domingo, 3 de dezembro de 2017

A Sombra da Noite - Robert Bryndza [Opinião]

Título: A Sombra da Noite
Autor: Robert Bryndza
Editor: Alma dos Livros
Páginas: 352

Sinopse:
Numa noite quente de verão, a inspetora-chefe Erika Foster é chamada à cena de um crime. A vítima, um médico, é encontrada asfixiada na cama. Tem os pulsos amarrados e os olhos parecem querer saltar-lhe das órbitas através do saco de plástico transparente que lhe cobre a cabeça e o sufocou. Alguns dias mais tarde, outra vítima é encontrada exatamente nas mesmas circunstâncias. À medida que Erika e a sua equipa intensificam as investigações deparam-se com um assassino em série inteligente e calculista - que persegue e sabe tudo sobre as vítimas antes de escolher o momento certo para atacar.

As vítimas são homens solteiros, com uma vida muito reservada e um passado envolto em segredo. Porém, podem não ser as únicas pessoas a ser observadas... Erika começa a receber mensagens enigmáticas e a sua própria vida corre perigo. Ela tudo fará para desvendar o mistério que rodeia estes crimes, ainda que isso signifique arriscar a sua carreira na polícia. Imperdível!

A minha opinião: 
A Sombra da Noite é o segundo livro da série Erika Foster e acaba por tornar-me fã desta detective e de Robert Bryndza. 

Neste livro a inspectora-chefe é chamada para resolver um crime suis generis. A vítima é um médico reputado que é encontrado morto na cama, nu, e com um saco de suicídio enfiado na cabeça. A cena do crime aponta para assassinato visto a vítima estar com as mãos atadas. 

Atravessando uma fase complicada no departamento de polícia, Eika não desiste de procurar pelo assassino que mostra ser implacável e imparável. Dias depois, uma segunda vítima é encontrada e o método de assassinato é o mesmo levando a equipa de investigação a procurar por um assassino em série.
O assassino mostra particular interesse por homens, solteiros ou divorciados, cuja vida é bastante conhecida no meio.

Para quem leu A Rapariga do Gelo e gostou do livro, este não desilude os fãs. Robert Bryndza mostra ter amadurecido a sua escrita ao criar uma história interessante e bem consolidada, com personagens fortes e marcantes. O facto de nos apresentar o lado do assassino e o que o terá levado a tal atrocidade fez com que ficasse presa a este livro. A mente do mal foi muito bem explorada, tendo criado alguns momentos de tensão ao longo da leitura. 
Desde logo adivinhei que estaria por detrás dos crimes, mas isso não me fez abandonar o livro. Muito pelo contrário. Bryndza soube criar suspense até ao último minuto e estava desejosa para saber mais sobre o passado do assassino, também ele vítima das circunstâncias.

O que leva uma pessoa a passar para o outro lado da barricada? Normalmente os traumas do passado reflectem-se no presente e se há pessoas que conseguem ultrapassá-los, outras há que apenas desejam vingança. 

Quanto a Erika, a detective está cada vez melhor e a relação com os seus colegas de departamento promete aquecer ainda mais a esquadra e os próximos livros. 

  




Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard