terça-feira, 18 de agosto de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

Nuno Carvalho estreia-se com O Assassino de Kyo

Chama-se "O Assassino de Kyo" e é o primeiro livro lançado por Nuno Carvalho. 

Data de publicação: Abril de 2015
Número de páginas: 738
Colecção: Mundo Fantástico
Género: Literatura Fantástica

Sinopse:
“Em Akath, não existe um sítio tão assolado por guerras e conflitos como a Ilha de Kyo.”

Dominada por esquemas, traições, assassínios, monstros fantásticos e heróis de lendas, a Ilha de Kyo é um dos sítios mais enigmáticos do continente de Akath.

A morte é um conceito que é vivido pelos seus habitantes e pelos seus territórios.

Há vinte anos, fruto da Separação, quatro facções lutam para tomar o controlo desta misteriosa região.

Drek’thar, um jovem de vinte e dois anos, treinado desde criança na arte do assassínio, vê a sua vida virar de pernas para o ar após uma carta de Urnard Throon, antigo rei dos Homens de Kyo e Chefe de Guerra do Pacto dos Corações de Ferro. O líder pede, explicitamente, que Drek se torne o seu assassino pessoal, num propósito que apenas o carismático governante conhece.

Que missões esperam o jovem assassino? Que segredos esconde a Ilha? Serão as intenções de Urnard as melhores? Que dificuldades irá Drek enfrentar?

O Assassino de Kyo conta a história de Drek na primeira pessoa, à medida que se vai conhecendo os conflitos mentais do jovem, as adversidades que o esperam e os terríveis mistérios que se escondem no passado, mas também no dia-a-dia da Ilha e de Drek.

Sobre o autor:
Nuno Carvalho tem vinte e um anos, é natural de Vila Real e estuda Engenharia Informática e Línguas Modernas na Universidade de Coimbra.
Desde muito cedo, revelou o seu fascínio pelo imaginário. Influenciado, na sua infância, por autores como J.R.R Tolkien, J.K. Rowling e Christopher Paolini, mas também por lendas e mitos da Antiguidade, levaram-no a querer procurar, cada vez mais, obras com mundos fictícios e heróis de lendas.
Com o passar do tempo, este jovem leitor com sonho de escritor, continuou preso nos mundos fantásticos, mas que se concentrassem nos conflitos do coração humano e nas emoções. Nessa altura, autores como George R. R. Martin, Mark Lawrence, Paul Hoffman, Robin Hobb e Patrick Rothfuss não só influenciam a imaginação, mas também alertam à maturidade das emoções e das analogias criadas para descrever as realidades do mundo.
Foi neste momento, que Nuno Carvalho decidiu, após alguma insistência daqueles mais próximos de si, de “passar para o papel as histórias que se tinham construído no seu interior, ao longo destes anos de leitura.”
O Assassino de Kyo é, de certa forma, uma reflexão dos conflitos emocionais dentro do autor, um estudo sobre o comportamento humano e as suas consequências em qualquer sociedade e sobre a força e perseverança do Homem.