terça-feira, 1 de setembro de 2015

Livros do Brasil publica pela primeira vez A Aldeia, de William Faulkner, e lança uma nova edição de O Processo, de Franz Kafka

No dia 3 de setembro, a Livros do Brasil publica A Aldeia, de William Faulkner, o primeiro romance da trilogia sobre a ardilosa família Snopes, que até hoje nunca foi publicada na sua totalidade em Portugal. Os volumes seguintes, A Cidade e A Mansão, serão lançados já no próximo ano. A Aldeia foi considerado pela crítica como um marco na obra do autor e revela a sua capacidade excecional para narrar com humor episódios assustadores.
No mesmo dia, chega também às livrarias uma nova edição de O Processo, provavelmente o romance mais famoso de Franz Kafka, cuja primeira edição ocorreu há precisamente 90 anos. A tradução é de Álvaro Gonçalves, a primeira em Portugal a ser feita a partir da versão alemã baseada no manuscrito original de Kafka, que anula as alterações introduzidas pelo amigo e testamenteiro do autor, Max Brod.

Título: A Aldeia
Autor: William Faulkner
Tradução: Jorge Sampaio
N.º de Páginas: 368
PVP: 16,60 €

Jody Varner, filho do grande proprietário do Velho Domínio do Francês, está a cortar corda no armazém quando vê chegar um homem baixo, de chapéu de abas largas e casaco demasiado grande.
«O meu nome é Snopes. Ouvi dizer que tem uma quinta para alugar.»
Sobre os Snopes correm histórias de um passado sombrio, com indícios criminosos que à primeira vista os tornam vítimas fáceis em jogos de poder. Mas rapidamente a enigmática família de jornaleiros dá provas de que a sua presença naquela aldeia do sul dos Estados Unidos será tudo menos passiva. Numa sucessão de incidentes assustadores contados com humor retorcido, A Aldeia marca o arranque da trilogia construída por William Faulkner em torno da família Snopes. Um romance surpreendente e um empolgante predecessor de A Cidade, o segundo momento da saga.

Sobre o autor:
William Faulkner nasceu a 25 de setembro d e 1897 em New Albany, Mississípi. A decadência do sul dos Estados Unidos da América, onde sempre viveu, está no centro de grande parte dos seus romances, entre os quais se destacam O Som e a Fúria (1929), Luz em Agosto (1932) e Absalão, Absalão! (1936). Distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1949, recebeu por duas vezes o Prémio Pulitzer de Ficção, com A Fábula (1954) e Os Ratoneiros (1962). Autor central da literatura norte-americana e um dos maiores escritores do século xx, morreu a 6 de julho de 1962.

Título: O Processo
Autor: Franz Kafka
Tradução e Prefácio: Álvaro Gonçalves
N.º de Páginas: 256
PVP: 15,50 €

Um belo dia, Josef K., um bem-sucedido gerente bancário, é subitamente preso no seu próprio quarto, sem saber porquê nem por quem. Vê-se então envolvido num labiríntico e absurdo processo que decorre secretamente em obscuras secretarias instaladas em sótãos, conduzido por juízes menores que têm a mera incumbência de o inquirir. Concebido em 1914, o romance O Processo constitui para Kafka a forma ideal para expressar a fragmentação do mundo e da realidade em que vive o homem moderno.

Sobre o autor:
Franz Kafka nasceu em 1883, em Praga, numa família da pequena burguesia judia de expressão alemã. Tendo concluído os estudos jurídicos com o título de Doutor em Direito em 1906, começou no ano seguinte a escrever os seus primeiros contos, revelados em revistas literárias. A Metamorfose, novela que viria a afirmar-se como uma das suas obras de referência, foi publicada em 1915. Publicou em vida apenas sete pequenos livros, três deles antologias de textos e contos.
A 3 de junho de 1924, não resistindo à tuberculose que havia contraído em 1917, morreu num sanatório em Kierling, a poucos quilómetros de Viena, deixando três romances fragmentários que seriam publicados postumamente pelo seu amigo e testamenteiro Max Brod: O Processo (1925), O Castelo (1926) e América (1927). A sua obra, centrada no homem solitário moderno, refém de uma vida absurda, tornar-se-ia uma das mais influentes do mundo literário do século xx.




Sem comentários: