terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Anatomia de um Escândalo - Sarah Vaughan [Opinião]

Título: Anatomia de um Escândalo
Autor: Sarah Vaughan
Editor: Topseller
N.º de Páginas: 352

Sinopse:
​James Whitehouse é um bom pai, um marido dedicado e uma figura pública carismática e bem-sucedida. Um dia, é acusado de violação por uma colaboradora próxima. Sophie, a sua esposa, está convencida de que ele é inocente e procura desesperadamente proteger a sua família das mentiras que ameaçam arruinar-lhes a vida.

Kate Woodcroft é a advogada de acusação. Ela sabe que no tribunal vence quem apresentar os melhores argumentos, e não necessariamente quem é inocente. Ainda assim, está certade que James é culpado e tudo fará para o condenar.

Será James vítima de um infeliz mal-entendido ou o autor de um sórdido crime? E estará a razão do lado de Sophie ou de Kate? Este escândalo — que irá forçar Sophie a reavaliar o seu casamento e Kate a enfrentar os seus demónios — deixará marcas na vida de todos eles.​

A minha opinião: 
Anatomia de um Escândalo é um dos livros do momento. Apresentado com uma excelente campanha de marketing, surge como um dos grandes livros de 2018.
Isto pode levar a que as expectativas sejam demasiado altas e que a leitura deste livro saia defraudada.

Não foi o meu caso, felizmente. Fico curiosa, é certo, mas tento distanciar-me de todas as opiniões que surgem antes da publicação dos livros por cá.

A autora, Sarah Vaughan foi, durante 11 anos, jornalista na área da política e isso deu-lhe as bases para a escrita deste livro, que poderia perfeitamente ser uma história verídica. Não é.

Nele vamos encontrar James, um político de renome, bonito e gentil, que facilmente agrada ao público feminino. Mas a sua vida tão bem sucedida (tem mulher e dois filhos) vai ser posta à prova quando é acusado de uma tentativa de violação por parte de uma colaboradora sua.

Do outro lado da barricada está Kate Woodcroft, a advogada de acusação. Divorciada, sem filhos, a sua vida é dedicada praticamente ao trabalho. E o que faz, faz bem.

E todo o livro gira em volta deste julgamento, que nos vai colocando a perspectiva de James, de Olívia, de Kate, mas também de Sophie, a sua esposa. E isso acaba por tornar o livro cada vez mais interessante. Foi bom ter-me questionado sobre onde é que estava a verdade no meio de tanta declaração, que facilmente se consegue ser enganado quando se ouve um depoimento, que julgamos ser verdadeiro.

James Whitehouse é um bom pai e uma figura acarinhada pelo povo. Depois de ser acusado de violação, a primeira pergunta que surge é: será culpado? Será que se aproveitou do poder que tinha para assediar a sua colaboradora? Ou será que Olívia faz a acusação, rancorosa por James ter terminado o affair que tinham?

Admirei Sophie, que se vê confrontada com a infidelidade do marido e, a somar a isso, um julgamento por violação. Dedicada completamente à família, já que deixou de lado uma carreira profissional, também ela se vai questionar sobre o seu papel em toda esta trama.

Mas foi Kate que mais me agradou conhecer. Uma mulher forte, que muda radicalmente de vida depois de se ter formado e que mostra ser persistente e confiante naquilo que vale.

Completamente atual, onde o assédio está na ordem do dia, esta é uma agradável leitura que nos coloca, ao longo de toda a história, a pensar onde é que está realmente a verdade.

Gostei muito.





Sem comentários: