quinta-feira, 4 de maio de 2017

Labrinto - Dick Haskins [Opinião]

Título: Labirinto
Autor: Dick Haskins

Sinopse:
Kent, Inglaterra, noite de temporal, William Slaughter e o seu mordomo, Dodson, não sobrevivem a uma trágico acidente de automóvel, provocado por «luzes potentes» e um «buzinar infernal». O mistério adensa-se com a entrada em cena do enigmático Paul Walker, que ocupará o lugar de motorista e mordomo na mansão dos Slaughter. A morte de Sir Roderic, o intratável patriarca da família, agrava a situação. Fará tudo parte do mesmo plano maquiavélico? E será o inspector John Asquith o único a querer resolver o caso? Labirinto teve a sua primeira edição em 1971.

A minha opinião:
Dick Haskins, pseudónimo de António de Andrade Albuquerque, faz parte do meu imaginário juvenil, quando devorava livros vampiro de bolso. Sem saber que era um autor português colocava-o na lista dos melhores autores policiais, a par de Ellery Queen, Agatha Christie, Dick Haskins era mesmo um dos meus autores preferidos, dentro do género.

Depois de tanto tempo sem ler nada do autor, e com pena de não ter guardado nenhum dos livros dele (os que estavam em casa dos meus pais perderam-se), foi com muito agrado que recebi a notícia de que a revista Sábado ia publicar 4 livros dele. A Noite antes do Fim, o último dessa série, já o li, mas como o tinha perdido fiquei feliz. Os restantes eram-me totalmente desconhecidos.

Comecei com O Espaço Vazio, do qual não fiz comentário, e na semana passada, peguei no Labirinto e surpreendi-me mais uma vez.

Gostei muito da história, da forma como está escrita, e das personagens, enigmáticas como se quer num bom policial.

Paul Walker é um homem misterioso. Culto, bem informado, decide candidatar-se ao lugar de mordomo de uma família aristocrata, que deseja praticamente um governante da casa e um motorista. Depois que o anterior mordomo/motorista faleceu num trágico acidente, do que foi também vítima o filho dos patrões, a família deseja um profissional que o possa substituir condignamente.

Walker é admitido na casa e procura descobrir as verdadeiras causas de um acidente que mais parece ter sido provocado.
Pelos passos de Paul Walker vamos descobrindo o que se terá passado naquela noite fatídica, ao mesmo tempo que nos é caracterizado cada membro daquela família.
Todos terão motivos para assassinar o filho primogénito. Mas quem terá sido?
Gostei muito e devo confessar que a descoberta do assassino foi um tudo ou nada original.

Labirinto prova porque é que Dick Haskins é o autor português mais internacional, estando traduzido em 30 países.


Sem comentários: