segunda-feira, 9 de abril de 2018

«Os Direitos Humanos depois de Hitler», de Dan Plesch, revela a história perdida da acusação dos crimes de guerra do Eixo

Título: Os Direitos Humanos depois de Hitler
Autor: Dan Plesch
Género: História
N.º de páginas: 312
Data de lançamento: 13 de abril
PVP: € 18,80
Tradução: Artur Lopes Cardoso

No próximo dia 13 de abril chegará às livrarias portuguesas o livro Os Direitos Humanos depois de Hitler, de Dan Plesch, no qual o autor conta a história da ascensão e queda da Comissão das Nações Unidas para os Crimes de Guerra.
Fruto de uma profunda análise, o livro sublinha a importância desta comissão que deu início a ações penais contra os exterminadores de judeus e que foi pioneira no domínio das práticas de direito penal internacional relacionada com violência sexual, imunidade de chefes de Estado, entre outras.
Leitura indispensável para todos os que se interessam pela história da Segunda Guerra Mundial, com informações relevantes em primeira mão para historiadores e ativistas dos direitos humanos, Os Direitos Humanos depois de Hitler denúncia de forma clara e acessível os crimes perpetrados durante a Segunda Guerra Mundial, disponibilizando neste seu novo livro documentação e informações relevantes e inéditas.

Críticas na Imprensa Internacional:
«Este livro importante e revelador examina o trabalho de uma comissão de 17 nações aliadas, chamada oficialmente Comissão das Nações Unidas para os Crimes de Guerra (UNWCC), instituída no final de 1943, para preparar normas e procedimentos legais para que os perpetradores do Holocausto e das barbaridades do exército japonês respondessem perante a justiça. Os seus precedentes têm uma ressonância e relevância ainda hoje, quando se tenta perceber como lidar com os crimes do Daesh e de Assad. O livro está escrito de modo claro e compreensível para um público não especializado, mas tem valor profissional para historiadores e advogados envolvidos na atividade infelizmente crescente de punir os crimes contra a humanidade.» Geoffrey Robinson, autor de Crimes against Humanity: The Struggle for Global Justice

«Com tão poucos sobreviventes do Holocausto ainda entre nós para darem o seu testemunho, os relatos pormenorizados contidos no arquivo da Comissão das Nações Unidas para os Crimes de Guerra merecem uma divulgação ampla, a fim de silenciarem os que ainda negam que os horrores do Holocausto existiram.» International Socialism

«O extraordinário conjunto de casos (mais de 35 000) que Plesch ajudou a desvendar revela uma tentativa verdadeiramente radical de promover os direitos humanos como um padrão para o pós guerra […] Reconheço também imensa coragem num livro que reafirma, opondo-se à literatura revisionista recente, que a formação das Nações Unidas marcou uma época e um momento digno de reavaliação.» G. Daniel Cohen, Universidade Rice

«Cheio de revelações […] Quem se interesse pelo desenvolvimento dos direitos humanos e da justiça tem nesta obra uma leitura essencial.» Choice

«O autor merece ser felicitado pelo esforço pessoal para conseguir a divulgação do arquivo da UNWCC, bem como por esta história de como um valioso recurso legal foi mantido indevidamente escondido do público durante décadas.» Irish Times

Sinopse:
Adolf Hitler e dezenas de milhares de nazis e seus aliados foram indiciados como criminosos de guerra pela comunidade internacional durante e após o fim da Segunda Guerra Mundial, o que teve com resultado mais de dois mil julgamentos, apoiados internacionalmente, de crimes em tribunais da Europa e Ásia. Apesar deste número elevado de ações intentadas, a memória histórica do mundo está limitada aos julgamentos das escassas dezenas de funcionários superiores que compareceram perante os tribunais internacionais de Nuremberga e Tóquio. Este livro conta a história da ascensão e queda da Comissão das Nações Unidas para os Crimes de Guerra e das lições morais e práticas que podemos aprender com os heróis desse movimento pouco conhecido, em prol da justiça internacional.

Sobre o autor:
Dan Plesch dirige o Centre for International Studies and Diplomacy da School of Oriental and African Studies (SOAS), da Universidade de Londres. Autor de America, Hitler and the UN e coordenador de Wartime Origins and the Future United Nations, colaborou com frequência com o jornal The Guardian e outras publicações.




Sem comentários: