, foi uma boa leitura.




Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard