terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Conclave - Robert Harris [Opinião]

Título: Conclave
Autor:
Robert Harris
Coleção: Grandes Narrativas nº 678
Tema: Ficção e Literatura
Título Original: Conclave
Tradução: Ana Saldanha
PVP: 17,50 €
Páginas: 272

Sinopse:
«O mestre do thriller de intriga e ação.» The Times
O Papa morreu.
Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.
São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais.
Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se- á a figura espiritual mais poderosa da Terra.

A minha opinião: 
Já muito se tem escrito sobre o Vaticano, sobre a morte de Papas e todas as polémicas que envolvem padres e cardeais na Igreja Católica. Mas este novo livro de Robert Harris incide sobretudo sobre o conclave, o ritual que sucede a morte de um Papa e que dará lugar a outro.

Realizado entre o 15.º dia e o 20.º dia após a morte do Papa, o conclave é então constituído por cardeais que elegerão um novo Papa. Estes terão de estar completamente isolados do mundo exterior, e as cerimónias são realizadas na Capela Sistina.  

Obviamente que não estava à espera que a votação fosse unânime e que a eleição do novo Pontífice gerasse consenso. O que não imaginava é que obedecesse a tantas regras. Regras essas muitas vezes contornadas para atingir os interesses de determinados cardeais em alcançarem os seus objectivos principais: ser Papa ou eleger um Pontífice do seu interesse. 

E Conclave vai incidir precisamente nisso, nas intrigas em volta deste ritual, criando personagens interessantes e intrigantes. Se nos deparamos com pessoas íntegras e leais, outras há que são completamente execráveis e que não olham a meios para atingir os seus fins. E, à medida que o Conclave avança sem se chegar a consensos, vamos descobrindo vários podres de alguns cardeais, alguns deles na corrida à eleição para o novo Papa. 

Com este novo livro Robert Harris criou uma excelente história capaz de agradar quer os amantes de thrillers que envolvam o Vaticano, mas também curiosos em saber como funciona a eleição de um novo Papa.

Lomeli, personagem que nos vai narrando o que se vai passando nos dias que antecedem o conclave até à eleição do novo Pontífice é bastante interessante. É ele que desconfia da ética de alguns colegas seus cardeais e que se vai "armar" em detective com o intuito de descobrir o que alguns escondem por detrás de tanta "bondade". Sem ter pretensões de ser Papa, Lomeli começa a surtir interesse por parte de alguns colegas seus e treme quando começa a perceber que pode ser o sucedâneo do santo Papa, coisa que nunca almejou. 

Sou uma curiosa em relação a questões da igreja, pelo que parti para a leitura deste livro para perceber como funciona o Conclave. Nunca imaginei que gostasse tanto. Robert Harris coloca uma intriga interessante em relação a este ritual tão importante para o catolicismo que faz deste livro uma leve leitura, nada maçudo e muito bom. 

Recomendo. 

Mais informações sobre o livro e outros no site da Presença aqui



Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard