segunda-feira, 6 de fevereiro de 2023

A Camareira - Nita Prose [Opinião]

 

Título: A Camareira
Autor: Nita Prose
Editor: Editorial Presença
Ano: 2022
N.º de Páginas: 328

Sejam bem-vindos. Sou a vossa camareira. Entro nos vossos quartos e conheço os vossos segredos.
Molly, a camareira, está completamente sozinha no mundo. Sim, está habituada a ser invisível, e é isso mesmo que também é no Regency Grand Hotel, onde, todos os dias, dobra roupa, faz as camas dos quartos de lavado, põe miniaturas de champô e pequeninos sabonetes nas casas de banho, limpa o pó e os segredos que os hóspedes deixam para trás quando fazem check-out. Ela é apenas uma camareira - porque haveria alguém de reparar nela?

Mas isso está prestes a mudar radicalmente. Todos os holofotes se viram para Molly quando é ela quem descobre o famigerado Mr. Black morto e bem morto na cama da sua suíte. Este não é o tipo de confusão que Molly pode limpar rapidamente. Porém, à medida que a teia de mentiras, sussurros, pistas e enganos se vai espalhando pelos corredores do Regency Grand Hotel, ela descobre que tem, dentro de si, um dom para a investigação. Sim, é apenas uma camareira - mas o que conseguirá Molly ver que todos os outros ignoram?

Mistério, suspense e muitas reviravoltas no romance que está a apaixonar leitores em mais de vinte países. Como pode uma pessoa ser, ao mesmo tempo, tão normal e extraordinária?

🛏️ Depois da sinopse e da capa fantástica, achei que este livro seria perfeito para mim.
Molly Maid é a protagonista deste romance com uma dose de mistério bastante peculiar. É uma apaixonada por aquilo que faz e, por isso mesmo, tem brio no seu trabalho. Molly é uma rapariga especial que logo nos remete para alguém que sof4ra do especto do autismo, embora em nenhuma altura do livro isso seja referido.

🪠É camareira num hotel de luxo, mas ninguém repara nela. Não consegue fazer amizade com ninguém e a única pessoa com que se dava era a sua avó, que morreu há 9 meses.

🧻Esta jovem vive agora sozinha e é a perfeição em pessoa. Mas é facilmente influenciável porque acaba por levar tudo à letra, sem segundas interpretações. Por causa disso, os seus colegas acabam por enganá-la.

⚰️Num dia perfeitamente normal, Molly depara-se com o corpo morto de Mr. Black, uma hóspede habitual do hotel e marido de uma sua “amiga”. A polícia é chamada ao local e depressa a investigação chega à conclusão de que o hóspede foi assassinado e uma das principais suspeitas recai sobre Molly.

🧹Esta camareira é uma personagem ingénua, e que é difícil de interpretar por quem não a conhece. Ao mesmo tempo é deliciosa porque nada para ela tem maldade ou filtros. E foi isso que me agradou mais neste livro. 

🧹A forma como Molly vê no mundo, como encara a sua profissão e como acha que as pessoas deviam proceder sob determinadas situações fazem-nos pensar na forma como nós próprios encaramos a vida.
Relativamente à história em si achei que tinha pouco sumo. Sinceramente se a autora pretendia escrever um thriller errou completamente. A investigação não tem qualquer coerência e o desfecho foi um tanto ou quanto patético e esperado. A mudança de atitude por parte de Molly numa parte da história também não fez qualquer sentido.

🧽 No entanto, os prós são claramente maiores que os contras e recomendo, sem qualquer dúvida, a sua leitura.





Sob Um Céu Escarlate - Mark Sullivan [Opinião]

 

Título: Sob Um Céu Escarlate
Autor: Mark Sullivan
Editor: Cultura Editora
N. de Páginas: 464

Pino Lella não quer nada com a guerra ou com os nazistas. Ele é um adolescente italiano normal - obcecado por música, comida e miúdas, mas os seus dias de inocência estão contados. Quando a sua casa em Milão é destruída pelas bombas dos Aliados, Pino junta-se a uma via-férrea subterrânea ajudando judeus a escapar dos Alpes e apaixona-se por Anna, uma bela viúva seis anos mais velha do que ele.
Numa tentativa de protegê-lo, os pais de Pino forçam-no a alistar-se como soldado alemão - julgando que assim o manteriam longe de combate. Mas Pino é ferido e depois recrutado, aos dezoito anos, como motorista pessoal do general Hans Leyers, o caudilho de Adolf Hitler na Itália, e um dos comandantes mais misteriosos e poderosos do Terceiro Reich.
Agora, com a oportunidade de espiar o Alto-Comando Alemão, Pino luta em segredo, suportando os horrores da guerra e da ocupação, tendo a sua coragem reforçada pelo seu amor por Anna e pela vida que ele sonha que um dia compartilhar.


📙 Considerado o livro do ano de 2017 pelo Goodreads Sob Um Céu Escarlate retrata a Segunda Guerra Mundial através da vida de Pino Lella.

🙎Apesar de estar baseado em factos verídicos, estava à espera de uma leitura mais intensa. Gostei do livro, gostei da leitura conjunta, mas contava com um pouquinho mais, dado as opiniões tão boas aquando da sua publicação por cá.

🙎Já li bastantes livros sobre a temática, mas que se centrem na parte de Itália não existem muitos. Essa parte prendeu-me muito e achei bastante curiosa. Pino Lella é uma personagem. Adolescente que vive obcecado em arranjar uma namorada, Pino leva uma vida normal. Sai com os seus amigos, vai ao cinema e corteja raparigas bonitas. Até que uma ida ao cinema muda por completo a sua vida. Uma bomba cai em plena sala e a sua família, para o proteger vai fazer com que este saia da sua casa de Milão e parta para uma espécie de mosteiro nos Alpes.

🧏O jovem vai um pouco contrariado, mas a sua vida não vai ter nada de monótono. Durante a sua estada nos Alpes Pino vai ajudar muitos judeus a fugir para a Suíça a escapar precisamente pela montanha. E essa foi a parte mais interessante do livro para mim. Mostra um jovem perseverante, forte e bastante corajoso.

🕵️De volta a Milão e no sentido de protegê-lo, os tios convencem-no a alistar-se do lado dos alemães, mas com o intuito de se torna espião. Aos 18 anos Pino vai ser motorista de um poderoso general, Hans Leyers, amigo chegado de Adolf Hitler na Itália, e um dos comandantes mais misteriosos.
E é na casa de Hans que Pino vai reencontrar uma antiga paixão. Anna, uma rapariga que tinha conhecido pouco antes de viajar para os Alpes.

🕵️O jovem vai viver um vida emocionante e perigosa, mas nunca desarma e acaba por
ser preponderante para a queda dos nazis em Itália.

🧏Tal como disse no início gostei imenso do livro, mas faltou um bocadinho para se te tornar uma leitura 5 estrelas. Faltou uma abordagem ainda mais aprofundada da presença nos nazis em Itália, e da ligação com Mussolini. No entanto, foi uma boa leitura que aproveitei para o projecto da Dora Santos Marques. 






O Rapaz no Cimo da Montanha - John Boyne [Opinião]

 

Título: O Rapaz no Cimo da Montanha
Autor: John Boyne
Editor: Edições Asa
N.º de Páginas: 224

Pierrot é filho de mãe francesa e pai alemão. Quando fica órfão, com apenas sete anos de idade, tem de abandonar Paris para ir viver com uma tia, a única familiar que lhe resta, numa casa nos Alpes Bávaros.

Mas não estamos numa época qualquer: decorre o ano de 1936 e a Segunda Guerra Mundial está na iminência de eclodir; nem tão-pouco estamos numa casa qualquer: a casa no cimo da montanha, onde a tia trabalha e para onde Pierrot se muda, é nada mais nada menos que a Berghof, a casa-refúgio de Adolf Hitler.

Facilmente Pierrot se torna menos francês e mais alemão, deixando-se seduzir pelo poder da farda e pela força da mensagem nazi. Mas… a que custo? E se aconteceu a Pierrot, não poderia também acontecer a cada um de nós?



Pierrot Fisher é um rapaz natural de Paris. O pai, um alemão que combateu na Primeira Guerra Mundial, carrega um trauma de guerra que o leva a beber muito. Sem conseguir superar o que presenciou na frente de batalha, acaba por se suicidar atirando-se para uma linha de comboio.

A mãe, francesa, vê-se a braços com uma criança pequena e com uma doença que a iria levar também a morte precocemente. Pierrot fica órfão e sem ninguém para tomar conta dele. Apesar de ser um menino encantador e ter como melhor amigo Ashner, um vizinho cuja família o acolhe temporariamente, o menino será inscrito num orfanato com o intuito de ser adoptado o quanto antes.

Naquele local onde é difícil fazer amizades, Pierrot sente a falta de Ashner, o seu amigo surdo que os leva a comunicar por códigos. A distância não esmorece a amizade e ambos continuam a escrever cartas um ao outro a contar sobre as mudanças que estão cada vez mais presentes nas suas vidas.
Tudo muda na vida do jovem Pierrot quando chega ao orfanato a notícia que uma tia, irmã do pai, pretende que o menino vá viver com ela numa casa isolada, no cimo da montanha pertencente ao “senhor”.

A tia, governanta da dita casa, tem autorização do patrão para acolher o sobrinho, com a condição de que este se porte bem. Pierrot vai viver um novo mundo, numa casa recheada de criados e cuja devoção, ou medo, pelo “senhor” é enorme.

O “senhor” é nada mais nada menos que Hitler, e quando Pierrot vai para a sua casa na montanha, apesar do ditador já se encontrar no poder, ainda não tem começado a II Guerra Mundial. Mesmo assim, e sabendo que o Führer não gosta de franceses, a tia decide mudar o nome de Pierrot para Pieter, um nome mais condizente com a nova realidade do rapazinho.

Do menino, melhor amigo de um judeu, Pierrot estabelece uma amizade com o maior inimigo deles, e essa amizade vai transformá-lo, deixando-se seduzir pela farda que o senhor lhe dá.




quarta-feira, 25 de janeiro de 2023

A Casa do Outro Lado do Lago - Riley Sager [Opinião]

 

Título: A Casa do Outro Lado do Lago
Autor: Riley Sager
Editor: Editora Guerra & Paz
Ano: 2023 
N.º de Páginas: 304

Casey Fletcher é uma actriz recém-viúva que tenta escapar a uma série de má publicidade retirando-se para a paz e sossego da casa do lago da sua família no Vermont.
Armada com um par de binóculos e várias garrafas de bourbon, Casey passa o tempo a observar Tom e Katherine Royce, o glamoroso casal perfeito que vive na casa do outro lado do lago.

Um dia, no lago, Casey salva Katherine de se afogar, e as duas travam uma amizade fulminante. Mas quanto mais se conhecem – e quanto mais Casey observa a casa de vidro – mais claro se torna que o casamento de Katherine e Tom não é tão perfeito como parece. E, quando Katherine desaparece repentinamente, Casey suspeita imediatamente de que Tom está envolvido. O que ela não se apercebe é que a história é muito mais complexa do que parece à primeira vista – e que segredos chocantes podem espreitar por baixo das superfícies mais plácidas. Quão bem conhecemos realmente alguém?


📙 Os dois primeiros livros que li Riley Sager arrebataram-me por completo. Vidas Finais então foi mesmo uma leitura fenomenal.
Portanto, fiquei extasiada quando descobri que mais um livro do autor iria ser publicado por cá, agora por outra editora, a Guerra & Paz.

👱🏼‍♀️Sager une uma actriz em decadência, apesar de ser ainda bastante nova, e uma casa isolada num lago no Vermont. Recém-viúva e refém da bebida, Casey passa os seus dias numa depressão profunda que tenta apagar com garrafas e garrafas de bebida.

🏞️A casa no lago faz parte de um conjunto de casas do mesmo género, embora distem uma distância significativa entre elas, para dar privacidade aos seus donos. No entanto, a curiosidade e o facto de não ter mais nada para fazer faz com que Casey se muna de uns binóculos do seu falecido marido e comece e observar os seus novos vizinhos, Tom e Katherine Royce.

👫Aparentemente este jovem casal mostra ter uma relação perfeita, até que um dia Casey salva Katherine de morrer afogada no lago. A partir daí as duas começam a ser mais próximas e faz com que Casey comece a ver que muito provavelmente o casal não seja tão feliz como mostra.

👱🏼‍♀️Até que Katherine desaparece sem deixar rasto, fazendo com que a actriz suspeite de imediato de Tom.
Nenhuma destas personagens são marcantes, mas o enredo é bastante interessante, embora tenha saído da minha zona de conforto. As justificações para o que vai acontecer depois do desaparecimento de Katherine não fazem qualquer sentido para uma mente séptica com a minha, mas acaba por ser engraçado perceber todo o misticismo em volta do lago.

Apesar de não ser tão bom como os anteriores, A casa do outro lago proporciona umas boas horas de leitura.




Bolo Negro - Charmaine Wilkerson [Opinião]

 

Título: Bolo negro
Um romance sem fronteiras
Autor: Charmaine Wilkerson
Editor: Porto Editora
Ano: 2022
N.º de Páginas: 404

Os irmãos Byron e Benedetta não se veem há oito anos, mas a súbita morte da mãe obriga-os sentarem-se finalmente à mesma mesa. Eleanor deixou-lhes um bolo no congelador com a críptica instrução de que o deverão partilhar «na altura certa».
Para além do bolo, uma homenagem às origens caribenhas da família, há ainda uma longa gravação áudio que abre com uma revelação impensável: Byron e Benedetta têm uma irmã.
Este, porém, é apenas o primeiro dos muitos segredos que a mãe quer agora, depois de morta, revelar, na esperança de emendar alguns erros do passado.
Nesta estreia surpreendentemente madura, Charmaine Wilkerson explora com fina sensibilidade as questões difíceis da identidade pessoal e social, numa saga familiar intensa, que cruza o tempo e a geografia, fazendo-nos acreditar que é sempre possível regressar a casa.


🥄 Acompanhado por uma colher de pau e um receita do Bolo Negro, este livro foi uma verdadeira surpresa.

🧑‍🦱 Eleanor é a personagem central do livro, embora já tenha falecido. Os seus dois filhos só irão conhecer a história verdadeira da mãe através de uma extensa gravação que ela deixou ao seu advogado e amigo com a condição de que se fosse ouvida na presença física dos dois filhos.

👫 Ambos tinham de estar presentes para a ouvir, em sua casa, juntamente com um Bolo Negro congelado que só seria partilhado na altura certa.
Esta foi logo uma das principais dificuldades do advogado, isto porque Byron e Benedetta não se falam há oito anos, e nem a morte do pai de ambos os fez aproximar-se. Finalmente com a morte da mãe esse reencontro vai acontecer e a gravação que ouvem da mãe, contando a história da sua vida sofrida, vai fazer com que o gelo entre eles derreta e se juntem novamente.

🏊 As origens caribenhas da mãe, a sua paixão pela natação, o amor que sentiu sempre pelo pai de ambos, desde a sua juventude, será transmitido como uma espécie de confessionário póstumo, mas também descobrirão que têm uma irmã que nunca conheceram.

🧑‍🦱 Eleanor é uma personagem cativante. Uma menina que fica sem mãe cedo, que parte em busca de uma vida mais livre, com o intuito de a vir buscar mais tarde, rebelde, mas cuja rispidez do pai a faz sentir também ela presa àquela ilha.
Se desejam ler um livro intenso, com uma saga familiar forte e marcante, este é o livro ideal para começar o ano em grande. Charmaine Wilkerson traz-nos temas como o racismo, xenofobia, colonialismo, violação, tudo temas que nos levarão a pensar sobre o que mudou na nossa sociedade nos últimos 50 anos. Será que mudou muito?

🎂 Mais do que isso, a autora destaca a importância das tradições, da nossa génese e do que é ser mulher num mundo ainda dominado por homens.
Gostei imenso.




O Pacto - Sharon Bolton [Opinião]

 

Título: O Pacto
Autor: Sharon Bolton
Tradução: Miguel Romeira
Editor: Marcador
Ano: 2022
N.º de Páginas: 360

Um verão dourado. Seis jovens amigos talentosos estão ansiosos pelo futuro promissor. Oriundos de famílias ricas e privilegiadas, todos têm vaga nas melhores universidades e sonham com carreiras fabulosas.

Felix quer administrar a sua própria empresa, Dan deseja vingar no meio académico e Xavier planeia ganhar milhões na bolsa. Talitha assumirá o escritório de advocacia do pai, enquanto Amber ambiciona ser primeira-ministra. E, subitamente, na noite antes de receberem os resultados dos exames, um jogo temerário corre muito mal. Uma mãe e dois filhos pequenos são assassinados.

Atordoados e sem saberem o que fazer, os membros do grupo veem fugir os seus planos e sonhos. Perderão tudo, tornar-se-ão párias, passarão anos na prisão. Mas Megan, provavelmente a mais inteligente e talentosa de todos, oferece-se para assumir a culpa sozinha, deixando os outros livres para construírem os seus futuros brilhantes. Em troca, cada um deles concorda com um favor a ser pago após a sua libertação da prisão.

Um favor para cada um - qualquer coisa que ela pedir, quando a pedir.
O que pode correr mal?



📃Impulsionada pelo que fui lendo em alguns locais, desde blogues a bookstagramers, comprei O Pacto com expectativas elevadas.
Depois de finalizado só posso concluir que estava à espera de mais deste livro.

🚘 A premissa do livro até era interessante. Um grupo de amigos, no auge da juventude e com muita vida banal, decide, um a um, entrar numa autoestrada em contramão só pela adrenalina.
Já se previa que um dia isso ia acabar mal. E aconteceu o pior. Quando um deles ia a conduzir e, devido à inexperiência e nervosismo, acaba por fazer com que outro carro entre em despiste originando a morte de uma mulher e duas crianças.

🚔Cheios de medo e com um futuro brilhante congelado, os amigos não sabem o que fazer até que um deles, Megan, decide assumir as culpas por todos, dizendo que ia sozinha no carro.
Acontece que Megan não ia sozinha, nem sequer era a condutora, mas acaba por assumir a culpa de todos. Resultado: 20 anos de cadeia.

Num papel, que a rapariga "obrigou" todos a assinar, ficou a promessa de que quando saísse da prisão cada um deles lhe ficariam a dever um favor, com uma espécie de Pacto.

👱🏼‍♀️Vinte anos se passaram e todos eles têm a vida feita. Até que Megan regressa às suas vidas a cobrar o favor.
Tudo estava a correr bem na leitura até que uma série de acontecimentos, sem grande explicação por parte da escritora, acabam por fazer com que fique completamente desligada da história. Elementos sem qualquer ligação fizeram com que achasse o final um pouco abrupto e sem sentido. Relativamente aos personagens não criei qualquer empatia com qualquer um deles, achando-os todos muito fracos.





A Criança em Ruínas - José Luís Peixoto [Opinião]

 

Título: A Criança em Ruínas
Autor: José Luís Peixoto
Editor: Quetzal Editores
N.º de Páginas: 96

Tendo como temática principal a nostalgia da "criança em ruínas", a obra reúne vários poemas de diferentes fases da vida do autor. A melancolia, os cenários de dor, os problemas existenciais e as inquietações estão presentes na maioria dos textos. A exorcização dos males do poeta surge precisamente pela escrita, pois o poema é "o último esconderijo da pureza". O mundo poético surge aqui definido como sendo aquele em que o poeta é o "imigrante dentro de uma estrela, de um parágrafo".

José Luís Peixoto é família, é terra.

Publicado em 2001, A Criança em Ruínas é um livro de poesia onde José Luís Peixoto se despe para o leitor, chorando o luto, mostrando a importância da família na sua vida, da sua mãe. Quase dando continuidade a Morreste-me, o autor abre-se de um forma tão profunda que é difícil para o leitor não se conseguir rever também nas suas palavras.

 Apesar de ter poucas páginas, este é um livro tão intenso que acabamos por parar a cada poema, de forma a absorver o que o autor nos transmite.
A mesa, as refeições, são a altura da reunião, da junção da família, do convívio. Com a morte do pai, o seu lugar à mesa continua lá, mas com os anos, a família como ele a vê, desintegra-se porque cada elemento acaba por criar a sua própria família.
Esta é a história de cada um de nós. Todos nós, de uma forma ou outra já perdemos alguém que nos faz falta, que nos deixa a vida completamente em ruínas. Daí sentirmos o que o autor sente, a cada virar de página...

"O poema é onde eu fui feliz e onde eu morri tanto."

"Estou na casa onde as memórias se sentam nas cadeiras para jantar em pratos invisíveis."

"O amor é saber que existe uma parte de nós que deixou de nos pertencer."

"Estou sozinho. Sinto falta de mim em mim. Estou sozinho."





sexta-feira, 13 de janeiro de 2023

Edifícios Abandonados em Portugal - Ricardo Raimundo [Opinião]

Título: Edifícios Abandonados em Portugal
As histórias fascinantes por detrás dos nossos castelos, palácios e ruínas
Autor: Ricardo Raimundo
Editor: Manuscrito Editora 
Ano: 2022
N.º de Páginas: 264

Em Coina, existe um palácio abandonado com uma torre sumptuosa. A sua história é mais impressionante do que a estranha construção: erigida por um homem que fez fortuna a recolher lixo, nunca chegou a ser habitada. Supersticioso que era, Manuel Martins Gomes Júnior acreditou nas palavras da mulher: «Quem constrói uma casa, morre no seu interior».

Em Portugal, não faltam exemplos de notáveis locais abandonados que suscitam curiosidade em quem por eles passa (ou deles ouve falar). Castelos, palácios, casas senhoriais, hotéis, sanatórios e até parques aquáticos, todos eles foram projetos megalómanos, mas acabaram em ruínas. Porquê? O que aconteceu? E porque foram construídos? Qual foi, afinal, a sua história?

Num livro que resulta de uma minuciosa e exaustiva investigação, o historiador Ricardo Raimundo leva-nos numa viagem entre os séculos XVIII e XX, com o objetivo de nos contar as histórias por detrás dos mais emblemáticos edifícios abandonados em Portugal.

Jogos de poder, tragédias inigualáveis, projetos demasiado ambiciosos, refúgios para os que só queriam viver mais um dia. É este o outro lado da História, a descoberto pelo nosso património em ruínas.


🏚️Abandonados, pela sua história, pelas pessoas que passaram por lá, é óbvio que não podia deixar de ler o livro de Ricardo Raimundo Edifícios Abandonados em Portugal.

🏚️Já conheço o autor de livros anteriores e sabia bem com o que contar. O autor escreve muito bem, de forma detalhada e documentada, pelo que só poderia resultar num excelente livro.

🏚️Pelas páginas deste livro consegui visitar o Hotel Monte Palace nos Açores, as célebres piscinas e pistas do Ondaparque, a lindíssima Casa do Relógio na Foz do Porto, o Palácio da Quinta das Águias, o Solar dos Pimenteis, passando pelo Pavilhão Carlos Lopes e os Pavilhões do Parque D.Carlos I. Mas ainda há mais. A maior parte já conhecia, mas da sua história sabia pouco.

🏚️Este é um livro tão bom para os amantes do género que se fica com a vontade de querer ler mais sobre outros tantos edifícios portugueses que estão ao abandono e cujas histórias devem ser também interessantes.








A Aranha - Lars Kepler [Opinião]

 

Título: A Aranha
Autor: Lars Kepler
Editor: Porto Editora
Ano: 2022
N.º de Páginas: 536

Da dupla de sucesso que criou O Hipnotista, o regresso de Joona Linna e Saga Bauer, num thriller inquietante
Há três anos, Saga Bauer recebeu um postal com uma mensagem ameaçadora sobre uma arma com nove balas brancas – uma delas destinada a Joona Linna. Saga seria a única pessoa a poder salvá-lo. A inspetora-chefe mostrou o postal a Joona, mas com o tempo a ameaça desvaneceu-se como uma provocação sem sentido. Até agora.
Um saco com um corpo dissolvido quase por completo aparece amarrado a uma árvore em Kapellskär. Um cartucho branco-leitoso é encontrado na cena do crime. Através de vários enigmas complexos, um brutal criminoso aparenta dar à polícia a oportunidade de parar a série de assassinatos. Joona Linna e Saga Bauer lutam lado a lado para resolver o puzzle e salvar as vítimas escolhidas antes que seja tarde de mais. A caçada violenta torna-se cada vez mais desesperada.
Talvez seja impossível deter o assassino – Joona e Saga podem estar já enredados na teia da aranha…


🕷 Depois de O Homem Espelho, a dupla Lars Kepler está de regresso com mais uma investigação de Saga Baeur e Joona Linna. Contando já com nove livros, esta é uma série que não me tem cansado absolutamente e anseio sempre pelo próximo livro dos suecos.

🕷️Neste novo livro vamos deparar-nos com um assassino deveras meticuloso e com pouca pressa. Prova disso é o primeiro postal que manda a Saga Baeur, cuja mensagem ameaçadora contra Joona nunca se concretiza. Por isso mesmo, os dois amigos acabam descansados e não ligam à pista das nove balas brancas que Saga recebe.

🕷️Até que surge um saco com um corpo dissolvido em ácido, pendurado numa árvore em Kapellskär. O crime macabro não passa despercebido a Joona, mas tudo se complica quando um cartucho branco é encontrado na cena do crime, fazendo relembrar a ameaça anterior. Quando se descobre quem é a vítima tudo parece mais claro e uma série de assassinatos começa a acontecer numa espécie de corrida contra o tempo.

🕷️Tecendo uma espécie de teia, esta aranha quer contudo ser apanhada (será mesmo assim?). Antes de cometer o seu crime vai deixando pistas a Saga, mas a dupla de detectives parece chegar sempre tarde o que acaba por criar suspeitas dentro da própria esquadra.

🕷️Jurek Walker, talvez o serial killer mais engenhoso de thrillers que tenho lido ultimamente, continua a ensombrar a cidade e tudo parece remeter a ele. Felizmente este tenebroso assassino está morto. Mas quem parece querer copiá-lo?

🕷️Saga continua a ser uma detective incrível. Apesar de completamente posta de parte e ter a sua vida pessoal de rastos, mostra ser uma mulher de armas e não esmorece mesmo quando toda a gente se encontra contra ela. Joona continua igual a si mesmo, inteligente e sensível apesar de tudo o que tem passado.







domingo, 1 de janeiro de 2023

Acaba Tudo à Meia-Noite - Harriet Tyce [Opinião]

 

Título: Acaba Tudo à Meia-Noite
Autor: Harriet Tyce
Editor: TopSeller
Ano: 2022
N.º de Páginas: 336

É noite de passagem de ano e o palco está montado para uma festa luxuosa num dos melhores bairros de Edimburgo. Para Tess, este é o momento de se voltar a reunir com amigos há muito perdidos. Tendo sido diagnosticada com uma doença potencialmente fatal, esta poderá ser a sua última hipótese de emendar alguns erros do passado. Ao mesmo tempo, vendo o seu casamento a passar por dificuldades, sabe que será a oportunidade perfeita para renovar os votos com o seu marido, Marcus, rodeados por pessoas que os amam.

Ao saber do estado de saúde de Tess, Sylvie, a sua amiga mais próxima, percebe que o tempo pode estar a esgotar-se. A única coisa que pode fazer é oferecer uma sensação de alívio à amiga relativamente à culpa que assombra ambas há décadas. O céu ilumina-se com fogo de artifício e o champanhe enche os copos dos presentes — mas esta celebração não irá correr como o esperado.

PORQUE, ATÉ AO FIM DA NOITE, ALGUÉM IRÁ MORRER.
À medida que a meia-noite se aproxima e a contagem decrescente começa, torna-se claro que existe alguém que não procura resoluções para o novo ano.
UM DOS CONVIDADOS PROCURA VINGANÇA.




🖋️Harriet Tyce conquistou-me com Laranja de Sangue, o seu romance de estreia.

✒️Seguiu-se As Tuas Mentiras, igualmente bom pelo que as minhas expetativas em relação ao Acaba tudo à meia noite eram demasiado elevadas.

💬Mestre do thriller psicológico, Tyce brinda-nos com mais uma história interessante e muito bem interligada, mas que não me prendeu tanto quanto gostaria. Só me rendi à narrativa a partir da segunda metade do livro o que não estava nada à espera.

🎉Esta era uma festa de ano novo que tinha tudo para dar certo. Apesar de padecer de uma doença em fase terminal, Tess consegue reunir os seus amigos e família mais chegados de modo a renovar os votos do seu casamento com Marcus.

🎊Mas nem tudo são rosas na vida de Tess e quando esta conta à amiga Sylvie que devem revelar o segredo guardado há anos, esta não reage muito bem, até porque pode prejudicá-la a nível profissional.

👩🏼‍⚖️Contado sob o ponto de vista de Sylvia, uma advogada que almeja chegar a juíza, Acaba tudo à meia noite é um bom thriller, embora não seja daqueles que prendem logo à partida.

👱🏼‍♀️Detestei Tess, embora a única forma de conhecer a personagem foi aquele que foi dado pelo testemunho da amiga, o que pode ser um pouco redutor. Sylvia é uma mulher determinada, embora solitária e com desejos de afirmação, o que a torna numa personagem bem mais interessante.

📖Em suma, gostei do livro embora não tivesse estado à altura dos outros dois.




quarta-feira, 14 de dezembro de 2022

Sangue Turvo - Robert Galbraith [Opinião]

 

Título: Sangue Turvo
Autor: Robert Galbraith
Editor: Editorial Presença~
Ano: 2022
N.º de Páginas: 792

Enquanto visita a família na Cornualha para ajudar a cuidar da tia doente, o detetive Cormoran Strike é abordado por uma mulher que lhe propõe investigar o misterioso desaparecimento da sua mãe, Margot Bamborough, ocorrido em 1974. Strike fica surpreendido com aquele pedido inesperado, mas resolve aceitar o desafio. Depois de consultar a sua sócia, Robin Hellacott, que está a atravessar um momento difícil - um divórcio litigioso -, juntos organizam uma ronda de visitas às testemunhas que sobreviveram e um rastreamento pormenorizado dos documentos que ainda estão disponíveis passados quarenta anos sobre o caso.

Conforme investiga o desaparecimento de Margot, a dupla de detetives depara com uma história diabolicamente complexa, com pistas que envolvem cartas de tarô, um serial killer psicopata e testemunhas nas quais não é possível confiar totalmente. E mais: percebem que mesmo casos que aconteceram há décadas podem ser mortais.

Sangue Turvo é o thriller que continua a série Cormoran Strike, de Robert Galbraith, pseudónimo de J.K. Rowling.
Agora também em série disponível na HBO Portugal.



🧑‍🦱Apesar de já estar no quinto livro da série Cormoron Strike, esta é a minha estreia de de Robert Galbraith, o pseudónimo de JK Rowling. E o mais ridículo é que tenho por ler os dois primeiros livros que comprei numa promoção há uns anitos!!!

🤔 As cerca de 800 páginas impressionam e intimidam um bocadinho. Ainda por cima sendo a primeira vez que leio a autora em formato policial/thriller, mas fiquei tão envolvida na história e nas personagens principais que nem me incomodou o facto de apanhar a vida destes detectives a meio.

🤒No decorrer de uma visita a uma tia que se encontra em estado terminal, Cormoron é abordado por uma mulher que deseja que este investigue o desaparecimento da sua mãe, há quase quarenta anos. Margot Bamborough era uma jovem médica quando desaparece sem deixar rasto no ano de 1974.

😦 Apesar do seu corpo não ter aparecido todos a julgam morta e há até quem relacione o seu desaparecimento ao caso de um assassino em série que foi apanhado pouco tempo depois. O problema é que nada de provou e o assassino também não confessou o crime.

🕴️A par com uma série de outras investigações, já que Cormoron e Robin têm uma agência de detectives, este é um livro que se lê bastante bem e de uma forma completamente viciante. Porém, achei que se tivesse menos páginas seria perfeito.
No entanto, de ressalvar que a autora tem o cuidado de contextualizar a vida dos protagonistas para que leitores de primeira leva, como foi o meu caso, não se sintam perdidos na leitura.

🦿Agora que sei que esta série resulta numa outra na HBO não vou querer perder.





WOOK - www.wook.pt