domingo, 26 de fevereiro de 2017 | By: Maria Manuel Magalhaes

O Assassino do Crucifixo - Chris Carter [Opinião]

Título: O Assassino do Crucifixo
Autor: Chris Carter
Editor: Topseller
N.º de Páginas: 384

Sinopse:
Um corpo mutilado.
Um assassino impiedoso.
Um pesadelo que parece não ter fim.

O corpo de uma jovem é encontrado numa cabana abandonada, no meio de uma floresta. Quando é chamado ao local do crime, o detetive Robert Hunter vê-se no meio de um cenário que parece saído de um filme de terror.
Nua e presa pelos braços a dois postes, a vítima foi torturada até à morte e no seu corpo foi entalhada uma cruz que o detetive reconhece de imediato: é a assinatura de um psicopata conhecido como Assassino do Crucifixo. Mas como é possível, se o Assassino do Crucifixo foi condenado e executado há dois anos?
Poderá este criminoso ser um imitador? Ou será que o impensável aconteceu e ele está, afinal, vivo e à solta? O detetive Robert Hunter e o seu parceiro embarcam numa investigação perigosa para descobrir a verdade e capturar de uma vez por todas este violento assassino.
Mal sabem eles que estão, na verdade, prestes a entrar no mais terrível dos pesadelos.

A minha opinião:
Depois de ter lido O Carrasco do Medo, o segundo livro da série Robert Hunter, não podia perder o livro de estreia do autor, O Assassino do Crucifixo. E não desilude. 

Apesar de ter gostado mais do segundo livro, talvez por ter uma escrita mais amadurecida, O Assassino do Crucifixo é igualmente bom, daí ter dado 4,5 estrelas no Goodreads. 

O livro começa logo com uma morte atroz. Uma rapariga aparece morta, numa floresta, mas a forma como o seu corpo se apresenta causa terror aos próprios polícias. Mas o que mais inquieta Hunter é a tatuagem que ela tem no pescoço, que o remete para um assassino que, ao que tudo indica, já teria morrido há dois anos. 

De facto, o Assassino do Crucifixo, assim apelidado pela imprensa e pela polícia, já teria matado sete pessoas no passado. Mas todos pensaram que quem foi capturado anteriormente seria o verdadeiro assassino. Será que está em activo um imitador?

Sem cometer qualquer erro, este é o assassino que qualquer polícia teme. E este não se limita apenas a matar as suas vítimas. A morte de cada uma delas é planeada ao pormenor e o assassino leva o tempo de que necessita para torturar cada uma delas. 

Robert começa uma investigação desenfreada ao assassino e leva Carlos, o seu novo parceiro, por arrasto, colocando a sua vida pessoal em segundo plano. A obsessão de ambos por descobrir quem está por detrás de mortes tão atrozes leva-os a investigar no submundo de Los Angeles, a cidade da droga, da prostituição, dos gangs e de todo o tipo de esquemas. 

Quem desejar ler um livro com muita acção, muito sangue e violência, não pode perder Chris Carter. 
Com capítulos curtos, como eu gosto, com um protagonista que facilmente se gosta e algum romance à mistura que também agrada ao leitor, o autor de origem brasileira já ganhou uma fã. 

Para que, como eu, adorou os livros anteriores, a Topseller vai publicar, em março, o terceiro livro da série, intitulado O Predador da Noite. Eu cá vou devorá-lo.