quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Novidade Cavalo de Ferro: A Maldição de Hill House de Shirley Jackson

«Uma das histórias de terror mais perfeitas que já li.» — Stephen King

«Uma mestre maior do terror e do suspense.» — The New York Times Book Review

***

Shirley Jackson (1916–1965) é considerada uma das mais influentes escritoras norte-americanas. Herdeira da grande tradição do gótico americano, iniciada com Edgar Allan Poe, teve uma vida curta, deixando uma obra pouco extensa, mas que a confirmou de imediato como uma das grandes personalidades literárias do século XX.


A Maldição de Hill House (Cavalo de Ferro | 208 pp | 16,59€), já nas livrarias, é um dos mais perfeitos exemplos do terror e do suspense em literatura. Fonte de inspiração para nomes como Stephen King, Guillermo del Toro, Neil Gaiman ou Joyce Carol Oates, confessos admiradores de Shirley Jackson, a história foi adaptada por duas vezes ao cinema e está previsto estrear, em 2018, como série televisiva pela Netflix (10 episódios). Também uma das suas obras maiores, Sempre Vivemos no Castelo, cuja 2.ª edição também já chegou às livrarias, terá estreia cinematográfica em 2018.

A HISTÓRIA
John Montague, especialista e estudioso do oculto, chega a Hill House em busca de algo concreto que possa provar a existência do sobrenatural. Acompanham-no, Theodora, a sua assistente, Luke, o futuro herdeiro da propriedade e Eleanor, uma mulher solitária e frágil, já com experiência de encontros com poltergeists. Contudo, aquilo que, inicialmente, era apenas uma experiência em torno de fenómenos inexplicáveis torna-se, em pouco tempo, uma corrida pela sobrevivência, à medida que Hill House ganha poder e escolhe, de entre eles, aquele que quer para si…

Era um acto de força moral levantar o pé e pousá-lo no primeiro degrau, e pensou que a sua profunda relutância em tocar na Hill House pela primeira vez advinha directamente da sensação nítida de que a casa estava à espera dela, maligna, mas paciente. As viagens terminam com o encontro dos amantes, pensou, lembrando-se finalmente da canção, e riu-se, parada nos degraus de Hill House, as viagens terminam com o encontro dos amantes, e assentou o pé com firmeza e subiu até chegar ao alpendre e à porta. Num abrir e fechar de olhos, sentiu-se envolvida pela Hill House; ficou numa obscuridade total, e o ruído dos seus passos na madeira do alpendre era um ultraje ao profundo silêncio, como se há muito tempo ninguém pisasse os soalhos de Hill House. Ergueu a mão para bater a pesada aldraba de ferro com uma cara de criança, decidida a fazer mais e mais barulho para que a Hill House tivesse a certeza de que ela estava ali (...) — (pp. 34)

***

Sobre a história:
Shirley Jackson (1916–1965) é considerada uma das mais influentes escritoras norte-americanas. Herdeira da grande tradição do gótico americano, iniciada com Edgar Allan Poe, teve uma vida curta, deixando uma obra pouco extensa, mas que a confirmou de imediato como uma das grandes personalidades literárias do século XX. Obteve imediato sucesso e fama com a publicação, em 1948, do seu conto The Lottery que, na época, dividiu opiniões e suscitou acesas polémicas. Ao todo, escreveu 55 contos e, da sua obra, destacam-se ainda as suas crónicas familiares Life Among the Savages (1953) e Raising Demons (1957), e os seus romances The Sundial (1958), Sempre Vivemos no Castelo (ed. Cavalo de Ferro, 2018), obra que será adaptada ao cinema em 2018, e o presente A Maldição de Hill House, obra adaptada para cinema e televisão.



Sem comentários: