segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Contagem Decrescente - Bruno Franco [Opinião]

Título: Contagem Decrescente
Autor: Bruno Franco
Edição/reimpressão: 2014
N.º de Páginas: 532
Editor: Chiado Editora
PVP: 18€

Sinopse:
31 de Dezembro. Passagem de ano.
Rodrigo Tavares, um proeminente detective da Polícia Judiciária, encontra-se em Almada para assistir ao espectáculo pirotécnico quando recebe um telefonema que muda a sua vida por completo, levando-o a perceber que tinha chegado o momento que tanto temera: a concretização de uma ameaça homicida proferida pelo assassino que mais lhe custara capturar no passado.
Rodrigo tem até dia 15 de Janeiro para deter o assassino, ou as consequências serão devastadoras. E não apenas para si.
Quando o detective observa a forma excruciante e desumana como a primeira vítima fora assassinada, percebe a importância e a seriedade do que está a acontecer, e é então que começa a corrida contra o tempo.
O que começa por ser uma caça ao homem transforma-se rapidamente em algo muito maior e aterrorizador. Ao mergulhar num mundo de trevas e muitas dúvidas, medo e desespero, Rodrigo receia o futuro como nunca antes o fizera.

A minha opinião: 


Aparentemente o dia 31 de dezembro parecia ser um dia normal. Mais uma passagem de ano bala para Rodrigo Tavares, detective da Polícia Judiciária, que se preparava para comemorar a passagem de mais um ano com os amigos mais chegados. Mas um telefonema inesperado põe-no alerta.

Do outro lado da linha, um homem que diz ser Valter, comunica-lhe que ocorreu um homicídio e que este será apenas o primeiro de muitos. Diz ainda que Rodrigo terá apenas até ao dia 15 de janeiro para descobrir o verdadeiro culpado começando a contagem a partir daquele instante.

A escolha de Rodrigo Tavares não é aleatória. Tavares é já reconhecido do grande público devido ao desvendar do caso "O Queimador", uma investigação mediática que deixa marcas físicas, mas sobretudo psicológicas, no próprio detective. Mais tarde, Rodrigo vai perceber que este caso foi apenas um teste para esta segunda investigação, bastante mais importante para este perigoso assassino.

Os locais do crime são sempre escolhidos com mestria e de forma inteligente pelo assassino, tornando-se completamente impossível para Rodrigo e para a sua equipa descobrirem pistas sobre quem será tão vil figura. No entanto, Valter vai deixando algumas pistas, em formas literárias, para que o detective pelo menos vá descobrindo onde será o próximo local da matança.


Camões, Pessoa, D. Sebastião, Marquês do Pombal, os Jerónimos, todos estão interligados de alguma maneira e gostei, sobretudo, da forma como essa interligação foi feita. Além do macabro das mortes, foi esse raciocínio lógico que mais apreciei na história.

A excelente camaradagem entre Rodrigo e os colegas e algumas revelações no final, algumas previsíveis outras nem tanto, fizeram com que adorasse este primeiro livro de Bruno Franco.

Bruno Franco é autor ainda de um primeiro livro intitulado O Novo Membro, também ele com a personagem de Rodrigo Tavares. Não conhecia a escrita do autor, mas confesso que foi uma excelente surpresa. A forma como Contagem Decrescente está escrita, bem fundamentado, com um enredo bem formado levou-me a desejar ler o próximo livro o mais depressa possível, uma vez que ficou tanto em aberto desta primeira história.

Só me resta uma pergunta: Para quando o próximo?

Recomendo.


  


 

Sem comentários: