terça-feira, 19 de julho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Teia de Mentiras - Heather Gudenkauf [Opinião]

Título: Teia de Mentiras
Autor: Heather Gudenkauf
Editor: TopSeller
Páginas: 320

Sinopse:
Jack Quinlan viveu assombrado durante décadas pelo assassínio brutal da sua mãe, cujo corpo foi ele que encontrou, em adolescente, no celeiro da quinta da família. Na altura, o caso abalou a pequena cidade de Penny Gate, à qual Jack evitou regressar durante anos.
O passado nunca fica esquecido.
Quando a sua tia Julia sofre um acidente e acaba em coma no hospital, Jack e a mulher, Sarah, veem-se obrigados a enfrentar o passado de que Jack vinha a fugir. À medida que a verdade sobre o acidente de Julia começa a revelar-se e este se transforma num caso de polícia, Sarah apercebe-se de que nada sobre a família do marido é o que aparentava ser.
Onde está a verdade?
Apanhada numa teia de mentiras e de perguntas sem resposta, Sarah mergulha no confuso passado de Jack à procura da verdade. No entanto, quanto mais se vê envolvida, mais difícil se torna para ela escapar de uma realidade para a qual poderá não estar preparada.
Num crescendo de ritmo e ação, este é um thriller de conspiração internacional com um final alucinante, que os amantes do género não podem perder.

A minha opinião:
Parti para a leitura deste livro sem quaisquer expectativas. Nunca tinha ouvido falar da autora, nem sequer da sua obra, pelo que a surpresa ao desfolhar de cada página ia crescendo cada vez mais.
À medida que a história avança vamos descobrindo que o passado de uma das personagens principais foi completamente ocultado por ele e só o acidente de uma parente dele é que faz reviver tudo de novo.

A história, contada do prisma de Sarah Quinlan, mulher de Jack, tem contornos que se tornam cada vez mais obscuros. Jornalista freelancer desde que teve filhos, Sarah sempre guardou consigo o bichinho da investigação jornalística e isso vai servir-lhe para desvendar os mistérios, que vão surgindo ao longo da história.

Obrigado a regressar à sua cidade natal, Penny Gate, Jack vê-se assombrado pelos fantasmas do passado.

O acidente de Julia, tia de Jack e da sua irmã Amy, faz com que Sarah conheça finalmente a terra do seu marido, e a família que o criou, desde que os pais morreram num trágico acidente. Mas a cada dia que passa Sarah vai descobrindo que tudo o que sabia acerca da vida passada do seu marido pode ter sido uma mera fantasia, e que ele lhe ocultou a maior parte da sua vida até a conhecer. Poderá um casamento de 20 resistir a tantas mentiras?

Sarah é uma mulher obstinada, que mesmo não conhecendo nada da localidade que visita pela primeira vez, estabelece amizades facilmente e gera empatia com o leitor. Jack, nem tanto. A teia de mentiras que o envolve faz recair suspeitas graves sobre um passado que deseja esconder. E o resto da família? Amy é depressiva e descontrolada e os primos aparentam ser um casal perfeito, mas não gostei de nenhum deles. E depois há Margaret, a secretária do xerife, amiga antiga da família, que me cativou desde que a conheci.

O final surpreendente, nunca suspeitei do assassino, levou a que pontuasse a minha estreia com Heather Gudenkauf com 4,5*. Gostei mesmo muito.