sexta-feira, 10 de julho de 2015

O Sítio Secreto - Tana French [Opinião]

Título: O Sítio Secreto
Autor:
Tana French
Tradução: Ana Lourenço
N.º de Páginas: 492
PVP: 17,80 €

Um jovem é encontrado morto nos jardins de um colégio feminino. A polícia não consegue apurar os culpados, nem clarificar as circunstâncias do crime. Mas alguém viu e sabe o que se passou… “Sei quem o matou” é a legenda de uma foto do rapaz assassinado, que aparece misteriosamente afixada no Sítio Secreto: o quadro de avisos da escola feminina, onde as alunas afixam segredos de forma anónima. Esta pista inesperada relança o detetive Stephen a desvendar um nó de segredos para chegar à verdade.



A minha opinião:
Este é o primeiro livro que leio de Tana French e fiquei surpreendida com a escrita da autora e com o enredo e a forma como foi engendrada do crime. Como amante de livros policiais não entendo como é que a escritora me passou completamente ao lado, até porque este tipo de histórias fazem completamente o meu género.

Quando Chris Harper é encontrado morto no colégio feminino vizinho ao seu, a polícia não consegue descobrir quem fez macabro acto. O jardineiro da instituição é apontado como suspeito, até porque é descoberto um pequeno delito de drogas, mas será que as drogas estarão relacionadas com o assassinato?

Um ano depois, aparece afixada num quadro de avisos do colégio feminino, denominado "Sítio Secreto", um local designado para qualquer aluna colocar desabafos anonimamente, uma fotografia com a seguinte legenda "Sei que o matou". Este será o mote para que Holly, uma das alunas, se dirigir à esquadra e falar com um dos amigos e colegas do seu pai, o detective Stephen, para lhe contar o sucedido.

Tudo isto vai desencadear uma nova investigação que nos dará a conhecer cada uma das raparigas que estaria envolvida, de uma forma ou outra com a vítima. Desta forma, vamos conhecendo dois grupos fortes: o de Selena, Julia, Holly e Rebecca e o de Joanne Orla, Allison e Gemma. É aqui que Tana French, a meu ver, mostra o ponto forte do livro. A "radiografia" que faz a cada uma das jovens, com as suas fraquezas próprias da adolescência, mas também a sua tomada de posições e chamada de atenções sobre si, o seu egocentrismo, o poder dentro do grupo, o namoricos, fazem com o que o livro se torne rico em relações humanas e poderoso em possíveis suspeitos.


Tana French é uma autora a reter e vou colocar todos os livros anteriores na minha lista de compras. E estarei atenta aos futuros, claro.    



Sem comentários: