quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Novidades Saída de Emergência

Título: O Pirata do Rei na Terra do Sol
Autor: Clóvis Bulcão
Um paraíso na terra tem de ser desejado. Terras férteis, pólvora, sal, ouro – tudo isto abunda no Brasil em pleno século XVIII, como uma arca do tesouro à espera de ser aberta.
Na Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro há personagens  cheias de vida à espera de serem lembradas, ruas pisadas por mulheres sedutoras e trafi cantes de pólvora, piratas e padeiras, numa paisagem que se contempla no êxtase do sol tropical.

Esta bela e inesquecível cidade foi, em 1711, sequestrada por um pirata do rei. Descubra toda a história pela pena de Clóvis Bulcão no deslumbrante O Pirata do Rei na Terra do Sol.

BEM-VINDOS AO NOVO MUNDO
O Pirata em questão é René Duguay-Trouin, lendário corsário ao serviço do rei Luís XIV, que lhe confiou primeiro um dos seus barcos, o Profond, e depois armadas numerosas. Os corsários são, de certa forma, “piratas legais”, isto é, são autorizados pelo Rei ou pelo Estado a fazer perseguição e pilhagem em navios particulares aos navios mercantes de um país inimigo. O corsário tem na sua posse uma carta de corso que o legitima para tais funções. Muitas caravelas portuguesas e castelhanas foram pilhadas por corsários ingleses e franceses.
Na Terra do Sol A Terra do Sol é o Brasil, mais precisamente a Cidade de São Sebastião do Rio de  Janeiro, que é sequestrada por René Duguay-Trouin. O Sol poderia ser aqui representativo da abundância de ouro em território brasileiro, o que motivou a inveja de outros países, como França, cobiçando a riqueza minéria a que os portugueses tinham acesso.
Posição de Portugal na altura
Estamos em pleno século XVIII, e é o rei D. João V, O Magnânimo, que governa, em pleno clima absolutista. No meio de festas e celebrações generosas, D. João V usou e abusou do ouro no Brasil, ficando célebre por fundar o Convento de Mafra, e ansiando projetar Portugal nos palcos da Europa como uma nação na vanguarda. A Guerra da Sucessão e as Guerras do Oriente não o abalaram, tendo sido um grande edificador (e gastador), fomentou também os estudos históricos em Portugal. Foi um hábil diplomata em termos de política externa e relações internacionais, e foi no seu reinado que se solidifi cou a aliança Portugal-Inglaterra. Mal saberia ele que França atacaria a sua mais rica colónia…

Sobre o autor:
Clóvis Bulcão é professor de História do Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro e um célebre historiador com presença frequente na televisão e rádio brasileiras. Procura divulgar os conhecimentos de história a todos, comentando ocasionalmente a realidade política e social. Publicou no Brasil, entre outras obras, Padre António Vieira - Um Esboço Biográfico (Ed. J. Olympio), que teve imenso sucesso junto do público leitor e académico. Este é o seu primeiro romance em Portugal.

Título: Eleanor & Park
Autor: Rainbow Rowell

Este livro é urgente – tem que ser lido. O amor tem histórias difíceis e complicadas, e algumas clamam por ser lidas quanto antes. Esta é uma delas: bullying, negligência parental, violência doméstica, pobreza – nada disto tem força quando o amor nasce.
Eleanor e Park encontram semelhanças para lá das suas fronteiras, encontram a sua música para calar os gritos – encontram a sua salvação através da banda desenhada, e a sua redenção através da música.
Este é um romance de hoje e de amanhã – para nos mostrar que a vida é realmente bela, apesar dos elefantes na sala, dos fantasmas em casa e dos monstros na escola.
“Nunca vi nada como Eleanor e Park. É uma belíssima história de amor. Relembrou-me o que é ser jovem e apaixonado por uma rapariga, mas também ser jovem e apaixonado por um livro.” John Green, autor de A Culpa É das Estrelas
“Um retrato honesto de arrebatar o coração sobre um amor imperfeito mas inesquecível.” The Horn Book




Sem comentários: