segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

A Filha do Mentiroso - Megan Cooley Peterson [Opinião]

Título: A Filha do Mentiroso
Autor: Megan Cooley Peterson
Editor: TopSeller
N.º de Páginas: 320

Sinopse: 
Nomeado para o prémio YALSA atribuído pela American Library Association

Perturbador. Intenso. Viciante. Ela cresceu num culto. O seu pai é o líder… e um mentiroso.

Chama-se Piper, tem 17 anos e é filha de um profeta. Ela obedece e respeita o pai, e por essa razão cuida das irmãs mais novas e prepara-se para o apocalipse. Porque assim foi ensinada e nunca o deve questionar.
Até ao dia em que arrancam Piper da família que sempre conheceu e a levam para o Exterior: esse mundo que lhe foi ocultado desde criança, um mundo desconhecido e longe de Caspian, o rapaz que ela ama.

Nesta nova realidade, tentam convencê-la de que o seu pai é maquiavélico, um fanático. E há uma mulher que diz ser sua mãe. Mas Piper recusa-se a aceitar e só quer fugir para regressar a casa… Afinal, no que deve acreditar? Nas palavras dos seus raptores? Ou na única verdade que conhece?

A minha opinião: 
Pipper tem 17 anos e vive numa espécie de bolha. É filha de um profeta, vive numa seita, e tudo do mundo exterior é o inimigo.

Vivem à espera do apocalipse, apregoado pelo pai, e prepara-se para isso, sem sequer questionar o que quer que seja. Pai e mãe estão sempre ausentes, a apregoar a crença a outros, segundoo dizem, e Piper e e as restantes crianças são "educados" por mulheres, membros da seita, que lhes vão fazendo constantes lavagens ao cérebro.

Isso é o antes.

No depois Pipper vive com uma família modelo, mas que julga ser os maus da fita.

Este livro não se lê, devora-se. Até porque queremos saber como é que foi a história de Pipper e dos seus irmãos até ali. Apesar de ter imaginado o desfecho da história tal como se desenrolou não me senti defraudada nem desmotivada para continuar.

Talvez por ter sido classificado para um público mais jovem, o livro não aprofunda nenhuma temática, que a meu ver seria importante e daria mais interesse na sua leitura. 

Todas as histórias que envolvem seitas deixam-me curiosa, pelo que a vontade de querer saber mais era muito grande. Além de tudo, tendo sido a autora parte integrante de uma delas, poderia ter dado pormenores sobre o que se lá passava bem interessantes. 

Podia ainda ter explorado melhor o antes, mas também o depois, que acabei por achar um pouco confuso. Achei Pipper muito desamparada, na nova casa e a obtenção de respostas foi dado muito ligeiramente, tendo ela que descobrir sozinha o seu passado. 

Livro muito bem escrito e com uma história assustadora que pode muito bem ser a história de muitos jovens pertencentes a estas seitas. No entanto fica a ressalva que esta é uma leitura bastante mais leve do que estava à espera. 









Sem comentários: