sexta-feira, 12 de março de 2010

Sextante Editora reedita João na Terra do Jaze de José Duarte

Título: João na terra do jaze
Autor: José Duarte
N.º Págs.: 326
P.V.P.: 17,50€

Publicado inicialmente em 1981 e agora reeditado pela Sextante Editora, João na terra do jaze reúne 76 textos que José Duarte publicou em jornais como o Diário de Lisboa, A Capital, Página Um, O Jornal ou o Sete, e em programas radiofónicos da sua autoria como O Jazz, esse desconhecido e Cinco Minutos de Jazz. José Mário Branco prefaciou o livro que anexa fotografias do autor com algumas das maiores figuras do jazz mundial.
Depois de História do Jazz (2009), João na terra do jaze é o segundo título da colecção José Duarte. Seguem-se, em breve, Jazzé e outras músicas, Jazz, escute e olhe e Cinco Minutos de Jazz.

Sobre o autor:
José Duarte nasceu em Lisboa em 1938. Foi fundador do Clube Universitário de Jazz de Lisboa, em 1958. Nesse mesmo ano iniciou a sua actividade na rádio com o programa O jazz, esse desconhecido, na Rádio Universidade.
Esta actividade de divulgação e educação para o jazz tem prosseguido até hoje, com destaque para o lendário Cinco Minutos de Jazz, nascido na Rádio Renascença em 1966 (e até 1975), depois na Rádio Comercial (1984-1993) e agora na RTP Antena 1 (desde 1933). Os programas Pão com Manteiga, À Volta da Meia-Noite e Abandajaaz (todos na Rádio Comercial), A Menina Dança? (desde 1989 mas na RTP Antena 1 desde 1993) e Jazz com Brancas (na RTP Antena 2 desde 2006), acompanhados por programas televisivos na RTP2, Outras Músicas (1990-1993) e Jazz a Preto e Branco (2001), completam este seu lado da vida.
Autor de múltiplas conferências e das biodiscografias dos músicos portugueses no New Grove Dictionary of Jazz (2.ª edição), membro de júris, coordenador em 2007-2008 da organização de uma orquestra de jazz com jovens músicos da EU ao abrigo das presidências europeias de 2007, editor do site www.jazzportugal.ua.pt (desde 1997) e professor auxiliar convidado da Universidade de Aveiro e do respectivo Centro de Estudos de Jazz desde 2002, José Duarte foi galardoado em 2004 com a Medalha de Mérito Cultural do Ministério da Cultura, em 2005 com a Medalha de Honra da Sociedade Portuguesa de Autores e em 2008 com a Medalha Municipal de Mérito-Ouro da Câmara Municipal de Lisboa. A 10 de Junho de 2009, foi condecorado com o grau de Grande Oficial da Ordem de Mérito pela Presidência da República e, a 10 de Dezembro do mesmo ano, foi homenageado na Universidade do Algarve, em Faro.

A reedição de João na terra do jaze contou com o apoio do Centro de Estudos de Jazz da Universidade de Aveiro. José Mário Branco assina o prefácio.

Juntos ao Luar estreia nas salas de cinema

No próximo dia 25 de Março estreará no cinema o novo filme baseado no bestseller de Nicholas Sparks, Juntos ao Luar. O trailer está disponível em: http://minisites.presenca.pt/nicholassparks/site/filmes_juntos_luar.php.

Sinopse:

Quando pela primeira vez contemplam juntos a noite de lua cheia, John e Savannah sentem-se invadidos pela força inequívoca de um amor nascente, pela percepção de um futuro que acaba de ganhar forma e sentido nos seus corações jovens e expectantes. Mas a realidade não tarda a impor-se, precipitando uma vaga de acontecimentos que os coloca perante encruzilhadas de vida brutais. As longas separações e o peso quase insuportável da saudade impelem Savannah a tomar uma decisão difícil que irá mudar os seus destinos para sempre… No entanto, será a John que caberá a mais amarga de todas as decisões, aquela que ditará os seus futuros de uma forma irrevogável. Mas por mais dolorosa que seja, a escolha certa torna-se sempre nítida quando sabemos o que significa amar verdadeiramente alguém… Um romance soberbo, que nos traz Nicholas Sparks no seu melhor.

Nicholas Sparks é natural de Omaha, Nebraska. Cresceu em Fair Oaks na Califórnia e vive actualmente na Carolina do Norte com a mulher e cinco filhos.


Filme:
Realizador: Lasse Hallström (Chocolate, As Regras da Casa)
Actores: Channing Tatum, Amanda Seyfried, Henry Thomas, Richard Jenkins, Scott Porter
Produção: Relativity Media/ Sony
Distribuidora: Castello Lopes Multimédia
Ano: 2010

Romance A Escrava de Córdova, de Alberto S. Santos, editado em Espanha

O romance A Escrava de Córdova, de Alberto S. Santos, acaba de ser editado em Espanha, pela editora Umbriel, uma chancela das Ediciones Urano (grupo presente ainda no México, Chile, Argentina, Colômbia e Estados Unidos). La esclava de Córdoba, assim se intitula em castelhano, é a primeira tradução da obra de estreia do autor, que se prepara para, ainda este ano, publicar novo romance histórico com a Porto Editora.

A crença no sucesso do livro que a editora Umbriel demonstra baseia-se também no impacto da edição portuguesa: mais de 10 mil exemplares vendidos constituem um feito invulgar para uma obra de estreia de um autor nacional e, claro, atestam da respectiva qualidade literária.
A Umbriel edita, em Espanha, escritores de grande sucesso como Jane Austen, Elizabeth Kostova ou Dan Brown. Alberto S. Santos é a primeira aposta em autores portugueses.

Críticas

Notável e intelectualmente irrepreensível.
Expresso
Uma teia ficcional muito interessante, carregada de cenas emocionantes, de magia medieval e mitos antigos, bem como de explicações eruditas.
Lê-se com prazer e permanente curiosidade e ultrapassa, por essa mensagem, o vulgar romance histórico.
Urbano Tavares Rodrigues
Ler este romance fez-me lembrar Amin Maalouf e O Périplo de Baldassare. Aqui vemos o mesmo gosto pelo detalhe e pelo pitoresco, num livro escrito com tanta alma que nos faz desejar ler sempre a próxima página.
José Rodrigues dos Santos
A obra trilhando, com felicidade, os caminhos do romance histórico, tempera com uma medida de erudição o tecido da trama onde não faltam momentos de maravilhoso, à maneira do realismo fantástico.
Adalberto Alves
A Escrava de Córdova apresenta uma sólida documentação histórica, aliada a uma intriga interessante e bem modelada, quer ao nível das personagens, quer ao nível das descrições e da reconstituição dos ambientes.
Maria de Fátima Marinho
Tese eficaz e arrojada, onde creio que pensadores e filósofos vão passar boa parte do século XXI, um dos claros pontos de sucesso do romance.
Pedro Sena-Lino

Sobre o autor:
Alberto S. Santos tem 43 anos e é licenciado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa. Exerceu a Advocacia até 2002, quando passou a desempenhar funções autárquicas. É natural de Paço de Sousa, Penafiel, onde reside. A Escrava de Córdova é o seu primeiro romance.

Patrick McGrath, autor de Spider regressa com Trauma

Título: Trauma
Autor: Patrick McGrath

Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 208
PVP: 15,90 €
Tradução: Vasco Teles de Menezes
Disponível a partir de 12 de Março


O autor de Spider, Patrick McGrath, “exímio contador de histórias” (segundo o San Francisco Chronicle), está de volta. Entre o registo intimista do romance e o thriller, Trauma parece ser o trabalho mais viciante do autor até ao momento. Verdadeiro thriller psicológico, Trauma é uma experiência inquietante e ao mesmo tempo perturbadora e fascinante. Inquietante porque descreve mortes terríveis, sonhos alarmantes e premonições, perturbador na medida em que estranhas coincidências podem ser fruto da paranóia ou de conspirações misteriosas e fascinante porque os segredos da alma se encontram, afinal, onde menos se espera.

Finalista do Costa Award, Trauma tem como personagem principal um psiquiatra, Charlie Weir, que ganha a vida enfrentando os demónios dos outros. Contudo, Weir ainda não conseguiu resolver os conflitos no interior da sua própria família e nunca foi capaz de ultrapassar o terrível erro que o fez perder a mulher e a filha. Nora traz-lhe a promessa de uma nova vida, mas nada é bem aquilo que parece ser. Perseguido pelos fantasmas da sua infância, tenta escapar ao caos em que a sua vida se transformou, mas, ao fazê-lo, começa a desenterrar segredos terríveis acerca de si próprio.

Sobre o autor:
Patrick McGrath é autor de uma colecção de contos e de seis romances anteriores a este. O seu livro mais recente foi Ghost Town, uma colecção de contos sobre Nova Iorque. Spider foi adaptado ao cinema, em 2002, pelo aclamado realizador David Cronenberg. Patrick McGrath vive em Londres e em Nova Iorque.

Novidades QuidNovi

Título: A Cidade e as Serras
Autor: Eça de Queirós
Tema: Clássicos da Literatura Portuguesa
Páginas: 272
PVP: 5,95 €

«O meu amigo Jacinto nasceu num palácio, com cento e nove contos de renda em terras de semeadura, de vinhedo, de cortiça e de olival.»
Assim são resumidas, pelo amigo Zé Fernandes, as
origens do supercivilizado Jacinto, o Príncipe da Grã-Ventura, o habitante do nº 202 dos Campos Elíseos, no coração da Civilização — essa Paris toda feita de luz, progresso e conforto. Mas «o meu Príncipe», como lhe chama Zé Fernandes, aborrece-se, tocado
por essa doença de final do século XIX própria de quem tudo tem: o spleen. Jacinto não encontra nada de novo debaixo do céu da grande metrópole, perde o apetite, a paixão, a cor do rosto e a vontade de viver.
Quando notícias vindas de Tormes, onde se situa o tal «palácio» da região duriense, o levam a decidir, num enlevo algo romântico, regressar às origens para reconstruir a casa de família e prestar homenagem aos antepassados, o regresso é preparado meticulosamente, e com todos os requintes que a Civilização permite…
Mas estarão as serras durienses preparadas para tanto? E estará Jacinto preparado para a simplicidade que aí vai encontrar?
Entre Paris e a região do Douro, A Cidade e as Serras é a mais deliciosa e divertida busca da felicidade de toda a literatura portuguesa e a obra que, como aponta Rui Zink no Prefácio a esta edição, remata com uma candura e uma ternura tão conscientes quanto pouco habituais, a obra romanesca de Eça de Queirós.

Título: Portugal e a Grande Guerra
Autor: Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes
Tema: História de Portugal
Páginas: 512
PVP: 39,95 €

Em termos simples, podemos dizer que a 1ª Guerra Mundial é um componente do período longo de conflitos globais do século XX (1914-1945), que marca a transição da hegemonia inglesa para a americana.
No período posterior às Guerras Napoleónicas (depois de 1815) criou-se um sistema unipolar de hegemonia britânica, que vigorou até ao último quartel do século XIX. A Inglaterra era o coração da revolução industrial que transformava o mundo, e Londres era o centro financeiro, económico, militar e tecnológico do planeta.
No último quartel do século XIX esta situação começa a mudar rapidamente, por efeito daquilo a que muitos autores chamam 3ª revolução industrial, marcada pelo desenvolvimento da electricidade, dos combustíveis líquidos, do motor de explosão e da indústria química.
A Inglaterra, que era a primeira economia mundial em 1860, passava já para terceiro lugar em 1905, numa transição entre uma economia mundial com um só poder de primeira ordem (a Inglaterra), para outra com três (Estados Unidos da América, Alemanha e Inglaterra). Do mesmo modo, houve importantes ajustamentos nos poderes de segunda ordem, com economias
como a da França e da Itália em queda e outras, como a da Rússia e do Japão, em pujante desenvolvimento.
É esta vaga de fundo que está na origem da revisão dos valores da vivência internacional e de graves crises de alteração do equilíbrio global e regional.

Título: A Jóia Afegã - Uma Mulher Entre os Senhores da Guerra
Autor: Malalai Joya
Tema: Mulheres de Coragem
Páginas: 304
PVP: 14,95 €

Malalai era ainda criança quando a União Soviética invadiu o Afeganistão. Depois de uma infância passada em campos de refugiados no Irão e no Paquistão, nos anos 90 regressa à sua terra natal, que se encontra sob o domínio do regime talibã. É então que começa a colaborar com organizações secretas
que se dedicam à causa dos direitos das mulheres.
Em 2005, eleita para o novo parlamento com apenas 27 anos, torna-se notícia a nível internacional na sequência de um discurso onde denuncia corajosamente a existência de caudilhos no Governo afegão. Joya insurge-se contra o tráfico e a corrupção
e contra as violações dos direitos das mulheres.
Desde então, já foi alvo de quatro tentativas de assassinato, mas ainda hoje continua a lutar pela causa de quem a elegeu, sempre determinada a ver um
Afeganistão democrático, onde as mulheres possam viver em liberdade e dignidade.
Neste impressionante testemunho, Malalai Joya leva-nos ao interior do seu país e mostra-nos as situações de desespero que este povo tem de enfrentar diariamente. Descreve muitos dos actos de revolta que estão a ajudar o país a mudar: as mulheres que vão para a rua e protestam pacificamente contra a opressão em que vivem; os homens que protestam com elas de modo a que os fundamentalistas não as punam por andarem sozinhas; as famílias que dão o que podem à causa, nomeadamente as caves das suas casas para que possam servir de escolas clandestinas para raparigas, a quem é negado o acesso ao ensino.
Determinada a deixar a sua marca no mundo, Malalai Joya é uma heroína que todos os dias enfrenta o perigo e se recusa a ficar calada.

Título: O Leão Insaciável - A História Completa do Sporting
Autor: JOSÉ GOULÃO
Tema: Desporto
Páginas: 192
PVP: 19,95 €

O Sporting guarda uma história de mais de cem anos que faz dele um dos maiores clubes do futebol português e que, em boa parte, ainda estava por compilar em livro. Este álbum ilustrado, luxuosamente impresso, reflecte esse passado de feitos e glórias.







Título: O Diário do Micas - Um Mistério em Serralves
Autor: Patrícia Reis
Tema: Infanto-Juvenil
Páginas: 128
PVP: 6,90 €

O convite foi inesperado e o Micas nem queria acreditar na sorte: um fim-de-semana no Porto, na casa de família do Vasco Maria, com a malta toda? É que nem se pergunta! Encontro na Estação
de Santa Apolónia e ala de comboio para a casa (casa não – casarão, palacete!), mesmo ao pé do Museu de Serralves. Os pais do Vasco Maria são muito chiques mas simpáticos, a comida
é por demais e o grupo não perde tempo a pôr-se a caminho do Museu. Mas, ainda no parque, dão de repente com um buraco disfarçado no chão, degraus, um subterrâneo misterioso… O que se passa por baixo de Serralves? A cidade do Porto é cheia de histórias, o palacete cheio de segredos e onde quer que o Micas e o resto do grupo vão, os mistérios parecem nascer literalmente debaixo dos pés…

Título: A Guerra das Sombras - Monstro
Autor: Catarina Araújo
Tema: Literatura Juvenil
PVP: 11 €

A vida de Tomás Lobo não é fácil. Para além de sofrer de “Síndrome de Excesso de Imaginação” e de medo crónico de fantasmas e de monstros (quando todos à sua volta dizem que esses seres não existem), é perseguido pelo rapaz mais arruaceiro
da escola, um matulão de treze anos, chamado Rufo Rocha, que lhe faz a vida negra. Mas quando Tomás se aventura pela intrigante oficina do avô, Artur Artesão, criador de famosos engenhos e inventos, e encontra um livro misterioso com um sinistro olho amarelo na lombada, inicia um perigoso caminho de descoberta que irá conduzi-lo a uma realidade, essa sim, verdadeiramente aterradora.
É então que os piores pesadelos de Tomás se tornam realidade: a cidade de Castelo Alto, onde vive, é assolada por uma onda de ataques sangrentos. As pessoas que têm a rara sorte de sobreviver ao encontro com este assassino descrevem-no como um verdadeiro… Monstro! A partir daí é desencadeada uma série de eventos, durante os quais Tomás irá descobrir o grande segredo que o avô e a mãe, Leona, lhe têm tentado esconder toda a vida. Na verdade, talvez o seu medo de fantasmas e de monstros não seja assim tão descabido. E com a ajuda da singular Ema, uma rapariga de doze anos com um jeito especial para o tirar de sarilhos, e de um poderoso e bizarro aliado, Tomás irá penetrar num mundo cheio de perigos mortais, enfrentando os seus piores pesadelos para tentar salvar o avô, e salvar-se a si próprio, de um horrível fim…

Título: Alice no País das Maravilhas
Autor: Lewis Carroll
Tema: Clássicos da Literatura Juvenil
Páginas: 152
PVP: 5,95 €

Há aventuras que nos transformam, mas o caso de Alice é verdadeiramente especial: a partir do momento em que descemos com ela pelo buraco dum coelho, deixamos mesmo de saber o que nos espera ao virar de cada página. E cada leitura
que fazemos desta obra verdadeiramente clássica é sempre um espelho onde vemos como nos transformámos desde a última leitura: onde crescemos e onde encolhemos, em que lado do
cogumelo precisaremos de acertar para voltarmos a ter uma altura… aceitável. Uma leitura à altura de Alice: dos poucos centímetros aos muitos metros, dos 8 aos 80 anos.

Dizer que Alice no País das Maravilhas é uma
obra-prima não chega: esta obra de Lewis Carroll, nascida de uma brincadeira de crianças numa tarde de Verão de há quase 150 anos, foi traduzida para todas as línguas, contada, adaptada e readaptada a todas as formas artísticas, e continua a fascinar-nos todos os dias por razões que ultrapassam em muito a estética literária. Como resumirá José Vaz Pereira no prefácio a esta edição: «Alice é para a vida». Boas leituras!

Título: A Estranha História de Zezé Boca Doce
Autor: César Madureira e Manuel Cruz
Tema: Literatura Infanto-Juvenil
Páginas: 24
PVP: 9,90 €

A colecção «Contos Sonhados em Português», destinados a crianças dos 5 aos 8 anos, consta de dez livros da autoria de César Madureira (texto), André Letria e Manuel Cruz (ilustração), sendo o herói de cada uma originário de um país onde se fala português – Portugal, Brasil, PALOP, Índia, Timor, Macau, etc.
Zezé Boquinhas é um grande tocador de concertina e tem o sorriso mais bonito e os dentes mais brancos de todas as ilhas de Cabo Verde. O jovem músico, que sempre quis conhecer mundo, está prestes a fazer-se ao mar para vir a Portugal e apanha boleia de um grande cargueiro que vem para a Europa carregadinho de doces. Durante a travessia, o guloso Zezé Boquinhas vai comendo, comendo, comendo… mas isso dá muito mau resultado. E já em Lisboa, Zezé precisará de toda a sua arte para reconquistar o seu sorriso e conquistar a sua nova alcunha de Zezé Boca Doce!

Novidades Zéfiro: O Tarot Divinatório

Título: O Tarot Divinatório
Autor: Dulce Leal Abalada (Org. e Estudo)
Nº de Páginas: 232
Colecção: Ventos da Tradição
Categoria: Esoterismo / Tarot

PVP: 13, 90€

Este livro revela-nos a interpretação de cada uma das cartas do Tarot e a sua leitura simbólico-alegórica mais profunda. Nesta obra, escrita de uma forma detalhada, porém prática e simples, o leitor conhecerá a constituição e a interpretação de cada uma das 78 lâminas do Tarot, assim como o seu aspecto técnico: a combinação dos Arcanos e dos números da Tábua Astrológica. O baralho do Tarot é composto de 78 cartas designadas de Arcano – palavra originária do latim Arkanum que significa segredo, oculto, mistério. É um método de autoconhecimento e proporciona uma viagem ao interior de si próprio. Sendo aparentemente um baralho de cartas, torna-se algo diferente se o abordarmos à luz do seu significado mais profundo. Revela-se, então, como um autêntico livro de cariz filosófico-psicológico que pode ser interpretado das mais diversas formas. O Tarot é considerado o espelho da alma, uma viagem às profundezas do nosso ser interior e uma descoberta do Eu. Estudá-lo representa um passo importante para nos compreendermos a nós próprios e aos acontecimentos que nos rodeiam.

quinta-feira, 11 de março de 2010

A Aia da Rainha - Barbara Kyle [Opinião]

-->
Título: A Aia da Rainha
Autor: Barbara Kyle
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 560
Editor: Planeta
PVP: 20, 95€

Sinopse:
Londres, 1527. Casar ou servir. Para Honor Larke, a escolha é clara: Pouco disposta a morrer de tédio como esposa obediente, ela deixa a casa do seu tutor, o brilhante sir Thomas More, e torna-se aia da rainha Catarina de Aragão. Um cargo onde aprenderá muita coisa, dado que terá de conviver com o orgulho, a paixão, a ganância, e ainda a consciência de um rei, que anseia desesperadamente pelo divórcio, a fim de poder casar-se com a ousada Ana Bolena.

Honor, aia e fiel amiga de Catarina de Aragão, não pode compactuar com o ultraje que é feito à rainha e oferece-se para ser portadora da correspondência entre Catarina e os seus aliados. No meio desta intriga palaciana, Honor fica subitamente na posse de um segredo que pode destruir um reino e a sua futura rainha...

A minha opinião:
A Aia da Rainha de Barbara Kyle mostra um outro lado da governação de Henrique VIII. Apesar de já ter lido pelo menos dois livros dentro deste género, O diário secreto de Ana Bolena de Robin Maxwell e Duas Irmãs, um Rei de Philippa Gregory, A Aia da Rainha não deixou de me surpreender e de me prender à estória, ainda que fictícia de Honor Larke.
A morte do seu pai traz uma enorme infelicidade a Honor que se vê a braços com um casamento imposto, apenas para que a família do noivo possa usufruir dos seus bens. O protagonista de todo este mal é Bastwick, um jovem clérigo muito ambicioso, que pensa apenas no poder e dinheiro. Consigo vai também um dos seus criados Ralph Pepperson, que viria a assassinar o seu marido, libertando-a de todo o sofrimento em que vivia. Perante o assassinato, Honor foge e refugia-se na casa de Thomas More, que a vai ter como protegida, instruindo-a. Esse conhecimento que adquire vai proporcionar trocar correspondência com Erasmo de Roterdão. Sabendo por More que existiam duas vagas para aia da rainha Catarina de Aragão, Honor não pensa duas vezes e decide ir de imediato para a corte, no lugar de se casar. No entanto, a vida na corte chocava Honor. O rei vivia rodeado de bispos, sacerdotes e prostitutas, astrólogos, até sábios, provocando intriga e violência.
Quando Henrique VIII começa a interessar-se por Ana Bolena pretendendo divorciar-se de Catarina de Aragão, Honor manteve-se fiel à sua rainha, até ao momento em que o seu protector na juventude, Ralph é queimado na fogueira, acusado de heresia. Honor revolta-se contra a igreja que sujeita a população que a questiona à tortura e à morte. E quando descobre que quem esteve por detrás da sentença à fogueira de Ralph foi Thomas More, Honor decide ajudar os ‘hereges’ na luta contra uma igreja repressora.
Quando lhe dizem que Ana Bolena também é contra a igreja, que não a deixa seguir os seus intentos, ou seja, que não aceita o seu casamento com Henrique VIII, Honor decide trair Catarina de Aragão e associa-se a Cromwell na tentativa de anular o casamento com a rainha. A partir daí Honor vive no limiar, entre a vida e a morte, acabando por ser acusada de heresia. No entanto, no fim da estória, Honor acaba por reconhecer que também não comunga das mesmas ideologias dos protestantes.
Para quem gosta de livros históricos e sobretudo desta época da história, que mostra o lado pior da Igreja e dos reis que se achavam acima de tudo e de todos, que se achavam-se o centro do Universo, não devem deixar de ler A Aia da Rainha. Um livro fantástico que mostra a crueldade a que era submetidas as pessoas que eram contra as ideologias reinantes, sendo uma das suas vítimas o próprio Thomas More.


Booktrailer do novo livro de Anita Shreve - Testemunho

O booktrailer do livro Testemunho, de Anita Shreve já está disponível e pode ser visto aqui.

Acabado de chegar às livrarias, o novo romance da escritora norte-americana desenrola-se em torno do mistério de uma cassete de vídeo que cai nas mãos do director de uma conceituada escola. As imagens incriminatórias nela contidas prenunciam um escândalo de proporções que ninguém será capaz de prever.

Anita Shreve tem mais de oito milhões de livros vendidos em todo o mundo. Distinguida com vários prémios no domínio da ficção, é considerada por publicações de prestígio como o Publishers Weekly e o Boston Herald como “uma das melhores romancistas do nosso tempo”, sendo Testemunho, que a Porto Editora agora publica, “um romance inteligente” com “um enredo cativante”.

Sextante edita Bute daí, Zé! novo livro de Filomena Marona Beja

Título: Bute Daí, Zé!
Autor: Filomena Marona Beja
N.º Págs.: 256
P.V.P.: 16,50

Depois do Grande Prémio do Romance e Novela APE/DGLB, eis o novo romance de Marona Filomena Beja.

Chega às livrarias no próximo dia 18 de Março Bute daí, Zé!, de Filomena Marona Beja. O livro que marca o regresso da autora depois de vencer o Grande Prémio do Romance e Novela da APE/DGLB, em 2007, com a obra A Cova do Lagarto.

Sinopse:
Bute Daí, Zé! recupera o calor da revolução dos cravos e os tempos conturbados que a seguiram. Um período em que se clama pelo direito à opinião. «À Liberdade. 25 de Abril: solta-se a Utopia. Todos na rua, a cantar. Fim de Festa. Sobe a violência social. Cruza-se com racismo. Com agressão política. “Vais ficar assim, caído ao fundo de um beco? Bute daí, Zé!”»

A narrativa de Filomena Marona Beja remete-nos para o ano de 1989 e, em concreto, para o assassinato de José Carvalho, na Rua de Palma. É precisamente este episódio a servir de mote ao livro.

Sobre a autora:
Filomena Marona Beja nasceu em Lisboa, a 9 de Junho de 1944. Até Junho de 2008, desenvolveu na área da Documentação técnico-científica a sua actividade profissional. Publicou os romances Betânia (Cotovia, 2000), A sopa (Ambar, 2004), com o qual ganhou o Grande Prémio de Literatura DST em 2006, A duração dos crepúsculos (Dom Quixote, 2006) e A Cova do Lagarto (Sextante, 2007), que foi galardoado com o Grande Prémio do Romance e Novela da APE/DGLB. A Sextante reeditou em 2009 o seu romance de estreia, As cidadãs.

Sobre A Cova do Lagarto:
«Neste romance, a autora atinge um patamar de grande mestria no exercício da ligação harmónica e umbilical entre o plano da história contemporânea portuguesa e o plano da ficção, de tal modo que os entrelaçando e fundindo que se tornam indistinguíveis no corpo do texto. Filomena Marona Beja, publicando com uma regularidade impressionante desde 1998, recusando concessões estéticas ao domínio avassalador do romance de grande consumo, tem vindo a afirmar-se, em paralelo com as obras de Gonçalo M. Tavares e José Luís Peixoto, como uma das melhores escritoras portuguesas nascida para a literatura na passagem entre os dois séculos.»
Miguel Real, Jornal de Letras

quarta-feira, 10 de março de 2010

Guerra & Paz novidades de Março

Especialista canadiana em Terapia Comportamental e Cognitiva ensina a melhorar a comunicação entre casais

A Guerra e Paz relança, esta semana, O que os Homens Dizem e o que as Mulheres Ouvem, um livro que pretende ajudar a melhorar a comunicação entre os casais.
Responsável pelo recente e polémico estudo Sexualisation of Children (“Sexualização das Crianças”), encomendado pelo governo britânico, a Dr.ª Linda Papadopoulos é uma das mais reconhecidas especialistas mundiais em Terapia Comportamental e Cognitiva.

Dicas para Recordar:
➤ Faça uma pausa antes de concluir que sabe o que ele está a dizer. Ele quer mesmo dizer aquilo, ou você está apenas a interpretar as palavras dele baseada nas suas experiências passadas?
➤ Diga o que pensa. Não se iniba com medo de que ele se afaste se você disser que gostava de o ver outra vez.
➤ Não analise demais. Aprenda a aceitar que às vezes o seu parceiro diz mesmo e apenas aquilo que quer significar.

Sobre a autora:
Dr.ª Linda Papadopoulos é uma prestigiada psicóloga canadiana, especialista em Terapia Comportamental e Cognitiva. É colunista da revista Cosmopolitan e convidada habitual de programas de televisão, como o Celebrity Fit Club», do canal VH1.
Já publicou diversos livros de sucesso, dos quais se destacam: Psychological Approaches to Dermatology (1999), The Man Manual (2005), Mirror Mirror: Dr. Linda’s Body Image Revolution (2004).

A importância do Jornalismo Televisivo para a construção social da realidade Qual é o papel do actual Serviço Público de Televisão?
Qual é a importância do Jornalismo Televisivo e dos Telejornais para a construção social da realidade e para a procura de conhecimento?

As Notícias nos Telejornais resulta de uma investigação realizada ao longo de 10 anos sobre os Média em geral e a televisão generalista e os seus telejornais em particular. A investigação foi realizada ao longo dos últimos dez anos.
Nuno Goulart Brandão prova que os três principais canais portugueses definem o alinhamento dos telejornais com base em interesses comerciais e nas audiências, esquecendo o que é realmente importante para os cidadãos. O Jornalismo Televisivo, segundo o autor, tende a condicionar os seus conteúdos a critérios de diversão, espectacularidade, emoção e dramatização, com predomínio de uma visão de «informação choque» que se sobrepõe à informação geradora de valores cívicos para os cidadãos.


Sobre o autor:
Nuno Goulart Brandão Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação, é ainda doutorado em Sociologia da Comunicação, da Cultura e da Educação.
Durante vinte anos trabalhou na RTP, tendo sido um dos coordenadores gerais do Projecto Fénix de reestruturação da Empresa.
Publicou vários artigos científicos e os livros: O Espectáculo das Notícias (2001); Prime Time (2006); Século XXI – Novas Solidariedades e Incertezas (2008)

Charlaine Harris em Portugal na próxima 6.ª feira

A autora da série Sangue Fresco vai estar de visita a Portugal. Charlaine Harris está em tournée pela Europa, e segundo a editora esta tem corrido muito bem. O evento em Portugal vai decorrer no Maxime, em Lisboa e terá início pelas 18 horas de sexta-feira, dia 12, e prolongar-se-à até cerca das 19h30 do mesmo dia.
Os fãs vão ter assim oportunidade de adquirir em pré-lançamento exclusivo o 5.º título da série: "Sangue Furtivo".

Os melhores jornais escolares distinguidos na Futurália

Já são conhecidos os vencedores do Concurso Nacional de Jornais Escolares, que serão premiados, hoje, a partir das 14h30, na Futurália.
Mais uma vez, a Porto Editora associa-se à iniciativa e premeia o primeiro classificado na Categoria Jornais Digitais (Escola Secundária Abade de Baçal, de Bragança), os terceiros classificados ex aequo na categoria Jornais de Escolas Secundárias e Profissionais (Escola Secundária de Gondomar e a Escola Secundária Francisco da Holanda, em Guimarães) e o terceiro prémio da categoria Jornais de Agrupamentos de Escolas ou de Estabelecimentos dos Ciclos Iniciais do Ensino Básico e dos Jardins de Infância (Agrupamento de Escolas da Branca, em Albergaria-a-Velha).

O fornecimento de instrumentos de pesquisa e de reflexão sobre a relação das crianças e jovens com os media e a organização de um concurso anual de jornais escolares fazem parte do projecto Público na Escola, que mobiliza, todos os anos lectivos, muitos milhares de alunos e professores de todo o país. Um inquérito recente remetido aos jornais e revistas escolares que participaram numa edição anterior do concurso, permitiu quantificar 5806 alunos e 1614 professores envolvidos na produção da imprensa escolar.
Presente desde o primeiro momento do Concurso Nacional de Jornais Escolares, a Porto Editora encontra nesta iniciativa um excelente exemplo de como entidades privadas, com inegável responsabilidade social, se podem associar e promover uma iniciativa que visa despertar e promover nos mais novos o gosto pelo exercício da cidadania e, não menos importante, a compreender a importância de se ter um olhar atento e crítico sobre a nossa sociedade.
O Concurso Nacional de Jornais Escolares é uma iniciativa que o Público na Escola promove anualmente. Desde 2000 a 2009, concedeu 279 prémios e menções honrosas, que chamaram a atenção para a excelente qualidade de 161 publicações escolares.

Novidades Casa das Letras

Título: O Rato Roeu a Rolha da Garrafa
Uma compilação das melhores lengalengas e trava-línguas populares
Autor: Loureiro Neves
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 152
PVP: 10€

Sinopse:

Entre as criações da literatura popular, as lengalengas e os trava-línguas são, talvez, os géneros menos conhecidos. Injustamente.
As primeiras constituem um repositório do non sense e do sentido crítico do povo, indirecto e quase misterioso, para além de, nas versões infantis, se revelarem curiosos divertimentos com intenção didáctica.
Os trava-línguas, por seu turno, representam uma forma alegre de facilitar o aperfeiçoamento das dificuldades ou das imperfeições da fala.

Título: Basta-me Viver
Autor:
Carlos Vale Ferraz
Um romance perturbante sobre o amor e o dever que leva as personagens a viver e a morrer, a mentir e a trair. Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 348

Colecção: Ficção Portuguesa
PVP: 16€

Sinopse:

Esta é a história do amor de duas mães pelos seus filhos. O filho de uma morreu para honrar os valores do pai, a outra morreu para que o seu filho pudesse viver. As duas mulheres, uma portuguesa e uma angolana, são a avó e a mãe deste neto, órfão-feiticeiro, que nasceu já com dentes, um sinal que levou a prever que seria dotado de poderes extraordinários. A sua mãe temeu que ele tivesse o destino das kindoki, as crianças-feiticeiras de África, abandonadas pelas famílias que as julgam responsáveis pelas desgraças que caem sobre elas e por isso o defendeu até à morte.


A história deste órfão-feiticeiro atravessa o fim do regime de Salazar e da guerra colonial, a independência e a guerra civil de Angola, os prodigiosos anos 80 e 90 em que surgiram os computadores, Portugal aderiu à Comunidade Europeia, aboliu o papel selado e saiu da administração do inqualificável território de Macau, capital mundial do jogo, encerrando o seu ciclo do império.

O órfão que nos narra a história através da conversa com o seu tio Ernesto, na varanda de uma casa no bairro Sambizanga, em Luanda, é o neto rejeitado quer pela família da mãe, a poderosa família Gonzaga, uma das grandes famílias crioulas de Angola, quer pela família do pai, um jovem piloto-aviador português, filho de Augusto Torres, um político salazarista. É alguém que, sem merecer o sacrifício dos pais, se furtou a seguir o rasto de muito poder e pouco escrúpulo dos avós, que cumpre a vida como o pagamento de uma promessa feita, não por ele, mas pelos que morreram para ele viver.

Excerto:
«Já só eu existo para respeitar a vontade da minha mãe de viver. Não há mais testemunhas nem fiadores. Estou livre para tomar conta de mim e lembrei-me de um provérbio chinês que diz: a vida pode ser um bom lugar para lutar, mas a luta nunca será uma boa ocasião para se viver.

O meu drama é não me sentir capaz nem de viver nem de lutar… é não saber se me basta viver…»


Título: Easy Money
Autor: Jens Lapidus
Um romance cru e urbano sobre a droga, a máfia e a in justiça do submundo de Estocolmo, ao ritmo de Tarantino e Bret Easton Ellis.
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 514
Colecção: Ficção Policial

PVP: 18,50€

Sinopse:
Easy Money - um sombrio romance urbano que arrasta o leitor pelas entranhas de uma capital aparentemente asséptica e que é ao mesmo tempo um cocktail explosivo onde não faltam paixões, droga e sexo...

Mrado, membro da máfia jugoslava, é capaz de partir, com uma mão, os dedos de um adversário ao mesmo tempo que acaricia, com a outra, a bochecha da sua filha.
JW é um estudante que trabalha de noite para financiar as suas farras com os ricaços e que sonha tornar-se o rei da noite.
Jorge, traficante de droga, planeia a sua fuga da prisão para acabar com quem o denunciou. Todos procuram uma forma rápida de conseguir dinheiro, e o mundo da cocaína acaba por juntá-los. Mas estes três homens vêem-se em breve unidos num objectivo mais importante: vingar-se do homem que os prejudicou.
Um thriller rápido e petrificante cuja acção decorre numa cidade que faz lembrar a Nova Iorque dos anos trinta, onde a violência podia surgir a qualquer esquina.

Novos livros de Cathy Kelly e James Patterson nas novidades da Quinta Essência

Título: Uma vez na vida
Autor:
Cathy Kelly

N.º de Páginas:
382 páginas
PVP: 16.50 €

Sinopse:
Três mulheres. Três amores. Três razões para mudar de rumo…

A loja Kenny’s, em Ardagh, é muito mais do que um espaço comercial, é o coração da vila onde vivem três mulheres cujas vidas estão prestes a mudar…
Ingrid Fitzgerald, apresentadora de televisão, viu o marido, David, o carismático proprietário da Kenny’s, entregar-se de alma e coração ao negócio da família, enquanto ela equilibrava admiravelmente a carreira e a vida familiar. Agora que os filhos se preparam para abandonar o ninho, Ingrid descobre um segredo que abalará o seu mundo. Natalie Flynn partilha um apartamento com a filha de Ingrid, Molly. Ao mesmo tempo que o amor desponta na sua vida, Natalie começa a colocar perguntas que nunca antes se atrevera a fazer sobre o seu passado. Irão elas ajudá-la a entender quem é na verdade? Charlie Fallon, entusiasta empregada da Kenny’s, adora o filho e o marido, mas a mãe parece determinada em arruinar-lhe a vida. Agora está na altura de, finalmente, lutar pela sua felicidade. Star Bluestone é a única que as poderá ajudar quando as suas vidas estão prestes a mudar para sempre… Star, uma mulher com uma sabedoria muito especial, sabe por experiência própria que as coisas mais importantes da vida têm de ser estimadas e acarinhadas e que a oportunidade para se ser feliz surge apenas uma vez na vida… Calorosa e envolvente, esta é uma história sobre o amor, a amizade e os efeitos devastadores que os segredos do passado têm na vida de cada um…

Guerra & Paz publica O Romance Ilegal do Sr. Rodolfo, romance de estreia do bisneto de Eça de Queirós

Título: O Romance Ilegal do Sr. Rodolfo
Autor: António Eça de Queiroz
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 184
Editor: Editora Guerra & Paz

PVP: 15,95€

Sinopse:
O primeiro romance do bisneto de eça de queiroz. Uma empolgante história que envolve um antiquário, um procurador do ministério público e uma misteriosa mulher. Rodolfo, excêntrico antiquário, é detido no aeroporto de Lisboa. O Dr. Damião S. Sampaio, procurador do Ministério Público, vai ter que resolver o mistério que envolve Rodolfo, uma enigmática mulher, uma clepsidra e uma extraordinária troca de correspondência entre os dois.

Novidades Quetzal para Março

Título: A Doença Como Metáfora / A Sida e as Suas Metáforas
Autor: Susan Sontag
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 192
Colecção: Serpente Emplumada

PVP: 15,95€

Sinopse:
Em 1978, quando convalescia de cancro, Susan Sontag escreveu A Doença como Metáfora, um notável ensaio sobre a utilização alegórica, e frequentemente culpabilizante, da doença na nossa cultura. Tornou-se num clássico que a revista Newsweek considerou "Um dos livros mais libertadores do seu tempo". O objectivo da autora consiste em retirar ao cancro o estigma alegórico que sobre ele pesa e mostrar que é apenas uma doença. Neste livro, Susan Sontag defende que a maneira mais autêntica de enfrentar a doença - e a maneira mais saudável de estar doente - é resistir a esse pensamento metafórico.


Título:O Livro dos Prazeres Inúteis
Autor: Tom Hodgkinson, Dan Kieran
Um antídoto contra a nossa cultura da velocidade e do trabalho. Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 176
Colecção: Textos Breves

PVP: 15€

Sinopse:
O propósito deste livro é mostrar que as melhores coisas da vida não custam dinheiro. Durante dois séculos, o Ocidente laborou no equívico de que o prazer é um assunto caro. Passamos a vida a trabalhar no duro e a fazer coisas de que não gostamos para ganhar dinheiro e com ele fazermos coisas de que gostamos. Pois o que este livro faz é libertar-nos das confusões e desapontamentos despendiosos. Os Prazeres (alguns, entre muitos outros):


Tomar banho
Sonhar
Apanhar folhas das árvores no ar
Deambular pela cidade
Fumar
Dormir uma sesta
Raios de Sol
Espetar fósforos em vegetais para fazer vegetais alienígenas
A contemplação de coisas que voam
O sexo matinal
Observar nuvens.

Título: Nenhum Olhar
Autor: José Luís Peixoto
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 224
PVP: 17,96€


Sinopse:
Numa aldeia do Alentejo, com um pano de fundo de uma severa pobreza, o autor vai tecendo histórias de homens e mulheres, endurecidos pela fome e pelo trabalho, de amor, ciúme e violência: o pastor taciturno que vê o seu mundo desmoronar-se quando o diabo lhe conta que a mulher o engana; o velho e sábio Gabriel, confidente e conselheiro; os gémeos siameses Elias e Moisés, cuja terna comunhão se degrada no momento em que um deles se apaixona; ou o próprio Diabo. As suas personagens são universais, assim como a sua esperança face à dificuldade.«... a partir da segunda ou terceira sequência ficamos seguros de que a inclinação é fatal: vamos embater num limite, num muro, num enigma, na origem do mundo e no desastre final...»

Título: A Arte de Produzir Efeito sem Causa
Autor: Lourenço Mutarelli
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 232
Colecção: Língua Comum

PVP: 15€

Sinopse:
Depois de abandonar o emprego e o casamento por motivos que guardam uma infeliz coincidencia, Júnior pede abrigo ao pai. Sem dinheiro nem perspectivas, divide os dias entre o velho sofá da sala, o bar onde bebe com desocupados e as conversas com a jovem inquilina da casa, Bruna, que o pai espia por um furo no armário.

Num cenário típico de uma classe-média baixa, Júnior entrega-se a um quotidiano feito de objectivos pequenos e imediatos — a próxima refeição, a ida ao bar da esquina, o dinheiro do cigarro. Mas esta pasmaceira é interrompida quando pacotes misteriosos começam a chegar pelo correio.
Lentamente, a realidade ganha contornos distorcidos e Júnior vai sendo arrastado para um mergulho na própria consciência — que revelará os seus limites e abismos.

terça-feira, 9 de março de 2010

O Homem que Sonhava ser Hitler, novo livro de Tiago Rebelo, nas livrarias a 20 de Março

Título: O Homem Que Sonhava Ser Hitler
Autor: Tiago Rebelo
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 470
Editor: Edições Asa
Colecção: Autores Portugueses

PVP: 18,90€

Sinopse:
No pátio das traseiras de um prédio de um pacífico bairro de Lisboa, uma criança é atacada por três homens e deixada em coma. Ao investigar o que inicialmente se supõe ser um mero acto de cobardia de um grupo de cabeças-rapadas que resultou em tragédia, as autoridades vão descobrir uma gigantesca conspiração que prova que, nunca como hoje, a democracia e o estado de direito estiveram tão ameaçados em Portugal. Neste surpreendente romance, Tiago Rebelo abre-nos a porta dos fundos do lado mais obscuro da política nacional dos nossos dias, onde nada é o que parece ser e onde se desenrolam acontecimentos extraordinários que colocam em perigo toda a sociedade, sem que esta se aperceba do que está realmente a acontecer. O inspector-chefe, António Gaspar, da Polícia Judiciária, leva a cabo uma investigação, que, a cada passo, ameaça a sua vida e a da mulher que ama, a ex-namorada que ele procura recuperar no desvario dos dias perigosos que põem em risco a nação.

O Homem que sonhava ser Hitler, novo livro de Tiago Rebelo, vai ser editado pela ASA e estará nas livrarias a 20 de Março. O 11.º livro do conhecido escritor e jornalista relata a luta de um inspector da polícia judiciária contra uma gigantesca conspiração política que visa destruir a democracia portuguesa. Não é um policial convencional, mas sim um livro onde se pode encontrar intriga, suspense, romance, questões políticas e sociais da actualidade.

A passagem de Tiago Rebelo para as Edições ASA marca uma viragem na sua carreira e constitui uma importante aquisição por parte da ASA e do Grupo Leya, que passa assim a contar no seu catálogo com um dos mais bem sucedidos escritores de língua portuguesa.
Depois de sucessos como O Tempo dos Amores Perfeitos ou O Último Ano em Luanda, Tiago Rebelo regressa com um romance de leitura imparável. Em O Homem Que Sonhava Ser Hitler, o autor apresenta-nos um bem documentado e revelador relato de uma face desconhecida da sociedade actual.

Novidades Gradiva para Março

Título: Solar
Autor: Ian McEwan
«Obras de Ian McEwan», nº 15
N.º de Páginas: 340
PVP: 16 €
O novo romance de um dos autores maiores da literatura contemporânea. Mais uma vez, a capacidade de Ian McEwan para surpreender o leitor. A mesma liberdade e originalidade no que se refere ao estilo, às soluções narrativas e ao enredo. O tema das alterações climáticas – também ele inesperado numa obra de ficção de grande qualidade literária – serve de pretexto para a exposição das fragilidades humanas, individuais e colectivas. Permeada de humor e diálogos magistrais, a narrativa prende de imediato o leitor, permitindo-lhe uma auto-aprendizagem da qual retirará grande prazer.

Título: A Casa-Comboio
Autor: Raquel Ochoa
Gradiva, n.º 130
N.º de Páginas: 340
PVP: 13€
PRÉMIO LITERÁRIO REVELAÇÃO AGUSTINA BESSA-LUÍS 2009

Uma família indo-portuguesa. Um século de história. Quatro gerações que evocam 450 anos de aventura mítica, nos quais a Índia longínqua era portuguesa. Em pano de fundo, a partida, o acaso e a sorte de quem se vê constantemente obrigado a fazer as malas, o desenraizamento, a inquietação, o inesperado, a imprevisibilidade dos destinos que se cruzam. A imagem dada pelo título é elucidativa: uma casa em movimento. Uma beleza poética singular. Uma verdadeira revelação.

Título: Ancient Philosophy
Autor: Sir Anthony Kenny
Lançamentos em Abril, Junho, Setembro e Novembro (4 volumes) - Traduzida por especialistas da área sob a direcção do professor Aires Almeida

«A primeira razão pela qual esta impressionante obra é um acontecimento editorial é que os leitores têm agora acesso a uma história da filosofia que apresenta os problemas, teorias e argumentos da área com aquela intensidade própria de quem os conhece por dentro, ao invés de os olhar de longe como artificialismos académicos ou escolares, descritos muitas vezes em linguagem pomposa e vazia.

A segunda razão é que o conhecimento que temos hoje da história da filosofia é muito mais rigoroso e vasto do que o que tínhamos há trinta ou quarenta anos, e Sir Anthony está a par desses desenvolvimentos – tendo até sido protagonista de alguns deles. Não se trata por isso de mais uma história da filosofia que repete os lugares-comuns infelizmente endémicos nas zonas mais fracas da cultura escolar e académica.

Por estas razões, entre outras – incluindo a iconografia inovadora – esta brilhante história da filosofia é leitura obrigatória e entusiasmante para estudantes e professores de filosofia, assim como para qualquer pessoa que queira conhecer um pouco mais esta imensa tradição intelectual com dois mil e quinhentos anos de existência, e que novos desenvolvimentos continua a trazer-nos hoje. A Gradiva e a «Filosofia Aberta» continuam assim a prestar ao país um serviço cultural e educativo mais importante do que quaisquer míticas avaliações de professores.» - Desidério Murcho, Universidade Federal de Ouro Preto

«Esta é uma obra que pouquíssimos se atreveriam a escrever. Sir Anthony Kenny, um dos mais reputados filósofos actuais, dedicou alguns anos a ler directamente os grandes filósofos e a acompanhar os debates por eles suscitados, daí resultando uma história da filosofia verdadeiramente filosófica, informativa e refrescante, onde não se encontram os lugares-comuns e as ideias feitas do costume.
Aliando o melhor rigor académico à clareza de exposição e à capacidade para envolver o leitor nas discussões filosóficas, esta obra revela-nos uma história de cerca de dois mil e quinhentos anos que, ao contrário do que tantas vezes parece, está longe de ser uma mera colecção de ideias de museu.

O autor não se limita a apresentar e explicar as ideias e teorias dos filósofos, inserindo-as de forma esclarecedora no seu contexto histórico e cultural. Isto constitui uma das duas partes em que cada um dos quatro volumes está dividido. A segunda parte é dedicada à elucidação, discussão e avaliação dos argumentos que sustentam essas ideias e teorias, adoptando-se aí um tratamento temático e estritamente filosófico. Assim, esta história da filosofia consegue ser útil tanto para quem está interessado numa abordagem mais histórica das ideias filosóficas como para quem está interessado numa discussão filosófica mais aprofundada.
Por isso se trata de uma obra única e imprescindível que, muito justamente, se está a tornar uma verdadeira referência na área.» - Aires Almeida, Professor de Filosofia


Título: Nas Margens - Ensaios sobre Teatro, Cinema e Meios Digitais
Organização: Gabriela Borges
«Arte e Media», nº 1
N.º de Páginas: 220
PVP: 14€


Os novos percursos pelos quais as artes transitam – teatro, cinema, vídeo, ambientes digitais – apontam para um diálogo entre meios, formas de expressão e temas que subverte a noção de campos estéticos e conceptuais distanciados e promove uma interligação destas diversas manifestações. Neste primeiro número de uma nova colecção dedicada às artes na sua relação com os meios de expressão, ressalta a hibridez da criação e difusão artísticas actuais.

Título: Que Grande Abóbora, Mimi!
Autor: Valerie Thomas e Korky Paul
«Gradiva Júnior», nº 120
N.º de Páginas: 28
PVP: 13€
A bruxa Mimi adora abóbora cozinhada de todas as maneiras. Por isso, decide descobrir uma forma de ter sempre abóbora à mão, para preparar os seus pratos preferidos (e do Rogério). Mas, como sempre, as coisas não correm como desejado e a Mimi vê-se a braços com uma abóbora gigante... Como irá ela resolver mais esta embrulhada? Descobre tudo no novo livro da Mimi!


Título: Erros Experimentais, Ajustamentos e Outras Coisas Mais
Autor: Isabel Maria Almeida Fonseca
«Trajectos/Ciência», nº 9
N.º de Páginas:280
PVP: 12,50


Recorrendo à sua vasta experiência docente e de investigação, a autora oferece-nos uma introdução aos fundamentos da análise de erros e ao tratamento de dados, que constituem parte integrante do avanço científico. A escrita directa e acessível proporcionará a todos uma útil e divertida leitura.

Título: BULLYING, Guerra na Escola
Autor: Nora Ethel Rodríguez

Uma onda de violência parece sacudir todos os dias, de maneira invisível e silenciosa, os colégios e escolas secundárias de grande parte da Europa e dos Estados Unidos, e Portugal não é excepção.

Que podemos fazer para melhor entendermos o que se passa?

O Bullying é um processo de abuso e intimidação sistemática de uma criança sobre outra (apoiada por um grupo), geralmente nas escolas, e cujas CONSEQUÊNCIAS podem SER DEVASTADORAS, se não forem travadas a tempo.

ESTE LIVRO É FUNDAMENTAL PARA PAIS E EDUCADORES. LER ESTA OBRA SIGNIFICA APRENDER A EVITAR SEQUELAS IRREVERSÍVEIS.

Com exemplos da vida real, a autora propõe diversas chaves da solução para o problema.