quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Limões na Madrugada - Carla M. Soares [Opinião]

Título: Limões na Madrugada
Autor: Carla M. Soares
Editor: Cultura Editora
Páginas: 224

Sinopse:
Ansiosa por regressar à Argentina, mas presa a Portugal, distante do homem que ama e da mulher com quem vive, Adriana está perante um dilema universal e intemporal: manter-se comodamente na ignorância ou desvendar o passado da família, como se de um caso policial se tratasse, enfrentando assim aquilo de que andou a fugir toda a vida, por mais doloroso que seja.

Num jogo magistralmente imaginado pela autora, entre a vida atual de Adriana e os ecos do Portugal antigo, machista e violento dos seus pais e avós, esta história, de uma família e dois continentes, é uma viagem entre o presente e o passado, uma ponte sobre o fosso cultural que separa as gerações, um tratado sobre tudo aquilo que a família pode fazer à vida de um só indivíduo.

Entre a sombra e a luz, deixando que por vezes os silêncios falem mais alto do que as palavras, Limões na Madrugada é um romance sobre o amor incomum, o poder da família e a necessidade da coragem.

A minha opinião:
Limões na Madrugada é o segundo livro que leio da Carla M. Soares (tenho o Cavalheiro Inglês por ler na estante) e estou mesmo rendida à escrita da autora, mas também as histórias que cria.
Adriana é uma mulher que se vê a braços com o passado no distante Portugal. A viver na Argentina desde tenra idade, surpreende-se com o telefonema de um advogado portuense dizendo que é portadora de uma herança. A primeira reação é dizer que não está interessada em nada que venha da família do pai, mas a curiosidade começa a ser grande, uma vez que a tia a "obriga" a viajar para o Porto, numa carta que lhe é deixada.

Narrada pela protagonista, a história situa-se entre a Argentina e o Porto, entre passado e presente. E isso é o que mais valorizei no livro. Gosto de livros que nos vão desvendando aos poucos as personagens, que nos dão um pouco de cada vez, que trazem mistério a cada virar de página.
E tudo nele é surpreendente. Desde a vida passada da família paterna de Adriana, até às dúvidas que lhe surgem no presente, quer com o emprego, quer no que toca às relações amorosas.

Adriana é uma personagem peculiar. Dona de uma força enorme, mostra por vezes fraquezas próprias dos segredos do passado e da descoberta dos mesmos que a deixam de rastos. Tudo isto torna uma personagem perfeita com todas as suas imperfeições.

Este é um livro que toca, que nos prende, que nos faz transportar para as ruas do Porto que conheço tão bem e que tão bem estão complementadas com a belíssima capa. Este é o livro de uma pessoa sensível, amante da escrita e da leitura. É um livro para amantes de leituras que nos fazem viajar e querer permanecer neles.

Uma excelente aposta de uma jovem editora portuguesa, que tem já no seu catálogo excelentes autores nacionais.

Recomendo.




Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard