terça-feira, 24 de outubro de 2017

Em Fuga - C. L. Taylor [Opinião]

Título: Em Fuga
Autor: C.L. Taylor
N.º de Páginas: 336

Sinopse:
Quando uma estranha pede uma simples boleia a Jo Blackmore, esta concorda, mas rapidamente se arrepende de o ter feito.

Afinal, a mulher sabe o nome de Jo, conhece o seu marido, Max, e tem em seu poder uma luva que pertence a Elise, a filha de 2 anos de Jo.

O que começa por ser uma ténue ameaça de uma desconhecida, rapidamente se transforma num pesadelo, quando a polícia, os serviços sociais e até o próprio marido começam a duvidar das capacidades mentais de Jo.

Ninguém parece acreditar que Elise esteja em perigo, e a mulher estranha começa a apertar o cerco. Nesse momento, Jo sabe que só existe uma forma de manter a filha a salvo…

FUGIR!

A minha opinião:
Jo Blackmore é uma mulher atípica. Sofre de agorafobia e sente que tem de ter a sua vida totalmente controlada, o que nem sempre é fácil quando se tem uma filha de dois anos e um marido jornalista. 
Tudo muda de figura quando uma estranha a aborda na rua e lhe pede boleia. Hesitante, mas sem conseguir dizer que não, Jo deixa entrar no seu carro uma mulher que mostra saber tudo sobre a sua vida e que traz consigo uma luva da pequena Elise. 

Assustada, Jo começa a ter medo de tudo e sente que anda a ser perseguida por uma mulher que não sabe o porquê de ter aparecido na sua vida. 

Quando conta ao marido o que lhe aconteceu, Max desconfia dela devido à sua fobia. De facto, alturas há que até o próprio leitor começa a desconfiar dela. Será que Paula realmente existe ou é fruto da imaginação de Jo? É que Jo pode ser completamente paranóica.

De facto, esta não é uma personagem fácil de gostar. O seu medo de estar em público leva-a a extremos, de tal forma que muitas vezes parece colocar em causa o bem-estar e segurança da pequena Elise. 

De facto, Elise vai dar mais intensidade à trama, na medida em que tanto a pequenita como a jovem mãe vão viver situações extremamente preocupantes. A forma como a autora nos faz empreender nesta viagem inesperada faz-nos perder o fôlego e a não querer perder nada desta leitura até que o livro termine. No final, todos queremos saber como correu tudo isso e quem será que está por detrás de toda a ameaça à família da jovem mulher. 

Mas o livro não se prende apenas com a história de Jo, Max e Elise. A mãe de Jo também tem esqueletos no armário e, ao longo da narrativa, vai-nos sendo desvendado um pouco mais. É uma história secundária é certo, mas que imprime mais vivacidade e mais interesse a toda a história. 

Todos estes ingredientes fazem de Em Fuga um excelente thriller psicológico e eleva  C.L. Taylor ao grupo de autores que tenho debaixo de olho. 


Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard