quinta-feira, 2 de julho de 2015 | By: Maria Manuel Magalhaes

VOGAIS: «Os Bebés de Auschwitz». A coragem de três mulheres grávidas. Uma história que impossível de esquecer


«Os Bebés de Auschwitz é uma história excecional, resultante de um extraordinário trabalho de pesquisa, escrito com uma empatia diligente.» - The New York Times

Entre as vítimas do Holocausto enviadas para Auschwitz em 1944, três mulheres levavam consigo um segredo quando passaram pelos portões do infame campo de concentração. Priska, Rachel e Anka estavam grávidas de poucas semanas, enfrentando um destino incerto longe dos seus maridos. Sozinhas, assustadas, e após terem perdido tantos familiares às mãos dos nazis, sentiam-se determinadas em lutar pelo que lhes restava: as vidas dos seus bebés.

Estas mulheres deram à luz em circunstâncias inimagináveis, com intervalos de semanas entre si. Quando nasceram, os bebés pesavam menos de 1,5 Kg cada, e os seus pais haviam sido assassinados pelas forças alemãs, enquanto as mães se haviam transformado em «esqueletos andantes».

Os Bebés de Auschwitz, editado pela Vogais, chancela da 20l20 Editora (416 pp l 19,99€), segue a incrível história das mães: primeiro em Auschwitz, onde sofreram o escrutínio cruel de Josef Mengele, o médico nazi conhecido como Anjo da Morte, que selecionava as mulheres grávidas à entrada do campo, destinando-as às câmaras de gás; depois num campo de trabalho alemão onde, esfomeadas, lutaram por esconder a sua gravidez; e, por fim, durante a viagem infernal de comboio, que durou 17 dias, até ao campo de concentração de Mauthausen, onde viriam a ser libertadas pelos Aliados.

A biógrafa Wendy Holden descreve toda a história com minúcia, destacando a coragem destas mulheres e a bondade dos desconhecidos que as ajudaram a sobreviver. Os Bebés de Auschwitz é um livro comovente e uma celebração da nossa capacidade de amar, ajudar e sobreviver mesmo nos contextos mais tenebrosos.

A Vogais disponibiliza os primeiros capítulos desta extraordinária história, aqui.

Wendy Holden foi jornalista durante 18 anos, tendo trabalhado mais de uma década no Daily Telegraph, no qual era correspondente estrangeira e de guerra, e para o qual cobriu acontecimentos em todo o mundo.

É autora e coautora de mais de trinta livros, entre os quais se destacam alguns títulos sobre as vidas de mulheres extraordinárias, como Tomorrow Be Brave, sobre a única mulher a pertencer à Legião Francesa, A Lotus Grows in the Mud, biografia da atriz Goldie Hawn, ou Lady Blue Eyes, sobre Barbara, a viúva de Frank Sinatra. É também autora, entre outros, de Behind Enemy Lines, sobre um espião judeu que terá conseguido infiltrar-se repetidas vezes em território alemão, e do livro inspirador Haatchi & Little B.