quarta-feira, 16 de julho de 2014 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Casa da Aranha, de Paul Bowles, publicado pela primeira vez em Portugal, nas livrarias a 18 de julho

Título: A Casa da Aranha
Autor: Paul Bowles
Género: Literatura / Ficção
Tradução: Jorge Pereirinha Pires
N.º de páginas: 504
Data de lançamento: 18 de julho
PVP: 19,90€

«Uma complexa tela de argumentação ideológica realçada pelas imagens de Fez, um mundo a sair da sua insularidade.» Kirkus Review

A Casa da Aranha é um verdadeiro thriller político, com a medina de Fez em pano de fundo e os tempos explosivos do movimento nacionalista marroquino.
Embora todos os romances de Paul Bowles espelhem o encontro e o conflito entre civilizações, neste, muito menos subjetivo, a aguda clivagem entre a cultura árabe e a do colonizador francês é explorada com grande detalhe e profundidade. A forte tensão política e social que enquadra a intriga – protagonizada por um americano comunista, um rapazinho analfabeto e uma atraente mulher ocidental –, o ambiente de conspiração e a infinidade de matizes que dão vida e complexidade à milenar cidade de Fez tornam A Casa da Aranha um marco na obra de Paul Bowles.


Sobre o autor:
Paul Bowles nasceu no bairro de Queens, em Nova Iorque. Em 1929 iniciou-se nas viagens, passando uma temporada na Europa, onde conheceu Gertrude Stein, Jean Cocteau, Ezra Pound, Christopher Isherwood e Kurt Schwitters, entre outros.
Em 1931 viajou pela primeira vez para Tânger, onde viveria grande parte da sua vida. Em 1957 conheceu a escritora Jane Auer, com quem manteve um casamento aberto, até à morte de Jane, em 1973.
Nos anos 50, vivendo grandes períodos no Norte de África, Bowles recebeu na sua casa de Tânger as principais figuras da Geração Beat. Durante a longa vida de viajante e expatriado, Paul Bowles trabalhou incessantemente como escritor e compositor e viu reconhecidas as suas obras: na literatura, por exemplo, O Céu Que Nos Protege, romance que ocupou o primeiro lugar da lista do New York Times e que foi adaptado ao cinema por Bernardo Bertolucci.
Com Viagens, a Quetzal inaugurou uma série dedicada a Paul Bowles, a que se junta agora A Casa da Aranha, romance que se publica pela primeira vez em Portugal.