sexta-feira, 4 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora: Emma Cline - A estreia mais selvagem, magnética e perturbadora dos últimos anos

Título: As Raparigas
Autor: Emma Cline
Tradução: José Vieira de Lima
Págs.: 272
PVP: 16,60 €

As Raparigas, da jovem americana Emma Cline, oferece-nos uma reflexão perturbadora sobre uma das seitas que mais chocou a América
O livro de estreia do mais jovem fenómeno do mundo literário está a chegar a Portugal. As Raparigas, de Emma Cline, é um romance que tem vindo a encantar a crítica e os leitores dos 35 países para onde os direitos de publicação foram contratados ainda antes de ser publicado nos EUA. Às livrarias nacionais chega a 10 de novembro, com chancela da Porto Editora. Nos temas centrais de As Raparigas estão as ansiedades e fragilidades da adolescência e, para o tratar, a autora inspira-se no famoso caso de Charles Manson e o seu grupo de raparigas que, apesar dos aparentes valores de paz e amor, seguem uma vida de crime.
Emma Cline, californiana de 27 anos, apresenta-nos assim um romance «elegante e inteligente, extraordinariamente bem escrito, com frases deslumbrantes» (The New Yorker) e mostra que é uma escritora «de importância e ambição» (El País).

Sinopse:
Califórnia. Verão de 1969. Evie, uma adolescente insegura e solitária, avista um grupo de raparigas no parque e fica fascinada com a aura de abandono que as envolve: vestem-se de forma descuidada, andam descalças e parecem levar uma existência feliz à margem das convenções. Dias depois, Suzanne, uma das raparigas, convida Evie a acompanhá-la até às montanhas, ao rancho isolado onde vive numa comunidade organizada em torno de Russell, músico frustrado e líder carismático. Desesperada por ser aceite, Evie mergulha numa espiral de drogas e amor livre. Porém, à medida que se vai afastando da mãe e das rotinas da vida, e à medida que a sua obsessão por Suzanne se intensifica, Evie não se apercebe de que está a um passo de uma violência inimaginável, a caminho daquele momento na vida de uma rapariga em que uma simples escolha pode determinar o futuro. Um retrato excecional da fragilidade adolescente, uma reflexão sobre as decisões que nos marcarão toda a vida e uma evocação daqueles anos de paz e amor em que germinava um lado obscuro…

Imprensa:
Cativante […] a forma como Emma Cline traça habilmente a topografia do coração devastado da adolescência. The New York Times Book Review
As Raparigas é um romance brilhante – não apenas para um escritor tão novo, mas para qualquer escritor. Richard Ford
Romances de estreia como este são raros […]. A capacidade de Emma Cline de articular as ansiedades da adolescência, numa linguagem poética que não deturpa a autenticidade da consciência de uma adolescente, é sem dúvida o maior mérito deste romance. The Washington Post
Uma autora que entende as coações tácitas subjacentes a qualquer relação. Um romance tenso, duro e profundo. The Guardian
Elegante e inteligente, extraordinariamente bem escrito, com frases deslumbrantes. Emma Cline é uma estilista de grande talento. The New Yorker
Um choque literário. Le Figaro Magazine
Deslumbrante. Paris Match

Sobre a autora:
Emma Cline nasceu em Sonoma, na Califórnia, em 1989. Trabalhou como leitora para o The New Yorker e tem publicado textos de ficção em revistas como Tin House ou a The Paris Review, que em 2014 a galardoou com o Plimpton Prize. As Raparigas, o seu primeiro romance, tem recebido uma grande aceitação internacional, tendo os direitos de tradução sido negociados já para 25 países, prevendo-se também uma adaptação cinematográfica pela mão do produtor Scott Rudin.