quarta-feira, 23 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

O livro amarelo que se pintou de vermelho para o Natal. Com Jorge de Sena, Mark Twain e James Joyce

Título: A Noite que Fora de Natal / Carta ao Pai Natal / Os Mortos
Autores: Jorge de Sena / Mark Twain / James Joyce
N.º de Páginas: 148
PVP: 15,00 €
Ficção
Nas livrarias a 23 de Novembro


Este é um Livro Amarelo. Mas este não é um Livro Amarelo. Pelo menos não é só um Livro Amarelo. Amarelo, mas pintado de Vermelho, este é um livro inclassificável. Junta três textos como quem junta três Reis Magos: um conto de Jorge de Sena, uma carta de Mark Twain e outro conto de James Joyce.

Na colecção Livros Amarelos em cada livro há dois textos que se opõem. Neste livro não há oposição nenhuma: três textos caminham lado a lado e o prazer de os ler contagia o leitor e contagia as três faces do miolo que foram pintadas à mão. Tudo começa com a morte do Deus Pã, no conto A Noite que Fora de Natal, de Jorge Sena, nessa mesma noite em que nasce um outro Deus, misterioso. Chega depois a inesperada e esquecida alegria que é chegar a Carta do Pai Natal. Escreveu-a o Pai Natal à filha de Mark Twain e não é despiciendo pensar na probabilidade de ter havido aqui um caso de usurpação de identidade. E chegamos ao terceiro conto: o Natal já passou, correm os festejos de Epifania, Dia de Reis dizemos nós, e come-se, bebe-se e dança-se na casa de Kate e Julia Morkan. É esse o cenário da mais amável e intensa nostalgia que já se derramou sobre um conto que é de Natal sem precisar de ser de Natal. Chama-se Os Mortos e escreveu-o James Joyce. Três textos a rasgar a noite escura, cercados pelo silêncio e pela profunda satisfação que vem da leitura. Se tivermos tudo isto em papel e pintados a vermelho, então este é um livro de Natal, o mais belo livro amarelo de Natal.