quarta-feira, 19 de março de 2014

Nos 100 anos da Grande Guerra, conheça João Ninguém

Título: João Ninguém, Soldado da Grande Guerra
Autor: Capitão Menezes Ferreira
Notas e enquadramento histórico de David Castaño
Género: História
N.º de páginas: 112
Data de lançamento: 4 de abril
PVP: 14,40 €

“Este livro de Menezes Ferreira é um impressivo retrato da participação portuguesa na Primeira Guerra que permite abrir várias portas e colocar questões sobre um conjunto de acontecimentos que moldaram o século XX e condicionaram a história política do país, constituindo um excelente ponto de partida para todos aqueles que pretendem conhecer este momento marcante da história contemporânea universal e as suas implicações em Portugal.”

Menezes Ferreira nasceu em Lisboa em 1889. Foi um militar com um conhecimento efetivo e prático do envolvimento de Portugal na Grande Guerra: não só integrou a primeira força expedicionária enviada para Angola e participou na batalha de Naulila, como acompanhou desde a primeira hora a constituição do Corpo Expedicionário Português e a sua progressiva integração na frente, participando na reorganização das forças portuguesas que se verificou após La Lys. Além disso, aderiu à República, tendo sido ajudante de Brito Camacho, líder do Partido Unionista, e envolveu-se numa conspiração militar contra o regime instituído a 28 de Maio.




Sobre o autor:
David Castaño, doutor em História Moderna e Contemporânea, mestre em História das Relações Internacionais e licenciado em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE, é atualmente bolseiro de pós-doutoramento da FCT no IPRI/UNL, onde desenvolve um projeto de investigação centrado no processo de consolidação da democracia portuguesa. Tem-se dedicado ao estudo da história contemporânea de Portugal e da história das relações internacionais. Foi investigador no Centro de Estudos de História Contemporânea do ISCTE-IUL e colaborou em diversos projetos de investigação, tendo publicado estudos em revistas científicas e em capítulos de livros. Foi um dos coordenadores da obra Portugal e o Atlântico, 60 anos dos Acordos dos Açores, e é autor do livro Paternalismo e Cumplicidade: as relações luso-britânicas 1943-1949, que foi galardoado em 2005 com o Prémio Teixeira de Sampayo. Mário Soares e a Revolução é a sua obra mais recente. Em coautoria com o general Garcia dos Santos, publicou pela Bertrand em 2013 o livro Apontamentos Políticos. Eanes e os Partidos.


Sem comentários: