quinta-feira, 31 de agosto de 2017

A amiga - Dorothy Koomson [Opinião]

Título: A amiga
Autor:
Dorothy Koomson
Tradução: Irene Ramalho
Págs.: 496
Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €

Sinopse:
Quando o marido é promovido, Cece Solarin muda-se para Brighton com os três filhos, animada com a possibilidade de um recomeço. No entanto, o ambiente do bairro que a acolhe parece-lhe ansioso e os vizinhos sobressaltados.
Cece descobre que, três semanas antes, Yvonne, uma das mães mais populares da zona, foi deixada às portas da morte, no pátio da escola dos filhos - a mesma onde se vê obrigada a inscrever os seus.
No primeiro dia de aulas, Cece conhece três mães muito diferentes que parecem querer ajudá-la neste novo começo. Mas Maxie, Anaya e Hazel são também amigas de Yvonne, e a polícia desconfia que uma delas poderá estar envolvida no crime. Preocupada com a segurança dos filhos, Cece está decidida a descobrir a verdade…

A minha opinião: 
Qualquer semelhança entre o novo livro de Dorothy Koomson, "A Amiga", e o "Pequenas Grandes Mentiras" de Liane Moriarty que tanto gostei de ler, é pura coincidência. Se este podia ser um senão por esperar mais do que uma história muito semelhante, fez o efeito contrário. Se já tinha adorado o livro de Moriarty, fiquei igualmente rendida ao de Koomson.

O mesmo cenário, o mesmo género de mães, os filhos em contexto escolar, tudo isto é explorado, e bem explorado pela autora britânica.

A chegada de Cece à pequena localidade de Brighton  é um tanto ou quanto peculiar. Mãe de três filhos, Cece muda a sua residência de Londres, onde tem o seu emprego, para passar a morar com o marido, que tinha sido destacado para ali trabalhar já há algum tempo. Cece deixa tudo em prol do bem estar familiar. Mas a pacata localidade tem algo a esconder.

No primeiro dia de aulas dos seus filhos, Cece descobre que algo de muito grave se passou durante as férias escolares. Yvonne, uma mãe, muito popular no seio escolar, apareceu gravemente ferida na escola e ninguém sabe como tal aconteceu.

Apesar de nova naquele sítio, Cece vai fazer amizades com algumas das mães, e a relação que tem com cada uma vai fazer com que descubra todo o mistério em torno da mulher ferida. A cada capítulo vamos também descobrindo que todas as personagens ocultam segredos do seu passado praticamente desconhecidos de toda a gente. Cece mostra ser uma boa amiga, mas também uma excelente investigadora. E é precisamente isso que nos deixa agarrados à história.

A narrativa ganha ainda mais intensidade porque é realizada sob o ponto de vista das três amigas e de Cece, e viaja entre diversos pontos do passado. Vamos conhecendo com mais profundidade, a vida de cada uma das personagens, assim como a sua personalidade, que é bem diferente entre elas.
  
Desde o início descobrimos que as mães que se tornam amigas de Cece eram também grandes amigas de Yvonne e, logicamente, as principais suspeitas da polícia, já que as lesões de Yvonne não coincidem com uma queda acidental.

De facto, Anaya, Hazel e Maxie, mostram que escondem algo, sobretudo acerca da noite em que a amiga se feriu.

Mais do que a investigação em curso, o mais interessante no livro é a descoberta do segredo de cada uma das amigas, incluindo o de Cece, que também se mostra fugidia em relação ao seu passado.
Rico em personagens e com uma narrativa bastante apelativa que concilia uma boa dose de mistério com romance, este foi um dos melhores livros que li este ano.



Sem comentários: