sexta-feira, 9 de julho de 2021

Rapariga A - Abigail Dean [Opinião]

 

Título: Rapariga A
Autor: Abigail Dean
Editor: Editorial Presença
N.º de Páginas: 336

Sinopse: 
«- a Rapariga a - disse ela. - a rapariga que conseguiu fugir. Se havia alguém capaz de singrar, esse alguém eras tu.»

Lex Gracie não quer pensar na família. Não quer pensar no que foi crescer na Casa dos Horrores dos seus pais. E não quer pensar na sua identidade como Rapariga A: a rapariga que conseguiu fugir. Mas quando a mãe morre na prisão, deixando-lhe a ela e aos irmãos a casa de família, Lex não tem como continuar a fugir do passado. Juntamente com a sua irmã Evie, está decidida a transformar a Casa dos Horrores numa força do bem. Mas primeiro tem de se reconciliar com os seis irmãos - e com a infância que partilharam.

O que começa por ser uma impressionante história de fuga transforma-se num thriller psicológico e familiar que nos envolve completamente: pelas traições e alianças entre os irmãos, o periclitante equilíbrio de forças que regula os laços entre eles e os segredos que guardam uns dos outros e escondem de si próprios.

Quem são estes irmãos agora?
De que forma as suas memórias desafiam e alimentam as memórias de Lex, a Rapariga A?
À medida que avançamos para o final, a força, os tentáculos e o mistério da mitologia familiar revelam a sua verdadeira natureza e descobrimos, com Lex, quem pode realmente… libertar-se.








Logo que li a sinopse constatei que este era livro para mim. Imaginem um Casa de Horrores, cujos pais têm em cativeiro os seus sete filhos. Uma história muito recente depressa nos vem à memória: David e Louise Turpin e os seus 13 filhos. 
Abigail Dean baseou-se nesta e noutras histórias semelhantes para escrever este livro, e apesar de bastante conhecidas, posso dizer que fiquei chocada com algumas partes do livro. Mesmo sabendo ser ficção. 

Quem, pai ou mãe, come descansado, deixando os filhos morrer praticamente à fome? Quem, em nome de uma crença qualquer, os coloca em cativeiro, não os deixando conviver com ninguém, nem com eles próprios? É que além de estar presos nos quartos, o pai também os acorrentava com medo que tentassem a fuga. 
E mais não adianto. 

Lex, ou Rapariga A, dá voz e rosto a muitas raparigas que foram e continuam a ser vítimas de homens (na sua maioria) pérfidos e desumanos, que as aprisionam.
E quando esses homens fazem parte da nossa família, como os nossos pais, a história é ainda mais macabra. 

No começo, somos brindados com a notícia de que a mãe de Lex morreu na prisão. Pouco nos é dado a conhecer a não ser que tanto Lex como os irmãos não querem reclamar o corpo. 

Mas é quando Lex decide visitar um a um para lhes falar sobre o testamento, que vamos percebendo o que é que estes sete elementos padeceram sob o teto deste casal muito estranho. 

E caso, não fosse a força e vontade de Lex em querer sair daquela situação, todos poderiam ter um desfecho bem mais triste. 

Depois, há ainda a parte da redescoberta da vida. De uma vida que se quer normal. O que se passa depois de um desfecho tão trágico? Para onde vão estas crianças? São divididas? Manterão o contacto? 

É isso tudo que vamos lendo no livro de estreia de Abigail Dean. Um livro bem estruturado, com várias alusões ao passado que nos vão colocando no papel das personagens, mas com o presente também como referência. 

Gostei imenso e só posso recomendar. 






Sem comentários: