quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

A Menina do Bosque - S. K. Tremayne [Opinião]

Título: A Menina do Bosque
Autor: S. K. Tremayne
Editor: TopSeller
N.º de Páginas: 320

Sinopse:
É interessante estarem todos mortos, não é, mamã?
Todos os pássaros, tantos, todos eles estão mortos.
Confirmei.

Lyla tem 9 anos. Já está habituada a que os adultos não a levem a sério. Costuma ficar em silêncio por longos momentos sem que ninguém lhe consiga arrancar uma palavra. Ou fala por enigmas, difíceis de entender. A maioria dos temas são-lhe desconfortáveis, e tem muita dificuldade em fazer amigos. Os pais tentam ser compreensivos, mas nem sempre conseguem. Lyla prefere correr e dançar pelo bosque com os seus dois cães, os seus melhores amigos. Eles também gostam de andar livres e sem terem de responder a perguntas.

Até que acontece o acidente.
Quando o carro da mãe se despista e esta sobrevive milagrosamente, a vida de todos muda. Mas Lyla sabe que algo mais aconteceu e tenta explicar que as coisas não são assim tão simples.
Há um homem. Um homem que está sempre lá.
Mas ninguém acredita.
Ninguém entende.

A minha opinião: 
Os dois primeiros livros que li de S. K. Tremayne fizeram com que ganhasse uma seguidora. Gosto imenso da forma de escrita, assim como dos cenários que escolhe para os seus thrillers. Logo que li a sinopse deste seu terceiro livro publicado pela Topseller achei que seria mais uma história envolvente e repleta de mistérios. Não me enganei. O autor dá voz a uma menina diferente, talvez com autismo, que vive isolada numa pequena charneca. Amigos não tem, mas também não se importa muito.
Nem os adultos se acreditam muito nela nas poucas alturas em que decide falar.

No entanto, Lyla diz ver um homem. Um homem que estava presente aquando do acidente da mãe, e um homem que parece estar a espiá-las por todo o lado.

Mas será que Lyla está a dizer a verdade ou tudo não passa de imaginação da sua cabeça sonhadora.

Certo é que o acidente de que sofreu Kath mudou completamente a vida daquela família. Kath ficou com amnésia o que faz com que não se lembre de nada do que se passou. Porém, sente que lhe estão a esconder algo e não entende porquê.

Bastante descritivo e envolto em mistério atrás de mistério A Menina do Bosque começou por ser uma leitura de difícil compreensão no seu início, mas que foi ganhando força à medida em que a história se desenrola.
O autor descreve minuciosamente o ambiente da charneca, os locais sombrios, as lendas que a envolvem, complementando com uma família peculiar que vai revelando aos poucos segredos escondidos há muitos anos. O autismo de Lyla e a amnésia de Kath vão imprimindo cada vez mais interesse a uma história repleta de sombras de um passado, quer próximo, quer longínquo.

Gostei.







Novo livro de Nuno Nepomuceno nas livrarias a 18 de janeiro

Título: A Última Ceia
Autor: Nuno Nepomuceno
Editor: Cultura Editora
N.º de Páginas: 344

Sinopse:
Uma nota enigmática é encontrada junto a lascas de tinta e tela, e à moldura vazia de um quadro famoso. O ladrão deixou um recado. Promete repetir a façanha dentro de um ano. De visita à igreja de Santa Maria delle Grazie em Milão, uma jovem mulher apaixona-se por um carismático milionário. Mas quando alguns meses depois é abordada por um antigo professor, Sofia é colocada inesperadamente perante um dilema. Deverá denunciar o homem com quem vai casar-se, ou permitir tornar-se cúmplice deste ladrão de arte irresistível?

Enquanto a intimidade entre o casal aumenta, um jogo de morte, do gato e do rato, começa. E aquilo que ao início aparentava ser um conto de fadas, transforma-se rapidamente num pesadelo, enquanto um plano ousado e meticuloso é urdido para roubar a obra-prima de Leonardo da Vinci. Requintado, intimista, inspirado em acontecimentos verídicos, A Última Ceia transporta-nos até ao elitista mundo da arte. Passado entre Londres e Milão, habitado por uma coleção extraordinária de personagens, para as quais a ambição e fama sobrepõem-se a qualquer outro valor, este é um thriller sofisticado de leitura compulsiva. Uma viagem surpreendente ao centro de uma teia de intrigas, romances e traições.





terça-feira, 15 de janeiro de 2019

O que aprendi com Bob - James Bowen [Opinião]

Título: O que aprendi com Bob
Autor: James Bowen
Editor: Porto Editora
Páginas: 160

Sinopse:
James encontrou o gato Bob em 2007 e desde então são inseparáveis.
Neste livro o autor partilha histórias que viveu com o seu companheiro Bob e em que este lhe ensinou verdadeiras lições de vida sobre o valor da amizade, o poder da calma e a importância de saber apreciar as coisas simples das vida.

Na compra deste livro está a contribuir com 0.50€ para a Animais de Rua, associação que ajuda muitos milhares de animais, tratando-os e alimentando-os.
Ajude-nos a ajudar. A Animais de Rua agradece. O James Bowen e o Bob ficam muito felizes.

A minha opinião: 
Pode um gato transformar a vida de um ser humano? James Bowen prova que sim. Então um toxicodependente, a pedir nas ruas, James conheceu o Bob, um gato vadio, que mudou completamente a sua vida desde que passou a acompanhá-lo.

Era seguidora do e Bob e James nas redes sociais mas nunca tinha lido nenhum dos seus livros. A história destes dois seres é interessante, e revela uma excelente cumplicidade entre ambos. Prova disso é este último livro, a roçar auto-ajuda que já não me agradou tanto, que nos revela alguns ensinamentos importantes para o nosso dia-a-dia.

No entanto, o que sobressai neste livro é a pura amizade entre os dois. Uma amizade que é tão bem compreendida para quem tem animais e que os estima muito.

E para quem gosta de marcadores de livros este traz um que passou a ser um dos meus preferidos. É maravilhoso.




Então, Boa Noite - Mário Zambujal [Opinião]

Título: Então, Boa Noite
Autor: Mário Zambujal
Editor: Clube do Autor
N.º de Páginas: 152

Sinopse:
"Gostei de muitas mulheres mas de nenhuma o suficiente para ser a última."
Fiel ao registo a que já habituou os seus leitores, Mário Zambujal regressa às livrarias nacionais com mais um romance pleno de humor e peripécias, aventuras protagonizadas por um sedutor que só consegue estar acordado durante a noite. Além dos inconvenientes de tal desordem, a vida deste rapaz vê-se ainda mais complicada quando inesperadamente recebe uma herança especial.

Então, Boa Noite relata as aventuras de Afonso Júlio, quase sempre fora de horas, na tentativa de cumprir o último desejo do seu padrinho: encontrar uma mulher, de quem só sabe o nome, e casar-se com ela. Nada impossível, pensarão alguns, mas Afonso Júlio vive com uma mulher e, como se isso fosse pouco, está enamorado por outra mulher. O que lhe vale é o destino.

"Cumpre-me respeitar a sua vontade (...) Pena que não me tivesse fornecido um único contacto para chegar à fala com essa menina. (...) Penosa investigação me espera mas sossegue, padrinho Josué, hei-de enfiar uma aliança no dedinho da Renata Jacinta. Embora pensando noutra."

A minha opinião: 
Apesar de ter o mais conhecido livro do autor (Crónica dos Bons Malandros) por ler na minha estante, foi com Então, Boa Noite me estreei na escrita de Mário Zambujal. 

Nesta novidade Clube do Autor Zambujal dá vida a Afonso Júlio, um rapaz que recebe uma herança que não estava à espera, deixando-o com uma vida desafogada. No entanto, há um senão. Três anos depois do padrinho ter morrido, Afonso Júlio recebe uma carta do morto que lhe impõe duas condições: cobrar uma dívida passada e casar com uma sua sobrinha. 

Afonso Júlio fica apreensivo. Primeiro porque não conhece nenhuma dessas pessoas, depois porque Afonso tem um distúrbio que o faz dormir de dia e viver de noite, o que pode ser um grande problema para tentar encontrar as pessoas que o padrinho pede. 

Mário Zambujal tem uma forma peculiar de escrita, pejada de humor refinado, que mostra a sociedade portuguesa de uma forma simples. No entanto, nem a sua forma de escrita, nem a sua história me cativou por aí além. 

A brejeirice, a vida da noite de uma certa elite, o homem engatatão e machista, as mulheres de trato fácil, tudo isso foi um pouco excessivo. 
À parte isso, Então, Boa Noite é um livro pequeno, que se lê numa tarde, e que proporciona um momento de leitura interessante. 



«Dunbar e as Suas Filhas», de Edward St Aubyn, é um romance extraordinário sobre a traição e as consequências devastadoras de uma vida enlouquecida pelo poder e o dinheiro

Título: Dunbar e as suas filhas
Autor: Edward St Aubyn
Género: Literatura / Romance
Tradução: Vasco Teles de Menezes
N.º de páginas: 232
PVP: 17,70€
Data de publicação: 18 de janeiro

Considerado um dos melhores escritores da sua geração, Edward St Aubyn apresenta-nos um romance extraordinário sobre a traição, a crueldade, a disfunção familiar e o perdão como consequências devastadoras de uma vida enlouquecida pelo poder e o dinheiro. Dunbar e as Suas Filhas chega às livrarias esta sexta-feira, dia 18 de janeiro, trazendo, 400 anos depois, uma nova perspetiva de uma das maiores e mais angustiantes obra de Shakespeare, O Rei Lear, mas mantendo aquilo que são as linhas mestras daquela obra-prima.
No argumento da obra original, o rei enlouquece após ser traído por duas das suas três filhas às quais tinha entregado o seu reino. Nesta nova versão, Edward St Aubyn apresenta Henry Dunbar, o outrora todo-poderoso dirigente de um forte grupo global de comunicações, que entrega o controlo da companhia às suas duas filhas mais velhas.
Mais que uma reinterpretação do original de Shaskespeare, Edward St Aubyn escreve uma história brilhante e inteligente.

Sinopse:
A recriação de uma das tragédias mais lidas de Shakespeare, O Rei Lear, feita por um dos mais aclamados romancistas britânicos contemporâneos.
Henry Dunbar, o outrora todo-poderoso dirigente de um forte grupo global de comunicações, não está a ter um bom dia.
Envelheceu e foi entregando o controlo da companhia às suas duas filhas mais velhas, Abby e Megan, mas a sua relação com elas foi-se deteriorando a tal ponto que hoje duvida das decisões passadas. Enclausurado numa sofisticada casa de repouso da Inglaterra rural, tendo apenas como companhia um artista alcoólico semilouco, Dunbar decide fugir. Enquanto escapa pelas colinas, a família está no seu encalço. Mas quem o encontrará primeiro? Florence, a filha mais nova, ou as insaciáveis Abby e Megan, filhas mimadas e cruéis de Dunbar, sempre atrás do seu dinheiro.
Edward St Aubyn disseca com precisão e de forma sublime as agonias da vida familiar num romance de crítica minuciosa aos tempos modernos.

Sobre o autor:
Nascido em 1960, Edward St Aubyn é autor de diversos romances, todos altamente elogiados e premiados pela crítica e pelo público. Desde cedo, reparte a sua vida entre dois territórios privilegiados onde a família tem casa, a cidade de Londres e a França.
Frequentou a Westminster School, em 1979 entrou para o Keble College, em Oxford, e com 25 anos tornou-se escritor profissional.



Lançamento do livro O homem mais rico do mundo- As muitas vidas de Calouste Gulbenkian



Novidade Saída de Emergência: Sangue de Portugal de António Costa Neves.

Esta semana sai para as livrarias o livro Sangue de Portugal de António Costa Neves. Um livro que conta a história de um dos conflitos mais sanguinários da História de Portugal. Opondo os absolutistas de D. Miguel aos liberais de D. Pedro. Esta guerra civil arrastou-se por seis anos e dividiu o país, virando pais contra filhos e irmãos contra irmãos.

Sangue de Portugal é uma saga complexa e vibrante que acompanha o percurso sinuoso de Carlos Boavida, um jovem liberal que aspira a um Portugal mais moderno, e cujos companheiros de batalha incluem nomes como Almeida Garrett e Alexandre Herculano. No campo oposto acompanha uma galeria impressionante de miguelistas, como o capitão-mor Tomás Alcaide, homem de ambição desmedida e crueldade ímpar.

António da Costa Neves oferece-nos um verdadeiro épico sobre a História de Portugal, onde vivemos todos os momentos fulcrais da guerra e seguimos muitas outras personagens extraídas do povo miserável, da aristocracia corrupta e da poderosa burguesia, enquanto enfrentam os problemas próprios da sua condição e da realidade de um Portugal dividido, falido e em guerra.

Sobre o autor: 
ANTÓNIO DA COSTA NEVES nasceu em 1945, em Grândola. É licenciado em História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo, durante anos, publicado regularmente poesia em diversos jornais e revistas. Em 2006, o seu primeiro romance, Mataram o Chefe de Posto, sobre a temática da guerra colonial, ganhou o Prémio Literário Cidade de Almada.

Depois disso iniciou uma frutuosa incursão pelo romance, contando atualmente com uma dezena de títulos, muitos dos quais igualmente premiados. Adamastor, um romance de 2008, foi objeto de ensaio académico e tema de seminário na Universidade de Coimbra, e o romance Mea Culpa! foi selecionado, em 2010, como obra de referência para o Concurso Nacional de Leitura do Ensino Secundário. No campo da poesia, o autor venceu o Prémio de Poesia e Ficção de Almada 2016
com a obra Trinta Sonetos Triviais


O impossível resgaste dos rapazes tailandeses e a escritora italiana comparada com Elena Ferrante nas novidades da Leya


Janeiro
Os Blumthal - A Histórial Real de Vidas Sacrificadas Às Piores Utopias e Tiranias do Século XX, de José Milhazes (Oficina do Livro)
O jornalista reconstitui a vida dos avós da mulher, Siiri Milhazes. Conta como os jovens idealistas, Erich Sõerd e Leida Holm Blumthal, participaram activamente na introdução da revolução comunista na sua Estónia natal, e depois foram ultrapassados pelos acontecimentos do mundo conturbado e muito violento do século XX e acabaram vítimas, primeiro do regime nazi e depois do regime comunista soviético. À venda a 29 de janeiro.
 Um Passeio pela Europa, de Fernando d’ Oliveira Neves (Dom Quixote)
Memórias da experiência europeia de um dos mais importantes embaixadores portugueses da actualidade.
5 Mudanças – Antes, Durante e Depois do Cancro, de Magda Rocha (Oficina do Livro)
 A nutricionista, autora de livros como A Dieta Anticancro, fornece respostas muito concretas para quem está a tempo de evitar um diagnóstico oncológico e também para quem se encontra numa fase pós-doença. Com o foco no combate à doença mais mortal dos nossos tempos, identifica os 5 pilares que sustentam a verdadeira mudança para uma vida mais equilibrada, saudável e feliz. À venda a 22 de janeiro.

Fevereiro
Os rapazes na gruta: nas profundezas da impossível missão de resgate na Tailândia, de Matt Gutman  (Casa das Letras)
O relato da mais extraordinária missão de resgaste dos últimos anos. Toda a história do resgate dos 12 membros  e o treinador da equipa de futebol tailandesa Wild Boars, e dos heróis que os salvaram.
Os Falcões do Biafra, de Fernando Cavaleiro Ângelo (Casa das Letras)
A história de como Salazar, apoiou secretamente, os independentistas do Biafra na sangrenta Guerra Civil da Nigéria (19671970) . Da bravura de um grupo de aviadores portugueses – Os Falcões do Biafra –, que cruzou o céu africano para entregar ao povo biafrense, cercado, alimentos e medicamentos, armas e munições. E de como a PIDE o seguiu à distância e registou as suas movimentações em Lisboa, Faro, Bissau e São Tomé e Príncipe.


Sanches Osório, Memórias da Revolução, de Maria João da Câmara (Oficina do Livro)
Biografia de José Eduardo de Sanches Osório, o oficial católico e monárquico que aderiu ao Movimento dos Capitães desde muito cedo e que esteve no posto de comando do golpe militar do 25 de Abril. O retrato de um homem corajoso e paradoxal que sentiu a Revolução dos Cravos como mais ninguém. Um testemunho vindo do fundo da revolução que põe em perspectiva o rumo tomado pela posterior jovem democracia portuguesa.  

Março
História de Uma Família Decente, de Rosa Ventrella (Dom Quixote Literatura)
Editado em Abril de 2018, em Itália, Rosa Ventrella foi, de imediato, comparada a Elena Ferrante. O romance passa-se na década de 80, em Bari, protagonizado por Maria, uma menina de 12 anos, que cresce apoiada por uma doce mãe e assutada pela violência do pai, Antonio, Vive numa terra sem tempo, num bairro onde os abusos que se sofrem são quase impossíveis de escapar. O seu único apoio vem de Michele, o filho mais novo do clã Sinsangre, uma família rival, cuja amizade, quase fraternal, será determinante para escapar daquele bairro sem história.
A Morte do Comendador II, de Haruki Murakami (Casa da Letras)
A segunda parte do novo romance de Haruki Murakami.
A mais breve história da Alemanha, de James Hawes (Dom Quixote)
São Paulo, de Nicholas Thomas Wright (Dom Quixote)
Biografia definitiva do apóstolo, escrita pelo antigo bispo anglicano, reconhecido conhecedor da Bíblia e autor de bestsellers religiosos.  N. T. Wright escreve uma visão radical do apóstolo que inventou o Cristianismo.

Abril
Isto é Matemática 2 - Rogério Martins e Tiago da Cunha Caetano (Texto)
Novo romance de Domingos Amaral.

Junho
O Espião e o Traidor, a Grande História de Espionagem da Guerra Fria, de Ben Macintyre (D. Quixote)
O autor de “Jogo Duplo, A verdadeira história dos espiões do Dia D passou por Lisboa”, editado pela Dom Quixote, regressa com o relato das odisseias de Oleg Gordievsky, o agente russo que integrou o M16 e cuja deserção ajudou a por termo à Guerra Fria.

Setembro
Sorte do Diabo, de Ian Kerhshaw (Dom Quixote)
A História da Operação Valquíria contada pelo mais conceituado historiador do nazismo.
História Politica do Mundo, de Johnatan Holstag (Dom Quixote)
Três mil anos de história do mundo examinam as causas da Guerra e as constantes procuras da paz.  
Novo romance de Francisco Moita Flores (Casa das Letras)

Outubro
Churchill: Walking with Destiny: The Biography, de Andrew Roberts (Texto)
O historiador britânico, autor de “Tempestade de Guerra”, estará em Lisboa, nos dias 17 e 18 de Outubro, para promover o livro que entrou nas listas de melhores livros de 2018 do The New York Times, Wall Street Journal e The Economist.
O Mundo Secreto 2, de Christopher Andrew (Dom Quixote)
Segundo volume da história da espionagem que a Dom Quixote começou a editar em 2018. De 1909 até aos nossos dias, passando pelos espiões da II Guerra até à Guerra Fria.



segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Novidade Guerra e Paz: Loucuras e Bizarrias de Reis, Rainhas e Fidalgos Infames

Título: Loucuras e Bizarrias de Reis, Rainhas e Fidalgos Infames
Nas livrarias a 15 de Janeiro
N.º de Páginas: 216 
PVP: 15,50 €

Sinopse
Reis, rainhas, fidalgos – coroas, tiaras, títulos? Não! Mortes, roubos, loucuras e muito mais.

• Leonor Teles, cuja infidelidade por pouco não destruía a independência de Portugal;

• Afonso VI, deposto por impotência sexual pelo irmão, D. Pedro II, que depois casaria com a cunhada;

• Isabel Bathóry, condessa húngara, a maior assassina em série da história;

• Henrique VIII, o rei que casou seis vezes e matou duas das mulheres;

• Dipendra, o príncipe nepalês que matou a família real;

• E muitas outras histórias de reis, rainhas e fidalgos – todas loucas ou bizarras.

Os regimes monárquicos habituaram-nos, ao longo dos séculos, a uma postura sóbria, conservadora e protocolar. Mas será que todos os reis, fidalgos ou cortesões cumpriram estes desígnios? Em Bizarrias de Reis, Rainhas e Fidalgos Infames, a Guerra e Paz, Editores mostra-lhe que não. Tortura, extermínio, roubo, escândalo, enguiço, infidelidade, incesto e muitas mais loucuras e bizarrias, de governantes e nobres de todo o mundo e de todos os tempos, que o tempo não fez esquecer.

Maldades e demência de todas as épocas, para todos os gostos. Este compêndio contém, em pouco mais de 200 páginas, o anti-édipo D. Afonso Henriques, que fundou Portugal numa luta contra a mãe, D. Pedro I, que reinou consumido pelo ódio e pelo desejo de vingar a morte da sua amada, o inconsciente D. Sebastião, que em Marrocos perdeu a vida e a independência do país, o pecador entre conventos e hábitos, D. João V, ou a louca D. Maria I.

Mas Bizarrias de Reis, Rainhas e Fidalgos Infames mostra-nos que lá fora também existiu gente bizarra. Reis, czares, imperadores, sultões, aristocratas cuja crueldade, excentricidade e vertigem ruinosa levaram os seus povos à desgraça. Entre eles, dois imperadores de Roma: o escandaloso Heliogábalo, primeiro transexual da história, e o monstruoso Nero, que envenenou o meio-irmão e mandou matar a mãe. Da Roménia, o verdadeiro Drácula, Vlad, o empalador. Da Hungria, a diabólica condessa Isabel Bathóry, considerada pelo Guiness a maior assassina da história da humanidade.

E sim, existiram monarcas loucos em plenos séculos XX e XXI. Jean-Bédel Bokassa, o homem que esbanjou o tesouro da República Centro-Africana e, em 1977, se auto-proclamou imperador numa cerimónia napoleónica. E ainda Dipendra Bir Bikram Shah, o homem que contribuiu para o fim da monarquia do Nepal, em 2001, após matar toda a família num jantar e suicidar-se de seguida.





Grandes nomes que ficam na história pelos piores motivos. Seres humanos cruéis ou loucos que o destino e a hereditariedade entronizaram.



O livro estará à venda nas livrarias e no site oficial da Guerra e Paz a partir do próximo dia 15 de Janeiro. Convidamo-lo a embarcar nesta viagem ao passado sórdido e bizarro das monarquias. Não perca o tino e, sobretudo, proteja a cabeça.

Novidade Alma dos Livros: O Grande Livro da Meditação

Título: O GRANDE LIVRO DA MEDITAÇÃO

UM GUIA PARA A ALMA AVANÇADA

365 MEDITAÇÕES PARA TRANSFORMAR A SUA VIDA
1 Meditação para cada dia!

O Grande Livro da Meditação, de James Allen, é um autêntico guia no caminho da alma avançada. Numa era de discórdia, pressa, controvérsia religiosa, discussões acaloradas, rituais e cerimónias, surgiu com a sua mensagem de meditação, chamando os homens para longe do ruído e da querela das línguas e para os caminhos pacíficos da tranquilidade no seio das suas próprias almas, onde a luz que ilumina cada homem que vem ao mundo arde sempre firme e seguramente para todos os que viram os seus olhos cansados do conflito exterior para a quietude interior.

O livro deve ser sempre uma fortaleza de verdade espiritual e uma bênção para todos os que o lerem e, principalmente, para aqueles que o utilizarem para meditação diária. O seu grande poder jaz no facto de ser o coração de um homem bom que viveu cada palavra que escreveu.

«Escolha uma parte do dia para meditar e mantenha esse período sagrado para o seu propósito. A melhor altura é de manhã muito cedo, quando o espírito do repouso está sobre tudo. Todas as condições naturais estarão então a seu favor; as paixões, após o longo jejum corporal da noite, estarão controladas, os entusiasmos e preocupações do dia anterior terão esmorecido, e a mente, forte e, no entanto, repousada, estará recetiva à instrução espiritual.» JAMES ALLEN, Customer Reviews

Sobre o autor:
James Allen foi escritor, filósofo e poeta. Escreveu sobre temas complexos como a fé, o destino, o amor, a paciência e a espiritualidade, mas teve o raro dom de conseguir expor os temas de forma tão clara e simples, que qualquer pessoa os pode compreender.


Porto Editora - Teolinda Gersão - O que se esconde por trás da porta?

Título: Atrás da porta e outras histórias
Autor: Teolinda Gersão
Págs.: 128
PVP: 15,50 €

«… percebi que há portas que, uma vez abertas, nunca mais se
voltam a fechar, e o que se passava atrás delas fica para sempre
visível.»
O mundo e a vida não são o que parecem. No novo livro
de Teolinda Gersão, Atrás da porta e outras histórias, que a Porto
Editora publica a 17 de janeiro, a literatura espreita por uma frincha da porta e revela-nos histórias muitas vezes ocultas, o lado mais privado da vida e dos pensamentos dos outros, trazendo à luz revelações de beleza ou de horror, de fragilidade e até de perfídia.
Depois de Prantos, amores e outros desvarios, que captavam «o pulsar distinto da vida como se de um batimento comum se tratasse» (in Público), Teolinda Gersão, recentemente galardoada com o Marquis Lifetime Achievement Award, volta a cativar o leitor com uma escrita intimista, desvendando o melhor e o pior da alma humana.

Sinopse: 
Atrás da porta há segredos. De beleza ou de horror, porque o mundo e a vida não são o que parecem.
Por vezes a literatura consegue espreitar por uma frincha da porta, ou mesmo forçá-la a abrir-se.
Essa tentativa, sempre renovada, é o objectivo da escrita.

Sobre a autora:
Teolinda Gersão estudou nas Universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi leitora de português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde leccionou Literatura Alemã e Literatura Comparada. Viveu três anos na Alemanha, dois em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique e a cidade de Lourenço Marques, onde decorre o romance A árvore das palavras. É autora de 17 livros e a sua obra encontra-se traduzida em 14 países. Considerada uma das maiores escritoras portuguesas da actualidade, foi galardoada com os mais prestigiados prémios literários nacionais, nomeadamente o Grande Prémio de Romance e Novela da  APE, o Prémio do PEN Clube (1981 e 1989), o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco e o Prémio Fernando Namora (1999 e 2015). Foi escritora residente da Universidade de Berkley em 2004. Alguns dos seus contos e livros têm sido adaptados ao cinema e ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia. Em 2018 foi-lhe atribuído o Marquis Lifetime Achievement Award.
Mais informações no site: www.teolindagersao.wordpress.com



domingo, 13 de janeiro de 2019

A mais universal das línguas na mais romântica forma de a expressar

Título: 366 Poemas que Falam de Amor
Seleção: Vasco Graça Moura
Género: Literatura/Poesia|
N.º de páginas: 568
Data de lançamento: 18 de janeiro
PVP: € 22,20

Nada há de tão natural no mundo da poesia como o tema do amor. Para marcar o início deste novo ano, a Quetzal Editores volta a publicar o livro 366 Poemas Que Falam de Amor, uma seleção de Vasco Graça Moura de versos dos melhores poetas sobre a mais universal das lín-guas. São poemas que falam de amor – que sofrem e exultam, desencorajam e comovem, entristecem e rejubilam, que falam da alegria e da surpresa do amor. E também da sua melancolia, dos seus nomes raros, da evidência, da sua inevitabilidade. Com esta escolha percorre-se também uma vasta tradição da poesia de todos os tempos, uma arte que nunca poderemos esquecer – e o deslumbramento diante do amor, justamente.
Amor na voz de duzentos poetas de quase dez séculos (do sécu-lo XII até aos nossos dias): de Martim Codax a Pessoa, O’Neill ou Sophia, passando por Dante e Petrarca, François Villon, Garcia de Resende, Shakespeare, Camões, Garrett, Bocage, Pessanha, Cesário, Drummond de Andrade, António Ramos Rosa e Al Berto, apenas para citar alguns.

Sobre o autor:
Considerado por muitos como um dos maiores poetas portugueses contemporâneos, se não o maior, Vasco Graça Moura foi autor de uma vastíssima obra poética, ensaística e ficcional, e um nobilíssimo tradutor e divulgador das literaturas clássicas.
Recebeu o Prémio Pessoa (1995), o Prémio de Poesia do Pen Clube (1993), o Grande Prémio de Poesia da APE (1998) e o Grande Prémio de Romance e Novela APE/IPLB (2004). Em 2007, foi galardoado com o Prémio Vergílio Ferreira e com o Prémio de Poesia Max Jacob Étranger.


Novidade Bertrand: A grande solidão de Kristin Hannah

Título: A grande solidão
Autor: Kristin Hannah
Género: Literatura / Romance
Tradução: Marta Pinho
N.º de páginas: 456
PVP: € 17,70

A guerra do Vietname continua muito presente na memória dos norte-americanos e as suas feridas também. Além das cicatrizes dos veteranos de guerra, há outras mazelas não visíveis que se escondem em zonas mais profundas do corpo: no cérebro. Tendo como ponto de partida a perturbação de stresse pós-traumático, Kristin Hannah apresenta um romance que é um retrato fiel da fragilidade e da resiliência humana.
A história de A Grande Solidão gira em torno da família Allbright, que se muda para o Alasca numa tentiva de busca pela normalidade que antes reinara no seu lar. Mas à medida que os meses avançam e o inverno se aproxima, a escuridão toma o lugar da esperança e o maior dos perigos reside dentro da pequena cabana em que habitam.

Sinopse:
1974, Alasca. Indómito. Imprevisível. E para uma família em crise, a prova definitiva. Ernt Allbright regressa da Guerra do Vietname transformado num homem diferente e vulnerável. Incapaz de manter um emprego, toma uma decisão impulsiva: toda a família deverá encetar uma nova vida no selvagem Alasca, a última fronteira, onde viverão fora do sistema. Com apenas 13 anos, a filha Leni é apanhada na apaixonada e tumultuosa relação dos pais, mas tem esperança de que uma nova terra proporcione um futuro melhor à sua família. Está ansiosa por encontrar o seu lugar no mundo. A mãe, Cora, está disposta a tudo pelo homem que ama, mesmo que isso signifique segui-lo numa aventura no desconhecido. Inicialmente, o Alasca parece ser uma boa opção. Num recanto selvagem e remoto, encontram uma comunidade autónoma constituída por homens fortes e mulheres ainda mais fortes. Os longos dias soalheiros e a generosidade dos
habitantes locais compensam a inexperiência e os recursos cada vez mais limitados dos Allbright. À medida que o inverno se aproxima e que a escuridão cai sobre o Alasca, o frágil estado mental de Ernt deteriora-se e a família começa a quebrar. Os perigos exteriores rapidamente se desvanecem quando comparados com as ameaças internas. Na sua pequena cabana, coberta de neve, Leni e a mãe aprendem uma verdade terrível: estão sozinhas. Na natureza, não há ninguém que as possa salvar, a não ser elas mesmas. Neste retrato inesquecível da fragilidade e da resiliência humana, Kristin Hannah revela o carácter indomável do moderno pioneiro americano e o espírito de um Alasca que se dissipa - um lugar de beleza e perigo incomparáveis. A Grande Solidão é uma história ousada e magnífica sobre o amor.

Sobre a autora:
Kristin Hannah é autora de inúmeros sucessos de vendas do New York Times. Nasceu em 1960 no sul da Califórnia, cresceu a brincar na praia e a fazer surf. Aos 8 anos, a família mudou-se para o estado de Washington. Trabalhou em publicidade, licenciou-se em Direito e exerceu advocacia durante alguns anos em Seattle. Quando a gravidez a obrigou a ficar de cama vários meses, Kristin retomou alguns textos antigos que tinha escrito em parceria com a falecida mãe, que sempre dissera que ela seria escritora. O marido encorajou-a, e, assim que o filho nasceu, Kristin abandonou a anterior atividade profissional e dedicou-se à escrita a tempo inteiro. O primeiro êxito surgiu em 1990 e desde então que a sua profissão é escrever. A autora já publicou mais de 20 romances. Ganhou prestigiados prémios como um Rita Award (Romance Writers of America) em 2004 com Entre Irmãs, e o National Reader’s Choice. A sua obra está traduzida em várias línguas. Vive com o marido e filho na costa noroeste dos Estados Unidos.





Chegou o Caderno que vai ajudar as Raparigas Rebeldes

Título: Sou uma Rapariga Rebelde 
PVP: 13,95€
N.º de Páginas: 224 

Já chegou o caderno que vai ajudar as raparigas mais rebeldes e combativas a construir um mundo melhor, todos os dias, página a página

Imagina-te a escalar uma montanha, escreve poemas de amor às partes do teu corpo de que mais gostas. Entrevista uma mulher que admiras, descreve o teu sonho mais arrojado, planeia a tua revolução. Através das 100 actividades que as autoras de Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes, Francesca Cavallo e Elena Favilli, te propõem neste caderno, poderás treinar a tua rebeldia e aprender o quão única e irrepetível és.

Sou uma Rapariga Rebelde, é o companheiro ideal para os espíritos mais competitivos e desejosos de construir um mundo melhor, todos os dias, página a página.

Porquê deste livro:
 Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes 1 já vendeu mais de 7 mil exemplares em JFK.
 O conjunto dos livros das autoras já vendeu 10 mil exemplares em JFK
 As autoras venceram em 2018 o Publisher’s weekly Rising Star Awards
 Um livro para todas as idades, idealmente as mais jovens

Biografia:
Francesca Cavallo e Elena Favilli cresceram em Itália. Os seus livros estiveram no TOP dos mais vendidos do New York Times e foram traduzidos para mais de 30 línguas. Francesca e Elena escreveram para diversas publicações incluindo o The Guardian, Vogue, The New York Times, El País, The Los Angeles Times, Colors Magazine, Corriere della Sera e La Repubblica. São as fundadoras da Timbuktu e vivem em Venice, na California.





O Mundo no Chão - Nuno Casimiro [Opinião]

Título: O Mundo no Chão
Texto Nuno Casimiro
Ilustração João Vaz de Carvalho
Edição Bags of Books
N.º de Páginas: 32 
PVP: 15 €

Sinopse: 
Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 3º ano de escolaridade, destinado a leitura autónoma.

Na casa abandonada do fundo da aldeia há um mistério do tamanho do mundo. Entre galinhas e as imagens do cinema itinerante do senhor Antunes, o mundo e as suas contradições saem de um buraco do soalho roto. Será que a curiosidade tramou o gato?

A minha opinião: 
Numa casa abandonada um gato malhado faz a sua morada. Lá brinca com o que lhe aparece à frente e tem como entretenimento maior espantar as galinhas. Mas a casa, qual casa abandonada, traz consigo algum mistério. Entre os muitos buracos no soalho, há um diferente, maior, cuja luz emana ao cair da noite. Gato que é gato é curioso e faz com que o protagonista queira saber todas as noites o que se lá passa.

Paralelo ao que se passa na casa, há ainda todas as semanas, a visita do sr. Antunes, que na sua carripana, invade a aldeia e traz aos seus habitantes a magia do cinema que não é muito do agrado do pároco da aldeia...

Uma história linda, complementada com belíssimas ilustrações, mas um pouco puxada para crianças de 8/9 anos.