quarta-feira, 23 de julho de 2014

Quatro Amigos (Alfaguara), de David Trueba, já nas livrarias

Título: Quatro Amigos
Autor: David Trueba
N.º de Páginas: 336
PVP: 17,00€

Quatro amigos, decididos a queimar os últimos cartuchos de uma juventude que terminou, deixam para trás os seus trabalhos, famílias e problemas e improvisam uma viagem de férias por Espanha, sem destino. Em Madrid, deixam frustrações e amarguras e partem juntos rumo a uma liberdade e a uma juventude perdidas, aos excessos adolescentes de álcool e mulheres.

E é assim que Solo, Blas, Raúl e Claudio vão descobrir que tudo tem um fim, que o passado passa sempre factura e que as gargalhadas desbragadas escondem, por vezes, tristezas profundas. Entre confissões, acusações e traições, os quatro amigos vão descobrindo a verdade sobre cada um, e é uma história de amor mal resolvida que dá o mote para uma outra viagem, interior, de encontro a uma lição de vida que a todos servirá: o importante é viver da melhor maneira possível. Quatro Amigos é o relato agridoce do final de uma era, de uma idade. David Trueba recupera, neste segundo romance, os temas e o tom que o caracterizam: as frustrações de uma geração e as amarguras do crescimento num tom contrastante entre a comédia e o romantismo, a ternura e o rancor. Um talento narrativo sem rival na nova literatura espanhola.

Sobre o autor:
David Trueba nasceu em Madrid em 1969. Trabalhou para a imprensa, rádio e televisão, onde co-realizou El peor programa de la semana. Escreveu argumentos cinematográficos, entre os quais se incluem Amo tu cama rica, Los peores años de nuestra vida, Two much e La niña de tus ojos. Estreou-se como realizador com La buena vida. Seguiram-se Obra maestra, Soldados de Salamina, Bienvenido a casa e La silla de Fernando. Vivir es fácil com los ojos cerrados (2013) valeu-lhe um dos famosos prémios Goya em 2014, na categoria de Melhor Guião Original. É autor das obras Saber perder (Alfaguara, 2009) e Aberto toda a noite (Alfaguara, 2012). Quatro amigos é o seu segundo romance, agora publicado pela Alfaguara.





Sem comentários: