terça-feira, 25 de julho de 2017

A Rapariga no Gelo- Robert Bryndza [Opinião]

Título: A Rapariga no Gelo
Autor:
Robert Bryndza
Título Original: The Girl On Ice
PVP: 17,45€
N.º de Páginas: 336

Sinopse:
Quando um rapaz descobre o corpo de uma mulher debaixo de uma espessa camada de gelo num parque do sul de Londres, a inspetora-chefe Erika Foster é imediatamente chamada para liderar a investigação. A vítima, uma jovem bela e rica da alta sociedade londrina, parecia ter a vida perfeita. No entanto, quando Erika começa a investigar o seu passado, vislumbra uma relação entre aquele homicídio e a morte de três prostitutas, encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, abandonadas nas águas geladas de outros lagos de Londres.

A sua última investigação deu para o torto, e agora Erika tem a carreira presa por um fio. Ao mesmo tempo que luta contra os seus demónios pessoais, enfrenta um assassino altamente mortífero e que se aproxima tanto mais dela quanto mais próxima ela está de expor ao mundo toda a verdade. Conseguirá Erika apanhar o assassino antes de ele escolher a próxima vítima?

A minha opinião:
A Rapariga no Gelo é o primeiro livro da série Erika Foster, que marcará para sempre a estreia de uma nova editora portuguesa, Alma dos Livros.

Neste primeiro livro da série, que espero ver continuada em breve, deparamo-nos com um assassinato atroz de uma rapariga de alta sociedade londrina.

Este crime marca o regresso da detective Erika, que tinha ficado afastada das investigações depois de um problema grave ocorrido no seu passado.

Mostrando que está em grande forma e lutando contra tudo e todos, a detective leva a investigação até ao fim, mesmo colocando em causa o seu futuro profissional. 

Fruto de um marketing promocional bastante eficaz, e de uma capa fantástica, A Rapariga no Gelo depressa captou o meu interesse, sobretudo quando li a sinopse e constatei que se iria tratar de uma história com assassinatos em série. De facto, a primeira vítima a aparecer foi uma rapariga rica, mas as restantes vítimas eram de um extracto social inferior.

Apesar de um pouco previsível, já que o assassino era fácil de descobrir, gostei bastante da história. De uma forma bem engendrada, Robert Bryndza imprimiu velocidade à narrativa, criando cenários interessantes e uma detective que me cativou desde o primeiro instante. 

A família rica, praticamente intransponível, revela ter mais segredos do que se imagina pode ser um pouco cliché, mas gostei da forma como a detective conseguiu entrar num mundo de corrupção e abuso de poder. 

A obra sai valorizada porque o autor coloca a narrativa igualmente do ponto de vista do assassino. Assim, o leitor consegue estar dentro do que ele vai pensando ao longo da investigação, permitindo-nos conhecer melhor o seu carácter. 

Uma leitura agradável, pelo que só posso recomendar. 










Sem comentários: