terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Reino de Feras - Gin Phillips [Opinião]

Título: Reino de Feras 
Autor:
Gin Phillips
Suma de Letras
N.º de Páginas: 270
PVP: 17,45€

Sinopse:
Lincoln é um bom menino. Aos quatro anos é curioso, inteligente e bem comportado. Lincoln faz o que sua mãe diz e sabe quais são as regras.

"As regras são diferentes hoje. As regras são que nos escondamos e que não deixemos que o homem com a arma nos encontre."
Quando um dia comum no jardim zoológico se transforma num pesadelo, Joan encontra-se presa com o seu querido filho. Deve reunir todas as suas forças, encontrar coragem oculta e proteger Lincoln a todo custo - mesmo que isso signifique cruzar a linha entre o certo e o errado; entre a humanidade e o instinto animal.

É uma linha que nenhum de nós normalmente sonharia cruzar.

Mas, às vezes, as regras são diferentes.

Um passeio de emoção magistral e uma exploração da maternidade em si - desde os ternos momentos de graça até ao poder selvagem. Reino de Feras questiona onde se encontra o limite entre o instinto animal para sobreviver e o dever humano para proteger os outros. Até onde vai uma mãe para proteger o seu filho?

A minha opinião: 
Joan tem por hábito levar o seu filho Lincoln ao Jardim Zoológico. As tardes entre os dois são bem passadas entre os animais e os divertimentos do Zoo, mas nem todas são iguais e há uma, particularmente, que vai transformar a vida de ambos.

Joan é que nos conduz neste labirinto, que apesar de ser ao ar livre acaba por se transformar claustrofóbico para quem o lê. O perigo anda em todo o lado e quando a noite começa a cair só a audição lhes pode valer.

Gin Philipps criou aqui uma boa história, mas com algumas lacunas, o que me terá defraudado um pouco a leitura.

Depois de todas as expectativas geradas à volta do livro, que seria um dos melhores deste ano, estava com muito curiosidade em relação a ele. De facto, a premissa é excelente, o desenrolar da história também, mas o final deixou muito a desejar. Tudo bem que vamos conhecendo o livro apenas através do relato de Joan, o que leva a que tenha ficado em suspenso o que se terá passado com outras personagens intervenientes na narrativa, mas isso deixou-me completamente desanimada por não ter sabido mais sobre eles.

Relativamente ao antagonista também pouco se ficou a saber.

Dentro do cenário de terror, é bem visível o que uma mãe pode fazer para o bem-estar e segurança do filho. Num ambiente repleto de animais selvagens, e perante um cenário de morte, Joan mostra sangue frio e tudo faz para que o filho de quatro anos não se aperceba do que se passa realmente à sua volta. Por seu lado, Lincoln, apesar da tenra idade, também se mostra colaborante e parece entender quando deve calar-se por forma a ambos conseguirem sobreviver.

Como thriller Reino de Feras não é aquele livro que se lê de uma assentada. Chega até a ser uma leitura um pouco lenta e a pouco desenvolver em partes, no entanto é natural que assim seja para nos conseguirmos colocar no papel de Joan a cada minuto que passa dentro do zoo sem que tenha qualquer ajuda por parte do exterior.

Sem ter sido o que me imaginava inicialmente, Reino de Feras acaba por ser uma excelente leitura, que nos leva a reflectir relativamente ao papel de mães e ao instinto que temos em relação às nossas crias. 



Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard