segunda-feira, 5 de setembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

«O Exército Perdido» de Paul Sussman chega a Portugal

Título: O Exército Perdido
Autor: Paul Sussman
Género: Literatura / Thriller
Tradução: Manuel Cordeiro
N.º de páginas: 480
Data de lançamento: 09 de setembro de 2016
PVP: € 18,80

Best-seller do New York Times e do Sunday Times promete uma leitura emocionante e viciante
Depois do enorme sucesso com os títulos anteriores de Paul Sussman, a Bertrand Editora lança a 9 de setembro «O Exército Perdido», o best-seller do New York Times e do Sunday Times. Mergulhando no coração do Egito e nos segredos da arqueologia, este livro promete uma leitura compulsiva ao acompanhar a zoóloga Tara Mullray na sua incursão pelo país, depois de descobrir que o seu pai, um arqueólogo de enorme prestígio, morreu. Entre o mercado negro de antiguidades, o relacionamento com a Embaixada Britânica e a desconfiança de uma ligação com um terrorista, a protagonista tem como cenário o deserto, o Cairo, Luxor e muitas outras localidades que se interligam numa narrativa surpreendente.
Formado em História e com experiência em Arqueologia, em «O Exército Perdido» Paul Sussman arrisca nos meandros históricos e revela uma lenda do mundo antigo.
«A resposta do leitor inteligente a O Código Da Vinci» – Independent

Sinopse:
A zoóloga britânica Tara Mullray vai ao Egito visitar o pai, um arqueólogo de grande prestígio, e descobre com horror que ele morreu alguns dias antes da sua chegada. Nessa altura, um negociante especializado em venda de antiguidades no mercado negro é também encontrado morto junto do Nilo. O seu corpo, ferozmente mutilado, está também coberto de queimaduras de cigarro.
Estes crimes despertam o interesse da Embaixada Britânica e do Serviço de Antiguidades do Egito por o julgarem relacionados com o terrorista Sayf al-Tha'r.

Sobre o autor:
Paul Sussman. 1966 – 2012. Formado em História, acumulou o jornalismo com a arqueologia, tendo trabalhado muitos anos em escavações arqueológicas no Egito, em particular no Vale dos Reis. Paralelamente à sua atividade nas escavações, escreveu obras como Oásis Escondido e O Labirinto de Osíris, que fizeram dele um dos mais conceituados e populares autores do género.