sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Noite sobre as águas - Ken Follett [Opinião]

Título: Noite sobre as águas
Autor: Ken Follett
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 528
Editor: Bertrand Editora
Colecção: Grandes Romances

PVP: 16.95€

Em 1939, com a guerra a acabar de ser declarada, um grupo de pessoas privilegiadas embarca no mais luxuoso avião de sempre, o Pan American Clipper, com destino a Nova Iorque: um aristocrata britânico, um cientista alemão, um assassino e a sua escolta, uma jovem em fuga do marido e um ladrão encantador, mas sem escrúpulos. Durante trinta horas, não há escapatória possível desse palácio voador. Sobre o Atlântico, a tensão vai crescendo até finalmente explodir num clímax dramático e perigoso.

A minha opinião:
Mais um romance fantástico de Ken Follett. Quanto mais leio deste autor, mais fico rendida aos seus livros. Desta vez, e ainda sobre um clima de guerra, Follett leva-nos a sobrevoar o atlântico nas asas de um Boeing 314, um luxuoso hidroavião, que faria a viagem entre Inglaterra e os Estados Unidos e a quem as pessoas com grandes possibilidades era permitido viajar.
No entanto, ter dinheiro não significa ter escrúpulos e no mesmo local vão estar reunidos, durante 29 horas, pessoas de várias estirpes, desde a família Oxenford, cujo patriarca é um acérrimo fascista e seguidor de Hitler, que acaba de declarar a Segunda Guerra Mundial. Com a entrada da Inglaterra na guerra contra a Alemanha, a família Oxenford decide partir para a América até ao fim da mesma. Por isso mesmo, reservam passagens no Clipper da Pan American.
Percy, o irmão mais novo, ficou contente por viajar novamente de avião. Já Margaret, uma rapariga um tanto ao quanto revolucionária, que é contrária às ideias do pai e que deseja por tudo alistar-se na guerra contra os alemães.

Tom Luther, um gangster.
Harry Marks é jovem ladrão de jóias que depois de descoberto, e de quase ter sido presdo, aproveita ter saído da prisão sob fiança e com o dinheiro que tinha juntado dos roubos que havia feito ao longo dos tempos, decide partir no luxuoso voo rumo à terra das oportunidades.

Nancy Lenchan é uma empresária de calçado a quem o irmão deseja passar a perna ao tentar vender a fábrica sem o seu consentimento.
Diana e Mark são dois recentes amantes que se conheceram há pouco tempo e que decidem partir para a América.
Lulu Bell, uma famosa actriz; Carl Hartmmann um famoso cientista judeu, entre muitos outros. Toda esta miscelânea de raças, credos, e "profissões" vai criar conflitos, conversas e acesas discussões que tornarão a viagem cada vez mais interessante.
Ken Follet tem o condão de criar famílias recheadas de mistérios, com mulheres fortes para uma época ainda dominada pelos homens, em que a emancipação da mulher se começa a tornar evidente, mas que ainda está a dar os primeiros passos.

Impressionante é o relato verídico do Boeing 314 Clipper, um hidroavião luxuoso, não existindo hoje em dia qualquer exemplar dos 12 que foram construídos. Um destes transportou o presidente Roosevelt à Conferência de Casablanca em Janeiro de 1943 e um outro sofreu um acidente em Lisboa do qual resultariam 29 vítimas.
Imagem tirada da wikipedia

Eram servidas autênticos repastos como se de um hotel se tratasse as pessoas tinham casas de banho com toucadores para se poderem pentear à vontade, locais para poderem dormir descansados, como beliches e existia, inclusive, uma suite nupcial.

Apresentação da obra Complexo - Universo Paralelo

A colecção «Protege o Nosso Planeta» é a novidade Editora Educação Nacional para Março

Texto: Núria & Empar Jiménez
Ilustração: Rosa M. Curto


A colecção «Protege o Nosso Planeta» visa despertar o interesse das crianças para as temáticas ambientais.

Os textos são simples e divertidos; as ilustrações são dinâmicas e apelativas.
O grande objectivo é
integrar conceitos fundamentais na vivência diária das crianças.


As actividades propostas nas páginas finais, bem como o «Guia para educadores» reforçam essa intenção de promover observadores activos, com capacidade para descobrir, experimentar e aprender.
Cada: 36 pág.
Dimensões:24,5x24,5cm
Capa dura
PVP: 9,50€

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Autora Dulce Braga apresenta livro Sabor de Maboque em Portugal

Título: Sabor de Maboque
Autor: Dulce Braga
Nº Páginas: 259
Género Literário: Testemunho
Edição: 2010
PVP: 11,10€

A Papiro Editora vai promover, dia 25 de Fevereiro, pelas 18 horas a apresentação do livro “Sabor de Maboque”, da autora Dulce Braga na Bulhosa de Campo de Ourique.
A autora que vem de propósito do Brasil estará ainda no dia 28 de Fevereiro pelas 19 horas na Casa de Angola, em Lisboa, para uma sessão de autógrafos.

"Dois meses depois da revolução portuguesa dos cravos (25 de Abril de 1974) uma jovem nascida e criada no coração de Angola, passa como de costume, suas ultimas férias escolares no verão europeu. Foram três meses de prenúncio, do rebuliço que sua vida seria dali em diante. Com o fim das férias e consequente retorno para a ainda colônia angolana, ela se vê vivendo e temendo por seu grande e primeiro amor, pelos seus amigos, pela sua confortável situação sócio econômica, no epicentro do rodamoinho da guerra civil angolana. É um relato verídico, quase um diário, das perdas, das dores, do medo, da angústia, da luta pela sobrevivência, do desespero e de todas as demais mazelas que as guerras invariavelmente injetam em todos os seus participes, ativos ou passivos. Um ano depois de sua chegada ao Brasil, país para onde fugiu a menos de dois meses do dia da independência de Angola (11 de Novembro de 1975), ninguém mais notava ser ela uma estrangeira. A perda do sotaque juntamente com a hibernação de toda a sua infância e adolescência, foi a maneira pragmática que inconscientemente usou para não ser questionada sobre sua origem e não mexer nas feridas que começavam a cicatrizar. Trinta anos depois o personagem por ela adotado para viver no novo país, que tão carinhosamente a recebeu, dá sinais de esgotamento e como uma árvore sem raízes reclama por elas, para que possa continuar ereta. Essa reivindicação do seu âmago, juntamente com um velho pedido de seu marido e seus filhos para que escrevesse sua experiência de vida, desencadearam um processo de resgate das memórias olfativas, gustativas, sonoras, visuais, emocionas... A erupção desse enorme vulcão, provoca uma profunda catarse e finalmente ela dialoga em paz com o seu pedaço por tantos anos amortecido".

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Chega a 3 de Março, Hotel Majestic, de J. G. Farrell, autor que, a par de J. M. Coetzee e Peter Carey, venceu o Man Booker Prize por duas vezes.

Título: Hotel Majestic
Autor: J. G. Farrell
Tradução: Fernando Dias Antunes
Págs: 416
Capa: mole com badanas

PVP: 17,90 €

Chega às livrarias portuguesas, no dia 3 de Março, Hotel Majestic, de J. G. Farrell, autor que, a par de J. M. Coetzee e Peter Carey, venceu o Man Booker Prize por duas vezes. A primeira vitória, porém, só foi atribuída post mortem.
Até 2010, apenas dois escritores tinham vencido por duas vezes o prestigiado Man Booker Prize: o sul-africano J. M. Coetzee e o australiano Peter Carey. Porém, em Maio último, a organização do prémio decidiu galardoar os livros que em 1970 tinham ficado fora da votação, devido a uma alteração das regras. E, para o efeito, criou o Lost Man Booker Prize. O romance Hotel Majestic (Troubles, no original) venceu com clara maioria e o seu autor, J. G. Farrell, no fundo, foi distinguido pela segunda vez, dado que em 1973 já havia recebido o Man Booker Prize, com The Siege of Krishnapur (a publicar pela Porto Editora em 2012).
Com o lançamento, esta quinta-feira, de Transgressão, de Rose Tremain, romance finalista do Man Booker Prize 2010, e deste Hotel Majestic, no início do próximo mês, a Porto Editora inicia uma sequência que dá a conhecer quatro grandes obras ligadas ao referido prémio. As outras duas são Room (título original), de Emma Donoghue, e A Questão Finkler, de Howard Jacobson. A primeira era apontada como grande favorita, mas foi a segunda a conseguir a vitória em 2010.

O enredo:

1919: Após o final da I Guerra Mundial, o Major Brendan Archer dirige-se até à Irlanda, na esperança de descobrir se de facto está comprometido com Angela Spencer, cuja família anglo-irlandesa é proprietária do em tempos famoso Hotel Majestic. Mas a sua noiva está estranhamente diferente e a fortuna familiar sofrera enormes perdas. As centenas de quartos do hotel deterioram-se a olhos vistos; os seus poucos hóspedes dedicam-se quase em exclusivo a pequenos boatos e a jogos de uíste; bandos de gatos tomaram positivamente conta do Bar Imperial e dos andares superiores; canas de bambu ameaçam as fundações do edifício; leitões brincam nos courts de squash.
Mas não são apenas as paredes do outrora grandioso hotel que prometem cair de vez. Lá fora, o império britânico enfrenta desafios vindos dos quatro cantos do mundo, incluindo da sua vizinha Irlanda.

Sobre o autor:

James Gordon Farrell nasceu em 1935 em Liverpool, no seio de uma família anglo-irlandesa. É considerado um dos mais importantes autores do séc. XX, apesar da sua actividade de escritor ter sido tragicamente interrompida por um acidente enquanto pescava na costa irlandesa.
Tendo escrito outras três novelas antes de 1970, ficou famoso sobretudo pela “Trilogia do Império”, que retrata a decadência do Império Colonial Britânico com uma ironia sagaz, evidente nas descrições e nas características das personagens, enquanto o pano de fundo é um cenário histórico baseado em acontecimentos reais.
Em 1971 Troubles, o primeiro volume da trilogia, ganhou o Faber Memorial Prize, e em 1988 foi adaptado a telefilme.
O segundo volume da trilogia, The Siege of Krishnapur, a ser publicado brevemente pela Porto Editora, ganhou o Man Booker Prize em 1973 e foi nomeado para o prémio Best of the Booker.

Imprensa:

Hotel Majestic tem tudo: uma bela história, personagens irresistíveis, diálogos verídicos e grandes ideias. É um livro que tem estofo para ganhar o Booker de qualquer ano, não só o de 1970. John Crace – The Guardian
Não há outra obra do mesmo calibre que tenha sido escrita acerca deste período de transição da história da Irlanda: constitui uma referência na literatura irlandesa do séc. XX. Kevin Myers – The Irish Independent
[J.G. Farrell] era um grande talento cuja vida foi interrompida. Acho que, naquela altura, ele estava a transformar-se em alguém de que todos ouviríamos falar e teríamos estudado na escola. Katie Derham – membro do júri do Lost Man Booker Prize

Novidades Esfera dos Livros para Fevereiro

Título: Os Pais Têm Sempre Razão
Autor: Maria João Santos
Colecção: Psicologia e Saúde
N.º de páginas: 264
PVP:16,50 €
Formato: 15 x 23
Encadernação: Brochado
Sinopse: Maria João Santos, psicóloga educacional, recebe todos os dias no seu consultório pais à procura de respostas às suas dúvidas diárias em relação à educação dos filhos. A grande questão é comum a todos eles: estaremos a ser bons pais?
A autora não tem dúvidas: sim, estão. Deixemos de lado as inseguranças, as pressões sociais e vivamos a nossa relação com os filhos de forma positiva e segura. Todos os pais têm uma enorme capacidade para assegurar aos seus filhos um percurso pessoal, relacional e escolar de sucesso. Ou não fossem eles o principal e mais privilegiado elemento de ligação afectiva, a referência mais importante na vida das crianças.

Neste livro, com exemplos para reflectirmos, esta psicóloga garante-nos que o bom desenvolvimento da criança assenta numa relação estreita de afectos entre os pais e os seus filhos, e deixa-nos alguns conselhos práticos para pormos em acção no nosso dia-a-dia:
- Construam uma comunicação positiva com os vossos filhos.
- Tentem perceber o que está por detrás de comportamentos como birras ou sentimentos de tristeza.
- Tenham disponibilidade para estar com os vossos filhos.
- Não tenham medo de impor limites e utilizar a palavra «não» e de construir o vosso próprio modelo educativo.

Título: Jesus, O Judeu
Autor: César Vidal
Colecção: História Divulgativa
N.º de páginas: 300
PVP: 22 €
Formato: 15 x 23
Encadernação: Brochado
Sinopse: Jesus de Nazaré é uma personagem adorada, venerada e admirada por milhões de pessoas. Deus para uns, mestre para outros, a realidade é que a sua figura e os seus ensinamentos são desconhecidos por muitos dos que afirmam segui-lo. Séculos de manipulação e ocultação, esconderam a verdade de que Jesus não foi um cristão nem nasceu no meio ocidental. Jesus nasceu, viveu e morreu como judeu e tanto a sua pessoa como a sua doutrina são impossíveis de compreender sem ter em conta estes factos. O historiador espanhol César Vidal, especialista em Teologia e Filosofia, traz-nos neste livro uma tentativa sólida e audaz de revelar a realidade histórica de Jesus. Baseado numa pesquisa extensa e em documentação variada, Jesus, o Judeu pretende perceber quem foi este homem, o seu contexto familiar, quem deixou de ser, o que ensinou e qual o seu verdadeiro significado na História Universal. Uma leitura indispensável para compreender o judaísmo do Segundo Templo, as origens do cristianismo, as verdadeiras raízes da cultura em que vivemos.

Título: Guia para ficar a saber ainda menos sobre as mulheres
Autor: Isabel Stilwell
Colecção: Fora de Colecção
N.º de páginas: 144
PVP: 16 €
Formato: 15 x 23
Encadernação: Cartonado
Sinopse: «Estamos convencidos de que anda aí, algures, a nossa alma gémea (…) Esse ser seria capaz de ler os nossos pensamentos, decifrar o nosso estado de alma apenas pelo olhar, conhecer-nos até ao mais recôndito bocadinho e gostar de nós, amar-nos de cabeça e coração perdido, mesmo depois de já não termos nada a esconder.»
Para Isabel Stilwell não há dúvidas, os homens mais não são do que personagens de um filme cujo realizador são as mulheres, e como actores precisam de um guião que os conduza no mundo do amor e das relações. Com todas as indicações, dicas e conselhos para desempenhar o papel na perfeição, ou pelo menos tentar... O objectivo último é conseguir fazer uma mulher absolutamente feliz. Adivinha-se uma tarefa hercúlea… Este livro é um guia para ficar a saber ainda menos sobre as mulheres. Escrito com humor, ironia e muita provocação.
«Damos um valor enorme a coisas que os homens não conseguem mesmo compreender. Encontramos simbolismos nos elementos mais estranhos, registamos acontecimentos em diários, entremeados de flores secas e bilhetes de autocarro e temos uma obsessão por datas»



Título: Feito em Casa
Autor: Joana Roque
Colecção: Manuais e Guias
N.º de páginas: 448
PVP: 20 €
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado
Sinopse: Para Joana Roque, cozinhar, mais do que uma arte, é um prazer. Cresceu entre tachos e panelas a fumegar na cozinha da mãe e da avó que, de avental aprumado e ar atarefado, lhe foram transmitindo alguns conselhos únicos, histórias de bolos com nomes de tias, de pratos que já a bisavó fazia, de petiscos feitos a olho e outras tantas receitas de família. Joana Roque anotou tudo nos seus cadernos de receitas.
Com mais de 250 receitas e conselhos de economia doméstica, Joana Roque traz-nos receitas tradicionais, os seus pratos preferidos para comer em frente à televisão, a sua «comida de conforto» para dias em que precisamos de um mimo especial, as receitas rápidas e práticas para receber familiares e amigos em casa, os bolos para festas de anos, as bolachas para uma tarde de frio, pratos que conseguimos fazer com restos que iam ter como destino o caixote do lixo, etc.
Sabia que com um quilo de carne picada pode fazer pratos variados? Que a melhor forma de não deixar legumes frescos apodrecerem no seu frigorífico é congelá-los em sacos com etiquetas? Que um jantar com 20 pessoas em casa não precisa de ser um stress desde que siga as dicas da Joana? Que em vez de gastar dinheiro em prendas de Natal pode criar os seus próprios cabazes?
Ao longo de doze meses acompanhamos o dia-a-dia de Joana Roque e os truques que utiliza para fazer receitas rápidas, saborosas, com os ingredientes que temos na despensa, e que, mais importante do que tudo, saem sempre bem.

Título: A Arte do Casal
Autor: Ramiro Calle
Colecção: Esoterismo
N.º de páginas: 176
PVP: 16 €
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado
Sinopse: «É preciso cuidar da relação, velar por ela, saber descobrir e suturar as feridas incipientes ou fissuras e não permitir que seja uma sementeira de fricções, mas antes um cenário para nos relacionarmos com esse amor da alma que é o “amor” que é capaz de recompor qualquer situação equívoca ou dissonante.»
A vida em casal é uma arte. Um equilíbrio difícil de manter entre saber cativar, cuidar do nosso/a companheiro/a, sem obsessão, dependência, apoderamento ou apego, mas mantendo um vínculo de afecto cuidado e saudável, e saber libertá-lo/a sem rancor, maus sentimentos ou ressentimento, com generosidade quando os sinais de ruptura são evidentes. Ramiro Calle, autor best-seller e especialista em meditação e psicologia oriental, valendo-se de um estudo profundo que fez sobre a vida dos casais e de vários testemunhos que recolheu, oferece soluções práticas para resolver as discussões matrimoniais mais frequentes e fornece-nos uma série de ferramentas e comportamentos, para conseguir manter relações mais estáveis, fluidas, harmónicas e felizes, mas também nos apresenta propostas para tomar o caminho da separação, quando esta se revela a via mais adequada, para que o indivíduo possa continuar a crescer.


Título: A Dieta Inteligente
Autor: Pilar Riobó Servan
Colecção: Manuais e Guias
N.º de páginas: 204
PVP: 16 €
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado
Sinopse: Chega de dietas milagrosas, regimes que estão na moda ou dietas «ioiô». Este livro, escrito pela médica Pilar Riobó Serván, especialista em Endocrinologia e Nutrição, garante-nos que podemos emagrecer de forma racional, saudável e sem grandes sacrifícios. Para isso é preciso aprender a comer.
A Dra. Pilar Riobó Serván assegura que podemos comer de tudo um pouco, basta organizar as cinco refeições diárias de acordo com as nossas necessidades calóricas reais. Está nas nossas mãos planificar sem monotonia, o que vamos comer com ajuda das tabelas de intercâmbio de alimentos aqui apresentadas e de receitas variadas e equilibradas que permitem misturar nutrientes sem sacrificar as sobremesas e uma «alegria» de vez em quando. Sem défice de vitaminas ou minerais
Por exemplo sabia que uma bola de Berlim equivale a um prato de lentilhas? Que comer dois kiwis, uma laranja e uma maçã é o mesmo que comer duas madalenas e que um donut equivale a comer um prato de massa com tomate e queijo ralado?
Siga as dez regras de ouro desta médica, que o incentiva a fazer exercício físico e a perceber as razões da sua obesidade, aprenda lições e truques que são fundamentais na hora de fazer dieta e perderá, 2 a 4 quilos, sem recuperá-los.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Plágio

Escre­ver opi­niões sobre o que lemos e man­ter um blo­gue deste género é tra­ba­lho que toma mui­tas horas da nossa vida pes­soal. Fazemo-lo por amor ao livros e ao sen­ti­mento de par­ti­lha com quem gosta de nos ler e acom­pa­nha o que escrevemos.
Ao publi­car­mos os fru­tos do nosso tra­ba­lho na net cor­re­mos alguns ris­cos e temos essa rea­li­dade bem pre­sente. Con­tudo, con­ta­mos tam­bém com o bom-senso e a boa-fé daque­les que visi­tam os nos­sos blo­gues e lêem as nos­sas opiniões.
Foi, por isso, com muita pena e algum sen­ti­mento de revolta que nos che­gou ao conhe­ci­mento que alguém copiou, sem qual­quer pedido de auto­ri­za­ção ou res­peito pelo tra­ba­lho alheio, vários tex­tos deste blo­gue. Até agora, des­co­bri­mos dois blo­gues, que se encon­tram aqui e aqui, que foram cons­truí­dos com base em tex­tos e esforço de ter­cei­ros, sem qual­quer refe­rên­cia a esse facto. Não con­se­gui­mos per­ce­ber qual o objec­tivo (ganhar visi­tas?), mas não pode­mos dei­xar de repu­diar total­mente esta situação.
Se veri­fi­ca­rem que tam­bém o vosso tra­ba­lho foi inde­vi­da­mente copi­ado por estes blo­gues, sintam-se à von­tade para par­ti­lhar este texto nos vos­sos blogues.

Assi­nado por:
Estante de Livros
Marcador de Livros
N Livros
Som­bra dos Livros