segunda-feira, 18 de março de 2019

Um Estranho Dentro de Casa - Shari Lapena [Opinião]

Título: Um Estranho Dentro de Casa
Autor: Shari Lapena
Editor: Editorial Presença
N.º de Páginas: 304

Sinopse:
Porque fugiria ela, assustada, de um lar feliz?

Está à espera que o marido, por quem sente um grande amor, chegue a casa vindo do emprego. Está a preparar o jantar, desejosa de saber como lhe correu o dia.

É a última coisa de que se lembra.

Acorda no hospital, sem ter a mais pequena ideia de como lá foi parar. Dizem-lhe que foi vítima de um acidente: perdeu o controlo do carro quando conduzia numa zona perigosa da cidade.

A polícia suspeita de que ela não estaria lá pelas melhores razões. Mas o marido recusa -se a acreditar. A sua melhor amiga não tem tantas certezas. E nem ela própria sabe em que acreditar. 

A minha opinião: 
Shari Lapena granjeou sucesso com O Casal do Lado, que retrata o desaparecimento de um bebé de seis meses da sua própria casa. 

Neste segundo livro, Um Estranho dentro de casa, a autora canadiana imprime uma nova dose de mistério, mas desta feita debruça-se sobre o estranho acidente de uma jovem mulher. 

Karen acorda numa cama de hospital sem saber o que aconteceu naquela noite. Sofre de amnésia, mas a polícia não acredita que ela esteja completamente inocente e está convencida de que mente. 
Por seu lado, Tom está muito preocupado porque não percebe porque é que a mulher estava fora de casa, sem documentos alguns e sem o telemóvel. Piora tudo quando Karen não se consegue lembrar de nada do que aconteceu e quais os motivos que a levaram a pegar no carro e a cometer uma série de infrações, como conduzir em excesso de velocidade. 

Outro mistério é o que é que levou Karen a uma zona da cidade que é conhecida por ser mal frequentada... 
Até que nessa noite um homem é assassinado num local perto do acidente e ninguém sabe quem ele é. 

Na história entra também uma outra personagem, desprezível por sinal, que é a vizinha do jovem casal. Esta vai ser determinante para o desenrolar da história, embora tenha um comportamento ao longo desta completamente abjecto. 

A leitura deste segundo livro foi bastante fluída e com bastante dose de mistério. Depressa percebemos o que se passou na noite do acidente, mas o livro não esmoreceu nessa fase, tornando a história ainda mais interessante. 
O twist final não foi surpreendente, até porque calculei que terminaria assim. No entanto, não desiludiu. 

Mais informação no site da Presença aqui







Flores sobre o Inferno - Ilaria Tuti [Opinião]

Título: Flores sobre o Inferno
Autor: Ilaria Tuti
Editor: TopSeller
N.º de Páginas: 336

Sinopse:
O meu nome é Teresa Battaglia e vejo para além das flores que crescem no chão.

Vejo o inferno que se abre por debaixo dos nossos pés. Nos Alpes italianos, uma aldeia silenciosa encontra-se rodeada por florestas antigas cobertas de neve. Quando um homem é encontrado morto, nu e com os olhos arrancados, ninguém sabe como reagir.

A inspetora Battaglia é uma mulher de aparência frágil. Com 60 anos, o seu corpo começa a falhar. Mas conquistou a pulso o seu lugar na tantas vezes machista polícia italiana. Massimo Marini, um jovem inspetor da cidade destacado para o caso, está fora da sua zona de conforto. E pior fica quando percebe que será Teresa a orientar a investigação.

Teresa está determinada a impedir que mais alguém sofra às mãos deste assassino. Só que a disposição quase ritual do cadáver indica-lhe que este caso poderá ser apenas o primeiro de muitos. Há uma história negra escondida nestas montanhas. E ela irá descobri-la.

A minha opinião: 
O título apelativo, aliado a uma capa igualmente atrativa, levou a que colocasse este livro logo na minha wishlist e a esperar ansiosamente para que fosse publicado.  

O facto de a acção do livro se passar numa floresta antiga, com a sua população isolada do resto do mundo, fez-me lembrar os livros de Dolores Redondo. E como gostei desses livros!
De facto, ao longo da sua leitura houve muita coisa que me remeteu a Redondo, desde o mistério para lá da floresta, os rituais das suas gentes e, sobretudo o facto, de guardarem com eles todo o passado daquela localidade.

O aparecimento do corpo de um homem, nu e com os olhos arrancados leva a inspectora sexagenária Teresa Battaglia, uma mulher muito experiente na resolução de crimes, à floresta. E aí conhece o seu novo parceiro, que é tudo o que ela não esperava. 

Massimo Marini está completamente longe da sua zona de conforto. É novato e, além disso, não conhece a zona. E Teresa não se mostra muito receptiva a tê-lo por perto, colocando a sua permanência ali completamente desconfortável. Marini sente-se à parte, mas não dá o braço a torcer e quer provar que será uma peça-chave para a resolução daquilo que se vai descobrir não se tratará de um caso isolado de assassinato. 

Flores sobre o Inferno foi de uma leitura intensa, interessante, mas também um pouco lenta, daí as minhas 3* no Goodreads. 3* que contam como se fossem 3,5* caso houvesse a possibilidade de avaliar mais especificamente o livro. 

Gostei imenso da história, do mistério em volta do primeiro assassinato. 
A fragilidade da inspectora chefe dá ainda mais força ao livro, mostrando que, apesar de estar muito doente, não demonstra a ninguém o que se passa, provando que ainda está apta para estar à frente de uma investigação. 
Estou curiosa para saber como se vai desenvolver a relação entre esta inusitada dupla, pelo que espero ansiosamente pelo segundo livro da série. 


  


 



A Mulher que Correu Atrás do Vento, de João Tordo, chega amanhã às livrarias

Título: A Mulher que Correu Atrás do Vento (nas livrarias a 19 de Março)
Autor: João Tordo
Editora: Companhia das Letras
N.º de Páginas: 504
PVP: 18,80€

A MULHER QUE CORREU ATRÁS DO VENTO

Quatro mulheres. Três cidades. Um século. E uma poderosa história de amor e de perda a uni-las.

Sobre o livro:
1892, Baviera. Lisbeth Lorentz, uma professora de piano, apaixona-se por um aluno de treze anos que sofre de autismo. Ao descobrir que ele é um prodígio, instiga-o a compor um concerto durante as aulas e, um dia, sem explicação, fá-lo desaparecer.

1991, Lisboa. Beatriz, uma estudante universitária — que sonha com a mãe falecida —, envolve-se com o autor d’A História do Silêncio, um romance sobre Lisbeth Lorentz.
Ao mesmo tempo, enquanto voluntária num abrigo para mendigos, Beatriz conhece Lia, uma adolescente com um passado incógnito e um presente destruído.

1973, Londres. Graça Boyard, portuguesa, dá à luz a primeira e única filha. Fugida de Lisboa para escapar à tirania do pai e à mordaça da ditadura, regressa à capital após a Revolução, tornando-se uma actriz de renome — e abandonando a filha ainda criança.

2015, Lisboa. No consultório de uma terapeuta, Lia Boyard desfia a sua história, dos anos de mendicidade ao momento em que decide procurar a mãe. É aqui que começam a unir-se as pontas da história de quatro mulheres, que atravessam um século e diferentes geografias, unidas por uma força que transcende a própria vida.

Um livro a quatro vozes sobre o poder do amor e o vazio da perda, que guarda para o final uma revelação chocante, a reviravolta que faz deste romance de João Tordo uma narrativa magnética.

Sobre o autor:
João Tordo nasceu em Lisboa em 1975. Publicou o primeiro romance em 2004. Em 2009 venceu o Prémio Literário José Saramago, pelo romance As três vidas, e em 2011 foi finalista do Prémio Portugal Telecom. Foi também finalista do Prémio Melhor Livro de Ficção Narrativa da Sociedade Portuguesa de Autores (2011, 2015) e do Prémio Literário Fernando Namora (2011, 2012, 2015, 2016), bem como da 6.ª edição do Prémio Literário Europeu.

Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália, Alemanha, Brasil, Hungria, Espanha, Argentina, México e Uruguai.

Em 2018, a sua obra Ensina-me a voar sobre os telhados, que se seguiu à «Trilogia dos lugares sem nome», foi um êxito da crítica e do público.
A mulher que correu atrás do vento é o seu décimo segundo romance.


Fernando Moreira publica Desenmerda-te Mindset

Título: desenmerda_te mindset
Autor: Fernando Moreira
Editor: SelfPT
N.º de Páginas: 208

Desenmerda-te Mindset nasce da constatação de que muito do que vivemos, do que fazemos e queremos fazer nada tem de fácil, e de que, se queremos concretizar algo e também realizarmo-nos, a atitude ideal é encontrarmos o que nos move e estarmos disponíveis para aceitar o que a vida nos proporciona – incluindo a dor, a perda e o fracasso.

Se estás à espera de aqui encontrares uma lista de passos ou de dicas para alcançares seja o que for, desengana-te. Aqui não há receitas que possam ser copiadas. Desenmerda-te.

Em vez disso, este livro leva-te numa viagem pelos princípios e verdades que me têm guiado a partir do momento em que me dispus a observar que sou incompetente, que fracassei tantas e tantas vezes, que não tenho respostas e que estarei sempre desarmado face à minha vulnerabilidade.

Este livro conta o que aconteceu quando assumi que o melhor era simplesmente celebrar tudo isso.

O Desenmerda-te Mindset foi escrito em capítulos segmentados com a intenção de permitir a leitura por partes e facilitar a revisitação delas.

“Se a ideia de viver fosse apenas seguir dicas, receitas e bestsellers seríamos todos bilionários iluminados com abdominais perfeitos.” - in Desenmerda-te Mindset


Sugestão Dia do Pai

Sente-se diante do seu pai e faça-lhe uma entrevista, registando nestas páginas tudo o que descobrir com as suas perguntas desses momentos únicos, irrepetíveis, mas que se prolongarão para sempre.

Guarde com carinho este livro escrito por si e através dele.

Com a sua letra, a memória do seu Pai chegará aos seus filhos e aos filhos deles.

Já à venda. €8,50


«Negro como o Mar», de Mary Higgins Clark: quando um cruzeiro de luxo fascinante se torna mortal


Título: Negro como o Mar
Autor: Mary Higgins Clark
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Ana Cunha Ribeiro
Nº de páginas: 272
PVP: 16,60 €

Negro como o Mar, de Mary Higgins Clark, autora de mais de trinta romances de êxito em todo o mundo, chegou às livrarias portuguesas.
Desta vez, esta rainha do suspense promete surpreender com a história de um cruzeiro de luxo que prometia ser sublime mas que acaba por se transformar no palco de um misterioso assassínio.
Negro como o Mar é um livro de leitura rápida, com capítulos fluídos, e uma história cativante e misteriosa.
«Lady Em sorriu. Tinha trazido algumas das suas melhores joias para usar no navio. Iam estar a bordo inúmeras celebridades, nesta viagem inaugural e, como era costume, ela queria ofuscá-las a todas. Quando se inscrevera no cruzeiro, anunciara que, em consonância com o espírito luxuoso do meio em que iria estar inserida, traria consigo e usaria o famoso colar de esmeraldas que se acreditava ter pertencido a Cleópatra. Após o cruzeiro, tencionava doá-lo ao Instituto Smithsonian. Esta peça não tem preço, pensara, e uma vez que não tenho familiares que me digam alguma coisa, a quem havia de deixá-lo?».

Sinopse:
O cruzeiro prometia ser sublime. Mas logo depois de levantar âncora, o luxuoso Queen Charlotte torna-se o palco de um misterioso assassínio: o de Lady Em, uma rica octogenária. O seu inestimável colar de esmeraldas, que supostamente pertenceu a Cleópatra, desapareceu...
O culpado está, sem dúvida, a bordo. Mas quem é? O seu secretário aparentemente dedicado? O jovem advogado que queria persuadir Lady Em a devolver o colar ao Egito, enquanto seu legítimo proprietário? Ou Celia Kilbride, a gemóloga que se relacionou com a velha senhora? A lista de suspeitos cresce enquanto o Queen Charlotte rasga as ondas e o cruzeiro se transforma em drama.
Preparemo-nos para embarcar num cruzeiro capitaneado por uma surpreendente Mary Higgins Clark e do qual é possível não regressar.

Sobre a autora:
Mary Higgins Clark é autora de mais de trinta romances que obtiveram um êxito assinalável, tendo vendido mais de 150 milhões de exemplares dos seus livros em todo o mundo. Foi secretária e hospedeira, mas depois de se casar dedicou-se à escrita. Com a morte prematura do marido, que a deixou com cinco filhos pequenos, a autora investiu na escrita de guiões para rádio e, depois, nos romances. Rapidamente se tornou um dos grandes nomes da literatura de suspense, conquistando os tops de vendas, a crítica e os fãs.
Foi eleita Grand Master dos Edgar Awards 2000 pela Mystery Writers of America, que também lançou um prémio anual com o seu nome. Já foi presidente da Mystery Writers of America, bem como do International Crime Congress.
www.maryhigginsclark.com


Clube do Autor: Os judeus que ajudaram a salvar a europa da Guerra

Título: Filhos e Soldados – Os Heróis do Holocausto 
Tradução: Luís Santos
N.º de Páginas: 408
PVP: 19,50€
Disponível a partir de 3 de Abril

«O relato de como milhares de judeus alemães ajudaram a vencer a Segunda Guerra Mundial. O seu exemplo de coragem e patriotismo não deve ser esquecido no quadro atual da luta contra o terrorismo.» Leon Panetta, ex-diretor da CIA e ex-secretário de Defesa

«A história heroica dos refugiados judeus da Segunda Guerra que regressaram à Europa para combater os nazis.» Newsday

«Este livro está repleto de exemplos concretos de coragem, compromisso, compaixão e, também, de uma crueldade indescritível.» San Francisco Chronicle

«Um relato fascinante de homens extraordinários em plena Segunda Guerra.» USA Today

«Uma história de coragem e determinação, vingança e redenção que revela uma faceta desconhecida da guerra. (…) Uma história magnífica, muito bem contada.» Boston Globe

A saga dos jovens judeus que escaparam dos nazis, encontraram refúgio nos EUA e regressaram à Europa dilacerada pela guerra para lutar contra Hitler foi o ponto de partida de Bruce Herderson para escrever Filhos e Soldados, os Heróis do Holocausto. Conhecidos como Ritchie Boys, estes jovens foram incorporados em todas as unidades de combate, tendo tido um papel fundamental em operações como o desembarque na Normandia ou a libertação do campo de concentração de Buchenwald.

Com base nos relatos dos sobreviventes e numa pesquisa rigorosa nos arquivos de guerra, Bruce Henderson revela nesta obra emocionante, repleta de material inédito, um capítulo desconhecido da Segunda Guerra Mundial.

Bruce Henderson, jornalista e escritor premiado, é autor e coautor de mais de vinte livros de não-ficção, incluindo os bestseller And the Sea Will Tell, posteriormente adaptado à televisão, e Hero Found: The Greatest Pow Escape of the Vietnam War, sobre a história real do piloto da marinha Dieter Dengler, com quem Henderson serviu a bordo do porta-aviões USS Ranger durante a guerra do Vietname. Os seus livros já foram publicados em mais de uma dezena de países. 


Clube do Autor: A história de Lisboa (e de Portugal) vista pelos olhos de um jornalista estrangeiro


Título: Rainha do Mar
Autor: Barry Hatton
Tradução: Pedro Vidal
N.º de Páginas: 312 
PVP: 18,00€
Lisboa, a cidade de tantos encantos

Novo livro de Barry Hatton, autor do bestseller Os Portugueses – já na 12º edição, revela a história de uma nação através dos olhos de um jornalista estrangeiro apaixonado por Portugal. 

Profundamente rico do ponto de vista histórico, Rainha do Mar é um livro que se lê com particular gosto. A narrativa envolve o leitor desde as primeiras páginas e a leitura avança a bom ritmo. Hatton combina na perfeição passado e presente, balanceia dados oficiais com mitos e lendas, figurais reais com personagens do imaginário coletivo, mistura de forma hábil informação e suposição, conhecimento e entretenimento, tudo com absoluto domínio do que é realmente relevante partilhar.

O que mais surpreende é o olhar cativante sobre Portugal e a sua capital. Embora viva em terras lusas há várias décadas, o autor conseguiu, mais uma vez, distanciar-se o suficiente para nos olhar de fora. Rainha do Mar apresenta uma visão ímpar de um país controverso e desconcertante, cheio de contrastes, História e memórias.

Recomendado sem reservas pela imprensa estrangeira, o livro mereceu a atenção dos jornais The Times, Financial Times, The Sunday Times, entre outros, e do escritor Roger Crowley («Hatton conta de forma vívida a história fascinante de uma das cidades europeias mais singulares a subestimadas.»)

Taccoen (Jan), um nobre flamengo de passagem por Lisboa em 1514, ficou rendido. Disso deu conta numa carta enviada para casa em que refere «podeis observar muitos animais e estranhas pessoas em Lisboa.» Falava dos elefantes com quem se cruzara na cidade e da grande miscelânea populacional (sobretudo de origem africana e oriental) que testemunhara. Talvez seja esse um dos segredos da capital portuguesa, mas há mais, segundo o autor.

Um dos capítulos mais impactantes, por mais que já se tenha escrito sobre o fatídico dia 1 de Novembro de 1755, é o quinto. Nele se relata a destruição épica de uma grande e opulenta cidade, o prestígio de ser um dos dois patriarcados no mundo e a calamidade que traz um salvador com traços de ditador, que acaba esquecido numa caixa de madeira.

Graças ao trabalho de vários meses, tantas vezes apoiado em estudos de vários historiadores portugueses, Hatton oferece-nos uma viagem fascinante a bordo do seu livro. Não se trata de uma narrativa linear histórica, tal como refere o autor, mas sim de uma história contada a partir de dentro, ligando os pontos entre o passado e o presente de forma esclarecedora e interessante. Missão totalmente cumprida, acrescenta a editora.

Ao longo de mais de dois mil anos, Lisboa soube adaptar-se, reinventar-se, sobreviver. A sua história sem sempre foi fácil e muitas vezes é indissociável do percurso do nosso país, mas a cidade tem as suas próprias idiossincrasias, peculiaridades e memórias.

Lisboa é a protagonista, na vida real e nas páginas deste livro. Conquistas, adversidades, glória e poder: Rainha do Mar é, na sua essência, a história de uma das capitais mais fascinantes do mundo. 




Porto Editora - "A Aluna Americana" é o novo romance de João Pedro Marques

Título: A Aluna Americana
Autor: João Pedro Marques
Págs.: 336
PVP: 17,70 €

A Porto Editora publica A Aluna Americana, o novo romance de João Pedro Marques. Desta vez, o autor de Uma Fazenda em África – que já conta com mais de 40 000 exemplares vendidos – leva-nos até ao Portugal de finais dos anos 60 e faz-nos um retrato de uma época em que conservadorismo e liberalismo colidem. Como reflexo dessa divergência está o romance entre um professor universitário e uma estudante americana.

A sessão de lançamento está agendada para dia 26 de março, às 18:30, no El Corte Inglés de Lisboa, e a apresentação estará a cargo de Rita Ferro.

Sinopse: 
Novembro de 1968. Usam-se cabelos compridos e cores garridas, a música pop enche o ar de sons novos e electrizantes — os Beatles estão no auge —, e a França vai-se recompondo dos tumultos de Maio. Os progressos científicos são palpáveis e quase diários. O Homem está a dois passos da Lua, Barnard fez os primeiros transplantes cardíacos e a chamada revolução sexual avança no mundo ocidental, graças à pílula e à liberalização dos costumes. Portugal, ainda apertado na dolorosa tenaz da guerra em África, deposita muitas esperanças na Primavera Marcelista e procura agarrar os ventos que sopram lá fora e que lhe chegam a conta- -gotas, filtrados pela censura.
É nesse contexto e nesse Novembro que, por mero acaso, o professor universitário José Duarte Cincinnato de Sousa conhece Isabel Botelho, uma estudante de Românicas acabada de chegar
dos Estados Unidos da América.
A Aluna Americana é a história da relação entre ambos, uma história de afectos e sentimentos que nos faz frequentemente passar da desempoeirada amplidão dos mundos exteriores para a estreita pequenez de um Portugal fechado. De passagem em passagem, iremos vendo como um homem conservador vive os prazeres, as dores e os desafios da sua paixão por uma mulher mais nova, para a qual nada é sagrado, excepto, talvez, o amor.

Sobre o autor: 
João Pedro Marques nasceu em Lisboa, em 1949. Foi professor do ensino secundário e, depois, durante mais de duas décadas, investigador do Instituto de Investigação Científica Tropical e Presidente do Conselho Científico desse Instituto, em 2007-2008. Doutorado em História pela Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou durante a década de 1990, é autor de dezenas de artigos sobre temas de história colonial, e de vários livros, dois dos quais publicados em Nova Iorque e Oxford (The Sounds of Silence, 2006; e, em coautoria, Who Abolished Slavery? A debate with João Pedro Marques, 2010). Publicou o seu primeiro romance, Os Dias da Febre, em 2010.


segunda-feira, 11 de março de 2019

Novidade Nuvem de Tinta: Histórias para rapazes que sonham mudar o mundo


Título: Histórias para rapazes que sonham mudar o mundo
Autor: G.L.Marvel 
N.º de Páginas: 160
PVP: 16,50€

A VIDA INSPIRADORA DE 50 MENINOS QUE MUDARAM O MUNDO COM A SUA VONTADE E DETERMINAÇÃO

Aqui estão contadas 50 vidas inspiradoras de rapazes que, pela sua força de vontade e resiliência, se tornaram superheróis de carne e osso e mudaram para sempre o mundo em que viviam. Graças a eles, vivemos hoje num mundo melhor e mais cheio de esperança.

Alan Turing, Albert Einstein, Andre Agassi, Antoine de Saint-Exupéry, Charles Darwin, Dalái Lama, David Attenborough, Haile Gebrselassie, Harvey Milk, Iqbal Masih, Jacques-Yves Cousteau, João Garcia, Jamie Oliver, John Lennon, Julio Verne, Salvador Sobral, Leonardo da Vinci, Louis Braille, Aristides de Sousa Mendes, Sebastião Salgado, Stephen Hawking, Cristiano Ronaldo, Mahatma Gandhi, entre muito outros.

Sobre o autor:
Marcelo E. Mazzanti foi, até há pouco tempo, criativo em diversas agências publicitárias, o que o leva a considerar mais reconhecida que a de qualquer outro artista. Hoje, é um homem feliz por conseguir dedicar-se a uma das suas paixões, o mundo da literatura, e por já não ter de vender iogurtes. 







Novidades Topseller nas livrarias desde o dia 6

Título: Uma Voz Perdida na Guerra
Autor: Cesca Major
PVP:  17,69 €
N.º de Páginas: 336

Uma comovente história de amor, perda e inocência roubada, inspirada num episódio verídico da Segunda Guerra Mundial.

1952
Após a derrota alemã na Segunda Guerra Mundial, Adeline refugiou-se no convento de Santa Cecília, no sudoeste de França. Desde que apareceu à porta daquele lugar, não é capaz de falar. As freiras que dela cuidam não entendem o seu silêncio. Mas a verdade é que Adeline tem um segredo.

1940
Sebastian é um banqueiro judeu que vive na cidade francesa de
Limoges. Apaixonou-se pela encantadora Isabelle, que habita em Oradour, uma aldeia ali próxima. A paixão entre ambos é intensa, e irá mudar o curso das suas vidas.

Tristan é uma criança de 9 anos que se muda com a família de uma Paris em guerra para a quietude de uma aldeia rural numa zona não ocupada.

Adeline e a sua família gerem tranquilamente uma pequena loja em Oradour.

À medida que a guerra avança, os destinos destas pessoas irão cruzar-se. E quando um acontecimento terrível abala a sua aldeia pacífica, nada voltará a ser como dantes?

«Uma história tocante, pungente e maravilhosamente escrita.» - Heat Magazine

«Um retrato comovente e evocativo de uma tragédia da Segunda Guerra Mundial» - Sunday Express

Sobre a autora: 
Cesca Major estudou História na Universidade de Bristol e trabalhou em televisão, antes de se tornar professora de História.
Escreve regularmente para os sites Novelicious e Writers and Artists, onde ajuda novos escritores a desenvolverem as suas competências. Tem dois livros publicados, sendo Uma Voz Perdida na Guerra o seu primeiro romance.
Atualmente, vive com o marido em Berkshire, no sul de Inglaterra, e trabalha como professora num colégio interno.

Título: Bom Demais para ser Verdade
Autor: Kristan Higgins
PVP 18,79 €
N.º de Páginas: 352

Prémio RITA para Melhor Romance Contemporâneo

Poderá o homem errado ser a alma gémea que ela procura?

Grace é perita em inventar namorados imaginários. Muito mais do que um escape para a sua vida tristonha, é uma forma de lidar com problemas e pretendentes indesejados. Mas tudo se complica quando Grace vai a um casamento e o pior acontece: além de o seu ex-noivo também estar presente – mas agora como namorado da sua irmã mais nova –, a família começa a pressioná-la para arranjar marido. Correndo o risco de ser apresentada a um qualquer infeliz escolhido pela mãe, Grace recorre ao velho truque e? inventa o namorado perfeito! Tão perfeito, que agora até a família o quer conhecer!

Mas quem será este príncipe encantado? Uma coisa é certa, terá de ser o oposto do carrancudo Callahan O'Shea, vizinho de Grace. Com um passado obscuro e um feitio insuportável, ele nunca poderia ser seu namorado. Se bem que Grace não se importaria de ter alguém com os mesmos atributos físicos de Callahan? Ou o mesmo sentido de humor? Ou o seu coração meigo?

Não! O terrível Callahan não é o homem perfeito que Grace tem em mente. Mas há algo que a inquieta?

Se ele é tão errado, porque é que tudo encaixa tão bem quando estão juntos?

Sobre a autora:
Kristan Higgins é uma autora norte-americana bestseller do New York Times, USA Today, Wall Street Journal e Publishers Weekly. Tem 18 livros publicados, traduzidos para mais de 10 línguas, tendo vendido milhares de exemplares em todo o mundo.
Os seus romances receberam dezenas de prémios e críticas de várias publicações literárias, como Kirkus Reviews, The New York Journal of Books, Library Journal e Booklist. É vencedora de três prémios RITA, além de ter sido por cinco vezes finalista do Prémio Kirkus para Melhor Livro de Ficção.
Adora cães e orgulha-se de já ter resgatado alguns animais das ruas. Atualmente, vive no Connecticut com o marido e os dois filhos.

Título: A Rapariga da Falésia
Autor: Rachel Abbott
PVP 17,69 €
N.º de Páginas: 320

«Muito bem escrito e viciante. Não o consegui pousar até ao final.» - Robert Bryndza, autor bestseller de A Rapariga no Gelo

Quem acreditará na sua história se a única testemunha estiver morta?

Mark e Evie vivem numa casa magnífica, no alto de uma falésia, com grandes janelas de vidro viradas para o mar. Após um romance breve e repentino, Evie engravidara e decidiram viver juntos naquela casa, que pertencia a Mark.

A irmã de Mark, Cleo, desconfia. O irmão mal tinha feito o luto da primeira mulher, quando conhecera Evie. Nem sequer conseguia descer ao ginásio da casa, por ter sido lá que ela morrera, num alegado acidente. E agora, quando Evie surge com nódoas negras e feridas, culpando pequenos acidentes e distrações suas, Cleo fica novamente preocupada. O seu irmão é um homem bom. Ele não pode ter nada a ver com aquilo. Ou pode?

Na noite em que a sargento Stephanie King é chamada à casa do alto da falésia, encontra um cenário de terror. Dois corpos entrelaçados na cama, sangue espalhado por toda a parte. Um deles morto, o outro vivo.

O que terá acontecido realmente naquela noite?

«Li este livro perturbador e viciante de uma só vez. Adorei.» - Laura Marshall, autora do bestseller Pedido de Amizade

Sobre a autora:
Rachel Abbott viveu durante a infância no Norte de Inglaterra e trabalhou durante muitos anos numa empresa de media. Foi aí que ganhou o gosto pela escrita, escrevendo todos os dias vários tipos de conteúdo, desde manuais de utilização até copy. Mas foi ao escrever guiões interativos para jogos de Cluedo que verdadeiramente se apaixonou por escrever.

Os seus livros já venderam para cima de três milhões de exemplares e todos foram bestsellers da Amazon.

Título: A Vida Escondida entre os Livros
Autor: Stephanie Butland
PVP 17,69 €
N.º de Páginas: 304

Era uma vez uma rapariga que confiava os seus segredos aos livros...

No coração de York, em Inglaterra, uma pequena livraria tornou-se o refúgio da jovem Loveday Cardew - o único sítio em que a tímida livreira se sente segura. Só aí pode cuidar dos livros da mesma forma que os livros cuidam de si, ensinando-a a entender os sentimentos que a inquietam: a solidão, com Anna Karénina; a alegria de viver, com A Feira das Vaidades; as paixões avassaladoras, com O Monte dos Vendavais.

Depois de uma tragédia que lhe roubou tudo, uma infância passada com uma família de acolhimento e um relacionamento falhado, não é de admirar que Loveday prefira os livros às pessoas. Até que um dia, numa paragem de autocarro, ela encontra um livro perdido. Em busca deste livro surge Nathan, um poeta que se deixa encantar pela jovem livreira mas que não consegue quebrar a sua barreira de gelo, a não ser com a ajuda de Archie, o excêntrico dono da livraria onde trabalha.

Mas é quando os livros da sua infância começam a aparecer misteriosamente na livraria, que Loveday terá de aprender a confiar nos outros, para descobrir quem será a pessoa do seu passado que está a tentar contactá-la.

Terá ela coragem para revelar a vida que, durante tantos anos, tentou esconder entre os livros?

«Um livro perfeito para bibliófilos. Vai deixar rendido qualquer leitor que queira perder-se num mundo de literatura, amor e companheirismo, numa história sobre perdão e renascimento.» - Booklist

Sobre a autora:
Stephanie Butland é uma autora britânica cuja carreira na escrita arrancou depois da sua luta contra o cancro da mama.

Gosta de escrever num escritório com vista para o seu jardim, e, quando não está a criar romances comoventes, é oradora e mentora em projetos solidários para prevenção do cancro.

A Vida Escondida Entre os Livros é o seu primeiro livro publicado em Portugal, um romance que deixa à mostra a alma das livrarias e a paixão dos livreiros que, como guardiões da literatura, têm o dom de conquistar pequenos e grandes leitores.


Livros do Brasil publica "O Mistério do Quarto Amarelo" - Clássico policial da literatura francesa

Título: O Mistério do Quarto Amarelo
Autor: Gaston Leroux
Tradução: Franco de Sousa
N.º de Páginas: 312
PVP: 7,70 €
Coleção: Vampiro

A Livros do Brasil lançou a 7 de março na sua coleção Vampiro O
Mistério do Quarto Amarelo. Publicado originalmente em 1907 por Gaston Leroux, o autor do notável romance O Fantasma da Ópera, este é um dos mais famosos clássicos policiais de língua francesa, que, desafiando os mecanismos da lógica e tecendo uma trama cada vez mais arrepiante, há mais de um século mantém os leitores agarrados da primeira à última página.
O quarto amarelo é o local do crime e a vítima a menina Stangerson, que acabara de se retirar para o quarto quando um ruído de luta, um disparo, um grito de «Assassino!» ecoam pela casa.
Assim que a porta do quarto é derrubada, revela-se um cenário assustador: a jovem encontra-se caída numa poça de sangue, mas, apesar de a porta estar trancada e a janela ser gradeada, não há mais ninguém naquela divisão. Como é que o atacante escapou?
O misterioso crime intriga um jovem repórter, Joseph-Joséphin – mais conhecido como detetive Rouletabille –, que não descansará enquanto não descobrir o culpado.

Sobre o autor:
Gaston Leroux nasceu em Paris, a 6 de maio de 1868, e morreu em Nice, a 15 de abril de 1927. Formado em Direito, rapidamente ingressou no jornalismo e viria a tornar-se um dos mais conhecidos repórteres do seu tempo. Em 1907, abandonando a escrita jornalística, publica o seu primeiro êxito literário, O Mistério do Quarto Amarelo, hoje unanimemente apontado como um dos grandes clássicos na história da literatura policial. Este será o primeiro de uma série que tem como protagonista o repórter-detetive Rouletabille, cujas aventuras foram várias vezes adaptadas ao cinema. Com mais de uma trintena de romances e peças teatrais, Gaston Leroux publicou em 1910 aquela que é por muitos considerada a sua obra-prima, O Fantasma da Ópera.



sexta-feira, 8 de março de 2019

Novos livros de Harlen Coben Liane Moriarty esta semana com a Presença

Título: Não Desistas
Autor: Harlan Coben
N.º de Páginas: 288
PVP: 17,50€

Sinopse: Neste impressionante novo thriller Não desistas , Harlan Coben, no seu estilo inconfundível, explora os grandes segredos e as pequenas mentiras que podem destruir uma relação, uma família e até mesmo uma cidade.
Napoleon «Nap» Dumas, detetive na área de Nova Jérsia, é agora uma pessoa muito diferente do que era no final da adolescência quando Leo, seu irmão gémeo, e Diana, a namorada deste, foram encontrados mortos sobre uma linha férrea.
Além disso, Maura, o amor da sua vida, rompera com ele, desaparecendo sem qualquer explicação. Durante 15 anos, Nap não desistiu de procurar Maura, nem de descobrir os motivos da morte do irmão. Agora, parece que irá finalmente saber a verdade.
Quando as impressões digitais de Maura aparecem no carro alugado de um suspeito de homicídio, Nap inicia uma investigação em busca de respostas que apenas o levarão a mais perguntas - sobre a jovem que ele amava, sobre os amigos de infância que julgava conhecer, sobre a base militar desativada nas redondezas do local onde cresceu e, em especial, sobre Leo e Diana - cujas mortes são mais obscuras e sinistras do que Nap alguma vez imaginou.

Citações:
«Harlan Coben é um mestre na arte de prender o leitor desde a primeira página... e deixá-lo estupefacto na última.» DAN BROWN, ESCRITOR
«Harlan Coben é um fenómeno - o autor norte-americano mais genuíno de thrillers; nunca desilude o leitor. É notável a sua extraordinária capacidade para continuar a escrever histórias tão impressionantes.» THE TIMES
«Ernest Hemingway teria, por certo, aprendido algumas dicas com o estilo de escrita direto e profundo de Harlen Coben.» REVISTA FORBES
«Um dos melhores autores contemporâneos de livros de suspense.» THE HUFFINGTON POST «Simplesmente um dos grandes escritores de sempre.» GILLIAN FLYNN, ESCRITORA

Sobre o autor: 
Harlan Coben nasceu em 1962 na Nova Jérsia, onde vive com a mulher e os filhos. Foi o primeiro autor a vencer os três mais prestigiados prémios da literatura policial nos Estados Unidos da América, o Edgar Award, o Shamus Award e o Anthony Award.
A sua obra encontra-se traduzida em cerca de 43 línguas e conta com mais de 60 milhões de exemplares vendidos. A crítica tem-lhe dispensado as mais elogiosas referências.



Título: Três Desejos
Autor: Liane Moriarty
N.º de Páginas: 376
PVP: 17,90€

Sinopse:
Lyn, Cat e Gemma Kettle são trigémeas, têm trinta e três anos e parecem atrair a atenção de todos onde quer que se encontrem. Mas cada uma delas tem de lidar com os seus próprios problemas pessoais.
Lyn esforça-se duramente para alcançar o equilíbrio no seu papel de mãe, esposa e profissional sem perder a serenidade. Cat, cujo casamento perfeito é motivo de inveja de todos os amigos, não suspeita que o marido esconde um segredo que abalará profundamente a sua vida. E a desorientada Gemma, que muda de emprego e namorado constantemente, conheceu recentemente o homem que vai descobrir o seu passado oculto. Perante tudo isto, os laços entre as três irmãs parecem ser suficientemente fortes para resistirem aos revezes da vida.
Pelo menos... até àquela noite do jantar do seu trigésimo quarto aniversário em que as verdades de cada uma são reveladas e em que tudo parece irreversível.
Autora bestseller, publicada em 55 países, com mais de 3 milhões de exemplares vendidos. A sua obra Pequenas Grandes Mentiras foi adaptada a série pela HBO. Um romance fresco, despreocupado e muito, muito divertido.

Citações:
«Divertido e enternecedor, com personagens poderosas. Uma leitura deliciosa.» SUNDAY MIRROR
«Um livro original e encantador.» PUBLISHERS WEEKLY
«Três Desejos retrata o mundo real, onde pormenores triviais da vida doméstica, a dor angustiante e momentos de uma alegria súbita convivem regularmente.» THE DAILY TELEGRAPH
«Ler um livro de Liane Moriarty é como beber um cosmopolitan rosa com uma pequena dose de arsénico.» USA TODAY

Sobre a autora: 
Liane Moriarty nasceu em 1966, na Austrália. Antes de dar início à sua carreira de romancista, desempenhou funções de diretora de marketing numa editora de livros jurídicos e foi copyrighter numa agência de publicidade. Lançou o seu primeiro romance em 2004 e tornou-se uma autora bestseller cujas obras, publicadas em 55 países, contam já com mais de 14 milhões de exemplares vendidos. Liane vive em Sidney com o marido e os dois filhos.

Mais informações no site da Presença aqui


quinta-feira, 7 de março de 2019

Apresentação do livro A Imortal da Graça, de Filipe Homem Fonseca



Porto Editora - "Santa Bakhita" - A história da escrava africana canonizada por João Paulo II

Título: Santa Bakhita
Autor: Véronique Olmi
Tradutor: Artur Lopes Cardoso
Págs.: 336
PVP: 16,60 €

Chega hoje às livrarias pela Porto Editora Santa Bakhita, de Véronique Olmi, um romance que narra a história real de Josefina Bakhita, uma mulher nascida em Darfur nos finais do século XIX, vítima da escravidão ao longo de toda a sua vida em África e na Europa. Já em território europeu, foi capaz de dizer «não» a quem a mantinha escrava e tornou-se uma figura central na discussão pública sobre a escravatura. No fim de um ruidoso processo judicial, Bakhita vê-se, finalmente, livre e dedica-se a ajudar as crianças e os soldados feridos nas Guerras Mundiais. Canonizada pela mão do Papa João Paulo II, é hoje Santa Padroeira do Sudão, conhecida por todo o mundo como exemplo de resiliência e humildade.
Santa Bakhita foi distinguido com o Prémio FNAC de literatura e finalista dos prestigiados Prémio Goncourt e Prémio Femina.

Sinopse: 
Quando Bakhita foi raptada da sua aldeia natal, no Sudão, tinha apenas sete anos e estava longe de imaginar a extraordinária odisseia em que ia transformar-se a sua vida. Feita escrava pelos raptores, vendida, trocada e oferecida várias vezes, conheceu a maldade humana em toda a sua dimensão e sentiu-a na pele ao ser vítima da crueldade dos seus senhores. Anos mais tarde, um cônsul italiano comprou-a, e foi na Europa, depois de uma batalha judicial, que Bakhita voltou a conhecer a liberdade. Abraçou, então, a vida religiosa junto das Irmãs Canossianas, em Veneza, e atravessou o tumulto das duas guerras mundiais, consagrando a vida às crianças pobres e auxiliando os soldados feridos.
É essa história que Véronique Olmi conta de forma tocante neste seu romance, que em 2017 venceu o Prémio Fnac e foi finalista dos Prémios Femina e Goncourt – a história de uma criança feliz que veio a passar pelos maiores sofrimentos, mas que acabou canonizada por João Paulo II.

Sobre a autora: 
Véronique Olmi nasceu em Nice, França, em 1962, e vive atualmente em Paris. Tem escrito peças de teatro, romances e novelas. A sua obra encontra-se atualmente traduzida em vinte idiomas, sendo os seus textos dramáticos representados em França e em vários palcos internacionais.
O primeiro romance que publicou, Bord de Mer (2001), recebeu o Prémio Alain-Fournier. Uma década depois, ganhou o Prémio Maison de la Presse com o livro Cet Èté-Là.

Na imprensa:
«Com um tom e um encanto estilístico muito pessoal, Véronique Olmi oferece aos leitores um romance atual, vivo, impregnado de violência, de aspereza, com um ritmo marcado pelo ímpeto das pancadas, das humilhações, dos gritos e da dor.» Actualitté
«Ao fecharmos o romance de Véronique Olmi, é sobretudo a fé na escrita que sai renovada – aquela escrita que gravou definitivamente no nosso espírito o nome de uma pequena escrava que não tinha nome.» Télérama
«Véronique Olmi retrata a vida de Bakhita, nascida no século XIX e raptada aos sete anos no Darfur. Escrava, empregada doméstica e, depois, religiosa, consagrou a vida às crianças pobres e foi canonizada por João Paulo II. Um romance emocionante.» Paris Match
«Um dos livros mais belos da rentrée literária do último ano.» Le Figaro