sábado, 29 de julho de 2017

A Mulher do Camarote 10 - Ruth Ware.[Opinião]

Título: A Mulher do Camarote 10
Autor:
Ruth Ware.

Sinopse: 
Tudo começa com um convite inesperado para uma viagem de sonho. Lo Blacklock, jornalista, recebe um convite irrecusável: acompanhar a primeira viagem do cruzeiro de luxo Aurora Borealis. O serviço é exclusivo e a bordo estão vários empresários e pessoas influentes da sociedade. No entanto, a viagem ganha outros contornos para jornalista. Certa noite, testemunha aquilo que acredita ser um crime no camarote ao lado do seu.

Desesperada, denuncia o ocorrido aos responsável pela embarcação. Ninguém acredita na sua versão pois todos os passageiros continuam no navio. Blacklock decide investigar o crime por conta própria. Colocando a carreira e a própria vida em risco, ela não vai descansar enquanto não encontrar resposta para o mistério do camarote 10.

A minha opinião:
O nome Ruth Ware ficou conhecido entre nós por causa do primeiro livro Numa Floresta Muito Escura, que muito agradou aos seus leitores. Eu adorei o primeiro e ia com grandes expectativas para a leitura deste novo livro.

Ware continua a criar ambientes sombrios e misteriosos. Se no primeiro livro a história se centrava numa floresta, neste partimos para alto mar, completamente reféns dos convidados presentes no navio de luxo Aurora Borealis, sem qualquer ligação ao mundo exterior.

A autora volta assim a repetir a fórmula de "fechados para o mundo exterior" levando as personagens a mergulhar numa espiral de desconfiança com toda a gente, e ninguém parece estar a salvo.

Lo Blacklock, jornalista de uma revista que é convidada à última hora para viajar e fazer uma reportagem relativa ao novo navio de luxo de um magnata, vai ser a protagonista desta história. Sem querer é "testemunha" do que ela acha ter sido um assassinato e começa a fazer perguntas indesejáveis. 
Sem ter visto qualquer coisa, Lo apenas ouviu aquilo que achou ter sido um corpo a cair ao mar, mas não descansou enquanto não falou com todos presentes no navio, passageiros e tripulação.

Infelizmente ninguém acredita no que Lo diz, até porque no dia anterior a jovem e ingénua jornalista, tinha abusado da bebida na noite anterior, o que leva a que todos pensem que sofreu de alucinações.


De facto não é fácil acreditar numa pessoa tão frágil. Lo parece completamente deslocada daquele ambiente, e o seu problema com a bebida também não ajuda. A par disso sofre de paranóia fruto de uma depressão no passado, o que levou a que também eu chegasse a duvidar de tudo o que ela vivenciou enquanto hóspede do camarote ao lado do local onde se deu o suposto assassinato.

As restantes personagens são misteriosas q.b. o que leva a que tenha suspeitado de uns quantos e não ter adivinhado quem seria o assassino até este ser desvendado. 

Ruth Ware prova, mais uma vez, que esta fórmula resulta, prendendo tanto os seus leitores a este livro como com o primeiro, que já tinha feito sucesso. 
A Mulher do Camarote 10 foi uma agradável leitura pelo que só posso recomendar. 





Sem comentários: