sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Planeta: Novidades Novembro

FICÇÃO NACIONAL

Título: Nove Mil Passos
Autor: Pedro Almeida Vieira
N.º de Páginas: 232
PVP: 16,65 €
Disponível a 12 de Novembro

Nove Mil Passos, o romance de estreia de Pedro Almeida Vieira, regressa agora às livrarias, dez anos depois da primeira publicação. A
reedição de uma grande obra, de um dos melhores autores de romance histórico da actualidade.
«[Com Nove Mil Passos], o romance histórico ganhou, este século, novas asas para voar, harmonizando o rigor e a objectividade dos factos históricos narrados com os devaneios estéticos próprios da ficção.» Miguel Real, do Prefácio

Um livro narrado por Francisco d’Ollanda, ou melhor pelo seu espírito, já que o narrador está morto, num tom cheio de humor, que nos relata as peripécias que o seu ser imaterial vai acompanhando. Francisco d’Ollanda foi o primeiro arquitecto e visionário a quem D. João III pediu estudos para a construção de um aqueduto que abastecesse de água a cidade de Lisboa e aqui conta, quase dois séculos depois, como se processou todo o estudo, adjudicação e construção do Aqueduto das Águas Livres, já no reinado de D. João V.
Ficamos a saber tudo sobre os seus construtores e as tramóias, as intrigas, as traições, os golpes de génio que vão fazendo andar de um para outro dos arquitectos e engenheiros que ficaram com o seu nome ligado ao fabuloso monumento.
Entre a Inquisição e a Maçonaria, as forças vão-se digladiando, fazendo andar e desandar as obras – e os gastos – até finalmente, poucos dias após a morte do próprio monarca, a água chegar finalmente a Lisboa.

«Aqui saberás, leitor, da história fabulosa de um rio de pedra ambicionado por séculos para dessedentar uma cidade. Tanto tempo se precisou que a conhecerás pela voz de Francisco d’Ollanda, o genial visionário da Renascença que o planeou, mas não o viu nascer em tempo da sua vida. E que por isso agora a conta em espírito, para que saibas com que obreiros e pantomineiros se fez um aqueduto. Aqui verás, escorrendo ao longo das páginas, uma história paradigmática do nosso Portugal, em que a argamassa usada para erguer o Aqueduto das Águas Livres se mistura com traições e paixões, trafulhices e beatices, heresias e ortodoxias. Enfim, aqui conhecerás, caro leitor, o retrato de um país – então sob domínio de um rei magnânimo e despesista – que ainda hoje dura e perdura, tal como o Aqueduto, apesar de tudo...» Excerto

Sobre o autor:
Nasceu em Coimbra em Novembro de 1969 e vive em Lisboa. Licenciado em Engenharia Biofísica pela Universidade de Évora, tem repartido a sua actividade pelo jornalismo, a escrita e a investigação académica. Foi jornalista da revista Grande Reportagem e do Expresso. No ensaio, publicou O Estrago da Nação (2003) e Portugal: O Vermelho e o Negro (2006). Na ficção, estreou-se com Nove Mil Passos (2004), a que se seguiu O Profeta do Castigo Divino (2005), A Mão Esquerda de Deus (2009, finalista do Prémio Literário Casino da Póvoa / Correntes d’Escritas) e Corja Maldita (2010). Em 2012 foi responsável pela redescoberta, fixação de texto e notas de O Estudante de Coimbra, o pioneiro romance moderno português, de Guilherme Centazzi. Criou e gere a biblioHistória, a primeira base de dados de literatura  histórica. Visite o sítio do autor em: www.pedroalmeidavieira.com

Título: Vila Algarve
Autor:
Francisco Duarte Azevedo
N.º de Páginas: 232
PVP: 16,95€
Disponível a partir de 12 de Novembro

Um novo romance do mesmo autor de O Trompete de Miles Davis, que confirma Francisco Duarte Azevedo como uma voz a ter em conta na literatura portuguesa contemporânea.
Uma poderosa história passada em Moçambique, na Maputo contemporânea.

Um ajuste de contas de um homem apátrida com os fantasmas do seu passado e do passado das suas duas pátrias.

«Na parede lateral interior, do lado direito do bar, havia uma foto de um pórtico situado na entrada principal da Vila Algarve, suspensa e resguardada com uma moldura simples e funcional que o Esperança tinha encomendado a um primo de Inhambane, da família de Lucinda, sua augusta mulher. E na fotografia estava escrito: «Presos na Vila Algarve». Excerto

Este romance conta a história de um homem - um branco, português, de uma família de retornados a Portugal com a descolonização - que regressa à cidade onde viveu a sua infância e juventude. A cidade é a mesma, e é outra – chama-se Maputo. Na alterada geografia poucos marcos se mantêm: uma amizade, os fantasmas que lhe povoam a solidão, e a Vila Algarve. Procurando um lugar incerto na vastíssima cidade, entre o bar do Esperança e a morada do seu desespero, só o amigo de infância, tornado professor e poeta – o narrador desta história – e a sua doce Fathma surgem a Dória como refúgio, família e ninho. De resto, todas as memórias de quem ainda luta pela verdade – como Mavuze – o velho inspector da polícia, convergem para a Vila Algarve, a sede da PIDE na então Lourenço Marques, onde foram interrogados, torturados e mortos muitos opositores ao regime e muitos intelectuais e artistas moçambicanos.
É tempo de confrontar os fantasmas: os próprios e os alheios.

O QUE DIZ A CRÍTICA SOBRE O LIVRO ANTERIOR DESTE AUTOR
«Porque me comove O Trompete de Miles Davis? Porque é um livro que alcança muito mais do que pretende e atinge muito mais longe do que anuncia. Porque, nesse desprendimento, nos entrega figuras que  nunca mais se afastam de nosso pensamento. Um primeiro livro que parece ser o sexto.» Lídia Jorge
«Francisco Azevedo mostra-nos que a escrita é uma casa: «até um pássaro busca o seu ninho», lê-se neste romance que convida o leitor a ser detective nas páginas para prazer da sua leitura. Esperemos que a casa se amplie, pois este foi um início de gigante.» Teresa Sá Couto in Orgia Literária

Sobre o autor:
É diplomata de carreira, tendo cumprido missões em África e nas Américas. Tem colaboração dispersa na “Página Jovem” do Notícias da Beira (Moçambique), na revista Vértice, nos Cadernos de Literatura da Universidade de Coimbra, nas revistas O Instituto e Gávea-Brown, no Jornal Luso-Americano e noutras publicações. Vila Algarve é o seu segundo romance, depois de O Trompete de Miles Davis (2011), também publicado pela Planeta.

FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: O Jogo do Anjo
Autor:
Carlos Ruiz Zafón
PVP:17,76€
N.º de Páginas: 546
Disponível a partir de 12 de Novembro

Nova edição
com nova tradução

UM ROMANCE MAGISTRAL
Para os que se apaixonaram por A Sombra do Vento, este
segundo livro da série O Cemitério dos Livros Esquecidos é uma
verdadeira promessa de felicidade.

Nesta segunda parte da tetralogia
O Cemitério dos Livros Esquecidos, Carlos Ruiz Záfon regressa à mesma linha de acção e às mesmas personagens.
Com um estilo deslumbrante e impecável precisão narrativa, o autor de A Sombra do Vento transporta-nos de novo à Barcelona de o Cemitério dos Livros Esquecidos para nos oferecer uma aventura de intriga, romance e tragédia, através de um labirinto de segredos, onde o encantamento dos livros, a paixão e a amizade se conjugam num romance magistral.

«Zafón reinventou o que significa ser um grande escritor. A sua aptidão visionária para contar histórias é já um género em si mesma.»  USA TODAY

Na turbulenta Barcelona dos anos de 1920, um jovem escritor obcecado com um amor impossível recebe a proposta de um misterioso editor para escrever um livro como nunca existiu, em troca de uma fortuna e, talvez, de muito mais.

«Se alguém pensava que o genuíno romance gótico morrera no século XIX, este livro fá-los-à mudar de ideia. Um romance cheio de esplendor e de tramas secretas, onde as histórias paralelas se desdobram em narrativas paralelas. Nas mãos de Zafón, cada cena parece saída de um dos primeiros filmes de Orson Welles. É preciso ser-se verdadeiramente romântico para se conseguir ser tão deslumbrante.»
Stephen King

Mais de 25 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, dos dois primeiros livros da série.

Sobre o autor:
Carlos Ruiz Zafón é um dos autores mais lidos e reconhecidos em todo o mundo. Inicia a sua carreira literária em 1993 com O Príncipe da Neblina (Prémio Edebé), a que se seguem O Palácio da Meia-Noite, As Luzes de Setembro e Marina.
Em 2001 é publicado o seu primeiro romance para adultos, A Sombra do Vento, que rapidamente se transforma num fenómeno literário internacional.
Com O Jogo de Anjo (2008) regressa ao universo de O Cemitério dos Livros Esquecidos, que continua em O Prisioneiro do Céu. As suas obras foram traduzidas em mais de cinquenta línguas e conquistaram numerosos prémios e milhões de leitores nos cinco continentes.

Título: A Princesa Branca
Guerra dos Primos - Livro V
Autor: Philippa Gregory
N.º de Páginas: 488
PVP: 19,95 €
Disponível a partir de 12 de Novembro

Pela primeira vez na Planeta, a autora best-seller de romance histórico mais vendida em Portugal.
Intriga, romance, história, com uma pesquisa rigorosa narrada de forma soberba.
Philippa Gregory é romance histórico no seu melhor.
Um olhar fascinante sobre os primeiros anos da corte dos Tudor, como nenhum outro autor consegue romancear.

«Philippa Gregory é uma escritora de inegável talento, a sua prosa é envolvente, clara e com ritmo» The Times

«Gregory retrata mulheres de garra, discordando de homens poderosos, dando aos acontecimentos históricos grandes doses de dramatismo. Misturando figuras históricas ou inventadas, narra os seus defeitos e falhas assim como as emoções. Faz com que a história…ganhe de facto vida para os leitores.» Publishers Weekly

«Gregory cria heroínas atraentes e determinadas, enérgicas, convincentes, vívidas e cativantes» Daily Express

Títulos anteriores da série A Guerra dos Primos em edição próxima e com novas traduções na Planeta
A Rainha Branca
A Rainha Vermelha
A Senhora dos Rios
A Filha do Conspirador

A GUERRA DOS PRIMOS
A Guerra das Rosas ou a Guerra dos Primos foi uma série de lutas dinásticas pelo trono de Inglaterra, durante os reinados de Henrique VI, Eduardo IV e Ricardo III. Em campos opostos encontravam-se as casas de York e de Lencastre, ambas da dinastia Plantageneta e descendentes de Eduardo III.
Teve origem nos problemas sociais e financeiros decorrentes da Guerra dos Cem Anos e no facto de Henrique VI ter perdido terras francesas conquistadas. A sua queda surge quando um candidato Lencastre, Henrique Tudor, derrotou o último rei de York, Ricardo III, conquistando o trono.

PRINCESA BRANCA
Quando Henrique Tudor conquista a coroa de Inglaterra após a batalha de Bosworth sabe que tem de se casar com a princesa da casa inimiga, Isabel de York, para unificar um país dividido pela guerra há duas décadas.
Mas a noiva ainda está apaixonada pelo seu inimigo morto, Ricardo III. A mãe de Isabel e metade de Inglaterra sonham com o herdeiro ausente, que a Rainha Branca enviou para o desconhecido. Embora a nova monarquia tome o poder, não consegue ganhar o coração de uma Inglaterra que espera o regresso triunfante da Casa de York.
O maior receio de Henrique é que um príncipe esteja escondido à espreita para reclamar o trono. Quando um jovem que quer ser rei conduz o seu exército e invade Inglaterra, Isabel tem de escolher entre o novo marido, por quem se começa a apaixonar, e o rapaz que afirma ser o seu amado e perdido irmão: a Rosa de York volta para casa finalmente.

Sobre a autora:
Nascida no Quénia a 9 de Janeiro de 1954, esta famosa escritora de romances históricos, mudou-se para Bristol, Inglaterra, quando tinha dois anos. Formada em História pela Universidade de Sussex e doutorada em Literatura do Século XVIII pela Universidade de Edimburgo. Além de escritora de romances, também escreve críticas para jornais britânicos e revistas. É também conhecida pelos programas de rádio e televisão.
Philippa vive com a família – o marido, dois filhos e enteados – numa quinta do Yorkshire, onde cria cavalos, galinhas e patos. Gosta de jardinagem, equitação e caminhadas. Também é activa em projectos de caridade e fundou o Gardens for the Gambia. O seu período preferido da História é a Era Tudor, sobre o qual já escreveu vários romances, alguns adaptados para televisão e cinema.
Philippa Gregory também tem vários livros infantis publicados, além de romances com histórias modernas.

Título: A Cidade do Fogo  Celestial - Caçadores de Sombras 6
Autor:
Cassandra Clare
N.º de Páginas: 312
PVP: 21,95 €


O tão esperado final da série Caçadores de Sombras não é recomendado para quem tem um coração sensível ou um estômago frágil.

Haverá amor sacrificado e vidas perdidas na terrível batalha pelo futuro do mundo neste empolgante final da clássica série de fantasia urbana Caçadores de Sombras.

Preto para caçar de noite, Para a morte e o luto a cor é o branco, Dourado para a noiva no dia do casamento, E encarnado para chamar o feitiço.
Clary e os amigos enfrentam a mais terrível expressão do Mal que alguma vez tiveram de combater: o irmão de Clary.
Sebastian Morgenstern está ao ataque e volta Caçador de Sombras contra Caçador de Sombras. Com a ajuda da Taça Infernal, transforma Nefelins em criaturas saídas de um pesadelo, separando famílias e amantes enquanto engrossa as fileiras dos seus Ensombrados.
Acossados, os Caçadores de Sombras refugiam-se em Idris… mas nem os poderes demoníacos de Alicante conseguem manter Sebastian à distância.
E com os Nefelins encurralados em Idris, quem protegerá o mundo contra os demónios?
Quando é desmascarada uma das maiores traições de toda a história dos Caçadores de Sombras, Clary, Jace, Isabelle, Simon e Alec são obrigados a fugir – ainda que a sua viagem os leve até ao coração dos reinos demoníacos, onde nunca nenhum Caçador de Sombras fora e de onde nenhum ser humano alguma vez regressara.

Caçadores de Sombras
. 60 semanas no top de best-sellers do The New York Times.
. Mais de 15.000 exemplares vendidos em Portugal
«Divertida, obscura e sexy. Um dos meus livros preferidos.» Holly Black, autora da série Spiderwick
«A atmosfera onde se encontra Clare está influenciada, em partes iguais, pelo terror gótico e a tendência para a fantasia moderna de Neil Giam. Os mais fervorosos fãs de terror ficarão rendidos perante esta  trilogia.» Publishers Weekly

Sobre a autora:
Cassandra Clare nasceu no Irão e passou os primeiros anos a viajar pelo mundo com a família e vários baús cheios de livros de fantasia, entre os quais As Crónicas de Nárnia. Mais tarde, trabalhou como jornalista em Los Angeles e Nova Iorque. Cassandra Clare vive em Massachusetts com o marido, os gatos e ainda mais livros.
Caçadores de Sombras é o título de uma série que começou com A Cidade dos Ossos, uma fantasia urbana povoada por vampiros, demónios, lobisomens, fadas, e que é um autêntico romance de acção explosiva.

Título: Separação - O Jardim Químico III
Autor: Lauren DeStefano
N.º de Páginas: 256 páginas
PVP: 15,95 €
Disponível a partir de 12 de Novembro

Num mundo onde as raparigas só vivem até aos vinte anos e os rapazes até aos vinte e cinco, o tempo é precioso.
Da autora best-seller do The New Tork Times, chega agora o empolgante final desta série O Jardim Químico, uma trilogia sofisticada, assustadora, com grande ritmo e uma trama que reserva contínuas surpresas ao leitor.
E SE AS PESSOAS QUE DEIXAMOS PARA TRÁS SE RECUSAREM A PERMANECER NO PASSADO?
Lauren DeStefano volta a inquietar-nos neste último livro da trilogia, com mais uma história marcante, de suspense e incertezas, que se passa num hipotético futuro, talvez não muito distante, que nos faz pensar que este cenário poderá de facto acontecer.
Esta série, que se transformou de imediato num êxito de vendas em mais de 30 países, já garantiu a sua adaptação para cinema.
Nesta espantosa conclusão da trilogia de O Jardim Químico, tudo o que Rhine julga ser verdade ficará irrevogavelmente despedaçado.

Após ter suportado o que há de pior em Vaughn, Rhine encontra um improvável aliado no seu irmão, um inventor excêntrico chamado Reed. Obtém refúgio na sua casa em ruínas, apesar de as pessoas que deixou para trás se recusarem a permanecer no passado.
Enquanto Gabriel assombra as memórias de Rhine, Cecily está determinada a continuar ao lado de Rhine, embora os sentimentos de Linden estejam ainda divididos entre ambas.
Entretanto, o crescente envolvimento de Rowan na resistência clandestina obriga Rhine a procurá-lo antes que faça algo de irremediável. Mas o que descobre pelo caminho tem implicações alarmantes no seu futuro e no passado que os pais nunca tiveram oportunidade de lhe explicar.

Sobre a autora:
Lauren DeStefano licenciou-se em Letras e especializou-se em escrita criativa no Albertus Magnus College, em Connecticut. Raptada é o seu primeiro livro.
Lauren DeStephano alcançou os primeiros lugares no top do New York Times, confirmando-se como um novo talento na ficção distrópica, tendo o segundo livro desta série entrado directamente para o primeiro lugar. Lauren vive em Connecticut e se quiser conhecê-la, visite-a em: www.laurendestefano.com










Sem comentários: