terça-feira, 1 de abril de 2014

No dia 4 de abril, a Sextante Editora publica o novo livro de Philippe Claudel, Perfumes

Título: Perfumes
Autor:
Philippe Claudel
Tradutor: Luís de Barros
Págs.: 160
PVP: 15,50 €

Um inventário que marca uma vida
Perfumes é mais recente livro de Philippe Claudel
A 4 de abril, a Sextante Editora publica o novo livro de Philippe Claudel, Perfumes, onde cada um dos curtos capítulos é dedicado a um perfume da vida quotidiana. Organizados por ordem alfabética, os cheiros da infância, do passado e do presente, os mais delicados e os mais agressivos, têm um papel interventivo na história do narrador deste livro, que reconhece nos odores os acontecimentos marcantes a que assistiu, experiências ou pessoas que conheceu, e que despoletam emoções escondidas.
Escritor e realizador premiado, Philippe Claudel fez, aquando da escrita de Perfumes, uma retrospetiva da sua própria vida, e defende por isso que este será o seu livro mais íntimo. No catálogo da Sextante Editora está também o seu romance anterior, A investigação.

Sobre o livro:
Em 63 vinhetas, que vão de «Abeto» a «Viagem», Philippe Claudel evoca outros tantos perfumes da infância e da adolescência. Cada evocação faz ressurgir um mundo esquecido do qual sobrevivem certos traços: o pai que se barbeia, o protetor solar da mãe, o cabelo sedoso das primeiras namoradas, a canela dos bolos e o vinho quente, o feno dos campos, o pulôver do tio… Ao longo do livro desenha-se uma paisagem de abetos, de campos de terra negra e rios, e um mundo de gente simples e verdadeira regressa, pessoas que nasceram na mesma cama onde viriam a morrer. Prestando-lhes homenagem, Claudel conta a sua própria vida, as suas origens, a sua Nancy natal, os seus pais e irmãs, como nunca o fizera antes.

Sobre o autor:
Philippe Claudel é o autor do bestseller Almas cinzentas, vencedor do Prémio Renaudot 2003, do Grande Prémio literário Elle 2004 e classificado como Livro do Ano pela revista Lire em 2003. Está traduzido em mais de 30 países. Em 2007, o seu romance O relatório de Brodeck foi galardoado com o Prémio Goncourt des lycéens. Realizou o filme Il y a longtemps que je t’aime, com Elsa Zylberstein e Kristin Scott Thomas, em 2008, vencedor de dois prémios César.

Imprensa:
Claudel descreve o indescritível, o minúsculo, o impercetível, com uma fluidez desconcertante, procura a palavra justa e por vezes até a rima, diverte-se, pensa, recorda, respira o mundo com prazer, e encanta-nos.Le Point
Com um talento inegável, Claudel reanima os lugares, as cenas, as emoções, com as suas cores e cheiros, sobre um fundo belo de silêncio.Le Figaro


Sem comentários: