terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Livros do Brasil - Luis Sepúlveda na Miniatura, Ellery Queen na Vampiro

Título: O Enigma do Sapato Holandês
Autor: Ellery Queen
Tradução: Lino Vallandro
N.º de Páginas: 336
PVP: 7,70 €
Coleção: Vampiro

O Enigma do Sapato Holandês é o novo livro de Ellery Queen que a Livros do Brasil lança na coleção Vampiro a 1 de março. O homicídio da milionária sexagenária Abigail Doorn numa sala de hospital, estrangulada com um cabo momentos antes da sua cirurgia, é o caso envolto em circunstâncias misteriosas a ser desvendado nesta história.
Vários são os suspeitos deste crime, e nem mesmo os mais improváveis irão escapar ao olhar dedutivo e observador do detetive Ellery Queen.
Escrito na era da Grande Depressão, em 1931, este é o terceiro romance da dupla de escritores Frederic Dannay/Manfred B. Lee, criadores do protagonista e autor Ellery Queen, um dos mais aclamados na literatura policial americana.

Sinopse:
A sala de operações do Hospital Holandês estava pronta. O cirurgião deu ordem para que trouxessem a paciente. A porta abriu-se e a maca entrou, deslizante, transportando um vulto encoberto. Mas quando o médico levantou o lençol, o rosto de Abigail Doorn exibia já um tom azulado – apesar do olhar atento de toda a equipa hospitalar, minutos antes um cabo havia-lhe sido fortemente apertado à volta do pescoço.
O Dr. Francis Janney, cirurgião-chefe e protegido de Abigail Doorn, terá sido o último a encontrar-se a sós com a vítima, mas poderia ele ser o responsável pela morte da mulher a quem devia toda a sua carreira? A visitar um amigo no hospital, Ellery Queen fica intrigado e decide desvendar o mistério. Porque teria a sexagenária vivido em guerra com a sua governanta durante vinte anos? E porque diria esta, com todo um fanatismo religioso, que Doorn tinha recebido o que merecia?

O Autor:
Ellery Queen é o pseudónimo conjunto de Frederic Dannay (de seu verdadeiro nome Daniel Nathan, nascido em 1905 e falecido em 1982, em Nova Iorque) e do seu primo Manfred B. Lee (Manford Lepofsky, também nascido em 1905 e falecido em 1971, naquela mesma cidade).
Ambos com experiência em publicidade e leitores ávidos das histórias de Sherlock Holmes, a dupla escreveu o seu primeiro romance, O Mistério do Chapéu Romano, em 1929, apresentando então o detetive Ellery Queen, ele próprio escritor de romances policiais, formado em Harvard, dono de uma genialidade tão grandiosa quanto a sua arrogância. Até 1971, Ellery Queen foi autor e herói de mais de trinta romances, numerosas novelas, peças radiofónicas, filmes e séries de televisão. A par desta obra abundante e de qualidade, Dannay e Lee deixaram também a sua marca na história da literatura policial pela criação, em 1941, da Ellery Queen’s Mystery Magazine, famosa revista policial ainda hoje em atividade.

Título: O velho que lia romances de amor
Autor: Luis Sepúlveda
Tradução: Helena Pitta
N.º de Páginas: 128
PVP: 8,80 €
Coleção: Miniatura

A 1 de março a Livros do Brasil lança na coleção Miniatura O Velho que Lia Romances de Amor, de Luis Sepúlveda, o clássico da literatura latino-americana que conquistou o coração de milhões de leitores em todo o mundo.
Em El Idilio, num lugar remoto da região amazónica, o velho Bolívar Proaño vive em plena harmonia com a natureza e em contacto com os índios shuar, mas, e talvez por isso, encontra-se agora em conflito com «gringos» e garimpeiros armados que querem intervir na natureza usando a força bruta. Perante esta violência, e no meio da sua solidão, Bolívar Proaño procura refúgio na leitura de romances de amor.

Sinopse: 
Antonio José Bolívar Proaño vive em El Idilio, um lugar remoto na região amazónica dos índios shuar, com quem aprendeu a conhecer a selva e as suas leis, a respeitar os animais que a povoam, mas também a caçar e descobrir os trilhos mais indecifráveis. Um certo dia resolve começar a ler, com paixão, os romances de amor que, duas vezes por ano, lhe leva o dentista Rubicundo Loachamín, para ocupar as solitárias noites equatoriais da sua velhice anunciada. Com eles, procura alhear-se da fanfarronice estúpida desses «gringos» e garimpeiros que julgam dominar a selva porque chegam armados até aos dentes, mas que não sabem enfrentar uma fera a quem mataram as crias.
Descrito numa linguagem cristalina e enxuta, as aventuras e emoções do velho Bolívar Proaño há muito conquistaram o coração de milhões de leitores em todo o mundo, transformando o romance de Luis Sepúlveda num clássico da literatura latino-americana.

O Autor:
Luis Sepúlveda nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Da sua vasta obra (toda ela traduzida em Portugal), destacam-se os romances O Velho que Lia Romances de Amor e História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar. Mas Mundo do Fim do Mundo, Patagónia Express, Encontros de Amor num País em Guerra, Diário de um Killer Sentimental ou A Sombra do que Fomos (Prémio Primavera de Romance em 2009), por exemplo, conquistaram também, em todo o mundo, a admiração de milhões de leitores. Em 2016, recebeu o Prémio Eduardo Lourenço.



Sem comentários: