segunda-feira, 15 de agosto de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Confissões - Kanae Minato [Opinião]

Título: Confissões
Autor:
Kanae Minato
N.º de Páginas: 214
PVP: 16,90€

Melhor thriller do ano para a Booklist e para o Wall Street Journal

Sinopse:
Os seus alunos assassinaram a sua filha.
Esta é a sua vingança.

Depois de um noivado que acaba em tragédia, tudo o que resta a Yuko Moriguchi é a sua filha, de quatro anos, Manami. Quando esta é encontrada afogada nas piscina da escola, Yuko decide aposentar-se. Mas, antes, deve dar uma última lição.

Um mês depois do sucedido, a professora Moriguchi, no seu discurso de despedida, acusa dois estudantes de matar a sua filha e anuncia a sua vingança pessoal, atroz e imediata, mas concebida de modo a que as devastadoras consequências ocorram lentamente, para que os jovens tenham tempo de se arrepender e passar o resto dos seus dias suportando o peso da culpa.

Confissões é um romance narrado a várias vozes, magistralmente construído, onde o suspense é mantido até ao fim, quando as diferentes peças se encaixam. Mas é também uma reflexão sobre o sistema educativo, os laços familiares, o comportamento humano, o amor e a vingança.

A minha opinião:
Livro de estreia de Kanae Minato, Confissões lê-se num ápice. Apesar da história estar praticamente esparramada na sinopse, a escritora japonesa consegue prender o leitor pela forma como escreve.

Yuko Moriguchi é mãe solteira de uma menina de quatro anos. A sua vida muda radicalmente quando Marami é encontrada, afogada, na piscina da escola. Aparentemente trata-se de um acidente, mas Yuko, professora naquela escola, descobre que a sua filha foi assassinada e acusa dois dos seus alunos do crime, começando aí uma vingança pessoal que terá consequências devastadoras para muitos dos seus alunos.

Narrado por diferentes vozes, quer do ponto de vista de Yuko, como de vários alunos, assim como da mãe de um deles, é um livro fundamentalmente sobre o crime, vingança e sobre o sistema educativo no Japão, assim como a lei da criminalidade juvenil que é muito permissivo no que toca aos crimes perpetrados por jovens.

É através das vozes de alguns dos intervenientes da história, que vamos tendo percepção do que realmente se passou no dia da morte da pequenita Marami. A identidade dos dois estudantes é revelada logo no início, mas apesar de ter pensado que a história ia perder o interesse, ganhou ainda mais.

A maldade de dois alunos de 13 anos é de tal forma descrita que causa arrepios ao leitor mais sensível. Se o início do livro revela, sob o olhar da mãe, uma crueldade atroz por parte de dois indivíduos que ainda agora acabaram de ser crianças, ao longo do livro e das diversas confissões, vamo-nos apercebendo que a crueldade inicial era ainda muito leve.

Confissões é um livro inquietante e com uma história magistral. As poucas páginas e a forma como está escrito fazem com que o leitor não queira deixar a leitura.
Excelente. Recomendo sem reservas.