segunda-feira, 6 de abril de 2009

Apresentação de Espíritos das Luzes

O livro de Octávio dos Santos, "Espíritos das Luzes" vai ser apresentado, no próximo dia 8 de Abril, às 18h30 na Fnac do Chiado. A apresentação ficará a cargo de Miguel Real.


O novo livro de Octávio dos Santos , chega às livrarias esta semana com o título "Espíritos das Luzes". Segundo o autor, “(…) este livro de certa forma “mistura” o ambiente do Portugal setecentista com um cenário de ficção científica. Embora seja, à partida, uma obra de ficção, um romance(?), uma fantasia, “Espíritos da Luzes” assenta, contudo, na presença de personagens reais, cujas falas, são, na totalidade, as suas próprias palavras escolhidas, transcritas e adaptadas dos seus livros, discursos, cartas e outros documentos.

Assim, e além de Bocage, que é, inevitavelmente, um dos “protagonistas” principais, outros nomes incontornáveis daquela época que fazem igualmente a sua aparição incluem: O Marquês de Pombal , a rainha D. Maria I; o intendente Pina Manique; A Marquesa de Alorna; Luísa Todi; Leonor Pimentel; O Cavaleiro de Oliveira ; Luís António Verney; António Ribeiro Sanches, …. Isto quanto aos portugueses ; quanto aos estrangeiros, embora em menor número, eles estão representados por William Beckford, Kant, Voltaire.... Todos eles foram nomes de destaque do chamado “Século das Luzes”, mas nem todos foram contemporâneos e nem todos chegaram de facto a encontrar-se e a dialogar(…) pareceu-me sempre uma solução acertada imaginar uma realidade alternativa, um universo paralelo”, um mesmo “ Tempo” e um mesmo lugar – Lisboa, claro, mas uma Lisboa diferente - onde todos eles pudessem coexistir e interagir.”

Sobre o livro
Era uma vez, num outro universo, em outro espaço e outro tempo, um planeta chamado Portugal... que fora abalado por um terrível terramoto que quase destruíra por completo a capital, Lisboa. O Marquês de Pombal, o todo-poderoso primeiro ministro do Rei D. José, prometeu, confiante na capacidade dos seus arquitectos e engenheiros, e também na de milhares de operários-robôs, que a cidade seria reconstruída, para diferente e para melhor, em sete dias. Entretanto, aterra no astroporto do Cais das Colunas uma nave que traz o milionário inglês William Beckford. À sua espera está um seu amigo português, o poeta Manuel Bocage, e os dois iniciam um percurso pela megalópole em acentuada e acelerada mutação, durante o qual irão encontrar, além de Sebastião José, outros personagens importantes e fascinantes, entre os quais o Intendente Pina Manique, a Marquesa de Alorna, Voltaire, a Rainha D. Maria I, Kant, António Ribeiro Sanches, Luís António Verney, Luísa Todi... Por entre manifestações místico-religiosas, encontros científicos e culturais, discussões de política galáctica e orgias tecno-sexuais, Beckford e Bocage ver-se-ão à mercê de um misterioso e inquietante indivíduo, que acabará por os levar até a um sítio onde se guarda o mais espantoso, o mais extraordinário segredo de Portugal...

Sobre o autor
Octávio dos Santos nasceu em Lisboa a 16 de Abril de 1965. Foi um dos alunos a concluir o primeiro seminário (especialização) de Sociologia da Comunicação da licenciatura em Sociologia do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa; a sua tese foi orientada por José Manuel Paquete de Oliveira. É jornalista e foi redactor das revistas TVMais, África Hoje, Cyber.Net, Inter.Face e Comunicações; por artigos publicados nas três últimas foi distinguido (com, respectivamente, um primeiro lugar absoluto, uma menção honrosa e um co-primeiro lugar ex-aequo) em três anos consecutivos (1998, 1999 e 2000) pelo Prémio de Jornalismo Sociedade da Informação. Colaborou também, entre outros, com A Capital, Aula do Comércio, Diário Digital, Diário de Notícias, Diário Económico, Expresso, Finisterra, Fórum Estudante, Jornal de Negócios, Media XXI, O Diabo, Público, Seara Nova, Semanário, Tempo, Vértice e Vida Ribatejana. É autor dos livros: «Visões», uma colectânea de contos inserida na colecção Bibliotheca Phantastica dirigida por António de Macedo (2003, Hugin/áudio-livro em 2005, SbH); «Os Novos Descobrimentos – Do Império à CPLP: Ensaios sobre História, Política, Economia e Cultura Lusófonas», escrito com Luís Ferreira Lopes e com prefácio de José Manuel Durão Barroso (2006, Almedina/menção honrosa, categoria «Livro», nos Prémios Culturais da Sociedade Histórica da Independência de Portugal, 2008); «A República Nunca Existiu!» (2008, Saída de Emergência), com outros 13 autores, outra colectânea de contos da qual foi também organizador. É membro da Simetria/Associação Portuguesa de Ficção Científica e Fantástico (blog.simetria.org), onde tem desenvolvido o projecto «Simetria Sonora». Octanas é o seu blog pessoal:(octanas.blogspot.com).
Pode ainda ver mais sobre o livro através de http://glups.leya.com/index_intro.php?action=getFlash&publicacao_id=266

Sem comentários: