terça-feira, 21 de novembro de 2017

A Cicatriz do Mal - Pierre Lemaitre [Opinião]

Título: A Cicatriz do Mal
Autor: Pierre Lemaitre
Editor: Clube do Autor
Páginas: 320

Sinopse:
Galerie Monier, Paris. Uma mulher é apanhada de surpresa por três homens armados que assaltam uma joalharia em plena galeria de lojas dos Campos Elísios. A mulher chama-se Anne Forestier. Trata-se nada mais nada menos do que a companheira do famoso comissário Verhoeven. Fazendo tábua rasa da lei e correndo o risco de perder o posto de trabalho, o comissário esconde dos demais polícias o facto de conhecer Anne e assume a investigação. É o primeiro passo de uma manipulação orquestrada por um assassino vingativo. Na realidade, quem dá caça a quem? E quem é a verdadeira presa?

Como habitualmente acontece na escrita de Lemaitre, as aparências enganam, e o famoso comissário acabará por compreender que é vítima de uma intriga que remonta ao passado, vendo-se obrigado a recorrer a todos os expedientes e mais algum para descobrir o responsável, bem como as razões que motivam o enigmático assassino.

A minha opinião: 
Passam quatro anos da morte de Irène e Camille vê-se a braços com mais um revés na sua vida amorosa: a sua namorada Anne é atacada quando assaltantes tentam roubar uma joalharia. Pode dizer-se que Anne estava no local errado à hora errada e o brutal ataque, que tinha como objetivo liquidá-a, leva-a ao hospital em estado grave. 

O estranho aqui é que ninguém sabe que Anne e Camille têm uma relação pelo que o inspector se encarrega de investigar o caso de forma intensiva. 

Em apenas três dias Camille vive entre visitas a Anne e a investigar o caso. Mas a tarefa não parece ser fácil porque os assassinos pretendem terminar, a todo o custo, o trabalho. 

Confesso que estava mais à espera deste quarto livro da saga de Camille. Depois de ter adorado Irène e Alex, aos quais dei 5 estrelas, este não consegue ir além das 2. De facto, A Cicatriz do Mal não me agradou nem um bocadinho. Não consegui gostar da história, embora a ataque a Anne tenha sido bastante gráfico e quase real. 

Obviamente que depois de dois livros de 5 estrelas que a fasquia estava demasiado alta e é muito normal que numa séria haja livros que gostamos menos. Foi este o caso. 

Talvez por ser o último livro o autor foca-se mais na mente de Camille do que propriamente na do assassino, facto que me prendeu aos anteriores. De facto, o que mais gosto num livro do género é podermos sentir o que o assassino pensa e o porquê de fazer tais atrocidades. tal não aconteceu neste livro, o que é pena.   



Sem comentários:

o-homem-de-giz-billboard