segunda-feira, 7 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Bowie, Uma Biografia Sentimental

Sempre que desaparece uma grande figura da música do século XX sucedem-se as mensagens de pesar e as avaliações artísticas. Mas quando David Bowie morreu, em janeiro de 2016, a onda de comoção que atravessou o Mundo foi avassaladora, num fenómeno talvez só comparável ao que aconteceu, em 1980, com a morte do seu amigo John Lennon. Porque David Robert Jones, para sempre imortalizado como Bowie, conseguiu de alguma forma tocar o coração de todas as pessoas com quem contactou, fosse pessoalmente ou através da sua obra. Sempre presente, sempre relevante, sempre diferente, sempre atento, sempre inovador, foi cantor, performer, ator, artista plástico e agregador de talentos, marcando sucessivas gerações de admiradores desde os anos 60.

Esta biografia acompanha David Bowie enquanto homem, enquanto artista, enquanto amante e enquanto marido. Relata-nos o seu percurso pessoal de uma forma aprofundada. Pela voz de quem privou com ele ao longo da vida, entre familiares e managers, músicos e agentes, amantes e amigos, fala-nos da sua infância na Londres do pós-guerra, no peso da família para a formação da sua personalidade, nos anos de luta até chegar ao estrelato, nas aventuras com drogas, na conquista da América ou nas suas genuínas preocupações pelos problemas dos outros. Aqui se entende o Bowie que derrubou barreiras, o revolucionário que assumiu a liberdade sexual, o casamento aberto, a bissexualidade, a androginia – e, por fim, ao tomar a mais radical das suas posições, o marido que se dedicou a Iman e o defensor da fidelidade conjugal.

Com este livro, repleto de informação e emoções, percebemos como David Bowie, ao conquistar todas as pessoas, foi o homem que ganhou o mundo.

À venda a 11 de novembro.


Wendy LeighSobre o autor:
WendyLeigh é autora de vários bestsellers internacionais. Escreveu biografias de celebridades de diversos quadrantes, desde a política ao cinema, passando pela música, como John F. Kennedy, Grace Kelly, Arnold Schwarzenneger ou David Bowie. Foi também co-autora, com Christopher Ciccone, do livro Life With My Sister Madonna. Colaborava regularmente com o jornal londrino Daily Mail. Morreu em junho de 2016, em Londres. Tinha 65 anos.