sexta-feira, 11 de julho de 2014

O regresso de Andréa del Fuego

Título: As miniaturas
Autor:
Andréa del Fuego
Págs.: 160
Capa: mole com badanas
PVP: 13,30 €

Andréa del Fuego tornou-se conhecida, em Portugal, em 2011, ao vencer o Prémio Literário José Saramago, com Os Malaquias, publicado pela Porto Editora. Três anos depois, a 11 de julho, chega às livrarias portuguesas As miniaturas, o novo romance da escritora brasileira.
Esta obra aborda a ténue fronteira que separa o sonho da realidade e confirma a poeticidade e delicadeza da escrita de Andréa del Fuego. E, se a crítica portuguesa considerou Os Malaquias uma «obra de  exceção entre a nova ficção brasileira» (Filipa Melo, Sol), com uma prosa «das mais estimulantes» (José Mário Silva, Expresso) da língua portuguesa e um «domínio perfeito da linguagem» (Eduardo Pitta, Sábado), em “As miniaturas” não deixará de encontrar as mesmas qualidades.

Sinopse:
Num prédio que pode ou não existir, as pessoas acumulam-se numa fila junto ao elevador. É o Edifício Midoro Filho, um marco imponente no centro da cidade, dezenas de andares empilhados numa arquitetura sóbria e funcional. Conforme se espalham pelos corredores, funcionários e visitantes ocupam as salas burocraticamente decoradas.
Cada oneiro atende sempre as mesmas pessoas que não se podem conhecer entre si e tão-pouco manter algum parentesco. Mas o sistema não é infalível, e, naquela manhã, o oneiro percebe que o rapaz diante de si é filho de uma de suas clientes.
A partir desse equívoco burocrático, o oneiro abandonará cada vez mais o seu rigoroso código de conduta para se envolver na vida do rapaz e da sua mãe, uma taxista que sobrevive a duras penas após o desaparecimento do marido.
No jogo das pequenas esculturas plásticas que auxiliam os clientes durante as sessões com os oneiros, a autora ilumina as brechas que existem entre o real e o imaginado, o amor e a dedicação, numa prosa de arrebatadora força poética.

Sobre a autora:
Andréa del Fuego nasceu em São Paulo, em 1975. É autora da trilogia de contos Minto enquanto posso (2004), Nego tudo (2005) e Engano Seu (2007). Escreveu também os juvenis Sociedade da Caveira de Cristal (2008) e Quase Caio (2008). Integra, entre outras, as antologias Os cem menores contos brasileiros do século e 30 mulheres estão fazendo a nova literatura brasileira.
Mantém o blogue: andreadelfuego.wordpress.com.
Em 2011, foi finalista dos Prémios São Paulo de Literatura e Jabuti (na categoria romance) e venceu o Prémio Literário José Saramago.


Sem comentários: