quarta-feira, 22 de maio de 2019

Traz-me de Volta - B. A. Paris [Opinião]

Título: Traz-me de Volta
Autor: B. A. Paris
N.º de Páginas: 264

Sinopse:
Ela desapareceu. Ele seguiu a sua vida. Muitos segredos ficaram por revelar.

Finn e Layla são jovens, estão apaixonados e têm a vida toda para serem felizes. Ao regressarem de umas férias em França, já de noite, Finn para numa estação de serviço, deixando Layla sozinha dentro do carro . Minutos depois, ao dirigir-se de volta à viatura, descobre que a namorada desapareceu. E nunca mais a viu . Esta é a história que Finn conta à polícia. É a verdade - mas será toda a verdade?

Passaram-se doze anos. Finn construiu, entretanto, uma nova vida ao lado de Ellen, irmã de Layla. Um dia, alguém que ele conhece do passado telefona-lhe e diz-lhe que viu Layla. Mas será mesmo ela - ou alguém a querer passar-se por ela? Se for Layla, o que querererá? E o que terá ela a dizer sobre a noite em que desapareceu? Um tour de force de suspense psicológico, este novo romance da autora bestseller B. A. Paris, leva o leitor a questionar tudo e todos até ao climax admirável.

A minha opinião: 
B. A. Paris cativou-me com o seu primeiro livro Ao Fechar a Porta e ainda hoje o recomendo a quem me pede um thriller que seja bom e ao mesmo tempo viciante. Daí ficar sempre muito curiosa quando um novo livro dela sai.

Neste terceiro livro B. A. Paris explora um triângulo amoroso protagonizado por Finn, Layla e Ellen. A história parte da noite de desaparecimento de Layla, em circunstâncias misteriosas, e do esforço incessante de Finn em querer encontrá-la. Acontece que Finn não conta tudo o que sabe à polícia e essa omissão vai persegui-lo para todo o sempre.

Doze anos depois, Finn tem uma vida completamente construída ao lado da irmã de Layla, Ellen. Até que um dia tudo muda novamente quando recebe uma chamada que o remete para o passado. 
E a partir dessa altura B. A. Paris vai repartindo a história entre o passado e o presente e, aos poucos, vamos percebendo o que se passou na noite do desaparecimento de Layla, mas também antes mesmo disso.

A autora continua a prender o leitor pela forma como escreve. No entanto, este terceiro livro não me encheu as medidas como quando li o primeiro. Se já o segundo deixou algumas pontas soltas e me deixou um pouco decepcionada, este também não me surpreendeu como queria.

Contado na primeira pessoa pela voz de Finn e, a certa altura, também por Layla, acompanhei a história com algum interesse para saber o que realmente se tinha passado para que a jovem tivesse desaparecido. No entanto, a certa altura e já um pouco cansada de ver demasiadas pistas que não levavam a lado nenhum, acabei por desiludir-me por completo com o desfecho do livro. Posso dizer que não estava nada à espera com o final da história, com o desenrolar de toda a narrativa, mas mesmo assim a autora não me deixou de boca aberta.



Sem comentários: