quinta-feira, 16 de junho de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Os Crimes do Bispo - S. S. Van Dine [Opinião]

Título: Os Crimes do Bispo
Autor:
S. S. Van Dine
Tradução: Peri Pinto Diniz
N.º de Páginas: 328
PVP: 7,70 €

Quando um homem conhecido como Cock Robin aparece assassinado com uma flecha cravada no peito, John Markham, procurador do distrito judicial de Nova Iorque, chama para a investigação Philo Vance. Detetive amador de olho apurado e fraca crença em coincidências, Vance logo assinala a referência a uma conhecida lengalenga infantil. E rapidamente se torna claro que este será o padrão numa série de crimes extraordinários, arquitetados por um assassino de mente perversa, que mantém uma provocação constante à polícia através de cartas enviadas aos jornais, todas elas com a assinatura «O Bispo».
Num estilo simples e direto, construído pela mão hábil de S. S. Van Dine, esta é uma história recheada de mortes, de suspeitos e de detalhes surpreendentes – como as peças de xadrez ou as de teatro.
Um policial brilhante, uma obra clássica da literatura de mistério.

A minha opinião: 
Os Crimes do Bispo é o n.º 1 da mítica coleção Vampiro, relançada desde 26 de maio e que traz novamente os clássicos da literatura policial. Esta coleção não é me de todo estranha porque me lembro de a ver muito frequentemente em casa dos meus pais, e de ter lido muitos dos seus livros. Foi aí que conheci a escrita de Ellery Queen, Rex Stout, Dick Hasquins (um dos meus preferidos e que mais tarde vim a descobrir que era português). Infelizmente não sei o que é feito deles...


Este é o primeiro livro que leio de S. S. Van Dine, apesar de ter na estante um outro livro por ler do autor (O caso do colar desaparecido). Confesso que não me encheu as medidas, apesar de ter criado empatia com o detective amador Philo Vance, personagem que, pelo que percebo, praticamente presente em todas as obras do autor.

Philo Vance é chamado pelo procurador do distrito judicial logo que o corpo com uma flecha cravada no peito de Cock Robin aparece. Vance estabelece logo a referência a uma conhecida lengalenga infantil da Mãe Gansa e começa a investigar o crime a partir daí.

No entanto, o assassino revela ter uma mente perversa e mata desenfreadamente. A par de as vítimas estarem relacionadas com as lengalengas, manda cartas para os jornais locais e assina como "Bispo".

Com alguns jogos de palavras, que funcionam melhor em inglês, do que em português, no caso das lengalengas, e com vários avanços na área da física, matemática e xadrez... pensei que este primeiro livro me fosse agarrar mais. A relação que o detective estabeleceu com os suspeitos, durante os interrogatórios, foi de tal forma repetitivo que se tornou desgastante.