segunda-feira, 27 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Relançamento de "O Espião do Vaticano" de Luther Blissett

Esta semana a Saída de Emergência reedita o bestseller internacional, O Espião do Vaticano de Luther Blissett. Uma obra muito elogiada pelos principais meios de comunicação estrangeiros.

- “Um bestseller histórico com cor, aventura e suspense para dar e vender” – Times Literary Supplement

- “Uma aventura exemplarmente escrita que mistura o melhor do romance de espionagem com profundas reflexões sobre as guerras da religião” – Le Monde

- “Um livro grande, sangrento e de cortar a respiração: um choque de cores, multidões, lugares exóticos e guerra” – The Times

- “Um misto do melhor de Umberto Eco e John le Carré” – The Independent

Sinopse:
1517: Martinho Lutero prega as suas 95 teses nas portas da catedral de Wittenberg, exigindo uma reforma na Igreja Católica, e desencadeando o período de violência a que chamamos Reforma Protestante.

Nesta época caótica devastada por guerras religiosas, um jovem estudante de teologia abraça a causa dos heréticos e dos excomungados. Imerso no xadrez político da Europa, e viajando das planícies alemãs até Veneza, o nosso herói vê-se perseguido por uma misteriosa figura denominada Q, um espião papal e caçador de hereges.

Poderoso, rico, inventivo e intelectualmente estimulante, O Espião do Vaticano é uma história das seitas e intrigas e, simultaneamente, um romance épico de espionagem, traição e brutalidade. Estamos perante um livro inigualável, que nos fala de nós próprios e porque somos como somos.



Convite para tertúlia com o autor Nuno Costa Santos


O Apelo do Ano - Guillaume Musso [Opinião]

Título: O Apelo do Ano
Autor:
Guillaume Musso
N.º de Páginas: 336
PVP: 17,95€

Considerado o mestre do suspense, Musso constrói magistralmente uma trama que se move entre o romance e o thriller, com um fim de tirar o fôlego.

Nova Iorque, Aeroporto JFK.
Na cheia sala de embarque, um homem e uma mulher chocam, espalhando as suas coisas pelo chão.
Depois de uma discussão normal, recuperam os haveres e cada um segue o seu caminho.
Madeline e Jonathan nunca se viram na vida e é improvável que se voltem a encontrar. Mas, ao apanharem as coisas, trocaram inadvertidamente de telemóveis. Quando se apercebem do engano, já estão a dez mil quilómetros um do outro: ela é florista em Paris, ele tem um restaurante em São Francisco.
Não tarda para que os dois cedam à curiosidade, analisando o conteúdo dos telemóveis. Uma dupla indiscrição, que conduz a uma revelação inesperada: as suas vidas estão ligadas por um segredo que pensavam estar enterrado para sempre...

A minha opinião: 
Sempre que pego num livro de Guillaume Musso sei que vou ler um bom livro. É um dos meus autores de eleição e já ansiava por um romance dele, desde que saiu "A Rapariga de Papel", em 2013. Habituada aos seus romances surrealistas, fiquei surpreendida por este thriller espectacular que não estava mesmo nada à espera.

Uma troca de telemóveis no aeroporto JFK faz com que Madeline e Jonathan, uma florista de Paris e um dono de um restaurante de São Francisco comecem a trocar mensagens desenfreadamente. O que à partida podia ser um caso de pura curiosidade e até um pouco de ódio por, tanto um como outro, estarem a imiscuir-se na privacidade dos telemóveis de cada um, acaba por se criar uma cumplicidade cada vez maior, e um segredo que é comum vai ser revelado para para o meio da história.

Tanto Jonathan como Madeline ocultam o seu passado, o que imprime um interesse ainda maior à história. E o mistério que depois se avizinha faz com que as trezentas e poucas páginas se leiam num ápice.

Todos os capítulos começam com frases de livros que, de uma maneira ou de outra, têm significado para o autor. No final, Musso refere de que livros é que as retirou. Outra preciosidade que, de certa forma me encantou e que encantou alguns seguidores do meu Instagram e Facebook que muito me questionaram sobre a origem de uma frase cuja fotografia tinha tirado. Ei-la aqui:

Musso sai da sua zona de conforto, surpreende e apaixona. Recomendo.





O Assassínio de Cinderela - Mary Higgins Clark e Alafair Burke [Opinião]

Título: O Assassínio de Cinderela
Autor:
Mary Higgins Clark e Alafair Burke
Género: Literatura / Romance
N.º de páginas: 320
PVP: € 16,60

Aos 88 anos, Mary Higgins Clark continua a ser uma das autoras mais bem-sucedidas a nível mundial, pautando-se por uma carreira verdadeiramente prolífica. O Assassínio de Cinderela é o seu mais recente título editado pela Bertrand, com data saída para dia 13 de maio, e desta vez escrito em parceria com a escritora best-seller Alafair Burke.
O Assassínio de Cinderela é o primeiro volume da série Sob Suspeita. Em 2017, já está prevista a publicação do segundo título desta série: Toda Vestida de Branco.
Com mais de 150 milhões de livros vendidos em todo o mundo, Mary Higgins Clark é conhecida por ser a Rainha do Suspense, epíteto que mantém há 40 anos.

A minha opinião: 
Já há algum tempo que não lia nada de Mary Higgins Clark, mas este O Assassínio de Cinderela chamou a minha atenção desde o início. Primeiro pelo nome, pela capa, e só depois pela sinopse. Aos 88 anos, a escritora norte-americana continua a surpreender. Desta feita aliou-se a Alafair Burke e criou uma série, partindo da premissa de que as testemunhas, amigos e familiares de casos não resolvidos seriam reunidos para aparecer num programa de televisão, na esperança de encontrar pistas que escapavam nas investigações iniciais.

A fórmula é perfeita para leitores como eu, amantes da série Cold Case. Adorei saber o quanto evoluíram as personagens ao longo de 20 anos em que decorreu o crime. O que fizeram entretanto, em que se tornaram, o que realmente aconteceu.

Laurie Moran é produtora do programa "Sob Suspeita", e decide pegar no caso que ficou conhecido como o "Assassínio de Cinderela".

Passada entre Nova Iorque, São Francisco e Los Angeles, a história envolve todas as personagens envolvidas naquela noite, na altura do assassinato. Laurie e a sua equipa fazem um excelente trabalho ao convenceram as pessoas a participarem no seu programa e a darem o seu testemunho dos acontecimentos, mas, à medida que a investigação avança, há alguém que tenta impedir que a verdade seja descoberta.

"O Assassínio da Cinderela" foi um bom início de série, com bons personagens, uma boa equipa de investigação, tendo a personagem principal, Laurie, a sua própria tragédia pessoal. A dupla Mary Higgins Clark e Alafair Burke funcionaram na perfeição, construindo um livro com capítulos curtos, o que imprimiu bastante ritmo à história e com uma série que promete. Vou tê-la debaixo de olho.
Gostei.


Novo livro da série CASTLE nas livrarias



Estes dias têm estado muito quentes mas também há emoções a fervilhar No Calor da Noite. Este é já o terceiro livro do protagonista da série de TV Castle. Depois dos volumes anteriores, que têm igualmente como personagens centrais Richard e kate, No Calor da Noite narra a nova aventura de Nikki Heat, determinada e ousada, tão fascinante e bem-humorada como a série em exibição no AXN. Nikki Heat foi afastada da polícia e embarca sozinha numa investigação. Só James Rook a poderá ajudar a recuperar o seu distintivo, fazendo aumentar a temperatura da sua relação.

Olá, sou Richard Castle e recomendo a leitura deste livro!

368 Págs. PVP: 17,00€

Tradução de Carmo Romão


Vamos abrir um buraco no cadáver de Fernando Pessoa, um rasgado buraco de uma só cor

Título: O Banqueiro Anarquista /
A Alma do Homem Sob a Ègide do Socialismo

Autores: Fernando Pessoa/Oscar Wilde
N.º de Páginas: 200
PVP: 15,50 €
Nas livrarias a 29 de Junho
Guerra e Paz Editores

Sinopse
Um livro atravessado por duas ideias de anarquismo. No conto de Fernando Pessoa, o anarquismo é o espantalho que um banqueiro atira ao ar e volta a apanhar. No manifesto de Oscar Wilde, o anarquismo é a nuvem de harmonia que conduz ao Individualismo no qual o homem atinge a perfeição. O Banqueiro Anarquista de Pessoa é um prodígio de ironia, A Alma do Homem sob a Égide do Socialismo é a exaltação da Beleza.

Da Colecção
Livros Amarelos. Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros. livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres.

Título: Pessimismo Nacional / Portugal, um Povo Suícida
Autores: Manuel Laranjeira/Miguel De Unamuno
N.º de Páginas: 104
PVP: 14,50 €
Nas livrarias a 29 de Junho
Guerra e Paz Editores
Sinopse:
Miguel de Unamuno, pensador e escritor espanhol, espantava-se com a vocação suicida dos portugueses: Antero de Quental suicidara-se, Camilo e Soares dos Reis suicidaram-se. Num só ano suicidaram-se mais três portugueses seus amigos. Outro, Manuel Laranjeira, escreveu-lhe uma carta desesperada: «Neste malfadado país, tudo o que é nobre suicida-se; tudo o que é canalha triunfa!» Três meses depois, Manuel Laranjeira suicidava-se com um tiro na sua cabeça portuguesa. Este livro é o dramático diálogo entre o pessimismo português e o espanto espanhol. Ajuda-nos a conhecer o nosso passado recente e acaba com todas as ilusões: «Ou nos salvamos nós, ou ninguém nos salva.»

Da Colecção
Livros Amarelos. Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros. livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres.

Mas os seus pulmões precisavam ainda de mais calor. Viajou, por isso, em 1888, para os Mares do Sul. Ficou a morar em Samoa. Os nativos gostaram dele. Sabia contar uma história e eles gostavam de o ouvir.


Planeta: Novidades Junho

FICÇÃO

Título: A Rapariga do Calendário
Autor: Audrey Carlan
1.º livro 
N.º de Páginas: 336 
PVP: 17,99€ 
A partir de 29 de Junho

O novo fenómeno erótico, após As Cinquenta Sombras de Grey.
Uma nova história de êxito na auto-publicação.

Mais de 2.500.000 exemplares vendidos da série nos EUA.

1.º LUGAR NO TOP DO THE NEW YORK TIMES, DURANTE 4 SEMANAS.
Direitos do livro vendidos para 27 países e para série televisiva.
1.º LIVRO – 29 Junho
2.º LIVRO – 20 Julho 
3.º LIVRO – Setembro 
4.º LIVRO – Outubro

Audrey Carlan começou por escrever esta série todas as noites, depois de deitar os filhos.
Autopublicou online o seu primeiro livro, em Agosto de 2015.
O sucesso foi imediato.
A editora norte-americana Waterhouse descobriu o fenómeno e publicou-o em livro - em quatro volumes -, tendo alcançado os tops de venda mais importantes, como o The New York Times e USA Today.
12 MESES. 12 CLIENTES. 1 AMOR
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. 1 milhão de dólares, para ser exacto.
A vida do seu pai depende do pagamento desta dívida de jogo a um agiota. Tem um ano para a pagar e só vê uma solução: um trabalho bem remunerado como acompanhante de luxo.
A sua missão é passar um mês com um cliente diferente, durante um ano. E o seu plano é entrar no jogo, conseguir o dinheiro e voltar a sair. Parte do plano é manter o coração fechado a sete chaves e os olhos no objectivo.
Pelo menos é como espera que corra.
Doze meses em que conhecerá o luxo, doze homens com doze estilos de vida, doze cidades diferentes, experiências sexuais e o amor da sua vida.
Uma série sedutora, doce e tão escaldante que o seu livro pode derreter.
«Fresca, divertida, e incrivelmente sexy, a série A Rapariga do Calendário vai fazer com se apaixone uma e outra vez e morra de ansiedade por ler o próximo volume.» Meredith Wild, autora da série Hacker, n.º1 do The New York Times
Sobre a autora
Audrey Carlan é autora best-seller do New York Times, USA Today, e Wall Street Journal. Escreve histórias de amor sensuais e eróticas de forma a dar ao leitor uma experiência romântica e sexy. Vive em California Valley com os dois filhos e o amor da sua vida. Quando não escreve, ensina ioga, bebe vinho com suas souls sisters ou está com o nariz enfiado num romance ímpio.

NÃO FICÇÃO
Título: ACREDITE A VIDA É UMA SINFONIA PERFEITA
Autor:
Padre Ângelo Martins
N.º de Páginas: 208 
PVP: 15,95 €
A partir de 29 de Junho

Livro espiritual e intimista que resulta de um blogue de sucesso.

Num registo intimista e surpreendentemente sincero, o padre Ângelo escreve a sua alma. Fazendo «a ponte entre Deus e os homens», o jovem sacerdote não só manifesta a sua intensa dedicação a Jesus, como contagia os leitores com as suas palavras de devoção, conforto, esperança e compaixão.
Porque, como sublinha, «a vida é uma sinfonia perfeita».
Através de reflexões francas, desabafos comovedores, orações dedicadas, esta obra evidencia uma ideia simples, mas da qual tantas vezes nos esquecemos: viver, com amor a Cristo e com o amor de Cristo, é maravilhoso.
Um livro invulgar e, sobretudo, inspirador, com textos publicados desde 2006 no seu blogue pessoal: oblogdoangelo.blogspot.com
Inclui ainda textos inéditos da peregrinação que este padre fez a Fátima, em Maio deste ano.
DEVE LER ESTE LIVRO PORQUE É:
Original: um padre a escrever, primeiro num blogue, depois um livro. Intimista: revela sentimentos e opiniões (começa logo por dizer como se tornou padre, assumindo ter namorado muito.)
Inspirador: fala da sua fé e do seu amor por Deus.
Orientador: guia os crentes para sentimentos e formas de pensar católicas; contém orações pessoais.
Cativante: deixa de lado o registo teológico formal e assume um mais pessoal e terra-a-terra, numa escrita fácil, fluida e ritmada.
Positivo: o tom geral é de optimismo e alegria de viver, e amor ao próximo e a Deus.
Prefácio da obra da autoria de D. Manuel Felício, bispo da Guarda.

Sobre o autor
Ângelo Miguel Nabais Martins nasceu na Cova da Piedade, a 1 de Julho de 1981. Ingressou no Seminário Maior da Guarda em 1996; licenciou-se em Teologia no Instituto Superior de Teologia das Beiras e Douro em 2005; dez anos depois concluiu o Mestrado em Ciências Religiosas na Universidade Católica de Lisboa.
Em 2004 decidiu viajar até Angola. Junto da comunidade Salesiana de S. Paulo, em Luanda, desempenhou variadas tarefas de voluntariado para ajudar os mais fragilizados e desprotegidos. «Sujar os pés em nome de Jesus», cita, ao recordar esta fase da vida. Seduziste-me Senhor, e eu deixei-me seduzir (Jer 20,1) é o lema escolhido para orientar a sua vida sacerdotal desde 2 de Julho de 2006, dia que assinala a Ordenação, na Sé da Guarda.
É pároco de 12 paróquias, nos Arciprestados do Rochoso, Guarda e Almeida, missão que gosta de desempenhar com um «sorriso na cara». Dirige o Centro Social Paroquial de Nossa Senhora da Conceição (Castanheira), é professor de Eduação Moral e Religiosa Católica na Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca (Cerdeira do Côa), director do Secretariado Diocesano das Missões, coordenador pastoral da Zona Centro da Diocese da Guarda e arcipreste do Rochoso.
Criou oblogdodoangelo em 2005 para partilhar o que lhe vai na alma e para «chegar às pessoas que não estão nas igrejas». Entende que pode ajudar os seus leitores a confiar no Senhor. Por isso, escreve mensagens de esperança, que mostram quem é Deus e o que faz o amor de Deus no coração
da Humanidade. Porque, diz, «inebriar pela palavra é o caminho».

JUVENIL
Título: A FEITICEIRA DO AR
Autor: Tea Stilton
N.º de Páginas: 280 + 16 páginas a cores
PVP: 16,95€
Nas livrarias a partir de 29 de Junho

Após a derrota do Príncipe sem Nome, as princesas têm de enfrentar um novo e aguerrido inimigo: as Feiticeiras Cinzentas.
Antigas aliadas do Rei Malvado, estas criaturas sem tempo estão determinadas a combater as Princesas com as armas da Magia sem Cor.
Numa batalha sem precedentes, as cinco filhas do Rei Sábio irão descobrir que algo no passado das feiticeiras, um segredo escondido no tempo, será revelado para as poder derrotar.

Neste novo livro, uma nuvem avança no horizonte, engolindo tudo o que encontra à sua frente. Sulfúrea, a Feiticeira do Ar e Senhora das Essências, está pronta para lançar o seu ataque e enfrentar as princesas num desafio até ao último feitiço.
Uma clássica luta entre o Bem e o Mal, recheada de valores de solidariedade, bravura e romantismo, onde o amor à natureza, a fraternidade e a valentia vencem os maiores obstáculos.
Recomendado para crianças a partir dos 8 anos.
Este livro, tal como os anteriores da série, é ilustrado a preto e branco, e inclui dezasseis páginas a cores com todos os segredos da Rainha.
E há mais uma surpresa: a parte interior da sobrecapa transforma-se num fantástico poster da Feiticeira.
Mais de 40.000 exemplares vendidos em Portugal desta colecção
Título: DIÁRIO DE UM ALDEÃO CALOIRO
Uma aventura Minecraft não-oficial.
N.º de Páginas: 312 
PVP: 15,95 € 
Disponível a partir de 29 de Junho
Uma narrativa recomendada para os mais novos, que são fãs e jogadores do mais famoso videojogo.
«Na noite passada, tive um sonho alucinante. Os aldeões tinham formado um exército, e eu fazia parte dele. Fitava os endermen mesmo nos olhos. Parei a flecha de um esqueleto só com as mãos. Ceifava zombies como um lavrador apanha beterrabas. E, para cúmulo de tudo isso, atirei um creeper para o céu com um único golpe. Pois, é esse o género de herói que eu quero ser. Mas foi só um sonho...»
Minus tem doze anos, entra no colégio de Minecraftia e está destinado a tornar-se lavrador, ferreiro ou magarefe, como todos os aldeões...
Mas o sonho dele é vir a ser um aventureiro e combater os monstros que atacam a aldeia sem cessar. Por isso, quando sabe que os cinco melhores alunos do colégio poderão seguir uma formação de guerreiro, Minus está decidido a fazer parte deles. 
A competição será dura, mas Minus está disposto a tudo: este ano, mais ninguém lhe chamará caloiro!

Título: OS ESQUELETOS CONTRA-ATACAM
Autor: Winter Morgan
N.º de Páginas: 104 
PVP: 7,70 € 
Disponível a partir de 29 de Junho

Com mais de 50 milhões de jogadores registados, Minecraft é o jogo da moda e o terceiro mais vendido de sempre.
Uma narrativa recomendada para os mais novos, que são fãs e jogadores do mais famoso videojogo.
CONSEGUIRÁ STEVE E OS AMIGOS TRAVAR A INVASÃO DOS ESQUELETOS?
Steve e os amigos estão a tentar salvar a colheita de trigo dos ataques dos mobs quando a sua velha amiga Georgia vem pedir-lhes ajuda. A aldeia da Georgia está a sofrer um terrível ataque de esqueletos!
Eles aparecem ao anoitecer e ninguém pode ir dormir sem correr o risco de morrer. Steve e o grupo decidem ajudar, mas a viagem até à aldeia de Georgia não é nada fácil – principalmente com uma nova horda de griefers arco-íris a segui-los!
Chegados à aldeia, correm rumores de que existe uma quinta de esqueletos nas redondezas, nas masmorras de um antigo castelo, a ser explorada pelos griefers arco-íris, para ficarem com os ossos que os esqueletos largam...
Será a invasão dos esqueletos parte de um plano maléfico mais vasto por parte dos griefers?

O grupo tem de perceber quem são os verdadeiros inimigos, antes de poderem ganhar a batalha.
Deverão atacar primeiro os esqueletos? Ou travar os griefers?
Descobre, neste emocionante 5º episódio da Incrível Aventura de Minecraft.

Sobre o autor
Winter Morgan não é uma pessoa real: é o pseudónimo de uma autora de vários livros para crianças e adultos.
Esta autora, que vive em Nova Iorque, tem um filho viciado em Minecraft e uma filha com imensa paciência, que deixa o irmão mais novo açambarcar o computador para criar mods e minerar diamantes...





quinta-feira, 23 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Topseller: Um Rapaz muito Especial de Monica Wood

Título: Um Rapaz muito Especial
Autor: Monica Wood
N.º de Páginas: 336
PVP: 17,9€
Saída a 20 de junho

«Um Rapaz Muito Especial é delicioso. É um olhar esmagador e revelador sobre como as vidas podem ser refeitas das formas mais inesperadas.» Sunday Express
«Uma história simultaneamente triste e alegre… o retrato que Monica Wood faz de uma família fraturada é povoado por personagens intensas e apela aos leitores que gostam dos romances familiares de Jodi Picoult ou de Kristin Hannah.» Booklist
«Uma história comovente.» Publishers Weekly
«Um romance encantador e acutilante sobre a diferença entre gerações.» Daily Mail

A história de um pai que redescobre a vida através dos olhos do filho.
Durante anos, o guitarrista Quinn Porter tem vivido em digressões, concerto atrás de concerto, ausente da vida da ex-mulher Belle e do filho de ambos, que vive obcecado pelos recordes do Guiness. Um acontecimento trágico na vida de Quinn vai levá-lo ao encontro de Ona, uma viúva de 104 anos que o filho costuma visitar.
Durante sete sábados, Quinn cuida do jardim de Ona. Entre outros segredos, descobre que o filho tentou convencer Ona a candidatar-se ao recorde de condutora mais velha do mundo. Na tentativa de compreender melhor o filho, Quinn forja uma amizade com Ona e descobre um rapaz afetuoso que nunca conheceu, aprendendo assim a olhar para toda a sua vida de uma outra forma.
Um Rapaz Muito Especial é um romance onde a dor aparentemente irreparável encontra uma reconfortante ligação num gesto de devoção humana.

Sobre a autora:
Monica Wood é uma autora norte-americana bestseller e vencedora de inúmeros prémios literários. As suas obras são presença assídua em publicações como O, The Oprah Magazine, New York Times, Martha Stewart Living, entre outras, e têm recebido elogios de críticos e escritores americanos. Um Rapaz Muito Especial é o seu mais recente êxito e já foi publicado em 18 países.
Nasceu no estado do Maine, na costa nordeste dos EUA, onde ainda vive com o marido, no seio de uma família católica de origem irlandesa. Trabalhou como conselheira numa casa de repouso antes de se dedicar inteiramente à escrita. É também cantora e costuma viajar pela região em digressões de jazz, country, pop e gospel.


Palavras há muitas. Oh, mas e se forem supimpas!

Título: Dicionário de Palavras Supimpas
Autor: José Alfredo Neto
N.º de Páginas: 144 páginas
PVP: 13,50 €
Não Ficção/Dicionários
Nas livrarias a 29 de Junho
Guerra e Paz Editores

Há palavras que falam por si, mas há palavras que são mais do que aquilo que são. Ciente da importância das palavras para expressar ideias e conceitos, José Alberto Neto, publicitário, pois claro, apresenta o Dicionário de Palavras Supimpas, uma compilação de vocábulos rigorosamente seleccionados e escandalosamente bem-dispostos, que vão permitir fazer boa figura em qualquer ocasião. Difícil será escolher. De abananado a zurzir, passando por espúrio e pusilânime, José Alberto Neto apresenta páginas inteiras de palavras como melífluo ou superveniência, um dicionário indispensável para quem gosta de falar bem em bom português.

Num dicionário convencional, entre sulipampa e surripiar surgem páginas inteiras de palavras como suor ou superveniência. Neste, a única que aparece é supimpa. As outras, há que reconhecê-lo, não são supimpas. Logo, não existem neste dicionário. Isto torna-o muito mais elegante, naturalmente, mas também muito mais útil. Porquê?

Porque no dia-a-dia, em casa, no trabalho, na escola, nos transportes públicos, nas redes sociais, a vida só tem a ganhar com um uso mais liberal da palavra supimpa. Seja pela sonoridade, pelo significado ou pela contradição entre ambos, a palavrasupimpa é aquela que abrilhanta o discurso de quem a usa e que alivia, mesmo que temporariamente, o ouvido de quem a escuta ou os olhos de quem a lê.

Para que seja de extrema utilidade no dia-a-dia, este dicionário inclui listas. Por exemplo a lista de insultos supimpas, que lhe permitem achincalhar quem tenha de achincalhar sem recorrer a banalidades. E muitas outras palavras que farão de si um gigante na vida quotidiana. A sessão de lançamento conta com apresentação – supimpa, claro – de Fernando Alves, da TSF, e está agendada para 28 de Junho, às 18h30, na Bertrand Picoas Plaza, em Lisboa.



O primeiro livro, em português, de Prem Rawat chega esta semana às livrarias

Título: Quando o Deserto Floresce e outras histórias
Autor: Prem Rawat
PVP: 13,50€ 
Número Páginas: 148

Tem-se dito muitas vezes que o ser humano nasce sem manual de instruções - que entra no mundo apenas com a respiração, necessária para descobrir as coisas à medida que avança.

Dito isto, e ao contrário da maioria dos manuais de instruções, o novo livro de Prem Rawat “Quando o Deserto Floresce e outras histórias”não faz nenhuma tentativa para reduzir a profundidade da vida a listas arbitrárias de coisas para fazer e não fazer. O livro evoca ao invés de prescrever, promovendo o tipo de mentalidade que torna mais fácil o leitor perceber, a nível celular, o que precisa de entender a fim de viver a vida ao máximo.

Grande parte do impacto do livro pode ser atribuída à sua estrutura artística - a confluência de histórias clássicas recontadas habilmente por Prem Rawat, os seus comentários lúcidos sobre a vida, e as ilustrações deliciosas de Aya Shiroi. As histórias abrem a porta, os comentários guiam o leitor e as ilustrações humanizam a experiência de leitura.

A história como núcleo do livro é uma escolha inteligente. Desde o início dos tempos, contar histórias tem sido a forma mais eficaz de transmitir uma mensagem significativa e memorável. Ao analisar-se qualquer livro de sabedoria, independentemente da sua cultura de origem, encontra-se uma história no seu núcleo.

Se o leitor está à procura de ensinamentos esotéricos que o façam sentir-se melhor com o estado avançado da sua realização espiritual, veio ao lugar errado. “Quando o Deserto Floresce e outras histórias” é o mais simples possível. Simples como a água. Simples como a respiração. Simples como o conselho de uma das mentes mais brilhantes que o mundo já conheceu, Albert Einstein: "Tudo deve ser tão simples quanto possível", explicou ele, "mas não mais simples."

“Quando o Deserto Floresce e outras histórias” realiza inquestionavelmente esta nobre tarefa, destilando a essência do que é mais importante na vida da maneira mais simples possível.

Prem Rawat nasceu numa aldeia no norte da Índia, nos arredores de Haridwar, em 1957. Cedo porém, a sua forma simples e profunda de abordar os temas fundamentais da vida despertou o interesse do Ocidente. Assim, ainda com 13 anos foi convidado a deslocar-se a Londres donde seguiu para os Estados Unidos.

Desde então, os convites para falar, quer nas mais prestigiadas salas e instituições, quer para audiências em lugares remotos, nunca mais pararam, fazendo dele um reconhecido orador nos temas da Paz.

Ao longo de cinco décadas, Prem Rawat tem viajado e falado com pessoas do mundo inteiro. Comunicando de forma simples e universal, ultrapassa as barreiras culturais, sociais, políticas e religiosas, levando-lhes uma mensagem única: é alcançando a paz pessoal que cada um pode contribuir eficazmente para a paz da humanidade.

Prem Rawat estará em Portugal entre o dia 22 e 26 de Junho para um ciclo de eventos no âmbito da acção da sua fundação num conjunto de estabelecimentos prisionais de Lisboa e ainda para apresentar a sua obra mais recente, “Quando o Deserto Floresce e Outras Histórias”.

Conheça a Fundação Prem Rawat e o Programa de Educação para a Paz: http://www.tprf.org/programs/peace-education-program/

A implementação do PEP na prisão Zonderwater, em África do Sul: Choice: https://www.youtube.com/watch?v=Le9D9nV9RLk



Novidade Topseller: Um Ano para ser Feliz de Lori Nelson Spielman

Título: Um Ano para ser Feliz
Autor: Lori Nelson Spielman
N.º de Páginas: 320
PVP: 18,79€
Saída a 20 de junho

«Uma maravilhosa e comovente história que nos lembra de viver a vida sempre na sua plenitude.» Cecelia Ahern
«Um romance de encantador.» Kirkus Reviews
O que faria se tivesse um ano para mudar a sua vida?
A vida de Brett parece um sonho: tem um namorado irresistivelmente bonito, um loft espaçoso, um trabalho muito bem pago, e um grupo de amigas divertidas. Até que a sua mãe morre e deixa no testamento uma condição: para receber a sua parte da herança, Brett deve completar, em apenas um ano, uma lista de desejos e tarefas que escrevera quando era uma ingénua menina de catorze anos.
• Ter um filho, talvez dois • Arranjar um cão • Ir a Paris • Ser amiga da Carrie para sempre! • Ajudar os pobres • Comprar um cavalo • Apaixonar-me • Atuar ao vivo num palco supergrande • Ter uma boa relação com o meu pai • Ser uma grande professora!...

Brett, contudo, já tem 34 anos. Com relutância, ela embarca numa jornada emocionante para cumprir
os seus sonhos de menina, acabando por repensar a sua vida e descobrir a felicidade.
Um romance de estreia que nos mostra que, às vezes, as melhores dádivas da vida surgem nas alturas
mais inesperadas.

Sobre a autora:
Lori Nelson Spielman trabalhou durante muitos anos como terapeuta da fala, e atualmente é professora de ensino à distância.
Natural do estado de Michigan, nos EUA, Lori vive com o seu marido e um gato. Um Ano para Ser Feliz, bestseller internacional publicado em mais de 30 países, é o seu primeiro romance.
Saiba mais sobre a autora em www.lorinelsonspielman.com


quarta-feira, 22 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

«O Rouxinol», de Kristin Hannah, nas livrarias a 1 de julho

Título: O Rouxinol
Autor: Kristin Hannah
Género: Literatura / Thriller
Tradutor: Marta Pinho
N.º de páginas: 504
Data de lançamento: 1 de julho de 2016
PVP: € 17,70

Esta é a obra que consagra Kristin Hannah como uma das grandes autoras da atualidade, elevando-a a um novo patamar na ficção contemporânea ao ser reconhecida pela crítica internacional de renome

O panorama épico da Segunda Guerra Mundial narrado numa perspetiva feminina através do olhar de duas irmãs – Vianne e Isabelle – fazem de Rouxinol um dos livros mais aclamados pela crítica internacional. Kristin Hannah é uma das autoras femininas de maior sucesso mundial, mas esta obra eleva-a a um novo estatuto na ficção.
Sem perder a emotividade familiar, a paixão e o amor, ingredientes que estão na matriz da sua escrita, Kristin Hannah apresenta uma obra de uma grande profundidade, que celebra a resistência do espírito humano, em particular o feminino.

O Rouxinol foi considerado Livro do Ano em vários meios de renome, tais como: The Wall Street Journal, The Week, Buzzfeed, iTunes, Library Journal, Paste, Self.com, tendo chegado, inclusivamente, ao nº1 do The New York Times. Esteve ainda entre os 5 melhores Livros do Ano da Amazon.com. O Goodreads.com elegeu O Rouxinol como o Melhor Romance Histórico de 2015.
A qualidade literária de O Rouxinol já captou as atenções da indústria cinematográfica, pelo que Kristin Hannah terá em breve a sua estreia na Sétima Arte com uma adaptação deste livro.

Sinopse:
Na tranquila vila de Carriveau, Vianne despede-se do marido, Antoine, que parte para a frente da batalha. Ela não acredita que os nazis vão invadir a França… mas é isso mesmo que acontece, com batalhões de soldados em marcha, camiões e tanques, aviões que enchem os céus e largam as suas bombas sobre os inocentes. Quando um capitão alemão reclama a casa de Vianne, ela e a filha passam a ter de viver com o inimigo, sob risco de virem a perder tudo o que têm. Sem comida, dinheiro ou esperança, e à medida que o perigo as cerca cada vez mais, Vianne é obrigada a tomar decisões impossíveis, uma atrás da outra, de forma a manter a família viva.
Isabelle, a irmã de Vianne, é uma rebelde de dezoito anos, que procura um objetivo de vida com toda a paixão e ousadia da juventude. Enquanto milhares de parisienses marcham para os horrores desconhecidos da guerra, ela conhece Gäetan, um partisan convicto de que a França é capaz de derrotar os nazis a partir do interior. Isabelle apaixona-se como só acontece aos jovens… perdidamente. Mas quando ele a trai, ela junta-se à Resistência e nunca olha para trás, arriscando vezes sem conta a própria vida para salvar a dos outros.
Com coragem, graça e uma grande humanidade, a autora best-seller Kristin Hannah capta na perfeição o panorama épico da Segunda Guerra Mundial e faz incidir o seu foco numa parte íntima da história que raramente é vista: a guerra das mulheres. O Rouxinol narra a história de duas irmãs separadas pelos anos e pela experiência, pelos ideais, pela paixão e pelas circunstâncias, cada uma seguindo o seu próprio caminho arriscado em busca da sobrevivência, do amor e da liberdade numa França ocupada pelos alemães e arrasada pela guerra. Um romance muito belo e comovente que celebra a resistência do espírito humano, em particular o feminino.
Um romance de uma vida, para todos.

Sobre a autora:
Kristin Hannah é autora de inúmeros sucessos de vendas do New York Times. Nasceu em 1960 no sul da Califórnia, cresceu a brincar na praia e a fazer surf. Aos 8 anos, a família mudou-se para o estado de Washington. Trabalhou em publicidade, licenciou-se em Direito e exerceu advocacia durante alguns anos em Seattle. Quando a gravidez a obrigou a ficar de cama durante vários meses, Kristin retomou alguns textos antigos que tinha escrito em parceria com a falecida mãe, que sempre dissera que ela seria escritora. O marido encorajou-a, e assim que o filho nasceu, Kristin abandonou a anterior atividade profissional e dedicou-se à escrita a tempo inteiro. O primeiro êxito surgiu em 1990 e desde então que a sua profissão é escrever. A autora já publicou mais de 20 romances. Ganhou prestigiados prémios como um Rita Award (Romance Writers of America) em 2004 com Entre Irmãs, e o National Reader’s Choice. A sua obra está traduzida em várias línguas. Vive com o marido e filho na costa noroeste dos Estados Unidos.




Um novo amanhã - Dorothy Koomson [Opinião]

Título: Um novo amanhã
Autor: Dorothy Koomson
Tradução: Irene Ramalho
Págs.: 472
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €

Sinopse:
No final dos anos 80, em Londres, duas meninas de oito anos partilham o mesmo nome e a mesma paixão pelo ballet. Nada as poderá afastar uma da outra, nem do sonho de, um dia, se tornarem bailarinas profissionais mundialmente famosas.
Mas um ato de maldade de um homem destrói todos os sonhos de infância e promete derrubar de vez o mundo das duas amigas. E, assim, Veronika e Veronica seguem caminhos diferentes e invisíveis, desprovidos de fantasia ou esperança.
Vinte anos depois, as memórias da amizade e a necessidade de mudar de vida vingam, forçando um novo cruzar de caminhos e a busca de um novo rumo, juntas.

A minha opinião: 
A escrita de Dorothy Koomson tende a ficar mais apurada a cada livro que passa e os temas estão cada vez melhor. A autora inglesa, um pouco à semelhança de Jodi Picoult, tem abordado temas mais interessantes para mim, enquanto leitora, como a questão do racismo, do álcool, drogas, violência doméstica, violação...

Ao mesmo tempo, retrata como ninguém, em muitos dos seus livros, o que é a verdadeira amizade. Já o fez no "A Filha da Minha Melhor Amiga", único livro que me falta da autora, mas que já li, e fá-lo agora em "Um Novo Amanhã". Veronika e Veronica têm em comum o mesmo nome e apelido, e partilham igualmente o mesmo gosto pelo ballett. Ambas desejam ser bailarinas profissionais.

Mas tudo é destruído por um ato de maldade por parte de uma pessoa em quem elas confiam totalmente. Perante tal acontecimento a amizade desvanece e as amigas acabam por separar-se levando vidas completamente diferentes uma da outra.

Como é habitual nos seus livros, estilo que muito me agrada, a autora intercala o presente e o passado das duas personagens, contando, pouco a pouco, o que foi acontecendo com as suas vidas, desde os anos 80 até aos dias de hoje.

Roni e Nika vão tornar-se pessoas com vidas surpreendentes e muito diferentes daquilo que imaginavam quando tinham 9 anos. E acho bem mais adequado o título original When I Was Invisible, porque, de uma maneira ou de outra, tanto Roni como Nika fizeram vidas completamente à margem, vidas em que facilmente não daríamos por elas.

Subitamente decidem voltar a ser elas próprias, Veronika e Veronica, e resolver o problema que tanto as afectou no passado e reatar, quiçá, a amizade perdida.

"Por muito que amemos alguém, essa pessoa nunca será nossa. Podemos apenas conquistar o direito de passar algum tempo com ela."

Um Novo Amanhã é um romance profundo, de amizade, de sonhos perdidos, que me arrebatou. Adorei as personagens, fortes e determinadas e a história que as envolve é simplesmente surpreende. E o final é muito bom.
Recomendo.




Novidade Esfera dos Livros: Viagem ao Passado Romano da Lusitânia de Lídia Fernandes

Um relógio oferecido a Idanha-a-Velha por Quinto Tálio;

Uma Agripina sem cabeça e uma cabeça sem corpo na cidade de Beja;

As histórias de Labéria que morreu com 42 anos, de Lúcio Cecílo, Caio Cantio Modestino, da pequena Quintila, de Ânio Primitivo ou de Júlia Modesta.

Estes são alguns dos personagens que povoam este livro que nos transporta para a época romana. A única diferença que existe em relação a milhares de outros habitantes destas terras que nós hoje habitamos é o facto de eles, ou outros por eles, terem gravado na pedra os seus nomes. Olhando para os vestígios que nos foram deixados pelos nossos antepassados é possível reconstituir a história da Lusitânia. De norte a sul do país e percorrendo também terras espanholas, este livro permite-nos quebrar o enorme silêncio que é o passado e abrir pequenas grandes frestas que nos desvendam a nossa história e os desejos e medos, as aspirações ou os modos de ser e formas de vida daqueles que habitavam a Lusitânia. A arqueóloga Lídia Fernandes dá-nos a conhecer algumas das maravilhas arqueológicas que o nosso país encerra e revela-nos o significado oculto de ruínas, locais escondidos e pedras que num primeiro momento podem não nos dizer nada, mas que têm tanto para contar sobre o nosso passado.

À venda a 24 de junho.


lidia1Sobre a autora:
Lídia Fernandes é licenciada em História, Variante de Arqueologia pela Universidade de Coimbra. Posteriormente, tirou o Curso de Especialização «Arquitectura e Urbanismos Romanos» da Universidade Lusíada. Frequentou a Pós-Graduação em Arqueologia pela Universidade Autónoma de Lisboa e fez um Mestrado em História de Arte na Universidade Nova de Lisboa. Desde 1989 desempenha funções como arqueóloga na Câmara Municipal de Lisboa, desenvolvendo actividade científica nas áreas de Arqueologia, História e História da Arte. Desde 2009 é Coordenadora do Museu do Teatro Romano, sendo a responsável científica das intervenções arqueológicas no local desde 2001. Realizou múltiplas escavações na cidade e por todo o país, dedicando-se também ao projecto de investigação História dos Jogos em Portugal (Projecto da FCT) e, desde 1995, ao projecto de investigação sobre capitéis romanos em território nacional, área de especialização. Participou em diversas reuniões científicas, tendo publicado inúmeros artigos sobre temas de arquitectura e decoração arquitectónica de época romana, jogos de tabuleiro, arqueologia urbana e sobre várias estações arqueológicas. É arqueóloga dos Museus Municipais (C.M.L) e coordenadora do Museu do Teatro Romano.



Novidades Bizâncio (disponíveis a 23 de Junho)


Título: Somos Todos Artistas
Pense como um artista e tenha uma vida mais criativa

Autor: Will Gompertz
Págs.: 224+8 de extratexto
PVP: 16€
Arte

Porque será tão simples para certas pessoas ter ideias novas e brilhantes?
E como as transformam em obras admiráveis?

─ Sejamos curiosos como Caravaggio que, com a descoberta da óptica e das potencialidades das lentes, alterou a arte ocidental.
─ Sejamos perseverantes como Miguel Ângelo que, não gostando assim tanto de pintar, aceitou contrariado a obra da Capela Sistina, trabalhando incessantemente e com grande desconforto, deitado num andaime, durante anos.

Com sabedoria, inteligência e um notável sentido de humor, o autor fornece-nos uma perspectiva clara sobre as vidas, hábitos e pensamento dos grandes criadores, explica-nos as suas características e o que faz deles os mestres sublimes que admiramos, ajudando-nos a pensar como eles para podermos estimular e desenvolver vidas mais criativas e produtivas.
Do autor de «150 Anos de Arte Moderna Num Piscar de Olhos»

Título: Crónicas do Mercador da Galáxia
A Demanda da Safira
Autor:
Pedro Freire Costa
Págs.: 160
PVP: 9,90€
Literatura juvenil

Depois de O Mercador da Galáxia, Pedro Freire Costa, volta a surpreender-nos com mais uma nova aventura do mercador.

Nesta nova história saberemos como nasceu a amizade entre o narrador e o mercador Olof Astor e a origem da invulgar nave a que este deu o nome de «Helena».

Que intenções terá a misteriosa personagem que se diz ser um comerciante de pedras preciosas?

Na sua demanda por enormes safiras, o que pretenderá ele do mercador Olof Astor?

Uma história carregada de contornos misteriosos, uma nova viagem atribulada do mercador da galáxia que cativará os jovens leitores desde a primeira página.

Título: O Médico de Córdova
5ª Edição
Autor: Herbert Le Porrier
Págs.: 288
PVP: 12,50€
Romance Histórico

Em Córdova, na Andaluzia, pode ainda encontrar-se o busto em bronze de uma personagem de rosto emaciado e olhar de águia: a inscrição diz-nos que se trata de Moisés Maimónides, médico judeu, nascido em 1135 nessa cidade.

Ali viviam em harmonia árabes, cristãos e judeus, oferecendo ao mundo um modelo nunca igualado de civilização e de tolerância. Aos doze anos, Moisés Maimónides tornar-se-ia discípulo do grande pensador árabe Averróis, antes de se apaixonar pelo estudo da medicina.

Aquele a quem os escolásticos cristãos dariam o nome de «Águia da Sinagoga» por ter tentado, antes de Tomás de Aquino, conciliar a Bíblia e Aristóteles, foi forçado ao exílio devido ao fanatismo dos novos conquistadores árabes, iniciando então uma longa errância em redor do litoral mediterrânico.

Morreu em 1204, tendo deixado uma obra filosófica e científica que iria brilhar ao longo dos séculos por todo o Ocidente.

O Médico de Córdova é o romance da sua vida apaixonante.