quinta-feira, 31 de março de 2016

Porto Editora publica Razões para Viver, no próximo dia 7 de abril

Título: RAZÕES PARA VIVER
Autor: Matt Haig
Tradução: Paulo M. Morais
Págs.: 264
Capa: mole com badanas
PVP: 14,40€

Como aprender a viver com uma doença que consome o mundo à sua volta?
Aos 24 anos, o mundo de Matt Haig desabou. Da luta contra a depressão e a ansiedade que este romancista britânico trava desde então surge Razões para viver, que a Porto Editora publica no próximo dia 7 de abril.
Este é um livro para todos os que passam, passaram ou conhecem alguém que passa por uma depressão ou por uma fase menos boa da vida. Razões para viver pede ao leitor que compreenda que o «fundo do poço não é o local mais adequado para termos uma visão clara e nítida sobre as coisas» e mostra que «o túnel tem mesmo uma luz ao fundo, mesmo que sejamos incapazes de a ver». Este é um livro sobre como tirar o máximo partido da vida.
Neste poderoso testemunho pessoal, Matt Haig “tira da escuridão um tema difícil e sensível” (como menciona o ator Michael Palin), reiterando a necessidade de acabar com o estigma que recai sobre quem sofre de depressão (ou qualquer outra doença do foro psiquiátrico) e o reconhecimento das doenças mentais como normais.
Recorde-se que em Portugal, de acordo com o relatório "Saúde Mental em Números" (divulgado recentemente pela Direção-Geral da Saúde), as perturbações mentais e do comportamento têm um peso significativo no total de anos de vida saudável perdidos pelos portugueses, com uma taxa de 11,75% contra 13,74% das doenças cerebrovasculares e 10,38% das doenças oncológicas. Estas mesmas perturbações representam 20,55% do total de anos vividos com incapacidade, a que se seguem as doenças respiratórias e a diabetes. Segundo dados de 2015 da OCDE, Portugal é também o terceiro país do mundo em que mais se consomem antidepressivos.

Sinopse:
Aos 24 anos, o mundo de Matt Haig desabou:
Durante algum tempo, fiquei parado junto ao abismo. Primeiro, a ganhar coragem para morrer; depois, a ganhar coragem para viver.
Este é um relato na primeira pessoa sobre a forma como Matt mergulhou numa crise profunda, triunfou sobre uma doença que quase o matou e reaprendeu a viver.
Quando se está deprimido, sentimos que estamos sozinhos e que mais ninguém está a passar exatamente por aquilo que nos está a acontecer. Temos tanto medo de que os outros nos achem loucos que acabamos por interiorizar tudo. Temos tanto medo de que as pessoas nos ostracizem ainda mais, que acabamos por nos fechar numa concha. E não falamos sobre o que se passa connosco, o que é uma pena, pois ajuda se falarmos sobre o assunto.

Sobre o autor:
Matt Haig é autor de cinco romances, incluindo vários bestsellers.
Venceu o “book of the series” do TV Book Club (Channel 4) e foi incluído na lista para o Specsavers National Book Award. The Humans foi selecionado para o 2014 World Book Night.
Os seus livros para crianças venceram o Smarties Gold Medal, o Blue Peter Book of the Year, foram nomeados para a Waterstones Children’s Book Prize e, também, para a Carnegie Medal por três vezes.


Sem comentários: