terça-feira, 20 de setembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Espia - Paulo Coelho [Opinião]

Título: A Espia
Autor:
Paulo Coelho
Género: Literatura / Romance
Adaptação: Ana Rita Silva
N.º de páginas: 184
PVP: € 15,50

Sinopse:
«Tudo o que sei é que o meu coração é hoje uma cidade-fantasma, povoado por paixões, entusiasmo, solidão, vergonha, orgulho, traição, tristeza. E não consigo desenvencilhar-me de nada disso, mesmo quando sinto pena de mim própria e choro em silêncio. Sou uma mulher que nasceu na época errada e nada poderá corrigir isso. Não sei se o futuro se lembrará de mim, mas, caso isso ocorra, que nunca me vejam como uma vítima, e sim como alguém que deu passos com coragem e pagou sem medo o preço que precisava de pagar.»

A minha opinião: 
Livros que falem sobre História ou  sobre biografias chamam sempre a minha atenção, pelo que, quando soube que Paulo Coelho ia escrever um livro sobre Mata Hari fiquei logo com vontade de o ter nas mãos.

Felizmente, surgiu uma proposta irrecusável da Pergaminho, que me ofereceu um exemplar e um bloco de notas com a capa do livro, e comecei a lê-lo logo que chegou cá a casa. Posso dizer que numa hora e pouco devorei metade do livro. E a minha opinião não figurou logo no blogue porque o meu tempo ultimamente tem sido escasso.

Mas voltando ao livro...

Pouco sabia de Mata Hari, embora a sua personagem sempre me tivesse despertado interesse. Uma mulher forte, que aproveitou o seu físico e a sua inteligência para atrair os homens, com a finalidade de conseguir sobreviver num país que não era o seu, mas com o qual sempre tinha sonhado.

Vítima de violência doméstica por parte do seu marido, Margaretha Zelke, natural da Holanda, decide mudar de nome e de vida e parte para Paris como bailarina exótica. Lá conhece muita gente, sobretudo homens, fascinados pela sua performance.

Paulo Coelho baseia a maior parte do livro nas aventuras amorosas de Mata Hari, e acaba por "desprezar" a sua importância enquanto espia, se é que teve. No entanto, foi como espia que a holandesa acaba por ser condenada à morte, com a acusação de traição durante a I Guerra Mundial.

Em A Espia, o autor coloca Mata Hari na primeira pessoa, a defender-se das acusações que diz injustas, e a poucas horas de ser fuzilada. A Espia acaba por contar parte da sua vida e proclama inocência, ao mesmo tempo que está convencida de que, até ao último minuto, algum homem importante com quem foi para a cama, a vai salvar.

Repleto de frases feitas, mas que nos tocam ao longo da sua leitura, A Espia ajuda a conhecer um pouco mais de Mata Hari e da sua vida amorosa. Confesso que me soube a pouco e que gostava de ler um pouco mais sobre a Espia, de tal forma que este livro me agarrou.

Para aguçar ainda mais a curiosidade deixo alguns excertos do livro que muito me agradaram e que espelham um pouco o que aquela forte mulher terá sido e que terá passado.

"Como é que uma mulher que durante tantos anos conseguiu tudo o que queria pode ser condenada à morte por tão pouco."

"Sou uma mulher que nasceu na época errada e nada poderá corrigir isso. Não sei se o futuro se lembrará de mim, mas, caso isso ocorra, que nunca me vejam como uma vítima, e sim como alguém que deu passos com coragem e pagou sem medo o preço que precisava de pagar."

"O amor é um veneno. Uma vez apaixonada, deixa de ter controlo sobre a sua vida, já que o seu coração e a sua mente pertencem a outra pessoa. A sua existência fica ameaçada."

"Quando não sabemos aonde a nossa vida nos está a levar nunca estamos perdidos."




2 marcadores:

Anónimo disse...

Uma pergunta talvez um pouco estranha, mas será que me poderia dizer se este livro está escrito seguindo o AO90? Eu tenho receio de ler spoilers, e até agora recuso a comprar livros que usem a nova ortografia...

De qualquer dos modos, muito obrigada pela opinião, gosto sempre de ler! :)

Maria Manuel Magalhaes disse...

Sim, o livro está escrito seguindo o AO.