sexta-feira, 27 de junho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Amante - James Patterson e David Ellis [Opinião]

Título: A Amante
Autor: James Patterson, David Ellis
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 352
PVP: 18,79€

Sinopse:
O jornalista Ben Casper é paranoico e obsessivo. E a maior e mais compulsiva das suas fixações é Diana, a bela mas inacessível mulher dos seus sonhos.
Quando ela é encontrada morta, após uma queda da varanda do seu apartamento, as autoridades não hesitam em considerar que é um suicídio. Mas Ben conhecia bem Diana e sabe que ela nunca se mataria. Convence-se de que a amiga foi assassinada e embarca numa aventura arriscada para conseguir prová-lo.
O jornalista descobre, porém, que ela levava uma vida dupla, e à medida que outras pessoas envolvidas na vida de Diana morrem em circunstâncias questionáveis, torna-se evidente que alguém não quer que a verdade venha ao de cima. E, a menos que Ben desista da sua investigação, ele pode ser o próximo a «sair de cena»...

No seu thriller mais excitante, James Patterson mergulha-nos nas profundezas de uma mente torturada. Uma perseguição implacável através de um mundo de perigos e enganos.


A minha opinião:
Benjamin Casper é um homem cheio de paranóias e obsessessões. Sabe tudo sobre Diana, a mulher que idolatra, chegando mesmo a espionar a sua vida sem que ela tenha conhecimento. Espia a casa dela às escondidas e acaba por presenciar o seu aparente suicídio quando esta cai da varanda do seu apartamento. Tem morte imediata.

Apesar de as autoridades concluírem a sua morte como suicídio, Ben sabe que isso é impossível. Conhece bem demais Diana para saber que ela não é suicida. A sua persistência em saber mais sobre aquela morte leva-o para caminhas perigosos que envolvem a CIA e um milionário russo. Obviamente, só no fim do livro é que se descobre qual o envolvimento da agência americana e do russo.

No entanto, uma história que até poderia ser boa, tornou-se um pouco chata. Não criei qualquer empatia com o Ben. Ao longo de toda a investigação mostra junta a vida real com a vida ficcionada de várias personagens de filmes, aliando ainda a vida dos vários presidentes dos Estados Unidos (estes últimos influenciados pelo pai que foi professor universitário de História, especialista em presidentes americanos). Esta é a parte em que se tornou deveras irritante. Engraçado no início, mas a referência a uma ou a outra aborreceu-me.


Dono de uma fortuna considerável e director de um jornal online Benjamin junta os seus conhecimentos nas diversas áreas para conseguir descobrir mais sobre a morte de Diana, mas todos com quem se relaciona morrem.

Com a investigação Ben vai também perceber que a mulher que ele sempre idealizou e idolatrou pode não ser aquela pessoa perfeita que ele sempre julgou.

A parte forte do livro é a referência ao próprio passado de Benjamin e ao suicídio (?) da mãe. Depressa tiramos conclusões dos relatos esporádicos que vão aparecendo no livro e a sua conclusão deixou-me simplesmente de boca aberta.

Capítulos curtos e escrita leve que tanto caracterizam James Patterson este é o livro ideal para umas férias, para a praia ou piscina.


Excerto:
"É possível fazer um assassínio parecer suicídio e um suicídio parecer um assassínio."