segunda-feira, 8 de maio de 2017

O Predador da Noite - Chris Carter [Opinião]

Título: O Predador da Noite
Autor: Chris Carter
Editor: TopSeller
Páginas: 416

Sinopse:
Ele espia. Ele aguarda. Ele mata.
Ninguém está em segurança...

Um corpo não identificado, do sexo feminino, é trazido para a morgue. A causa da morte está longe de ser clara. O corpo não tem outras marcas, exceto o pormenor macabro de a boca e as partes íntimas terem sido costuradas. A autópsia revela, no entanto, outra descoberta chocante: o assassino deixou algo dentro do corpo da vítima! Algo tão aterrador que o detetive Robert Hunter, da Unidade Especial de Homicídios da Polícia de Los Angeles, é de imediato chamado para tomar conta do caso.

A investigação de Hunter acaba por se cruzar com a da sua colega Whitney Meyers, e torna-se claro para ambos que o criminoso é um impiedoso e perfecionista serial killer de mulheres, obcecado com os segredos do passado.

A minha opinião: 
Terceiro livro da série Robert Hunter, O Predador da Noite consagra Chris Carter cmo um dos melhores do thriller/policial.

Depois de O Assassino do Crucifixo e de O Carrasco do Medo, que foram autências surpresas, desejei que o próximo livro do autor com origens brasileiras, chegasse depressa. Felizmente o tempo entre o segundo e terceiro livros foi curto e pude, assim, entrar em mais uma histórias arrepiante.
Chris Carter tem uma forma dura e crua de relatar as cenas do crime, assim como de criar assassinos sádicos e criativos.

Robert Hunter é novamente o protagonista e com Garcia vai deparar-se com um assassino surreal. A primeira vítima é encontrada toda costurada e o que mais surpreende a dupla de detectives é o que ela tem dentro do seu corpo.

Mais uma vez, deparamo-nos com o brilhantismo de Hunter, um verdadeiro prodígio que me fascina sobremaneira, a par do companheirismo que existe com Garcia. A dupla, funciona muito bem, e a cada livro publicado Chris Carter vai desvendado um pouco mais da vida do protagonista, mas sempre sem contar demasiado para agarrar os leitores à série. E, de facto, consegue fazê-lo. Porque depois de lido o primeiro livro, a vontade é querer ler mais e mais.

Os capítulos curtos, e sempre emocionantes, torna o livro difícil de largar, ficando o leitor preso a cada virar de página e com o pensamento "é só mais um bocadinho". Adoro esse tipo de leitura, rápida, gráfica, emocionante e, por vezes, atemorizante. Quando sai o quatro? Já estou a salivar.






Sem comentários: