quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Gradiva para Fevereiro

Título: Os Portugueses (O Guia do Xenófobo)
Autor: Matthew Hancock
Coleção: «Guias do Xenófobo», n.º 1
N.º de  Páginas: 104
PVP:  € 8,80

Recorrendo ao humor e a uma escrita inteligente, o livro apresenta uma análise simultaneamente crítica e afectuosa dos hábitos e peculiaridades de uma nação que se encontra a ocidente da Europa e à beira do oceano. O que faz dos Portugueses PORTUGUESES? Para abrir caminho à resposta, sigamos de automóvel com Matthew Hancock: «Viajar nas estradas portuguesas é conhecer a crua combinação de perigo e excitação sentida pelos antigos navegadores, e estar atrás do volante de um carro é o maior de todos os desafios aos nervos.»

Para ler, para rir, para descobrir como este autor britânico olha os Portugueses. O facto de não se importar que a selecção portuguesa bata Inglaterra no futebol deixa‑o preocupado.

Terá o seu carinho por Portugal ido longe demais?


Título: Os Franceses (O Guia do Xenófobo)
Autor: Nick Yapp e Michel Syrett
Coleção: «Guias do Xenófobo», n.º 2
N.º de Páginas: 104
PVP:  € 8,80

Este é um guia para compreender os Franceses, cheio de humor e estilo. O que faz dos Franceses FRANCESES? Aqui entra fromage e parfum, mas muito mais existe numa nação sobre a qual os autores concluem não haver tempo nem lugar para o meio‑termo. «Os serviços ou são maus (dando origem a queixas, discussões e até uma possível revolução) ou são excelentes (originando odes de enaltecimento).»

Nick Yapp ama os Franceses pela sua música, vinho e 15 espécies de cebolas. E Michel Syrett, francês pelo lado da mãe, valoriza a comida enquanto experiência espiritual. A perspectiva apresentada não será imparcial. Divertida é, garantidamente.

Título: A Tentação do Abismo: Sanz Blues
Autor: Rui Araújo
Coleção: «Entre Crimes», n.º 1
N.º de Páginas: 196
PVP: € 12,50

Com este livro a Gradiva abre a porta a «Entre Crimes», uma nova colecção dedicada à ficção policial. Para entrada, a dose certa de realidade que a ficção deve ter. Mais do que uma simples história onde entram polícias, amor e morte, é uma viagem ao mundo real, que não poupa nada nem ninguém. Décio David foi assassinado.

A descoberta da autoria do tiro mortal que pôs fim à vida do comerciante cabe ao inspector Miguel Neves, um trabalho manifestamente difícil pois depara‑se com uma apreciável lista de potenciais homicidas e... mandantes. O thriller de Rui Araújo serve‑se acompanhado com adrenalina.

Título: O Princípio da Noite
Autor: Tiago Patrício
Coleção: «Gradiva», n.º 154
N.º de Páginas:  288
PVP: € 14,50

Um romance com sete adolescentes, cujo mundo está na iminência de desabar. E, num mundo assim, nem tudo perdura. Nem mesmo as amizades que pareciam inquebráveis. As acções das personagens Artur, Vera, Sara, Fran, Cátia, Mónica e Teo são condicionadas pelos pensamentos, palavras, actos e omissões umas das outras. Este é sobretudo um romance sobre a beleza que pode iluminar o mundo e que atrai o perigo como um precipício na noite.

O autor desenvolve o enredo com a mestria de quem sabe criar páginas que são uma revelação.


Título: Filhos de Saturno
Escritos sobre o tempo que passa
Autor: António José Saraiva
Coleção: «Obras de António José Saraiva», n.º 23
N.º de Páginas: 356
PVP: € 19,00

Este livro da colecção «Obras de António José Saraiva», com introdução de Ernesto Rodrigues, reúne 54 textos de opinião do autor. Incide sobre o período de 1974 a 1979 e, por isso, sobre um tempo de mudança, marcado pelo fim de um regime. Sendo essa uma razão suficiente para despertar a leitura, certo é que outra se acrescenta, pois esse registo de tempo em nada retira actualidade ao que agora se publica.

Um exemplo? Considere‑se o que António José Saraiva refere sobre a sociedade de consumo, um dos temas abordados:

«Quanto ao homem, está sendo cada vez mais explorado como factor de consumo.»

Título: Alberto João Jardim na Primeira Pessoa
Vida, trajeto, obra e autoavaliação em grande entrevista
Autor: José Eduardo Franco e Paulo Rocha
Coleção: «Fora de Colecção», n.º 437
N.º de Páginas: 124
PVP: € 9,90

«É pouco afirmar que Alberto João Jardim deixou uma marca inapagável e transformadora na história dos quase 600 anos de povoamento do arquipélago madeirense. Haverá uma história da Madeira antes e depois de Alberto João. […]

O líder madeirense é, pois, uma das figuras mais polémicas, mais desconcertantes e mais peculiares da história da democracia portuguesa dos últimos 40 anos. Por isso, mais do que a marca material deixada pela sua longa governação, ficará na história política como uma personalidade incontornável enquanto caso de estudo que merecerá a atenção dos cientistas políticos.» In Introdução