sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

«Tem a certeza que sabe quem está do outro lado do espelho?»


Booksmile: Os bebés vão adorar O Gato Gaspar!


Os primeiros anos do bebé, além de especiais, são muito importantes. Os momentos partilhados com os pais são fundamentais para o crescimento dos mais pequenos e os livros desempenham um excelente papel no desenvolvimento. A coleção O Gato Gaspar, composta por sete títulos (três chegam às livrarias dia 22 deste mês e os restantes em março) é perfeita para incentivar o bebé a explorar o mundo, ajudando-o a estimular os diferentes sentidos.

Com um formato fácil de manusear, próprio para mãos pequeninas, e ilustrações ternurentas e cativantes, estes livrinhos de grande qualidade pedagógica são ideais para pais e filhos interagirem e se divertirem, ao mesmo tempo que o bebé desenvolve diferentes capacidades e descobre o mundo que o rodeia.


«Uma vida perfeita. Um olhar perverso.»



Novidade Matéria-Prima: "Ser Feliz Todos os Dias", de Catarina Beato

Título: Ser Feliz todos os dias
Autor: Catarina Beato
À VENDA A 24 de JANEIRO
N.º de Páginas: 184
PVP: 15.50€

Ser feliz é, acima de tudo, uma decisão.

Implica saber aceitar, ter coragem e força para mudar e agradecer tudo o que se recebe, mesmo nos dias em que nada parece ser suficiente.
Não sendo fácil, é possível. Não sendo óbvio, é viável. Não sendo simples, todos somos capazes de lá chegar.
Este livro, que nasce da experiência pessoal da autora, Catarina Beato, uma das bloguers mais influentes do país, pretende ser o parceiro privilegiado nessa busca pela felicidade.
Com exercícios de mudança, histórias de superação e espaço para registo pessoal, Ser Feliz Todos os Dias é uma ferramenta fundamental na decisão de felicidade diária.

Sobre a autora: 
Catarina Beato é uma das mais populares bloguers portuguesas. Acompanhada diariamente por milhares de seguidoras, destaca-se pela forma como mostra uma vida real e aberta num mundo de aparências. É reconhecida pela seu tom confessional, humano e franco.


Novidades Marcador

Título: Dei o teu nome às estrelas
Autor: Rui Conceição Silva
N.º de Páginas: 328
PVP: 17,45€

– Uma leitura suave e envolvente.
– Um romance que nos guia pelos
caminhos do amor e da liberdade.
– O segundo livro de Rui Conceição Silva.

Em 1883, numa terra como tantas outras, perdida na imensidão das serras e longe dos olhares do mundo, vivia Joaquim, professor e narrador desta história, um homem sem alento, esperando por tempos que não vinham. Contudo, nesse ano, chegam à terra duas pessoas que irão mudar a sua vida para sempre: José Malhoa e Manuel Henrique Pinto, semeadores de maravilhas. É com eles, e com outros caminhantes, que Joaquim encontrará o lado bonito da sua terra, qual paraíso escondido entre montanhas. Um dia, ele escuta a voz de Olinda, a mulher que lhe seduz os silêncios e os sonhos, e fica preso a esse amor, o único que guardará eternamente.

Sobre o autor: 
Rui Conceição Silva nasceu em 1963 em Figueiró dos Vinhos, onde reside. É casado e tens dois filhos. Apesar de ter vivido em Coimbra, Tavira e Lisboa, é na sua terra que se sente completo. Escreveu um primeiro romance, Quando o Sol Brilha (2015), onde fala da saudade triste da perda de alguém que se ama, mas também da reconciliação necessária com a vida e com toda a sua beleza. Dei o Teu Nome às Estrelas é o seu segundo romance.

.
Título: Os Viajantes
Autor: Alexandra Bracken
N.º de Páginas: 456
PVP: 18,95€

–Sequela do livro Os Passageiros do Tempo.
– Aventura, romance e revolta.
– Ritmo acelerado até à última página.

Este é o livro sequela de Os Passageiros do Tempo.
Etta Spencer não sabia que era uma viajante até ao dia em que emergiu a quilómetros e a anos da sua casa.
Agora que lhe roubaram o objeto poderoso que era a sua única esperança de salvar a mãe, Etta encontra-se presa mais uma vez, longe do seu tempo e de Nichola, corsário do século XVIII por quem se apaixonou.Quando se vê no coração do inimigo, promete terminar o que começou e destruí-lo de uma vez por todas. Mas é surpreendida com uma revelação bombástica sobre quem é o seu pai. De repente, questionando tudo pelo que lutou, Etta tem de escolher um caminho que poderá transformar o seu futuro.

Sobre a autora:
É a autora bestseller 1# do New York Times da série Darkest Minds. Nascida e criada no Arizona, mudou-se para a costa leste dos EUA para estudar História e Inglês no The College of William and Mary, na Virgínia. Trabalhou em edição durante alguns anos e agora escreve a tempo inteiro. Podemos encontrá-la a preparar o seu próximo romance no seu pequeno apartamento a transbordar de livros e online em www.alexandrabracken.com e no Twitter @alexbracken.

Título: Os passageiros do tempo
Autor: Alexandra Bracken
N.º de Páginas: 391
PVP: 18,95€

Os Passageiros do Tempo acompanha Etta, uma miúda nova-iorquina do século XXI que perde tudo o que conhece e ama, e Nicholas, um marinheiro negro do século XVIII que se acabou de livrar da poderosa família Ironwood. Embarcam numa viagem perigosa através dos séculos e de vários continentes, da Revolução Americana à Segunda Guerra Mundial, das Caraíbas a Paris, seguindo e interpretando pistas deixadas por um viajante do tempo que fez tudo para esconder dos poderosos Ironwood o objeto misterioso.

Sobre a autora:
Alexandra Bracken nasceu e cresceu no Arizona, Estados Unidos. Depois de terminar o liceu, frequentou a Universidade William & Mary, na Virgínia, onde se formou em Inglês e História. Escreveu o seu primeiro romance no último ano de faculdade e depois mudou-se para Nova Iorque, onde trabalhou numa editora de livros infantis.
Após seis anos, arriscou e decidiu passar a escrever a tempo inteiro. Atualmente, vive no Arizona, com o seu cão, Tennyson, numa casa cheia de livros.



quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Novidade Topseller: Quase Adulta



Um romance cómico e real sobre uma mulher de 39 anos, solteira e sem filhos, que desafia as convenções enquanto procura ligações reais com os que a rodeiam.
#os40saoosnovos20 #aartedesersolteira #aartedeserquaseadulta

Selecionado para várias listas de melhor livro do mês, incluindo as revistas Elle e Vogue UK, o jornal Chicago Tribune, o site Book Riot e a Amazon.

«Uma das melhores contadoras de histórias contemporâneas. Com uma voz inteligente e sardónica, a autora coloca a questão que tem atormentado pessoas de todas as idades: Quando sabemos que já chegamos à idade adulta?» — Nylon

«Jami Attenberg explora a mente de uma mulher de 39 anos que tem zero interesse em fazer aquilo que esperam dela, seguindo o coração em vez da sua cabeça. — uma leitura compulsiva, sexy e encantadora.» — Newsweek

Sinopse:
A perfeição é entediante; o interessante é o caminho até lá se chegar.

Quando lhe perguntam quem é, Andrea Bern tem a resposta na ponta da língua: ela é designer, nova-iorquina, amiga, filha e irmã.

Mas, nas entrelinhas, percebe-se a sua verdadeira natureza: ela é quase quarentona, quase artista, quase à deriva, quase adulta. À sua volta, as pessoas arquitetam a vida tal qual os padrões que as revistas e as séries de TV populares comandam.

Mas há muito que Andrea deixou de perseguir esse sonho e de ter expetativas irreais sobre a sua vida. Contudo, quando a sua sobrinha nasce com uma doença incurável, Andrea e a família têm que rever prioridades.

Pela primeira vez, ela é forçada a fazer algo impensável: a preocupar-se com os outros.






Sobre a autora:
Jami Attenberg é norte-americana e colabora com a New York Times Magazine, o Wall Street Journal e o Guardian, entre outros.

Foi finalista dos prémios Los Angeles Times Book Prize for Fiction e St. Francis College Literary Prize.

Quase Adulta foi selecionado para várias listas de melhor livro do mês, incluindo as revistas Elle e Vogue UK, o jornal Chicago Tribune, o site Book Riot e a Amazon.











Quase Adulta é uma edição Topseller (15,98€ | 240 pp.) e as primeiras páginas estão disponíveis para leitura imediata aqui. E são imperdíveis!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Grupo 20|20 Editora: Novidades 1.º Semestre de 2018

O Grupo 20|20 Editora apresentou as novidades para o primeiro semestre de 2018 das várias chancelas. Aqui estão algumas delas

TOPSELLER (Ficção)
Thrillers, Ficção Romântica e Erótica e Literatura Fantástica. Um cocktail de géneros para todos os gostos e sentidos. Eis alguns dos destaques dos primeiros meses do ano onde novos autores se apresentam aos leitores portugueses e séries bem-sucedidas conhecem novos títulos. 

APOSTA: Da mesma equipa internacional (editora e marketing) que trabalhou as obras A Rapariga no Comboio e Escrito na Água, de Paula Hawkins, chega a Portugal Anatomia de Um Escândalo, de Sarah Vaughan. Esta será a grande aposta da Topseller para o primeiro semestre.

JANEIRO
Julianne Donaldson, autora num género apreciado sobretudo pelo público feminino, o romance feminino de época, estreia-se nas livrarias nacionais, em janeiro, com Verão em Edenbrooke. Com uma excelente classificação de 4.8 na Amazon, e 4,34 no Goodreads, este livro oferece ao leitor, como descreveu a Publishers Weekly, «Uma história que irá aquecer os corações». Às livrarias chega também Quase Adulta, de Jami Attenberg.

FEVEREIRO
Em fevereiro, Sabrina Jeffries apresenta-se igualmente aos leitores nacionais. Autora bestseller norte-americana, conta com mais de 50 romances e contos publicados, 9 milhões de livros vendidos em 20 línguas. Estreia-se agora em Portugal com A Verdade sobre o Lorde Stoneville. E, porque este é o mês dos namorados, Melissa Pimentel traz-nos uma história romântica e divertida: Procura-se Homem (sem Compromisso). Do romance ao erotismo, O Prof, de Vi Keeland, está de volta para aumentar a temperatura da leitura.

Do Romance para o Thriller, C.L Taylor, autora de A Fuga, regressa com Desaparecido: No Rasto de Billy, enquanto K.L. Slater, autora de A Salvo Comigo, repete presença com Sem Rasto

Na Topseller#Bliss, uma das autoras preferidas do público jovem adulto, Jenny Han, traz-nos um novo romance, o último da série Todos os Rapazes que Amei: Agora e para Sempre. Emily Barr, autora de A Única Memória de Flora Banks, está de regresso com uma história, tocante e dramática, passada nas ruas do Brasil. «Para conseguirmos realizar sonhos, perceber quem somos e estarmos em paz com o mundo, podemos ter de percorrer caminhos tortuosos. Mas com sorte (muita sorte!), chegamos lá!»

MARÇO
Da mesma equipa internacional (editora e marketing) que trabalhou as obras A Rapariga no Comboio e Escrito na Água, de Paula Hawkins, chega a Portugal Anatomia de Um Escândalo, de Sarah Vaughan. Esta será a grande aposta da Topseller para o primeiro semestre. Elogiado pela crítica que teve previamente acesso ao texto, Vaughan oferece-nos uma perspetiva fascinante sobre as maquinações escondidas num escândalo político e sobre o conflito entre justiça e privilégio. Um romance notável arrebatador.

A Rapariga Alemã marca nova estreia em Portugal, agora de Armando Lucas Correa, jornalista espanhol multipremiado e Editor da versão espanhola da revista People. Esta é a história emocionante de duas raparigas, cujas vidas, separadas por mais de 50 anos de história, se encontram marcadas pelo peso da memória e pelo impacto de dois dos eventos mais traumáticos da história moderna: a 2.ª Guerra Mundial e o 11 de setembro. 

Ainda em Março, chegam às livrarias Batman: Vigilante Noturno, da DC Icons Series, e Às Cegas: Num Mundo Enlouquecido em Quem Podes Confiar?, de Josh Malerman, ambos de literatura fantástica, e o thriller Sem Saída, de Taylor Adams. 

ABRIL 
Em abril, o islandês Ragnar Jónasson regressa com um novo thriller, Blackout, depois dos já publicados Noite Cega e Neve Cega. Ginny Moon, livro de estreia de Benjamin Ludwig, chega a Portugal com múltiplos elogios da crítica internacional (Amazon Best Book of May 2017). Uma história tocante sobre a jornada de uma jovem especial em busca da mãe biológica.

Ainda em Abril, eis alguns titulos que vão chegar às livrarias: Wicked Grind, J. Kenner, The Rogue Not Taken, de Sarah MacLean (Romance), Ginny Moon, de Benjamin Ludwig (Literatura Traduzida) e Sem Saída, de Taylor Adams (Thriller). Julie Buxbaum, Anna Snoekstra, Nick Clark Windo, Valerie Bowman são alguns dos autores que terão, também, obras publicadas. Na Topseller#Bliss, chega às livrarias o segundo volume de The Call, de Peadar O'Guilin.


MAIO
Ainda a tempo das férias de verão, ótimas para pôr a leitura em dia, chega o mais recente livro de Matt Haig, Humans, o elogiado autor de Como Parar Tempo, obra que chegará ao cinema com Benedict Cumberbatch como protagonista. Depois de A Próxima Vítima e O Olhar da Mente, o sueco Hakan Nesser regressa com… The Return.

Com presença prevista para a Feira do Livro de Lisboa, a dinamarquesa Sara Blædel traz consigo um entusiasmante thriller: The Night Women

Chris Carter, Philippa Greggory, Cass Green, Mark Lawrence, Jean E. Pendziwol, Karin Tidbeck, Susanne Jansson, Laura Marshall e Barbara Taylor Bradford, são alguns dos autores publicados até ao final de Julho e que, entre ação e muita emoção, vão preencher os dias e noites com excelentes histórias.

ELSINORE (Ficção Literária)
Dos Estados Unidos à Indonésia, da Argentina a Israel, não esquecendo Espanha, França e o Reino Unido, o mundo inteiro cabe dentro das páginas dos lançamentos do primeiro semestre da Elsinore. Literatura de hoje e do agora, que parte em busca de novos territórios literários e de ensaios que tentam compreender os dias que atravessamos. Ficções e não ficções de Daniel Mendelsohn, Eka Kurniawan, João Reis, Julie Lekstrom Himes, Maggie O' Farrell, Marina Perezagua, Michel Rio, Paul Beatty, Samanta Schweblin, Viet Thanh Nguyen e Zeruya Shalev. No final do ano, a muito aguardada autobiografia de David Lynch.

FEVEREIRO

A Tempestade- Contos Reunidos, de Marina Perezagua
Foi através do conto que Marina Perezagua se revelou nas letras espanholas, conquistando automaticamente um singular lugar na ficção contemporânea. Esta antologia reúne contos dos livros Criaturas Abisales (2011) e Leche (2013). Nascida em Sevilha, em 1978, Marina Perezagua é autora ainda dos romances Yoro e Don Quijote de Manhattan.
Na Elsinore: Yoro.

Homem-Tigre, de Eka Kurniawan
Nascido na Indonésia, em 1975, e autor de romances e antologias de contos, Eka Kurniawan é uma das mais recentes e fulgurantes revelações da literatura mundial. Com a tradução inglesa das suas obras, o seu peculiar universo literário chegou a um número ainda mais vasto de leitores, num êxito acompanhado pela crítica. Homem-Tigre integrou a longlist do prestigiado Man Booker Internacional Prize, em 2016, e tem vindo a ser traduzido um pouco por todo o mundo. Trata-se do segundo romance de Eka Kurniawan, publicado na Indonésia em 2004 e com tradução inglesa em 2015. Passado numa pequena cidade costeira da Indonésia, Homem-Tigre conta a história de duas famílias. No centro do enredo está Margio, um homem comum a tantos outros, exceto no facto de esconder dentro de si um tigre branco. As intrigas e as traições entre as duas famílias vão agitar este ser mágico, rumo a um final arrebatador. Lírico, experimental, político e jocosamente escandaloso, Homem-Tigre é um dos romances mais marcantes dos últimos anos.

MARÇO
A Dança do Rapaz Branco, de Paul Beatty
Romance de estreia de Paul Beatty, autor do consagrado O Vendido, vencedor do Man Booker Prize de 2016. Neste primeiro romance do escritor norte-americano já estão presentes os ingredientes que o têm evidenciado no contexto da Literatura de Língua Inglesa: escrita versátil, do erudito ao calão, humor subtil e inesperado, e uma atenção especial aos temas da raça e da condição afro-americana. Num passe de dança, um rapaz muda-se de Santa Monica para Los Angeles e do anonimato para a fama. Mas como se sabe, a boa música e a boa dança não duram para sempre.
Na Elsinore: O Vendido.

ABRIL
A Devastação do Silêncio, de João Reis
O terceiro romance de João Reis, o segundo publicado pela Elsinore, é passado na Primeira Guerra Mundial, da qual se assinala, em 2018, o centenário do armistício. O romance não é uma recriação da presença portuguesa no conflito, nem da batalha mais famosa em que o Corpo Expedicionário Português esteve envolvido. Mas evoca o ambiente da Grande Guerra, tendo como protagonistas alguns sobreviventes de um batalhão português desbaratado pelos alemães. Mordaz, irónico e torrencial, A Devastação do Silêncio é uma deambulação pela humanidade que até nas situações limite, como a guerra, emerge.
Na Elsinore: A Avó e a Neve Russa.

O Gato, o Anku e o Maori, de Michel Rio
O mais recente livro de uma das mais surpreendentes vozes da literatura francesa atual. Nascido na Bretanha, em 1945, Michel Rio é autor de uma vasta obra, já distinguida com vários prémios. O Gato, o Anku e o Maori, ilustrado por Marie Belorgey, conta as aventuras burlescas de Jules Joseph Chamsou, gato de curiosidade infinita.

I am I am I am, de Maggie O' Farrell
Não foi uma, nem duas, nem três, mas 17 visões da morte que a escritora Maggie O’Farrell colecionou até agora. Do parto às complicações da idade, sem esquecer as doenças crónicas, a vida ensinou-lhe a ouvir o corpo, a relativizar a desgraça e a ter esperança no futuro. Ensinou-lhe, também, que para falar na primeira pessoa o melhor é esquecer a ficção. Foi o que fez. Ao fim de sete romances, a escritora irlandesa, nascida em 1972 e vencedora de uma edição do Costa Book Awards, abriu o livro das suas memórias. Em 17 capítulos trata de outras tantas partes do corpo que estiveram na origem de um susto e de um sobressalto (sistema circulatório, pescoço, crânio, intestinos, etc.). A vida como ela é.

MAIO
Mikhail e Margarita, de Julie Lekstrom Himes
Um romance sobre um romance. De um lado, a história por detrás de um dos grandes clássicos do século XX, Margarida e o Mestre, de Mikhail Bulgakov. Do outro, o ambiente político e a perseguição aos escritores na URSS. Uma história apaixonante sobre personagens de papel e de carne e osso.

Pássaros na Boca, de Samanta Schweblin
Nova edição, a primeira na Elsinore, da mais popular recolha de contos de Samanta Schweblin, escritora argentina nascida em 1978. Herdeira dos grandes contistas do seu país, nomeadamente Jorge Luis Borges e Julio Cortázar, os seus contos são histórias moldadas por quotidianos inquietos e delirantes, onde o inesperado e o fantástico quebram a rotina do dia a dia.
Na Elsinore: Distância de Segurança.

JUNHO
The Refugees, de Viet Thanh Nguyen
Depois do sucesso de O Simpatizante, a estreia mais aclamada dos últimos tempos, distinguida com o Pulitzer Prize for Fiction, entre outros galardões, Viet Thanh Nguyen regressa com um volume de contos. O que interessa ao escritor norte-americano de ascendência vietnamita são as personagens divididas entre dois mundos, duas culturas, dois destinos. Como ele.
Na Elsinore: O Simpatizante.

Uma Odisseia - Um Pai, um Filho e um Épico, de Daniel Mendelsohn
Um livro surpreendente sobre a união (e oposição) entre pai e filho. Quando o pai de Daniel Mendelsohn, matemático reformado de 81 anos, se inscreveu no seu curso sobre a Odisseia, de Homero, este especialista em estudos clássicos estava longe de imaginar o quanto ia aprender sobre a sua família. Segredos revelados por um épico.

Dor, de Zeruya Shalev
Sexto romance de Zeruya Shalev, nome destacado da literatura israelita atual. Uma história de família que espelha a longa viagem de um país.

E no segundo semestre…
Vinte e Uma lições para o século XXI, de Yuval Noah Harari
O muito aguardado novo ensaio de Yuval Noah Harari, autor dos best-sellers mundiais Sapiens e Homo Deus. Depois de ter olhado para o passado e tentado antever o que reserva o futuro, o historiador israelita foca-se nos desafios do presente. Em vários capítulos, Yuval Harari aborda temas como a imigração ou o terrorismo, assim como a vida contemporânea.
Na Elsinore: Sapiens e Homo Deus.

Room to Dream: A Life, de David Lynch
A muito aguardada autobiografia do realizador norte-americano. Como os seus filmes, este livro também não cabe numa sinopse.

CAVALO DE FERRO (Ficção Literária)

JANEIRO
Confissão de um Assassino - Relato de uma noite, de Joseph Roth
Um dos romances mais famosos de Joseph Roth, jornalista e escritor austríaco, nascido em 1894 e falecido em 1939. Judeu, combateu na Primeira Guerra Mundial e denunciou os avanços sanguinários do regime nazi. Nas suas obras encontramos um admirável fresco da Europa das primeiras décadas do século XX. Como diz o subtítulo, Confissão de um Assassino é o relato de uma noite, de uma fuga, de um crime.

FEVEREIRO
A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson
Publicado em 1959, A Maldição de Hill House é uma revisitação (e atualização) das histórias de fantasmas. De resto, nos seus contos e romances, a escritora norte-americana (1916-1965) sempre procurou ambientes e personagens assombrados.
Na Cavalo de Ferro: Sempre Vivemos no Castelo.

MARÇO
As Dezassete Pequenas Histórias, de AA. VV.
Antologia de 17 contos de autores sul-americanos, numa parceria com o Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa.

Os Prémios, de Julio Cortázar
Publicado originalmente em 1960, Os Prémios é o primeiro romance de Julio Cortázar e, em muitos aspetos, um verdadeiro percursor de O Jogo do Mundo – Rayuela, lançado três anos mais tarde. Tem como protagonistas os vencedores de uma lotaria que recebem como prémio uma viagem num cruzeiro sem destino conhecido. O mistério adensa-se ainda mais, a meio da viagem, quando os passageiros são informados de que houve um problema no navio e que não podem sair de uma área de segurança. Encarando o problema como um jogo, todos tentam perceber o que aconteceu, ao mesmo tempo que o passado (os pequenos dramas quotidianos) e o futuro (as ansias por cumprir) emergem com uma força incontrolável. Até agora inédito em Portugal.
Na Cavalo de Ferro: As Armas Secretas, Bestiário, Final do Jogo, Gostamos Tanto da Glenda, Octaedro, Todos os Fogos o Fogo, O Jogo do Mundo – Rayuela, A Volta do Dia em 80 Mundos, Papéis Inesperados e Aulas de Literatura.

ABRIL
A Língua Resgatada - História de uma Juventude, de Elias Canetti
Dando sequência à publicação em Portugal das obras de Elias Canetti, a Cavalo de Ferro edita a monumental autobiografia de Elias Canetti, Prémio Nobel de Literatura em 1981. Três volumes a lançar em 2018: A Língua Resgatada - História de uma Juventude e O Archote na Orelha - História de uma vida 1921-1931, ambos no primeiro semestre, e O Jogo de Olhares - História de Vida 1931 – 1937, no segundo.
Na Cavalo de Ferro: Auto-de-Fé, A Consciência das Palavras e Massa e Poder.

A Mente Aprisionada, de Czesław Miłosz
«O tema em discussão é a vulnerabilidade da mente do século XX perante as doutrinas sociopolíticas e a sua predisposição para aceitar o terror do totalitarismo em nome de um futuro hipotético. Assim sendo, o livro transcende limitações de tempo e lugar ao explorar as causas mais profundas do atual anseio por uma qualquer certeza, por mais ilusória que seja.». Eis como Czesław Miłosz apresentava este seu livro escrito logo em 1951/52. Um estudo visionário sobre a violência política e ideológica.

60 contos, de Dino Buzzati
Recolha clássica dos melhores contos de Dino Buzzatti. Inclui histórias curtas nunca publicadas em Portugal.
Na Cavalo de Ferro: O Deserto dos Tártaros, Os Sete Mensageiros, A Derrocada da Baliverna, Pânico no Scala, O Segredo do Bosque Velho e O Grande Retrato.

MAIO
A Lã e a Neve, de Ferreira de Castro
Continuação da publicação da obra de Ferreira de Castro, um dos mais destacados escritores portugueses do século XX. Publica-se agora A Lã e a Neve, lançado inicialmente em 1947. Um poderoso retrato dos habitantes da Serra da Estrela durante a II Guerra Mundial.
Na Cavalo de Ferro: A Experiência, A Missão, A Selva, A Tempestade, Emigrantes e Terra Fria.

JUNHO
Rua Katalin, de Magda Szabó
Toda a delicadeza e genialidade da escritora húngara, nascida em 1917 e falecida em 2007, em mais um romance inesquecível. Rua Katalin, de 1962, foi lançado antes de A Porta e da proibição de publicar a que Magda Szabó foi sujeita pelo regime comunista. Retrata as vidas desfeitas pela Segunda Guerra Mundial e o ambiente que se seguiu ao conflito.
Na Cavalo de Ferro: A Porta.

O Archote na Orelha - História de uma vida 1921-1931, de Elias Canetti
Segundo volume da autobiografia de Elias Canetti.
Na Cavalo de Ferro: Auto-de-Fé, A Consciência das Palavras e Massa e Poder.

VOGAIS (Não-ficção)

JANEIRO
Pensar como Nelson Mandela, de Adam Smith
Um dos mais respeitados líderes dos tempos modernos, Nelson Mandela inspirou gerações de políticos, pensadores e cidadãos comuns um pouco por todo o mundo. No ano do centenário da sua morte, a Vogais edita Pensar como Nelson Mandela, um livro que reúne os seus ideais e filosofias, revelando como estes podem ser aplicados a todas as áreas da vida. Vai ficar a saber o que Nelson Mandela e conhecer a história extraordinária da vida e obra de Mandela, que o fez chegar ao epíteto de pai da moderna nação sul-africana.

FEVEREIRO
Amon: O Meu Avô Poderia Ter-me Matado, de Jennifer Teege com Nikola Sellmair
Há uma infinidade de pequenas e tocantes histórias dentro da grande História da II Guerra Mundial, mas poucas tão surpreendentes como a que Jennifer Teege conta neste livro. Um dia, na Biblioteca Central de Hamburgo, Jennifer deparou-se com um livro que captou de imediato a sua atenção. Chama-se A História de vida de Monika Göth, filha do comandante do campo de concentração de A Lista de Schindler (papel que valeu a Ralph Fiennes a nomeação para os óscares). Era uma curiosa coincidência, já que a sua mãe também se chamava Monika e Jennifer, antes de ser adotada, também usava o apelido de Göth. Anos antes, a sua mãe, incapaz de criar a filha, dera-lhe para adoção, e um manto de silêncio caiu sobre o seu passado. Mas esse livro devolveu-lhe tudo, de uma só vez, sem filtros, nem avisos. A Monika Göth era mesmo a sua mãe. E Amon, o tenebroso comandante do campo de concentração de Cracóvia, o seu… avô. Para quem estudou em Israel, tem imensos amigos judeus e é Tom Gates, cileção premiada da autoria da btritânica Liz Pichon Liz Pichon filha de pai nigeriano (logo não totalmente ariana), foi um choque. «O meu avô poderia ter-me matado», foi uma das suas primeiras conclusões. Mas foi também um encontro consigo mesma, com as depressões constantes da mãe, com as suas próprias recaídas. Foi, ao fim e ao cabo, uma redenção pessoal, que teve como última etapa a publicação deste poderoso relato, escrito a meias com a jornalista Nikola Sellmair.


Tudo bem aí em baixo? As respostas de um urologista às perguntas que não temos coragem de fazer, de Oliver Gralla
Enquanto para as mulheres uma ida ao ginecologista já se tornou uma rotina, os homens ainda sentem alguma vergonha em consultar um especialista quando precisam de uma vistoria ao «andar de baixo». De modo a combater a ignorância, prevenir experiências de autocura e esquecer inibições, o Dr.Gralla aborda, num tom descontraído, assuntos como a infertilidade, a disfunção erétil, a ejaculação precoce, os níveis de testosterona e a contraceção, explicando-os de forma clara e com bases científicas. Tudo Bem aí em Baixo? não é o típico guia médico com receitas, mas sim um manual explicativo e divertido, apelando a curiosos e a todos os que ainda têm vergonha de consultar um especialista. Além de conselhos médicos, o Dr. Gralla oferece uma grande dose de humor, ao relatar uma série de episódios anedóticos passados no seu consultório. E este livro não é só para homens. Também as mulheres poderão aprender muito. Afinal, o que se passa na cabeça deles nem sempre é tão simples quanto parece.

MARÇO
Em Busca da Memória: A Luta Contra a Doença de Alzheimer, de Joseph Jebelli
A Organização Mundial de Saúde estima que em todo o mundo existam 47,5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75,6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135,5 milhões. Em Busca da Memória, da autoria do neurocientista britânico de 31 anos Joseph Jebelli, é sobre o passado, o presente e o futuro da doença de Alzheimer. Desde o primeiro caso registado há mais de cem anos até à inovadora investigação que está em curso, numa história capaz de rivalizar com qualquer romance policial, onde os heróis são os cientistas do mundo inteiro e os corajosos pacientes e as suas famílias. Um relato em que o autor dá rostos à doença para revelar uma pandemia que demorou séculos a detetar, lembrando a todos de que nunca devemos tomar a memória — o nosso bem mais precioso — como garantida. «A pesquisa clara, abrangente e vividamente escrita da procura por uma cura. O cerco está a apertar-se e a doença de Alzheimer já não tem onde se esconder.» THE TIMES

MAIO
O Carisma de Hitler, de Laurence Rees
Movido pelo ódio e incapaz de estabelecer relacionamentos humanos normais, Adolf Hitler foi um líder improvável. Neste novo livro, o aclamado historiador Laurence Rees explica como foi possível Hitler tornar-se uma figura tão atraente e mobilizadora, traçando então um retrato revelando a importância que o “carisma” desempenhou no seu sucesso enquanto mobilizador de multidões e egos. O Carisma de Hitler sucede à recente obra editada pela Vogais, Holocausto (2017).

JUNHO
The Good Mothers, Alex Perry
Já ouviu falar da 'Ndrangheta? E da Cosa Nostra? Pois, é natural. As duas são associações mafiosas, mas a primeira, a 'Ndrangheta, tem um código de silêncio quase impenetrável e de lealdade absoluta. «Kill or go to your grave before betraying The Family». Com atuação no sul de Itália, na região da Calábria, nos últimos anos tornou-se uma das mais poderosas organizações criminosas. Dominada por homens, a intolerância da 'Ndrangheta, sobretudo face ao papel das mulheres, virou-se contra ela e abriu uma brecha de informação que pode ser determinante para levar os seus responsáveis a tribunal. Em The Good Mother’s, Alex Perry, jornalista com colaborações na TIME e agora na Newsweek, revela a demanda por Liberdade de três mulheres. Apoiadas pela procuradora Alessandra Cerreti, elas fugiram, falaram, denunciaram. Nem todas sobreviveram.


NASCENTE

Cozinha Verde, de Filipa Range (Prefácio de André Silva, deputado e porta-voz do PAN)
Mais do que uma moda, a alimentação vegetariana tem vindo a tornar-se, para milhares de portugueses, num estilo de vida. São já mais de 120 mil os vegetarianos em portugal, e muitos mais são os curiosos que tem adaptado ideias do vegetarianismo para disfrutar de uma alimentação mais saudável. Filipa Range, autora do blogue, agora título do seu primeiro livro, A Cozinha Verde, é uma das responsáveis por este crescimento. Ser vegan não significa comer apenas couves e quinoa, ou gastar todo o dinheiro em ingredientes caros e extravagantes com nomes que nem consegue pronunciar. E, sobretudo, não significa comer menos ou pior. Com 60 receitas deliciosas e simples, A Cozinha Verde é também um guia prático para descobrir todos os conceitos da alimentação vegan, quais os seus benefícios, segredos e curiosidades.

FÁBULA (Infantojuvenil literária)

FEVEREIRO
Civilização e Outros Contos, de Eça de Queirós
Também na coleção Tesouros da Literatura, uma seleção dos melhores contos de Eça de Queirós. São eles: Civilização, A Aia, O Tesouro, O Suave Milagre, Outro Amável Milagre, Singularidades de Uma Rapariga Loura, Frei Genebro, A Perfeição e José Matias. Prefácio de Maria do Rosário Pedreira.

Começa numa Semente, de Laura Knowles
Uma delicada e visualmente deslumbrante viagem pelas estações que mostra aos mais pequenos como uma única semente se transforma numa árvore grandiosa, sem esquecer todas as criaturas que fazem dela a sua casa.

MARÇO
Sem Rede, de Margarida Fonseca Santos
Novo volume da coleção A Escolha é Minha, na qual Margarida Fonseca Santos, uma das mais destacadas escritoras da Literatura infantojuvenil, aborda os desafios que todos os jovens têm de enfrentar. O tema, agora, é como enfrentar uma situação de urgência e perigo iminente, como um grande incêndio.

Vinte Fábulas de La Fontaine
O maravilhoso mundo das fábulas de La Fontaine, com seleção e reescrita de José Jorge Letria. Volume integrado na coleção Pé de Pato.

Franklin e a Livraria Voadora, de Jen Campbell
Ele é um dragão, ela gosta muito de ler. Ele assusta toda a gente, ela não tem medo de ninguém. Ele surge em muitas histórias, ela anda sempre à procura de novas. Assim são as personagens, amigos improváveis e inseparáveis, deste deslumbrante álbum ilustrado de Jean Campbell.

Matilde: Mas Que Grande Constipação!, de Mary Katherine Martins e Silva
Novo volume da série Matilde, personagem criada por Mary Katherine Martins e Silva. A Matilde é uma menina que gosta muito da família, dos amigos, de brincar e... de já conseguir fazer várias coisas sozinha! Está a descobrir o mundo e tem muitas histórias para contar.

ABRIL
Malvina, A Bruxa Malvada, de Miguel Borges
Uma Bruxa Malvada, mas muito animada, com vassoura mágica e vida pouco trágica, em busca da aventura e da alegria que perdura. Assim é Malvina, figura central do álbum ilustrado de Miguel Borges.

Matilde: Vasco Este É o Bacio!, de Mary Katherine Martins e Silva
Novo volume da série Matilde, que terá agora de ensinar o irmão a usar o bacio.

MAIO 
As Aventuras de Huckleberry Finn, de Mark Twain (Tesouros da Literatura)
O clássico de Mark Twain em mais um volume da coleção Tesouros da Literatura.

O Jardim Secreto, de Frances Hodgson Burnett (Tesouros da Literatura)
Um dos romances mais conhecidos de Frances Hodgson Burnett, um dos nomes centrais da literatura infantojuvenil da língua inglesa do final do século XIX e inícios do XX. Um clássico intemporal inserido na coleção Tesouros da Literatura.

JUNHO
Lendas de Portugal, de José Viale Moutinho
Algumas das mais famosas lendas de Portugal, com seleção e reescrita de José Viale Moutinho. Volume integrado na coleção Pé de Pato.

BOOKSMILE (Infantojuvenil)

DESTAQUES

Tom Gates, coleção multipremiada da autora britânica Liz Pichon, soma mais um volume, o 9.º. Tom Gates 9: No TOP da Turma (Quase) chega às livrarias em fevereiro.

Ultrapassados os 250 mil livros editados, a coleção O Bando das Cavernas, escrita e ilustrada pelo português Nuno Caravela, já se impôs no mercado editorial português e é já uma das favoritas das crianças entre os 6 e os 10 anos. E O Bando das Cavernas 20: O Rebelde chega às livrarias em março com uma surpresa associada: uma das personagens saltou da imaginação de uma criança, num desafio lançado nas redes sociais e escolas. De Maria Inês de Almeida, também a coleção Simão, pensada para crianças a partir dos 4 anos, soma e segue com dois novos exemplares: Simão, o Pequeno Leão 6: O Circo Chegou!; Simão, o Pequeno Leão 7: Vamos Acampar!.

Abril é mês de licenças importantes entrarem em campo. Editora dos livros oficias LEGO® em Portugal, a Booksmile lança quatro livros da Série DC LEGO® DC Super Heroes, onde as estrelas são alguns dos super-heróis preferidos de miúdos e graúdos. Série de enorme sucesso na Cartoon Network, as aventuras de Ben 10 vão saltar do ecrã para os livros (leitura e atividades) — mais livros destas duas licenças serão lançados em maio e junho.

James Patterson, autor que dispensa apresentações, mantém as aventuras de Rafe Khatchadorian bem vivas. O 9.º volume da série Escola chega às livrarias em maio e promete divertir os jovens leitores.

Depois de A Sexualidade Explicada às Crianças, do Dr. Manuel Mendes da Silva, e d’O Livro dos Dentes, do Dr. Hugo Madeira, a coleção Educação para a Saúde irá crescer em 2018. O cardiologista João Paisana Lopes vai ensinar tudo às crianças sobre o órgão mais importante do nosso corpo, o coração. Já a Dr.ª Maria do Céu Machado foi convidada para explicar aos mais novos como funciona um hospital.







Clube do Autor publica novo livro de Peter James

Título: Marcada para Morrer
Autor: Peter James
Tradução de Dina Antunes
N.º de Páginas: 472 
PVP: 18,50€

Escutou-a a gritar. Um grito aterrador. Depois instalou-se o silêncio.

MARCADA PARA MORRER

Se há livros capazes de interromper a respiração normal do leitor, este é um deles. Tal como a obra anterior de Peter James, autor multipremiado com mais de 19 milhões de exemplares vendidos, eis um thriller que promete dar que falar (e noites sem dormir).

Primeiro, há uma mulher raptada. Depois, surgem os corpos assassinados, uns no passado e outros no presente. No final, a perversidade por trás destes crimes vai surpreendê-lo e arrepiá-lo.

Sinopse:
Um grito assustador. Foi a última coisa que Jamie Ball ouviu da sua noiva Logan. Depois, a chamada caiu e Logan desapareceu. Nessa tarde, os restos de uma jovem mulher morta há trinta anos são encontrados numa escavação.

Para o detetive superintendente Roy Grace e a sua equipa estes dois casos não parecem estar relacionados. Até que outras jovens mulheres desaparecem, mais corpos emergem e uma nova pista surge: uma informação crucial que um distinto psiquiatra descobre através de um paciente, mas que só a polícia deveria saber… E o detetive tem a arrepiante impressão de que é essa a chave para entender os crimes do passado e do presente. Se é o mesmo assassino, porquê a pausa entre as mortes? Quem se esconde por trás destes crimes brutais?

O detetive Roy Grace nem imagina a perversidade que o espera…

Tem um encontro marcado com o mal.

De «um dos escritores de policiais mais consistente da atualidade» segundo o Daily Mail, este é «um thriller de primeira qualidade», diz a Literary Review, «concebido de forma cuidadosa, com personagens realistas, um livro extraordinário e digno de destaque», acrescenta a Publisher’s Weekly.

Mais, o The Times considera que «este livro consegue reunir todos os atributos de James e ser a sua história mais cativante e assustadora até agora», ideia corroborada pelo Huffington Post («Este pode ser o melhor livro de Peter James até agora. Realmente talentoso. Um livro que não se consegue pousar.»)

Sobre o autor:
Peter James é autor de vários romances, traduzidos em 36 línguas. Foi eleito o melhor autor de thrillers pela cadeia de livrarias WH Smith e, para muitos leitores, é considerado o melhor autor deste género de livros. Ao longo da sua carreira, recebeu várias distinções, entre as quais o Diamond Dagger Award, o Prix Polar International e o Prix Coeur Noir. Três dos seus primeiros livros foram adaptados para o cinema. 




«Sete dias de pecado. Sete dias de segredo»


«Luísa de Gusmão», de Monique Vallance: o livro que faltava sobre a Rainha Restauradora


Título: Luísa de Gusmão - A Rainha Restauradora
Autor: Monique Vallance 
Género: Biografia
Tradução: Maria de Fátima Andrade/João Quina Edições
N.º de páginas: 312
Data de lançamento: 19 de janeiro
PVP: € 17,70

 Luísa de Gusmão, da autoria da luso-americana Monique Vallance, é a biografia de, possivelmente, uma das mais importantes rainhas de Portugal.
Este livro, que chegará às livrarias na sexta-feira, dia 19 de janeiro, é o primeiro e único no mercado sobre esta rainha, que tanto contribuiu para o nosso país.
«Antes morrer reinando do que acabar servindo». Reza a lenda que, com esta frase, D. Luísa de Gusmão terá convencido o seu marido, o futuro rei D. João IV, a juntar-se à conspiração dos nobres portugueses contra o governo de Madrid em 1640 e a tornar-se o primeiro rei da dinastia de Bragança.
Mesmo que não tenha proferido tal frase, D. Luísa foi uma força por trás do trono. Também enquanto serviu como regente, conseguiu alcançar algumas vitórias na guerra com Espanha, controlou os nobres que lutavam entre si na corte e negociou um importante tratado com Carlos II de Inglaterra.
Monique Vallance, historiadora, defende que a ação da rainha D. Luísa de Gusmão tem sido negligenciada, ofuscada pelos protagonistas masculinos.

Sinopse:
D. Luísa de Gusmão (1613-1666) é possivelmente uma das mais importantes rainhas de Portugal. Nascida em 1613, era filha do duque de Medina Sidónia e ninguém poderia imaginar que viria a contribuir para mudar a história de Portugal para sempre.
Quando um grupo de nobres portugueses se revoltou contra o governo de Madrid em dezembro de 1640, consta que D. Luísa terá dito: «Antes morrer reinando do que acabar servindo.» Segundo reza a lenda, esta frase convenceu o seu marido, o futuro rei D. João IV, a juntar-se à conspiração e a tornar-se o primeiro rei da dinastia de Bragança. Quer tenha ou não proferido aquela frase, D. Luísa foi sem dúvida uma força por trás do trono, uma força que perduraria até à sua regência, em 1656, após a morte de D. João IV e enquanto o seu filho D. Afonso VI não assumia o controlo do governo. Durante os seis anos em que serviu como regente, D. Luísa conseguiu alcançar algumas vitórias na guerra com Espanha, controlou os nobres que lutavam entre si na corte e negociou um importante tratado com Carlos II de Inglaterra. Embora se tenha afastado em 1662, o seu contributo nestes domínios ajudou Portugal a assegurar a sua independência para sempre. Como tal, merece um maior reconhecimento do que o que tem tido, sendo uma das mais relevantes rainhas consortes da história de Portugal.

Sobre a autora:
Monique Vallance obteve o grau de mestre em 2006 e terminou o doutoramento em 2011 em História de Portugal pela Universidade da Califórnia, em Santa Barbara.
A sua investigação de doutoramento incidiu sobre D. Luísa de Gusmão e os papéis de género na corte durante o século XVII. Leciona História na University of the Pacific, na Califórnia.
Tem participado como colaboradora e como editora assistente em várias enciclopédias. Para além da sua atividade académica, está muito ligada à comunidade luso-americana da Califórnia, orgulhando-se do seu legado português.





«Amanhã, preciso que sejas eu durante algumas horas. Fazes isso?»




terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O Homem de Giz - C. J. Tudor [Opinião]

Título: O HOMEM DE GIZ
Autor:
C. J. TUDOR
N.º de Páginas: 320
PVP: 18,85€

Sinopse:
A história começa quando aos doze anos Eddie e os amigos tiveram contacto com o misterioso Homem de Giz. Uma personagem central na trama e Eddie será assombrado por ela.
As estranhas figuras de giz conduzem Eddie e os amigos a um cadáver de uma rapariga pouco mais velha que eles e esta descoberta irá marcá-los para sempre.
Tudo aconteceu há trinta anos, e Eddie convenceu-se de que o passado tinha ficado para trás. Até ao dia em que recebeu uma carta que continha apenas duas coisas: um pedaço de giz e o desenho de uma figura em traços rígidos.
À medida que a história se vai repetindo, Eddie vai percebendo que o jogo nunca terminou.

A minha opinião: 
Atualidade: Eddie, personagem central de O Homem de Giz, agora professor na escola local, vai-nos dando a conhecer o que se passou no longínquo ano de 1986 e que mudaria para sempre a vida do pequeno grupo de crianças, do qual ele fazia parte.

Se pensarmos que todos guardamos segredos durante parte da nossa vida há alguns que são mais importantes que outros. Durante todo o livro vamo-nos deparando que cada uma das personagens esconde algo que poderá ser determinante para percebermos parte do que se passou naquele ano. E não, não foi apenas a morte daquela jovem bonita, que foi descoberta através de uma enigma escrito a giz, qual quebra-cabeças, que os levaria a encontrar o corpo.

Aquele grupo de miúdos composto por Gav Gordo, Metal Mickey, Hoppo e Nicky, a única rapariga, remonta-nos mesmo àquela época. Quem viveu nos anos 80 sabe do que estou a falar. A liberdade que os pais davam às crianças naquela altura permitiam-lhes fazer quase tudo sem que ninguém se preocupasse muito com isso. Aquele grupo era um grupo como qualquer outro: gostavam de andar de bicicleta, brincar no parque, estar na rua até às tantas e andar pelo bosque. Todos diferentes entre si, mas que tinham em comum a amizade. A misteriosa figurinha do homem de giz que muito nos faz lembrar do jogo da forca vai acompanhá-los sempre.

Entre 1986 e 2016 muita coisa muda. Os amigos estão diferentes, distantes. O grupo tão coeso aos 12 anos não tem agora nada em comum a não ser a história da rapariga morta. Mas um estranho acontecimento vai fazer com que se juntem novamente e todas as dúvidas que surgiram no passado vão ser colocadas na mesa e pouco a pouco vamos descobrindo algumas brechas.

O interessante na autora, além de uma história bem fundamentada e sombria, é que nos vai dando pistas para prender o leitor. Qual detective, também pensei que já tinha descoberto quem teria sido o assassino da rapariga ou quem estaria por detrás de outras situações que vão surgindo no livro, mas em todas elas me enganei.

Além do thriller são abordados temas como violência doméstica, religião, demência, bullying e o aborto, temas que enriqueceram cada umas das personagens, dando mais vivacidade ao livro. Destaque ainda para a capa e para a lombada que são muito bonitas.

O romance de estreia de C. J. Tudor, apesar de ter sido uma das minhas primeiras leituras do ano, arrisca-se a ser um dos melhores de 2018. Li-o em conjunto com a Dora Santos Marques do canal de Youtube Books & Movies e ambas ficamos vidradas nele, desde que o começamos a ler, no sábado à noite. 




Sonata em Auschwitz - Luize Valente [Opinião]

Título: Sonata em Auschwitz
Autor: Luize Valente
Editor: Saída de Emergência
Páginas: 320

Sinopse:
Um bebé nascido nas barracas de Auschwitz em 1944 e uma sonata composta por um jovem oficial alemão dão origem a duas histórias que se cruzam…

Décadas depois do fim da II Guerra Mundial, Amália, uma portuguesa com ascendência alemã, começa a levantar o véu do passado nazi da sua família a partir de uma partitura que lhe é revelada pela sua bisavó. A hipótese de que o avô, dado como morto antes do fim da guerra, possa estar vivo no Rio de Janeiro leva Amália a atravessar o oceano e a conhecer um casal de judeus sobreviventes do Holocausto.

A ascensão do nazismo em Berlim, a saga dos judeus húngaros, os mistérios ocorridos no campo de extermínio da Polónia e o pós-guerra numa casa cheia de segredos oferecem os caminhos que Amália irá percorrer para desvendar o enigma. Dando corpo a uma narrativa elaborada com extrema sensibilidade e precisão investigativa, Luize Valente envolve o leitor em mistério, suspense e nos sentimentos mais profundos.

A minha opinião: 
Numa altura em que se comemoram 73 anos do Holocausto esta leitura não podia vir mais a calhar. Apesar de ser uma obra de ficção, Luize baseou a sua história numa sobrevivente de Auschwitz a residir no Brasil. 

A história começa em Portugal, com Amália, uma portuguesa de ascendência alemã, que por mero acaso ouve uma conversa telefónica entre a sua avó e o pai. 

Apesar da ligação nula por parte da família paterna, Amália parte para a descoberta da sua família na Alemanha. Lá conhece a sua bisavó, Frida, que decide contar parte da história da sua família. De facto, Frida viveu toda a vida na dúvida de que o filho poderá estar vivo e a residir no Rio de Janeiro. Uma das provas será uma sonata que Friedrich terá composto em homenagem a Haya. 

É essa dúvida que faz com que Amália procure descobrir mais sobre o seu avô, um oficial nazi, que por um acaso do destino acaba por renunciar a tudo o que acreditou quando vê uma judia a dar à luz uma menina. Sabendo qual o destino que é dado aos bebés, o oficial promete proteger aquela bebé fugindo com ela. 

E é através desta história principal que Luize nos transporta para a ascensão do nazismo na Alemanha através da vida de uma família judia. Uma família que levava uma vida bastante desafogada, que é levada a deixar tudo, arriscar por vezes a vida, e a fuga para a Hungria, país inicialmente neutro que lhe podia dar mais segurança. 

À medida que vamos descobrindo mais sobre esta família judia, acaba por ser desvendada parte da história do nazismo quer na Alemanha, na Hungria ou na Roménia mostrando que o antissemitismo por parte dos romenos eram ainda maior do que o dos próprios alemães. 

Livros sobre a temática do Holocausto proliferam nas livrarias. Mas é bom quando nos conseguimos surpreender e tocar com histórias como estas. Como disse anteriormente, este não é um livro baseado numa história verídica, mas a História está lá. Esta família judia não existe concretamente, mas existiram várias que passaram pelo mesmo ou ainda pior. E a questão que nos perguntamos recorrentemente é: "onde está Deus?"

"Pouco de concreto sei sobre o campo. O nome basta. Li, certa vez, algo que me marcou: «Se existiu Auschwitz, é sinal de que Deus não existe.» Só havia duas formas de se ter estado lá. Como prisioneiro ou como algoz."

E a forma como Luize Valente escreve e descreve o tema é de uma profundidade tal, que nos transporta todos aqueles locais, nas diferentes épocas. E isso é fundamental num romance deste género. Sonata em Auschwitz foi a minha estreia com a autora brasileira e não vou ficar por aqui. 








Bertrand publica novo livro de Lee Child: Escola da Noite

Título: Escola da Noite
Autor: Lee Child
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Vasco Teles de Menezes
N.º de páginas: 400
Data de lançamento: 19 de janeiro
PVP: € 18,80

Escola da Noite é o novo livro de Lee Child, um thriller emocionante que tem como protagonista Jack Reacher, e que chegará às livrarias portuguesas na sexta-feira, dia 19 de janeiro.
Se Jack Reacher falhar desta vez, o mundo será palco de um atentado terrorista de enormes dimensões. Da América a Hamburgo, de Jalalabad a Kiev, a narrativa dispara como uma bala por territórios ambíguos, identidades falsas e novos e terríveis inimigos.
Lee Child, autor nº 1 do The New York Times, tem mais de 90 milhões de exemplares vendidos, encontra-se publicado em 97 países e traduzido para 42 línguas. Jack Reacher já teve dois filmes protagonizados por Tom Cruise.

Referências na imprensa internacional:
«Reacher é um dos heróis de ficção mais originais e provocadores do século.» The Washington Post
«Tem todos os ingredientes clássicos: um excelente cenário (Hamburgo), um bom vilão e um mistério que nos cativa eficazmente, cresce de forma imprevisível e tem uma resolução que satisfaz.» The New Yorker
«Jack Reacher é o James Bond dos nossos dias, um herói de thrillers de quem nunca nos fartamos. Leio todos os livros mal aparecem.» Ken Follett

Sinopse:
Estamos em 1996 e Reacher ainda está no exército. De manhã dão-lhe uma medalha e à tarde mandam-no de volta para a escola. Nessa noite está estafado.
Há mais dois homens na turma – um agente do FBI e um analista da CIA. São ambos agentes de primeira e ambos se perguntam o que estão ali a fazer.
E depois descobrem: uma célula jiadista em Hamburgo recebeu a visita de um mensageiro saudita. Um agente da CIA infiltrado ouve dizer: «O americano quer cem milhões de dólares.»
Para quê? E de quem? Reacher e os amigos terão de o descobrir. Se falharem, o mundo será palco de um atentado terrorista de enormes dimensões.
Da América a Hamburgo, de Jalalabad a Kiev, a narrativa dispara como uma bala por territórios ambíguos, identidades falsas e novos e terríveis inimigos.

Sobre o autor:
Lee Child nasceu em Inglaterra em 1954. Estudou Direito e trabalhou no teatro e como diretor de programação televisiva. Foi despedido aos 40 anos devido a um processo de restruturação. Sempre tinha sido um leitor voraz e decidiu ver nessa reviravolta da sua vida uma oportunidade para fazer algo interessante. Foi assim que escreveu o primeiro livro da série Jack Reacher, que conheceu um êxito estrondoso.
Lee divide o seu tempo entre Manhattan e as suas casas de campo em Inglaterra e no sul de França. É casado e tem uma filha.
www.leechild.com


É português e é um almanaque: por ser nacional é que é muito bom

Título: ALMANAQUE PORTUGUÊS
N.º de Páginas: 216
Não Ficção / Vida Prática
PVP: 15,50 €
Nas livrarias a 16 de Janeiro
Guerra e Paz Editores

Sinopse:
Juntámos os saberes únicos dos nossos avós, indicações úteis e práticas essenciais para o dia-a-dia e um toque de humor e o resultado é… este almanaque genuinamente português, que vai querer levar consigo para todo o lado. Aqui encontra factos e curiosidades de interesse geral, que convém ter à mão seja para colher os espinafres da sua horta no momento certo, tirar aquela nódoa de vinho tinto que manchou a toalha ou fazer um brilharete junto dos amigos quando toda a gente diz: «Mas, afinal, hoje é feriado porquê?»

Aqui encontra indicações sobre o calendário, os feriados nacionais e municipais, as feiras anuais, os dias santos, a horticultura e jardinagem e ainda muitos apontamentos sobre história, ciência, astronomia, natureza, meteorologia, alimentação, remédios caseiros, astrologia, expressões regionais, provérbios populares e anedotas. Uma obra essencial para se desenrascar e divertir!

Um livro para conservar todo o ano. Um livro para conservar daqui a dez anos.