quarta-feira, 24 de maio de 2017

José Eduardo Agualusa: Sonhadores involuntários podem fazer revoluções

Título: Sonhadores involuntários podem fazer revoluções
Autor: José Eduardo Agualusa
Género: Literatura / Romance
N.º de páginas: 280
PVP: € 17,70

Agualusa assina uma sátira política que é, ao mesmo tempo, uma homenagem aos 15+2 de Angola
A Sociedade dos Sonhadores Involuntários, de José Eduardo Agualusa, é uma sátira política que nasce da sua relação pessoal com os sonhos e da situação política angolana. Um dos mais importantes autores contemporâneos de Língua Portuguesa inspira-se na prisão de 17 jovens angolanos, que a 20 de Junho de 2015 foram presos em Luanda, quando se reuniam para discutir um livro de filosofia política. A Sociedade dos Sonhadores Involuntários é uma fábula, uma homenagem a estes e a todos os jovens que lutam hoje em dia pelo cumprimento do processo democrático angolano. É também uma crítica à geração que lutou pela independência do país mas depois se resignou, desistindo de concretizar o seu sonho de democracia e liberdade plena. Por outro lado, o livro presta tributo àqueles que, não tendo vivido o conflito armado, não desistem de lutar, questionando o status quo.
Através da personagem de Daniel Benchimol, um jornalista que surgiu inicialmente em Teoria Geral do Esquecimento e que investiga desaparecimentos, José Eduardo Agualusa explora o papel dos sonhos na vida das pessoas. Este foi o livro que mais tempo de escrita lhe exigiu. Um livro que rasga horizontes na realidade de quem se atreve a sonhar.

Sinopse:
O jornalista angolano Daniel Benchimol sonha com pessoas que não conhece. Moira Fernandes, artista plástica moçambicana, radicada em Cape Town, encena e fotografa os próprios sonhos. Hélio de Castro, neurocientista brasileiro, filma-os. Hossi Kaley, hoteleiro, antigo guerrilheiro, com um passado obscuro e violento, tem com os sonhos uma relação ainda mais estranha e misteriosa. Os sonhos juntam estas quatro personagens num país dominado por um regime totalitário à beira da completa desagregação.
A Sociedade dos Sonhadores Involuntários é uma fábula política, satírica e divertida, que desafia e questiona a natureza da realidade, ao mesmo tempo que defende a reabilitação do sonho enquanto instrumento da consciência e da transformação.

Sobre o autor:
José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil. Os seus romances têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios nacionais e estrangeiros, como, por exemplo, o Grande Prémio de Literatura RTP (atribuído a Nação Crioula, 1998) e o Independent Foreign Fiction Prize (para O Vendedor de Passados, 2004). Mais recentemente, o romance Teoria Geral do Esquecimento foi finalista do Man Booker Internacional e do International Dublin Literary Award (antigo IMPAC Dublin Award). Também os seus contos e livros infantis foram merecedores de prémios, como o Grande Prémio de Conto da APE e o Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian, respetivamente. A partir de 2013, José Eduardo Agualusa começou a publicar a sua obra na Quetzal.


Sem comentários: